Em Defesa de Biri e Ângelo | Em Defesa do Benfica -->
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

31/12/2019

Em Defesa de Biri e Ângelo

31/12/2019 2 Comentários
JÁ ALDRABOU A HISTÓRIA DO FUTEBOL DO BENFICA AO VICIAR INFORMAÇÃO DE INÚMEROS JOGOS E IGNORAR OUTROS MESMO "OFICIAIS".


Agora numa editora com ligação à actualmente poderosa Federação Portuguesa de Futebol (FPF) Rui Miguel Tovar consegue editar um livro ignorando uma figura como o treinador Biri declarando não haver informação quando ela é pública e está publicada. E Ângelo também é ignorado. Enquanto este blogue existir e souber de situações destas nunca deixará - seja quem for - que ignorem «Os Ases que nos Honraram o Passado» e achincalhem a Gloriosa História.



Ao contrário do clube dele (Sporting CP) onde há informação inexistente
No Benfica isso não existe. Pode é ocupar algum tempo a encontrar mas não há dados inexistentes. Para Rui Miguel Tovar (nada tenho contra a pessoa) mas sim contra os métodos trapalhões de obter e vender informação. Que ele teima em fazer há mais de uma década. Sem alterar procedimentos. É o que faz neste livro editado em Novembro de 2019 e que foi agora para as livrarias em época natalícia.




Como é evidente sabe-se desde sempre quem foi e foram todos os treinadores do Benfica que orientaram os juniores sejam ou não Campeões Nacionais. Sempre. Com Biri sabe-se desde 1944!
Quem faz a história do que quer que seja não pode entender as pesquisas como estar a gastar tempo. Se o faz com rigor e quer errar o menos possível tem de entender que fazer pesquisa é ocupar o tempo não é gastá-lo. O treinador dos juniores do Benfica, campeões nacionais, em 21 de Maio de 1944 (e não em 7 de Julho de 1940, mais um erro mas este já se dá como gralha) foi Janos Biri. Qual "informação inexistente"! É inexistente para quem é preguiçoso, negligente e despreocupado em ser rigoroso. Provavelmente o livro não estaria pronto neste Natal. Paciência! Estaria no de 2020! Para quem procura o rigor... encontra sempre o que é referente ao Benfica. E ter o desplante de se considerar habilitado a escrever "Informação inexistente". Arrogância intelectual. Se prefere a preguiça e desleixo ao rigor ao menos escreva "Informação desconhecida pelo autor". Chama-se a isto honestidade! Rui Miguel Tovar sabe lá o que é que isso quer dizer! Seja ele ou um qualquer Tovar Miguel Rui não tem nenhum estatuto acima da crítica!



Sabe-se bem quem foi o treinador campeão
E a data do jogo também. Está nas páginas do jornal "Diário de Lisboa" (clicar). E a fotografia da equipa campeã nacional com o treinador também (clicar para a revista "Stadium"). Qualquer pessoa que conheça um mínimo da História do Futebol em Portugal reconhece de imediato quem é o treinador. Qual é o seu nome tantos títulos conquistou e muitos clubes treinou. Mas mesmo que não o reconhecesse por ser ignorante teria sempre alguém por perto que sabia que era Biri. Além disso a História do Benfica 1904-1954, de Mário de Oliveira e Rebelo da Silva, está publicada desde o ano das Bodas de Ouro, em 1954. É só consultar e acreditar nela pois foi feita por quem entendia que fazer pesquisa era ocupar o tempo, não era gastar, por isso despachar com "o que vier à rede é peixe"!

Não há naquele quadro - em relação ao Benfica - nenhuma «informação inexistente»
Há é informação cujo autor tem mais que fazer do que saber qual é a informação certa. E despacha o tempo que iria gastar como se fosse impossível saber. Engana os leitores dando a entender que não existe! Mentira! Rui Miguel Tovar é que é preguiçoso ou apressado e tem mais que fazer do que ocupar tempo a saber informação para respeitar os compradores/leitores do livro. 


Ângelo... Sempre!
Em 1976, o treinador era o Bicampeão Europeu Ângelo como muita imprensa da época indica com vastidão mais que suficiente para encontrar com facilidade. E não era numa "fainál fór", ou seja, meias-finais e final concentradas numa localidade ou estádio. Foi uma fase final com quatro clubes (dois da zona Norte e dois da Zona Sul (o Vitória FC ficou em segundo lugar atrás do SLB na primeira fase e não venceu nenhuma série como inventou no tal livro o autor), em seis jornadas - mês e meio - com cada volta constituída por três jornadas: 
Vitória FC Setúbal.. V 5-1 (1.ª jornada; 21 de Abril; Luz)*
Leixões SC.............. V 3-2 (2.ª jornada; 24 de Abril; Luz)
SC Braga................. D 1-2 (3.ª jornada; 1 de Maio; 1.º Maio/Braga)
Vitória FC Setúbal.. V 10-2 (4.ª jornada; 10 de Maio; Bonfim/campo 2)
Leixões SC.............. V 1-0 (5.ª jornada; 16 de Maio; Mar/Matosinhos)
SC Braga................. V 1-0 (6.ª jornada; 23 de Maio; Luz) (clicar para notícia no jornal "Diário de Lisboa")
* Jogo adiado devido à participação do Benfica no Torneio Internacional de Roubaix (França)



Como é evidente este blogue não é errata da publicação
Por isso não vai dar toda a informação, pelo menos referente a 1945 e 1949, além de quem foi o treinador dos Campeões Nacionais na categoria de Juvenis, em 1975 (que para ele também é «Informação inexistente»). Ele que a procure (já tem estas duas de "borla") para não voltar a enganar os leitores aquando de uma segunda edição do livro. E já agora respeite o nome do treinador do Benfica. É José Valdivielso e não José Valdivieso. Deixe de ser padrinho e procure ser mais rigoroso que não lhe fica nada mal. Antes pelo contrário.



Vender informação assim? Não, obrigado!

Alberto Miguéns


NOTA: Agradecimento ao dedicado leitor deste blogue Victor João Carocha que enviou mais um documento acerca do nome da Glória do Benfica, um dos seus mais dedicados e competentes treinadores da "Formação":



2 comentários
  1. A preguiça é tramada, a trapalhice é esverdeada. O Sr. Tovar deu barraca, a Federação foi aviada.
    As Almanacadas do costume...

    ResponderEliminar
  2. Bom dia, mais uma vez a verdade vem ao de cima, obrigado Srº Alberto.

    ResponderEliminar

Apoio de: