A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

15/11/2016

Hóquei em Patins 101

15/11/2016 + 6 Comentários
ESTA HOMENAGEM AO PLANTEL DE HÓQUEI EM PATINS (E RESTANTES MODALIDADES) ESTAVA PARA SER FEITA ENTRE SETEMBRO/OUTUBRO.



A falta de tempo ou o tempo ocupado com outros assuntos foi adiando a sua apresentação, apenas estando publicado o do Andebol (clicar). Mas de hoje não passará. Até porque em Ano de Centenário da Criação da Secção (herdada do Desportos de Benfica) não fazia sentido ignorar o actual plantel que transporta a “Chama Imensa” ininterruptamente há um século. Além disso está no plantel o atleta (Valter Neves) com mais épocas a honrar o “Manto Sagrado” (em 2016/17 será a 13.ª iniciada em 2004/05) apenas superado por Luisão com mais uma temporada, pois iniciou-se no “Glorioso” em 2003/04.

Esta temporada (2016/17) será a 101.ª
Em 1 de Dezembro de 2016 será o centenário da Secção (Hóquei em Patins recreativo) e em 18/19 de Agosto de 2017 será o centenário da participação do Hóquei em Patins em competição, respectivamente, a 2.ª e a 1.ª categoria.



O Plantel 101 é um dos melhores de sempre do Glorioso Hóquei em Patins
Esperemos que com a saída de Marc Torra seja suficiente para conquistar o Tricampeonato com “dobradinha” e consiga a segunda Liga Europeia consecutiva.

PLANTEL PARA 2016/17 (valores até final de 2015/16)
N.º
Hoquista
Posição
Títulos e troféus
N.º Ép
Jogos
Golos
2
Valter Neves
Defesa/Médio
(14) 3 CN/3 TP
/2 ST/2 LE/
2 TC/ 1 CERS/
1 TI
12
556
275
4
Diogo Rafael
Defesa/Médio
(14) 3 CN/3 TP
/2 ST/2 LE/
2 TC/ 1 CERS/
1 TI
10
383
257
9
João Rodrigues
Avançado
(14) 3 CN/3 TP
/2 ST/2 LE/
2 TC/ 1 CERS/
1 TI
7
291
341
14
Tiago Rafael
Defesa/Médio
(6) 2 CN/2 TP/
1 LE/1 CERS
5
218
97
44
Miguel Rocha
Defesa/Médio
(7) 2 CN/2 TP/
1 LE/1 TC/ 1 TI
4
143
120
10
Guillem Trabal
Guarda-redes
(7) 2 CN/2 TP/
1 LE/1 TC/ 1 TI
3
142
-
5
Carlos Nicolia
Avançado
(4) 2 CN/1 TP/ 1 LE
2
89
117
7
Jordi Ardhoer
Avançado
(2) 1 CN/1 LE
1
46
74
55
João Sardo (1)
Avançado
(3) 2 CN/1 LE
3
12
7
23
Diogo Almeida
Guarda-redes
HC Braga (POR)
NOTAS: (1) Promoção definitiva da formação à equipa principal; A Taça Continental conquistada em 2011/12, com falta de comparência, do adversário foi “atribuída” a todo o plantel. O que prova que personalizar títulos e troféus colectivos é uma falácia. O Benfica é que conquista. Os atletas contribuem para essas conquistas. Neste caso o Benfica conquistou a Taça Continental mas os atletas não a disputaram por isso, em rigor, não a conquistaram “individualmente”

Valter Neves
Parece que foi ontem que chegou ao “Glorioso” vindo do CD Paço de Arcos no início de 2004/05. Ele e mais quatro pois o Benfica transferira a equipa completa: Carlos Silva; Valter Neves e Pedro Afonso; Rui Ribeiro e Ricardo Barreiros. O capitão do Benfica era Mariano Velasquez. Em doze temporadas o capitão Valter Neves jogou com o “Manto Sagrado” em 556 jogos marcando 275 golos, mesmo tendo funções mais defensivas. Numa História “Normal” seriam muitos jogos, mas na Gloriosa História “ocupa” o décimo lugar (ou ocupava pois com os jogos na actual temporada é nono). O oitavo (Carlos Garrancho) tem 637 jogos. Mas a capitanear o “Glorioso” é segundo já muito próximo do primeiro (António Livramento com 471 jogos). O hoquista com mais jogos é Casimiro (747) e o maior goleador é Domingos Perdigão (1313 golos). Tendo em conta a longevidade numa modalidade em patins, Valter Neves tem todas as condições para quando se despedir ser o hoquista que mais vezes honrou o “Manto Sagrado”.   

             TROFÉUS OFICIAIS (TOTAIS)
      
COMPETIÇÕES
Troféus
Oficiais
Em Jogos Regionais
51
Em Jogos Nacionais
51
Em Jogos Internacionais
  9
      TOTAIS
111
R
Campeonato Regional
24
Taça de Honra APL
  9
Torneio Abertura APL
18
N
C.º Metropolitano
  6
Campeonato Nacional
24
Taça de Portugal
14
Supertaça Portuguesa
  7
I
Taça Continental
 3
Liga Europeia
 2
Taça C.E.R.S.
 2
Torneio Montreux
 1
Taça Intercontinental
 1

Uma epopeia de dedicação, glória e resistência
As temporadas de hóquei em patins iniciavam-se com as provas regionais (organizadas pela Associação de Patinagem de Lisboa) primeiro a Taça de Honra (depois Torneio de Abertura) seguindo-se o Campeonato Regional (que a partir de 1938/39 passou a apurar para o Campeonato Nacional, até 1969/70). Depois (1970/71) e até 1980/81 havia um Nacional (zona sul) que apurava para a fase final do Nacional, pois a partir de 1981/82 passou a existir um quadro fixo, com despromoções e promoções entre a I e a II Divisão. Entre 1966/67 e 1973/74 o Regional ou, depois, a zona sul do Nacional apurava para o Campeonato Metropolitano, com o Campeão e o 2.º classificado a disputarem o Campeonato Nacional com o Campeão de Angola e o Campeão de Moçambique.

            BENFICA “CENTENÁRIO” NO HÓQUEI EM PATINS
 Estreia da nossa equipa de Honra: 19 de Agosto de 1917
(V 5-0, Hockey Club Carcavelos, no Rinque da nossa Sede,
na Avenida Gomes Pereira  (em Benfica)
Épocas
REGIONAIS
(APL)
NACIONAIS
(FPP)
Inter
nacional
(CERH)
TH/TA
CR
CM
CN
TP
ST
111
9+18
24
6
24
14
7
9
1925
  1.º
1926
  2.º
1927
  3.º
1928
  4.º
1929
  5.º
1930
  6.º
1931
  7.º
1932
  8.º
1933 (Épocas no ano civil)
1934
  9.º
1935
1936
1.ª TH
1937
10.º
1938
2.ª TH
12 Épocas
1950/51
11.º
  1.º
1951/52
3.ª TH
  2.º
1952/53
4.ª TH
12.º
1953/54
5.ª TH
13.º
1954/55
6.ª TH
1955/56
7.ª TH
14.º
  3.º
1956/57
8.ª TH
  4.º
1957/58
9.ª TH
1958/59
15.º
1959/60
16.º
  5.º
1960/61
  1.º TA
17.º
  6.º
1961/62
  2.º TA
18.º
Montreux
1962/63
  3.º TA
19.º
  7.º
1963/64
  4.º TA
20.º
1964/65
1965/66
  5.º TA
21.º
  8.º
1966/67
22.º
1.º
  9.º
1967/68
  6.º TA
23.º
2.º
10.º
1968/69
1969/70
24.º
3.º
11.º
1970/71
1971/72
  7.º TA
4.º
12.º
1972/73
5.º
1973/74
6.º
13.º
1974/75
  8.º TA
2 Épocas
1977/78
  9.º TA
1.ª
1978/79
10.º TA
14.º
2.ª
1979/80
11.º TA
15.º
3.ª
1980/81
12.º TA
16.º
4.ª
1981/82
13.º TA
5.ª
3 Épocas
1985/86
14.º TA
3 Épocas
1989/90
15.º TA
1990/91
16.º TA
6.ª
1.ª CERS
1991/92
17.º TA
17.º
1992/93
1.ª
1993/94
18.º
7.ª
1994/95
18.º TA
19.º
8.ª
2.ª
1995/96
1996/97
20.º
3.ª
1997/98
21.º
1998/99
1999/00
  9.ª
2000/01
10.ª
2001/02
11.ª
4.ª
2002/03
5.ª
6 Épocas
2009/10
12.ª
2010/11
6.ª
2.ª CERS
2011/12
22.º
1.ª Continental
2012/13
7.ª
1.ª Liga Europeia
2013/14
13.ª
2.ª Continental
Intercontinental
2014/15
23.º
14.º
2015/16



24.º


2.ª Liga Europeia
2016/17
?
?
3.ª Continental
NOTA: Em 1984/85 o SLB mais quatro clubes filiados na APL (Associação de Patinagem de Lisboa) não participaram na 10.ª edição da Taça de Portugal em protesto pelo modo como o Executivo da FPP (Federação Portuguesa de Patinagem) (des)organizava a modalidade!
CR – Campeonato Regional (entre 1938/39 e 1969/70 apurava para o Campeonato Nacional;
TH – Taça de Honra (a partir de 1959/60 passou a designar-se TA -Torneio de Abertura);
CN – Campeonato Nacional (entre 1966/67 e 1973/74) realizava-se depois do Campeonato Metropolitano (CM) apurar os 2 finalistas do Continente que se juntavam aos campeões de Moçambique e Angola;
TP – Início em 1975/76;
ST – Início em 1982/83;
Torneio de Montreux – Início em 1921;
Taça CERS – Início em 1980/81;
Taça Continental – Início em 1997/98 {antes com a designação de Supertaça Europeia (entre 1980/81 e 1995/96)};
Taça Intercontinental – Início em 1982/83

A última conquista. A primeira em 2016/17

Domínio nas últimas temporadas
Foi o Benfica a interromper a hegemonia portista. Nas últimas seis épocas: três campeonatos nacionais (o FCP dois), duas Taças de Portugal (o FCP e a UD Oliveirense com duas cada um) e duas Supertaças (o FCP com três). Entre estes três clubes intrometeu-se o AD Valongo, com duas conquistas, e o Sporting CP com uma. Em 19 troféus: SLB (sete), FCP (sete), AD Valongo (dois), UD Oliveirense (dois) e Sporting CP (um).

ÚLTIMAS 12 TEMPORADAS
Épocas
Campeonato
Nacional
Taça de Portugal
Supertaça
Vencedor
SLB
Vencedor
SLB
Vencedor
SLB
2005/06
FC Porto
2.º
FC Porto
1/2
FC Porto
P
2006/07
FC Porto
2.º
H Ac. Cambra
1/8
FC Porto
NP
2007/08
FC Porto
2.º
FC Porto
1/4
FC Porto
NP
2008/09
FC Porto
3.º
FC Porto
FIN
FC Porto
NP
2009/10
FC Porto
5.º
12.SL BENFICA
FC Porto
P
2010/11
FC Porto
2.º
UD Oliveirense
1/4
06.SL BENFICA
2011/12
22.SL BENFICA
UD Oliveirense
FIN
FC Porto
NP
2012/13
FC Porto
2.º
FC Porto
1/4
07.SL BENFICA
2013/14
AD Valongo
2.º
13.SL BENFICA
FC Porto
NP
2014/15
23.SL BENFICA
14.SL BENFICA
AD Valongo
P
2015/16
24.SL BENFICA
FC Porto
FIN
Sporting CP
P
2016/17
FC Porto
P

O Benfica é o mais titulado do Hóquei em Patins português
Com 39 títulos (24 + 15) nas duas competições e o FC Porto regista 36 títulos: 21 + 15. Apenas num troféu (a Supertaça não é uma competição, apenas um jogo (e já foram dois) o FC Porto esmaga o Benfica: 21/7!

QUADROS DOURADOS POR COMPETIÇÃO
Campeonato
Nacional
Taça de Portugal
Supertaça
SL BENFICA
24
FC Porto
15
FC Porto
21
FC Porto
21
SL BENFICA
14
SL BENFICA
7
CD Paço Arcos
8
Sporting CP
4
OC Barcelos
4
Sporting CP
7
OC Barcelos
4
Sporting CP
2
HC Sintra
4
UD Oliveirense
3
AD Valongo
1
CF Benfica
3
H Ac. Cambra
1
CD Lou. Marques
3
OC Barcelos
3
CA Campo Ourique
1
C Ferr. L. Marques
1
CD Malhangalene
1
GD CUF Barreiro
1
AD Valongo
1
(78)
(41)
(35)
 NOTA: Pelas razões que já apontei em vários textos desde que existe Em Defesa do Benfica - desenvolvida e com os melhores argumentos (a forma de apuramento, as classificações e os resultados integrais), as edições de 1962/63 e 1963/64 classificadas como Taça de Portugal - obrigando nessas duas épocas a não existirem em Portugal campeonatos nacionais - são "exactamente iguais" à anterior (1961/62) e seguinte (1964/65) designadas como campeonatos nacionais. Repito "exactamente iguais" (apenas os competidores são diferentes como é óbvio porque não há dois campeonatos iguais em função das classificações de cada emblema nos sucessivos campeonatos). Pode-se enganar quem não domina um tema, não se pode enganar a História. Até já vi quererem justificar o que não se pode justificar. Não há "Taças de Portugal" num sistema de "todos contra todos a duas voltas, casa e fora, a pontuar e no final ganha quem obtém mais pontos". Seria, no mínimo, ridículo. Até para a modalidade a nível de comparativo, por exemplo, com Espanha! Duplamente ridículo não havendo campeonato nacional nessas temporadas para dar lugar a uma "Taça de Portugal" disputada como se de um campeonato se tratasse! Só em Portugal! Só com dirigentes que não querem ver o que está visível! Não vou voltar ao assunto, pois está amplamente desenvolvido num texto aqui, no EDB em 21 de Junho de 2013.

Carrega Benfica

Alberto Miguéns


NOTA: Aproveito ainda para responder a um leitor que pediu informações. Como demorou muito tempo apesar de ter respondido no texto em que fui questionado também deixo aqui digitalizações dessa resposta pois não sei se o leitor que pediu as informações voltará ao "post" tão depressa:





6 comentários
comentários
  1. Boa tarde senhor Alberto Minguéns, houve um post que numa das notas disse que ia falar acerca do que ia dentro do basquetebol do benfica, por ter orçamentos acima do justo, seria possivel fazer um retrato geral da forma como essa modalidade esta a ser conduzida?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro,

      Isso deve ter sido a época passada ou até há mais tempo. Pelo que sei actualmente já não é assim. O Benfica chegou a ter um orçamento em que a equipa sénior tinha um orçamento maior que todos os outros clubes que competiam no mesmo escalão. E o segundo maior orçamento nacional era o da Formação do Benfica! Além de ser o maior (cerca de 30 por cento entre as cinco modalidades de pavilhão. Se fosse equitativo seria 20 por cento). Mas pelo que sei já não é assim. Houve uma outra redistribuição com as dificuldades do SLB no Futsal e Voleibol, além de um maior investimento no Andebol.

      A ideia era proteger o treinador de Basquetebol que também era o Director Desportivo, ou seja, quem põe e dispõe nas modalidades (a par de Tiago Pinto). O vice-presidente Almeida Lima é uma figura decorativa. Que faz presenças.

      Tendo em conta as mudanças esse texto já não faz sentido.

      Gloriosas TRIsaudações

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  2. O hóquei em patins faz parte do meu imaginário enquanto criança fascinada pelo Glorioso.
    Naqueles relatos radiofónicos os bravos jogadores Benfiquistas ficavam ao nível de heróis.
    Que memórias daqueles jogos em que decorava os nomes dos clubes contra os quais jogávamos: Oeiras, Valongo, Juventude de Viana, Sporting de Tomar, Paço de Arcos, FCP, Sesimbra, SCP. Especialmente o SCP naqueles longos e intensos jogos. Quantos como eu, da minha geração ou mais velhos não se empolgaram com os jogos naquele velho pavilhão. Inesquecível.

    Depois uma abrupta decepção. Ainda tenho algumas memórias da desilusão que foi a partida daquela equipa campeã para o Dramático de Cascais. Incompreensível para uma criança... Picas, Piruças, Fernando Pereira e José Carlos não podiam fazer aquilo. Não podiam. Ramalhete era um elemento estranho entrando e saindo do Benfica. Leste era a grande estrela mas também ele saiu para Itália. Era preciso começar de novo.

    Depois de alguns anos necessários para a reconstrução eis que novos heróis chegavam. Já não havia o romantismo mas o prazer foi enorme de ver campeões como Luís Ferreira, Paulo Almeida, Vítor Fortunato e Rui Lopes. Mais tarde Panchito e seu irmão Mariano deram-nos novas dimensões de virtuosismo e de raça.

    Agora vive-se talvez a era de ouro do hóquei no SLB. Desde aquele dia em que fomos campeões Europeus no Dragão tem sido em crescendo. Títulos nacionais, títulos Europeus, títulos mundiais. Tremendo. Esta é a era de Valter Neves, João Rodrigues, Tiago Rafael, Nicolia, Adroher, entre tantos outros. Obrigado a todos eles. Hoje seguramente muitas crianças estarão a ter o seu período de encanto com todos esses "heróis". Sem relatos mas com transmissões televisivas. Com vitórias inesquecíveis. Que bom que assim é.

    Para mim já não há o encanto dos heróis mas há a satisfação continuada de ir desfrutando da qualidade da nossa equipa. Há também a capacidade de ir conhecendo a nossa longa história nesta bela modalidade. Muito tenho aprendido neste blogue. Com os seus artigos, o Alberto tem-nos dado a conhecer nomes inesquecíveis da nossa longa história. E assim se percebe que esta capacidade de vencer do Glorioso vem de há muitas décadas atrás. Sempre nobre, sempre vitorioso, recheado de grandes homens e grandes figuras. É grande, sempre foi grande o nosso Benfica.

    Obrigado.

    ResponderEliminar
  3. Na minha opinião a saída do Torra devia ter sido compensada com a entada de outro grande valor ; acho que desinvestimos e podemos pagar caro!! Tenho visto os jogos e temos ganho alguns com grandes dificuldades! Os nossos rivais investiram e nós não acompanhamos! Vamos ver como vai correr e adorava, claro, estar errado.

    ResponderEliminar
  4. Mais uma vez obrigado pelas estatísticas. Desculpe ser chato em estar sempre a pedir, mas aqui é a única maneira de as saber.

    Passando ao Basquetebol. Fiquei com dúvidas quanto ao resultado do Maia Basket 60-66 Benfica. Parece-me que terminou 60-67. Vi o jogo no youtube e noutro separador abri o relato escrito da fiba europe (http://live.fibaeurope.com/www/Game.aspx?acc=1&gameID=103122) onde ia confirmando o resultado.

    Chego ao último cesto do Benfica e no relato diz o seguinte: "00:38 56-66 [SLB] C. Morais - 2pt jump shot made (21 Pts). R. Barber - assist (1 AS)".

    Tirei foto do lance e é claramente um triplo: http://i.imgur.com/4vlQ8IZ.png

    Um abraço, JS

    ResponderEliminar
  5. Caro JS,

    Pelo que sei a" mesa" não considerou triplo. E o Benfica aceitou. E o que os responsáveis do Benfica deviam era de ter solicitado ao árbitro que visionasse as imagens.

    MORAL DA HISTÓRIA: Nós que somos Benfiquistas - e temos gosto em ocupar o nosso tempo livre - gostamos de Honrar quem honra o "Manta Sagrado". Já outros, por serem funcionários, estão com pressa de regressar a Lisboa. Isto se a história que me contaram se passou rigorosamente como me foi contada!

    TRIsaudações Gloriosas

    Alberto Miguéns

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail