Já Chocam Ovos de Pinto
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

13/07/2020

Já Chocam Ovos de Pinto

13/07/2020 + 12 Comentários
SÓ QUE O MUNDO MUDOU. PINTO NÃO CHEGA A GALO. MUITO MENOS FARIA DELE.

 
Um leitor do blogue fez chegar esta idiotice questionando o "fundo de verdade". Nenhum! Aldrabice pura e dura. Fácil de demonstrar.



O habitual no FC Porto pintecostista...
Atirar o Calabote (1) e o Clube do Regime (2) para cima do Benfica, ou seja, mentiras para esconderem o seu passado vergonhoso. Só que não conseguem. Agora vem este armado em pinto-calçudo.


1. Calabote
Inventado pelo treinador portista, José Maria Pedroto em finais dos anos 70 (1976/77 a 1979/80), ou seja, quase duas décadas depois do jogo, em 22 de Março de 1959, arbitrado por Inocêncio Calabote quando havia indignação face aos benefícios que o FC Porto recebia da arbitragem, como esta (clicar) com tiradas do tipo «vocês queriam é que isto fosse como no tempo de Calabote, que para o Benfica ser campeão, prolongava o jogo 15 minutos, expulsava jogadores da CUF e marcava quatro penaltys». Como se prova tudo uma mentira pegada (clicar).  


2. Clube do Regime
Inventado pelo presidente portista, Pinto da Costa em final dos anos 90 afirmando que em Democracia o FCP mostrava ser superior ao Benfica e que só não tinha ainda mais títulos de campeão nacional que o Benfica porque este fora o Clube do Estado Novo. Se o não tivesse sido, o FC Porto teria conquistado mais campeonatos que o Benfica. Em 1998/1999 recordemos a "contabilidade" indicava: SLB com 30 e FCP com 18, ou seja, menos 12. Em 25 de Abril de 1974, a contabilidade era: SLB com 20 e FCP com 5, ou seja, menos 15. Mas, em 1993/94, vinte anos depois do 25 d'Abril a contabilidade não mostrava que o Benfica tivesse cedido em Democracia, pois vencera dez títulos, o FCP conquistara oito e o Sporting CP os dois restantes. Ou seja, Benfica com 30 e FC Porto com 13, por isso, menos 17. Duas décadas de Democracia e o SLB em relação ao FCP passou de ter mais 15 (em 1974) para ter mais 17 (em 1994)! Em Taças de Portugal (20) entre 1974/75 e 1993/94: Benfica (7), FC Porto (5), Boavista FC (4), Sporting CP (2), CF "Os Belenenses" (1) e o CF Estrela Amadora (1). 

Augusto Cancela de Abreu até fez questão de nunca aceitar cargos no Benfica (nem que se saiba o Benfica lhe pediu)
Enquanto fosse membro do Governo e apenas aceitou, exigindo um hiato de tempo, para não sair de um lado (Governo) e entrar noutro (Benfica). Deixou de ser Ministro (e do Interior) em 2 de Agosto de 1950 sendo eleito presidente da Mesa da Assembleia Geral, em 27 de Julho de 1956, ou seja, quase seis anos depois. Aliás, Augusto Cancela de Abreu até lhes (ao FCP entenda-se...) arranjou um terreno na Areosa para construírem um estádio, mas eles queriam mais... também queriam dinheiro! Raios o parta... ao dinheiro!



O que querem esconder (desta vez)
Terem um ministro das Obras Públicas, entre 4 de Fevereiro de 1947 e 2 de Abril de 1954, associado do FC Porto (em 1963 era o n.º 7 070), que lhes resolveu o problema da falta de organização para construir um estádio, inaugurado no 28 de Maio (pois claro!) de 1952, o engenheiro José Frederico do Casal Ribeiro Ulrich.



Tecer loas a quem os ampara
Sempre foram mestres no agradecimento.


Páginas 1090 e 1091 do Volume III da História dos 50 anos do FC Porto (1906-1956) de António Rodrigues Teles, editada em 1958

Recompensar políticos que os auxiliam
Seja em que Regime for são peritos.




Mentirosos compulsivos e desonestos intelectualmente mais tudo o resto que deles nada restará a não ser... foram!

Alberto Miguéns

NOTA: Ele faz ainda outra afirmação:


Como não sou mentiroso, nem invento factos não tenho meios como provar que o presidente portista Afonso Pinto de Magalhães não tivesse sido "um conhecido oposicionista, tendo apoiado a candidatura presidencial de Humberto Delgado em 1958 e tendo sido mesmo preso pela PIDE". Mas parece-me pouco verosímil ou entretanto o banqueiro mudara radicalmente. 
Qualquer pessoa minimamente conhecedora, nem é da história dos clubes, é da história de Portugal, sabe bem o que se passou a seguir ao 25 de Abril de 1974. O dono do «Banco Pinto de Magalhães» (BPM) e outras empresas refugiou-se no Brasil, com receio da Democracia, acusado de desvio de riqueza em Portugal para o exterior do País, sendo até um dos motivos pelo qual Belmiro de Azevedo - quadro superior e protegido do banqueiro - assumiu o controle da Sonae que tinha sido criada pelo foragido à Democracia. Afonso Pinto de Magalhães esteve seis anos exilado só regressando a Portugal em 1980. Deve ter tido medo da Democracia... ou não?
  1. Só tenho uma palavra: Parabéns!!!

    ResponderEliminar
  2. Esse traste é o delinquentezinho colega do ladrão de emails e residente do bunker, concebido pela Associação Criminosa para cometer crimes com o Jota Traques. A justiça (espero eu) fá-los-á, mais dia menos dia, pagar pelos seus crimes.

    ResponderEliminar
  3. Este e muitos mais trastes nao sabem e nem querem saber da historia do seu clube, pois é uma historia triste feita por mentirosos compulsivos mitómanos e batoteiros, estes trastes jogam a pedra e escondem a mao, esses meninos de coro que se vendem como se vendeu judas acabam por se enforcarem de tanta vergonha de dizerem tantas mentiras.
    NOTA: Diogo faria sabes qual foi o clube mais o presidente ai em Palermo que foi condenado por praticas de CORRUPÇÃO e lhe fora retirados seis 6 pontos, e nao recorreu por achar que a pena foi leve tau leve como as frutas cafés com leite quinhentinhos viagens concelhos matrimoniais dado pelo PAPA na casa da Madalena, caro Diogo faria isto é HISTÓRIA verídica e ficará como a maior vergonha do desporto em Portugal. se quiseres confirmar esta muito perto de um clic, clica e verás. cuidado com as pedras os teus telhados sao de vidro.

    ResponderEliminar
  4. Ó rapazola, vai-te catar! Cresce e aparece! Falar de «clube do regime» para cima do democrático Sport Lisboa e Benfica, o único clube português e uma das pouquíssimas instituições nacionais onde se realizaram eleições democráticas durante a ditadura salazarista-marcelista? Deves perceber tanto de História de Portugal como o outro (licenciado em História?!!!), o agora engaiolado em casa pela Justiça. Vocês sabem é de assaltar caixas de correio eletrónico e de outras nefandas velhacarias. Eu ensino-te História (licenciatura tirada à noite, numa escola pública - Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa -, e a vergar a mola, de dia). Vamos à lição.
    Com funções concretas e relevantes no aparelho fascista houve, no teu clube, pelo menos, estes dirigentes: Abílio Urgel Horta, Ângelo César Machado, Augusto Pires de Lima, Cesário Bonito e Júlio Ribeiro Campos. Nos inimigos (sim, porque vocês não são adversários, rivais dignos, leais, mas miseráveis inimigos) aqui do lado, que também têm a mania de nos apontar o dedinho aristocrático, a lista é ainda mais comprometedora: Góis Mota, Cazal Ribeiro, Salazar Carreira, Viana Rebelo, Ribeiro Ferreira, Oliveira Duarte e Brás Medeiros, pelo menos. Nos dois clubes agora miseravelmente coligados contra o SLB, os eleitos eram-no por uma assembleia de notáveis, claro, que a democracia enojava-os e havia o regime amado a respeitar, a defender e a preservar. Conheces aquela foto do Urgel Horta e do Ângelo César ao lado de Oliveira Salazar e do marechal Carmona, a fazerem todos, muito empertigados, a saudação nazi/fascista? Eu envio-ta, se a não conheces.

    ResponderEliminar
  5. Cont.
    Presidentes oposicionistas, dirigentes perseguidos pela PIDE? São tantos, tantos no Sport Lisboa e Benfica.
    O único clube que viu o seu hino original interditado pelo regime.
    Aquele a que o regime proibiu a referência à palavra vermelho (camisolas vermelhas), que mandou substituir pela palavra encarnado.
    Aquele que se viu enxotado pelo regime, dos locais onde jogava.
    Aquele em cujo estádio a seleção nacional raramente jogava.
    O que sempre se recusou a envolver o nome do seu estádio com as datas caras ao regime (o Estádio das Antas foi inaugurado em 28 de maio – oh! oh! oh! - de 1952. Quanto aos viscondes: após a Revolta Militar do 28 de maio de 1926, passaram a denominar o seu estádio do Campo Grande por «Estádio do 28 de maio»; e inauguraram o novo estádio, depois de uma remodelação do anterior, em 10 de junho, dia de Portugal e da Raça - elucidativo! -, de 1956.
    Aquele que foi considerado uma instituição de utilidade pública apenas em 1962, enquanto o clube da fruta o foi em 1928, com o prestígio social e os benefícios fiscais inerentes, e quando o SLB já tinha muito mais prestígio nacional e internacional.
    E o SLB é que foi o clube do regime?

    ResponderEliminar
  6. Cont.
    Foram sempre muito fortes na nojenta teoria goebbels-hitleriana de que uma mentira muitas vezes badalada se transforma numa verdade – têm-no feito com esta mentira, com a mentira do Calabote, com as mentiras que todas as épocas inventam e em que insistem até à exaustão, com a cumplicidade dos amigos que têm espalhados pelos centros de opinião e poder. Está-lhes no sangue, como a ordinarice mais rasca lhes escorre das palavras e sobressai nos atos. São rascas. Já vos vimos o rabiosque há manga de luas, seus labregos! Portugal e o mundo estão, também, fartos de vê-lo. É asqueroso. São muito bons nas tramoias para ganharem (o Pedroto e o «papa» fizeram escola), não interessa como. Lá isso são. Têm o museu sujo de tanta mentira.
    A democracia e a verdade desportiva na vossa boca tresanda a vitupério.
    Com quem tu te foste meter, rapazelho! O Alberto Miguéis é mestre, senhor de muitos diplomas, de incontáveis pós-graduações e doutoramentos em desporto português, e especialista de competência a toda prova (eu atrevo-me a dizer, o maior de todos eles) sobre as inverdades e as incompetências que se dizem e escrevem por aí, e acerca das falcatruíces em que o teu clube é useiro e vezeiro. Com o nosso Alberto levas cabazada, fedelho! Não passas de um triste ovo goro, de um projeto gorado de pinto.
    Vai-te catar, labrego armado ao pingarelho e em intelectual. Chegas a dar dó.
    Acabou a lição.

    ResponderEliminar
  7. A pouco suave cheiro a estrume do Calabote e outras historietas.

    São bons a roubar e a truncar informação digital então porque não haveriam de ser tão bons a reinventar a história do futebol em tempos de ditadura? Aliás há todo um saber de experiência feita. Vem de longe, de uma qualquer capoeira.

    O diabo para eles é que mais tarde ou mais cedo se deparam com a verdade histórica e factual. As opiniões comparam sempre com os factos e uma vez mais a trapaça sai curta. O diabo para eles é que a trapaça cai mais cedo do que pensam quando têm Alberto Miguéns e puxar dos factos e da documentação a eles associados.

    Mais um estoiro. Com classe e com saber. À Miguéns!

    ResponderEliminar
  8. Sempre a desmascarar pulhas aldrabões. Essa corja azul pensa que andamos a comer gelados com a testa. Só é pena não haver mais Albertos Miguéns para desmontar toda a porcaria que dizem. Os seus textos deveriam chegar a todos os BENFIQUISTAS. Porque uma mentira repetida mil vezes não passa a ser verdade. JUNTOS PELA VERDADE E PELO BENFICA! SEMPRE...

    ResponderEliminar
  9. A estrutura com 10 anos a frente esta falida de ideias, ninguém defende o BENFICA, mal tratado anda a ser por escumalha,
    NOTA: Mas temos muitos Benfiquistas que o fazem por amor ao clube, como Miguéns.

    ResponderEliminar
  10. Peço desculpa, amigo Alberto Miguéns, adulterei-lhe o nome.
    Obrigado por continuar a defender o nosso Sport Lisboa e Benfica e por nos proporcionar os mais preciosos conhecimentos da sua Gloriosa História.
    Saudações benfiquistas.

    ResponderEliminar
  11. Sobre a história gloriosa do nosso Glorioso, o Miguéns é super-catedrático e porquê?
    Porque dá dá aulas aos catedráticos!!!

    Bem documentado diz o Nau? O Miguéns até tem fotocópia da factura da compra da primeira bola!!!

    ResponderEliminar
  12. nós compramos e pagamos a 1º bola, ata temos a factura, mas outros nao a 1º bola foi lhe oferecida pelo regime Salazarista, como comprava a sua inauguração do dia do regime.

    ResponderEliminar

Subscrever este blogue

Apoio de: