A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

08/09/2015

Os Gloriosos Treinos nos Anos 20 e 30

08/09/2015 + 9 Comentários API
HOJE OS MÉTODOS DO TREINADOR RIBEIRO DOS REIS QUE SUCEDEU A COSME DAMIÃO.


NOTA: Quem leu o texto de ontem pode “saltar” até Albino dixit, pois esta parte inicial é a repetição de ontem para quem chegou hoje ao blogue e desconhece o enquadramento feito ontem. Obrigado.

O modo como se treinou no Benfica ao longo do tempo (desde 1904) sempre me interessou. Por isso nunca perdia a oportunidade quando tinha tempo, estando na presença de uma Gloriosa Glória (e esta mostrava disposição para isso) questionar acerca do modo como “entre os rapazes do seu tempo” preparavam o jogo seguinte…geralmente ao domingo ou nalgum dia feriado.

Anteontem...
Domingo andando a arrumar uns papéis dei com vários apontamentos de conversas com Rogério Jonet, Albino, Rogério Carvalho e Artur Santos, abarcando um período de 60 anos do Glorioso Futebol, entre a primeira década do século XX e o final da década de 50! Entre Cosme Damião e Otto Glória.

Do Foot-Ball ao Futebol
Entre 1904 e 2015 quase tudo mudou no futebol menos essência do jogo. Tal como entre 26 de Outubro de 1863 (criação do Futebol, em Londres) e 7 de Setembro de 2015. Colocar mais vezes a bola dentro da baliza (goal ou objectivo, inglês/português) que o adversário. Tudo mudou, na globalidade para melhor: piso dos campos, bancadas para os espectadores, equipamentos, chuteiras e bolas, iluminação, alimentação dos futebolistas, tácticas, falatório (fio de jogo, ideia de jogo, desenho táctico, etecetra e tal, mais que tudo o futebolês levado ao exagero, principalmente às segundas-feiras) e principalmente, os treinos para vencer. São estes o motivo do texto de hoje.

Querer saber mais
Se tudo mudou os treinos então mudaram e voltaram a mudar várias vezes. Em Portugal tiveram quatro mudanças radicais ajustando-se ao modo como os futebolistas podiam jogar: de amador para semi-amador (os clubes davam uma quantia em dinheiro para o futebolista se “estabelecer”), depois para semi-profissional (o clube conseguia um emprego permitindo ao futebolista aumentar o ordenado somado ao pago pelo clube) e finalmente para profissional.

Como eram os treinos no início do Clube (ou quase)
Porque a informação que consegui é para meados dos anos 10 quando o treinador do Benfica era o incontornável Cosme Damião.

Rogério Jonet dixit
No tempo de Cosme Damião (anos 10 e 20) não havia treinos obrigatórios mas os futebolistas eram aconselhados «sempre que pudessem a passarem pelo campo, ao final da tarde (entre a Primavera e o Outono. De Inverno em dias solarengos desde que não fosse já escuro...) para fazerem umas corridas, darem uns pontapés na bola e fazerem uns chutos à baliza». Não havia treinos obrigatórios é uma forma de dizer. Havia em domingos sem jogos calendarizados. Não havendo jogo de determinada categoria, os treinos realizar-se-iam nos horários em que o campo estivesse livre de jogos das outras categorias. Por exemplo, se a 2.ª e a 3.ª categoria jogassem nesse domingo frente a adversários de outros clubes Cosme Damião marcava um treino entre futebolistas da 1.ª e da 4.ª categoria. Os futebolistas do Benfica eram aconselhados a fazerem 30/45 minutos de ginástica, durante todo o ano, depois e antes de se deitarem, respectivamente, de manhã e à noite. Quando havia jogos ao domingo era proibido qualquer exercício ao sábado (o campo estava mesmo fechado para jogos com bola) e os jogadores aconselhados a terem precaução com entorses e pancadas nas pernas. No Benfica dizia-se que se alguém queria singrar no futebol devia «ir o maior número de vezes ao campo durante a semana, deixando conversas, discussões e os maus hábitos nas tascas e tabernas».

Quem foi Rogério Jonet?
Um guarda-redes das categorias inferiores (nunca se estreou na 1.ª categoria). Jogou entre 1913 e 1921 convivendo de perto com Cosme Damião, como futebolista ou associado. Para mais informações podem sempre ler um texto neste blogue publicado em 4 de Março de 1914 (clicar)

O que Ribeiro dos Reis mais gostava do futebol. Ensinar as 17 Leis do Jogo, interpretá-las e mostrar que dominá-las permitia aos futebolistas obter vantagens em campo. Ei-lo no antigo ginásio da Secretaria (rua Jardim do Regedor) onde depois, na gerência do dr. Borges Coutinho, se inaugurou uma esplendorosa Sala de troféus 
António Ribeiro dos Reis
Foi um dos principais "revoltosos bem sucedidos" nas eleições de 6 de Agosto de 1926 que levaram ao afastamento de Cosme Damião. Para ele o Benfica estava a "ficar para trás no futebol" pelo facto de Cosme Damião não querer contratar futebolistas tendo de pagar ao clube de origem do jogador e dar "luvas" ao jogador contratado. O Benfica é um clube glorioso, os jogadores é que devem procurar o Benfica para jogar!



Albino dixit
No tempo de Ribeiro dos Reis (anos 20 e 30) havia dois treinos de manhã (das oito às dez horas) duas vezes por semana (terças e quintas-feiras) no estádio das Amoreiras (1925-1940) e - em vésperas de jogos "em casa" ou Lisboa/Estoril/Setúbal - uma sessão facultativa de teoria e regras de futebol e/ou conselhos tácticos para o jogo do dia seguinte, sábado ao final da tarde, na Secretarias do clube que foram mudando mas eram sempre na Baixa. Nas quintas-feiras era um “treino de conjunto” em que saía, no final, a convocatória (apesar de não haver substituições, escalavam-se sempre 15 para jogos na zona de Lisboa e 14 para jogos com viagens longas de comboio). Para jogos em Lisboa cada um tinha de assegurar o seu transporte de modo a chegar duas horas/hora-e-meia antes do início do jogo, geralmente às 15 horas de domingo. Nos jogos longe de Lisboa (Coimbra, Porto e Braga) saíamos depois de almoço de sábado, no comboio rápido para o Porto para pernoitar no hotel Batalha (jogos no Norte). Se o jogo fosse em Braga, saíamos desse hotel depois de um almoço breve mais cedo que o habitual, em táxis do Porto (cerca de oito alugados pelo Clube) para Braga. Em Coimbra o "Glorioso" instalava-se no hotel Astória, a dez minutos do campo do Arnado e a vinte/trinta (a subir) do campo de Santa Cruz. Para o Algarve saíamos do Barreiro, de comboio logo na manhã de sábado para o hotel Eva em Faro. E daí ao início da tarde de domingo de comboio para Olhão ou Vila Real de Santo António.

Quem foi Albino?
Um centrocampista dos melhores de sempre em Portugal. Aliás foi quando tirei as notas acerca do treino de hoje que ele me contou um história deliciosa que em tempos publiquei neste blogue:
Para perceber Albino como jogador ver o texto publicado em 28 de Março de 2015 (clicar)
Para ler a história deliciosa publicada em 29 de Março de 2015 (clicar)

UM(S) DIA(S) DESTE(S) HAVERÁ MAIS…

Rogério de Carvalho dixit
No tempo dele (1942/43 a 1953/54) entre Janos Biri e antes da chegada de Otto Glória…

Artur Santos dixit
Com Otto Glória...

ESPERO EM BREVE FALAR COM AS SEGUINTES GLÓRIAS
Já o devia ter feito. Mas sabe-se como é. Estão aqui mais próximos, são mais novos, fica para depois. Mas o tempo é inexorável. Nunca para. E a um ano segue-se outro. E ficamos todos mais velhos um ano. E mais uns anos a seguir…

José Augusto dixit
Com Béla Guttmann e seguintes até Jimmy Hagan....

Toni dixit
Com Jimmy Hagan e seguintes

Pietra dixit
Com Jorge Jesus

Em breve, neste blogue, perto de si!

Alberto Miguéns

PLANO PARA AS EDIÇÕES DURANTE  SETEMBRO
(provisório como é evidente)
De 9 a 23 de Setembro de 2015 (Sempre pela meia-noite)
Quarta-feira (de 8 para 9): Treinos? Rogério dixit!;
Quinta-feira (de 9 para 10): Uma modalidade por semana: Râguebi;
Sexta-feira (de 10 para 11): O Benfica e o CF "Os Belenenses";
Sábado (de 11 para 12): E depois da Quarta?;
Domingo (de 12 para 13): Cuidado com eles;
Segunda-feira (de 13 para 14): Desde que Luisão chegou…;
Terça-feira (de 14 para 15): O Benfica e o FC Astana;
Quarta-feira (de 15 para 16): Que estreia na Liga dos Campeões 2015/16?;
Quinta-feira (de 16 para 17): Uma modalidade por semana: Pólo Aquático;
Sexta-feira (de 17 para 18): E o "Glorioso" na 4.ª jornada?;
Sábado (de 18 para 19): O Benfica e o CF "Os Belenenses";
Domingo (de 19 para 20): O “Clássico de Portugal”;
Segunda-feira (de 20 para 21): E depois de Contumil?;
Terça-feira (de 21 para 22): Mentiras Oficiais Made in SLB;
Quarta-feira (de 22 para 23): Benfica tão brilhante que se vê no escuro
9 comentários
comentários
  1. Excelente esta comparação entre periodos da nossa historia e ver a evolução que os treinos tiveram.

    ResponderEliminar
  2. Caro Dr Alberto,

    Confesso que sempre gostei de estórias com história, e também mergulho em Bibliotecas Municipais a vasculhar os já bolorentos Jornais de antanho. Nessas minhas pesquisas observo sobretudo o lado sociológico da coisa, e é extraordinário retirar retratos sociológicos doutras décadas bem distantes!

    A figura e o "retrato" do Albino é fabuloso, e os 3 Grandes nas suas 3 Televisões, tem o dever, e a obrigação de dar a conhecer os seus "Albinos", isso sim, seria um serviço publico notável!

    Estranhamente, ou não, a BTV, não aproveita o seu Know-how, aliado ao seu notável Benfiquismo puro e altruista porquê?

    Não seria pertinente, ora de forma semanal ou quinzemal a BTV dar a conhecer os "Albinos" do Sport Lisboa e Benfica? Naturalmente, com o seu precioso contributo? Não será um sacrilégio, a BTV desaproveitar o "José Hermano Saraiva" do Sport Lisboa e Benfica?

    O Director de conteudos da BTV o inenarravel Guerra, não vislumbra a importancia da coisa? O Zé Nuno Martins no próprio Jornal do Clube, não terá espaço, para uma pequena coluna para dar a conhecer essas figuras que fizeram o Benfica, com a sua preciosa e enorme contribuição?

    Mais uma vez, deixo-lhe uma "chapelada", e o meu muito obrigado pelo serviço publico que continua a prestar, bem haja!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Subscrevo a "chapelada" e a incompreensão pelo pouco aproveitamento deste nosso consócio. Já vi vários programas do Alberto Miguens, mas algo aconteceu (terá acontecido) para ser ou estar afastado.

      Eliminar
  3. Minha Chama chamou à atenção de seguinte (que estupidamente removi. Recuperei na caixa de correio o seguinte) :

    Bom dia Alberto. Em primeiro, mais uma vez agradeço esta viagem deliciosa no tempo do Benfica.

    Muito mesmo aprender como se evoluiu para se chegar aos dias de hoje.

    Penso que terá aqui uma pequena incorreção. Quando o Alberto escreve: "Em Coimbra o "Glorioso" instalava-se no hotel Astorga, a dez minutos do campo do Arnado e a vinte/trinta (a subir) do campo de Santa Cruz."

    Bem, não me lembro de nenhum hotel com esse nome e penso que o Alberto se quer referir ao belíssimo Hotel Astória, situado na margem direita do Rio Mondego bem no coração de Coimbra. Confira por favor:

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro,

      Estive a consultar os apontamentos manuscritos e tem todo (e mais alguma razão). Chama-se Astória.

      Obrigado.

      AM

      Eliminar
  4. Muito interessante o contraste com tempos mais recentes.
    Cosme deixou um livro com as suas ideias. Infelizmente já percebi é raríssimo.
    Seria interessante que o clube fizesse uma edição fac-símile e a colocasse à venda na loja.
    Outra hipótese poderia juntar esse livro uma pequena foto-biografia de Cosme e do seu tempo.
    Poderia ser uma edição limitada para coleccionador ou para pessoas com interesse histórico.
    Que diabos, é a a maior figura Benfiquista. Será que não se vendia a única obra deixada por Cosme?
    Obrigado por mais um excelente texto.

    ResponderEliminar
  5. sr alberto ! isto e verdade ..O SPORTING FOI O PRIMEIRO (E ÚNICO) CLUBE A TER OITO JOGADORES DA MESMA SELECÇÃO NUMA FASE FINAL DE UM MUNDIAL (PORTUGAL, 1966 por favor diga qq ok
    obrigada
    k

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre que se justifica diga qualquer coisa.

      Foi. Mas não jogaram. Foram fazer número.

      Mundial de 1966 (6 jogos// 540' // 17 golos)

      Sete do Benfica:

      Coluna (ME) (totalista/ 6 jogos // 540' // 6 jogos a capitão);
      José Augusto (ED) (totalista/ 6 jogos // 540' // 3 golos);
      Eusébio (PLD) (totalista/ 6 jogos // 540' // 9 golos);
      José Torres (PLE) (totalista/ 6 jogos // 540' // 3 golos);
      Simões (EE) (totalista/ 6 jogos // 540' // 1 golo);
      Germano (DCD) (1 jogo // 90' );
      Fernando Cruz (Defesa) não jogou.

      Em 6 jogos, sempre capitaneada por Coluna (SLB), a SN jogou com 5 do SLB (5 jogos) e jogou um (Bulgária - V 3-0) com seis!

      TOTAL DOS 6 (utilizados em 7) = 2790 minutos. Houve seis totalistas do SLB. Os SLB´s marcaram 16 dos 17 golos. O outro foi um autogolo da Búlgaro após jogada de Simões. Dos sete apenas um não foi utilizado.

      Oito do Sporting CP:

      Hilário (DE) (totalista// 6 jogos// 540' );
      Baptista (DCD) (5 jogos // 450');
      Morais (DD) (3 jogos // 270' );
      José Carlos (DCE) (2 jogos // 180');
      Carvalho (GR) (1 jogo // 90' // 1 golo sofrido);
      Peres (não jogou)
      Figueiredo (não jogou)
      Lourenço (não jogou)

      Em 6 jogos, a SN jogou com 4 do SCP (num jogo, no 1.º jogo), com 3 em quatro jogos e com um num jogo.

      TOTAL DOS 5 (utilizados em 8) = 1530 minutos. Apenas um - Hilário - totalista. Os SCP´s não marcaram qualquer golo. Em oito três não jogaram.

      Do SLB jogaram seis dos sete. Do SCP jogaram (e pouco) cinco dos oito!

      Tudo dito!

      Alberto Miguéns

      Eliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail