Beijo na Bola | Em Defesa do Benfica -->
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

19/06/2021

Beijo na Bola

19/06/2021 + 2 Comentários

SABRY COMPLETA HOJE 47 ANOS.



Pois nasceu no Cairo, em 19 de Junho de 1974. Não é uma Glória do Benfica mas merece ser recordado quando o Benfica necessita de "verdadeiros reforços" para 2021/2022 e não futebolistas para fazer número.

 

A ideia era mostrar preocupação pelo momento

Pois aproxima-se o início da temporada (28 de Junho) embora o primeiro jogo para a Liga dos Campeões (primeira mão da terceira pré-eliminatória) apenas seja em 3 ou 4 de Agosto. Só que o Benfica não pode falhar duas temporadas consecutivas o acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões. A tarefa de Rui Pedro Braz (que comecei por me cruzar com ele no Benfica ainda quando era Brás e nem sócio do Clube...era, pois é associado desde 2006) revela-se complexa quando a margem de erro é nula. Que tenha muita sorte e faça as trocas (dispensados/aquisições) o melhor que for possível e isso quer dizer apenas: CONQUISTAR TUDO EM PORTUGAL e chegar à fase a eliminar na principal competição para clubes.

 


Sabry chegou na "janela de transferências" de Inverno na temporada de 1999/2000

Estreou-se, em 9 de Janeiro de 2000, frente ao Sporting CP (penúltima jornada da primeira volta) mas seria na penúltima ronda do campeonato, em 6 de Maio de 2000, que fez "magia" marcando um golo extraordinário a um excelente guarda-redes. E logo aos 88:17 minutos para fazer o resultado final de 1-0. Ainda continuaria na época seguinte, jogando pela última vez com o «Manto Sagrado», em 27 de Maio de 2001. Um total de 13 golos em 55 jogos, com 3 507 minutos.



Tenho uma estória com ele (ainda que pequena e pouco importante)

Um dia - ainda antes do golo ao Sporting CP, talvez em Março/Abril de 2000 - recebo um telefonema do Senhor Macarrão (responsável pela Sala de Troféus do Clube) que o Sabry estaria daí a meia hora na Sala pois queria visitá-la e não sabendo inglês, o Senhor Macarrão questionou se conseguia estar no Estádio daí a meia hora. Disse-lhe que sim, pois estando em casa não seria difícil. No caminho sempre fui pensando o que levaria Sabry a fazer o que nenhum outro futebolista, por sua iniciativa - que eu soubesse...fazia - visitar a Sala de Troféus. Se o questionei acerca disso, desse interesse, já não me lembro!

 

Lembro-me bem é do espanto dele quando viu o galhardete do clube egípcio National SC (Al Ahly) 

Apontando com aquele sorriso único se era de um jogo ou oferta. «Era de um jogo e no Cairo!» Espantado perguntou: «O Benfica já jogou no Egipto?» «Sabry, o Benfica já jogou em todos os Países da Europa (excepto Albânia) e em todos os do Norte de África. Além de muitos outros na Ásia, África e América. Na América do Sul só não jogou na Bolívia.» Abanou a cabeça dizendo que sim, que desde miúdo ouvia falar do Benfica mas não sabia que tinha jogado no Egipto. «Disse-lhe que tinha sido em 1962 - estava na galhardete - em 1 de Junho». «O meu pai (ou quem cuidava dele) deve ter ido ao jogo». «É provável. O Cairo foi todo ao futebol nesse jogo. 70 mil espectadores fora os que entraram sem bilhete.» Questionei-o: «Sabe o resultado?» «O Al Ahly deve ter sido goleado!» «Não! Ganhou 3-2 ao Benfica!». Sabry espantado! «Mesmo!?» Abanei a cabeça que sim. Para notícia do jogo (clicar) para o jornal vespertino «Diário de Lisboa». 

 


Nem me atrevi dizer a Sabry que era praticamente a mesma equipa

Que tinha conquistado um mês antes, em 2 de Maio, a Segunda Taça dos Campeões Europeus, em Amesterdão, no estádio Olímpico, frente ao poderoso Real Madrid CF. Para sempre será a única final em que se defrontaram os dois únicos campeões europeus. 

 

Vem aí 2021/2022. A temporada mais importante da história do Benfica.

 

Alberto Miguéns

  1. Sabry teve um excelente cicerone!!!

    O lugar do Dr. Alberto Miguéns era no topo da Direção do Museu Cosme Damião e não aquele António Ferreira...o tal INFORMÁTICO lagarto, que só entrou para o Benfica porque sabia mexer nos computadores.

    E que bem mexe naquilo...enquanto ele mexer, o nosso historiador nem para porteiro tem lugar...

    Cosme Damião está a dar voltas no túmulo e razões não faltam. O Museu com o seu nome está a ser dirigido por um lagarto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Benfiquista

      Como me conhece já sabe a minha opinião. O cargo de Director do Museu não devia ser remunerado para ter independência total. Talvez por lhe dar excessiva importância até devia ser eleito em assembleia geral ou mesmo integrando (era necessário alterar os Estatutos) as listas dos Órgãos Sociais.

      Tudo isto permite perceber que eu nunca poderia ser Director do Museu pois tenho que ter um emprego e considero que o Director não pode ser empregado.

      Abraço Glorioso

      Alberto Miguéns

      Eliminar

Subscrever este blogue

Apoio de: