A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

22/01/2015

A Um Jogo da Sexta Final

22/01/2015 + 2 Comentários API
COMPETÊNCIA, CLASSE E COERÊNCIA NO MINHO.

1-0 por Jonas (Golo-rioso n.º 12 718)


2-0 por Derley (Golo-rioso n.º 12 719)


Ou autogolo. Vai depender da decisão da Liga (LPFP) que é a entidade que organiza a competição e que assume as decisões (ao contrário da FPF na Taça de Portugal). Ver NOTA FINAL



Coerência na convocatória e equipa titular
Apenas estranhei a ausência de Salvio (que depois de afastamento prolongado por lesão necessita de jogar como Luisão e Eliseu, mas poderá haver razões que desconheço, até mazelas ligeiras não interessando arriscar para não agravar). Percebe-se a ausência de Maxi Pereira (sete encontros completos nos últimos oito jogados do "Glorioso"). De resto tudo dentro da lógica: repetir quatro titulares no Funchal (Luisão, Jardel, Eliseu e Jonas) e seis - mais de metade da equipa - da 2.ª jornada da Taça da Liga (Artur, Jardel, Cristante, Sulejmani, Pizzi e Derley). Como suplentes os jogadores (Paulo Lopes, Benito, Sílvio, Gonçalo Guedes e Rui Fonte) que tentam chegar a titulares tendo à frente os suplentes (Artur, André Almeida, Cristante, Pizzi, Ola John, Sulejmani e Derley, por isso a jogar neste encontro) geralmente utilizados para substituir os titulares. Destes apenas quatro em campo (Luisão, Jardel, Eliseu e Jonas) e dois como suplentes (Samaris e Lima) de prevenção mas a necessitar de "descanso". Para onze, restam cinco: Júlio César, Maxi Pereira e Salvio (a descansar), Gaitán (lesionado) e Talisca (suspenso). Jorge Jesus pode ter muitos defeitos. E tem! Mas também tem muitas virtudes. Esta é uma delas: ser um treinador coerente. Sempre foi. É importante para gerir um plantel de vinte e tal "feras" competitivas em que todos querem jogar. Mas num desporto colectivo percebem que apenas onze jogam e mais três (em sete) podem actuar. Os futebolistas percebem a dificuldade (e necessidade) em escolher. Por isso respeitam as opções se admitirem que são coerentes.    

Competência a gerir o jogo e classe a resolvê-lo
Nunca estive apreensivo. Na primeira parte o Benfica sabia que o adversário tinha de arriscar e tentou surpreender o Moreirense FC de contra-ataque. Não foi possível mas o adversário nunca conseguiu chegar à Gloriosa Baliza com hipóteses de marcar.
No segundo tempo o Benfica começou logo a arriscar e petiscou. Com Jonas mais incisivo, a jogar mais perto da grande-área adversária seria uma questão de tempo. E seria mesmo Jonas a facturar aos 64:24 minutos e depois um segundo golo (Derley) aos 67:20 minutos. Normalidade num jogo com classe a dignificar a competição.

Bom jogo do adversário
Um grupo bem organizado como é norma nas equipas orientadas por treinadores portugueses, mas com futebol positivo, à procura do golo sem ter necessidade de jogar com tracção atrás. O enquadramento da jornada - ter que vencer, pois o empate era igual a derrota - também permitia este tipo de comportamento. Mas já vi - e não foram poucas - equipas treinadas por portugueses a necessitar de vencer e não abdicarem de defender à espera de um erro individual ou colectivo.

Arbitragem imparcial
Nem se deu pela equipa de arbitragem. Deve ser assim. Os árbitros não são elementos activos. Estes - futebolistas e treinadores - devem fazer-se notar. Os árbitros são a equipa normativa. Devem passar despercebidos. Foi assim em Moreira de Cónegos. Cinco estrelas! Há uma grande penalidade sobre Derley mas difícil de perceber, a não ser pela televisão.

TEMPORADA 2014/15
Competições
J
V
E
D
GM
GS
TOTAIS
38 (57)
23
4
11
64
32
Primeira Liga
17 (17)
15
1
1
41
7
Liga dos Campeões
6
1
2
3
2
6
Taça de Portugal
3
2
-
1
8
5
Taça da Liga
3 (02)
3
-
-
7
0
Taça de Honra de Lisboa
2
1
-
1
1
1
Troféus
2
1
-
1
2
1
Torneios
2
-
-
2
2
8
Particulares
2
-
-
2
1
4
Supertaça
1
-
1
-
0
0

Quem será? Quem será que vem à "Catedral"? Quem será?
Há três candidatos para um lugar nas meias-finais. O Boavista FC também pode, mas só matematicamente. O melhor posicionado é o Sporting CP. Na próxima jornada uma vitória permite-lhe nove pontos que o colocam na "Catedral". Um empate - Sporting CP ficará com sete pontos - permite ao adversário (Vitória FC Setúbal) contabilizar cinco pontos e poder fazer mais três na recepção ao Boavista FC, passando a somar oito! O CF "Belenenses" (quatro pontos) terá tarefa mais complexa. Terá de esperar um empate no jogo anterior (Sporting CP com sete pontos e Vitória FC Setúbal com cinco) tendo de vencer o seu encontro em Guimarães para contabilizar oito pontos (mais um que o Sporting CP) e o Vitória FC Setúbal vencer o Boavista FC passando a somar os mesmos oito pontos. Depois serão os critérios de desempate pontual a definir que clube ficará apurado para as meias-finais. Mas... o Vitória FC Setúbal é o único que pode fazer dez pontos (duas vitórias - seis pontos - nos dois jogos). Este e o Sporting CP dependem apenas deles próprios para chegar às meias-finais. O Sporting CP tem tudo para chegar à Catedral. Tudo menos a teimosia!

CLASSIFICAÇÃO GRUPO C
Cl
Clube
Pt
J
V
E
D
GM
GS
1.º
Sporting CP
6
3
2
-
1
5
3
2.º
CF "Os Belenenses"
5
3
1
2
-
5
4
3.º
Vitória FC Setúbal
4
2
1
1
-
4
2
4.º
Boavista FC
1
2
-
1
1
0
1
5.º
Vitória SC Guimarães
0
2
-
-
2
0
4

JOGOS DO SPORTING CP, CF "OS BELENENSES" e VITÓRIA FC SETÚBAL
Candidatos ao apuramento para as meias-finais
4.ª jornada
5.ª jornada
S
Adversário
S
Adversário
Sporting CP
C
Vitória FC Setúbal
-
Descansa
CF "Os Belenenses"
-
Descansa
F
Vitória SC Guimarães
Vitória FC Setúbal
F
Sporting CP
C
Boavista FC

Na Primeira Liga vai ser uma luta "corpo-a-corpo" até aos jogos com o 3.º classificado.
Já se percebeu no final da primeira volta que dificilmente os três primeiros da classificação vão ceder pontos até os jogos do Sporting CP frente ao Benfica (20.ª jornada) e ao FC Porto (23.ª jornada). Não acredito em surpresas. Depois se verá a dimensão das distâncias pontuais entre os três primeiros e de que forma condicionarão as onze jornadas finais.

CALENDÁRIO INTEGRADO COM TODAS AS COMPETIÇÕES
Calendário
SL BENFICA
FC Porto
(- 6 p)
Sporting CP
(- 10 p)



D
E
Z
E
M
B
R
O

QUA
03
-
-
-
-
-
-
-
SÁB
06
CN12
C
V 3-0
F
V 3-0
F
V 3-1
TER
09
LC6
C
E 0-0
C
E 1-1
F
D 1-3
DOM
14
CN13
F
V 2-0
C
D 0-2
C
E 1-1
QUI
18
TP 1/8
C
D 1-2 (PL)
Eliminado
F
V 3-2 (CNS)
DOM
21
CN14
C
V 1-0
C
V 4-0
F
E 1-1
QUA
24
NATAL
TER
30
TL1
C
V 1-0
F
V 1-0
F
V 2-0
QUA
31
PASSAGEM DE ANO
J
A
N
E
I
R
O
DOM
4
CN15
F
V 3-0
F
V 5-1
C
V 3-0
QUA
7
TP 1/4
Eliminado
Eliminado
C
V 4-0 (CNS)
SÁB
10
CN16
C
V 3-0
C
V 2-0
F
V 2-0
QUA
14
TL2
C
V 4-0
C
V 3-1
C
V 1-0
DOM
18
CN17
F
V 4-0
F
V 3-1
C
V 4-2
QUA
21
TL3
F
V 2-0
F
E 1-1
F
D 2-3
SEG
26
CN18
F
FC Paços Ferreira
F
CS Marítimo
C
As. Académica
QUA
28
TL4
--
--------------
C
As. Académica
C
Vitória FC Set.
F
E
V
E
R
E
I
R
O
DOM
1
CN19
C
Boavista FC
C
FC Paços Ferreira
F
FC Arouca
QUA
4
TL5
Isentos
DOM
8
CN20
F
Sporting CP
F
Moreirense FC
C
SL BENFICA
QUA
11
TL1/2
C
?    Grupo SCP
F
? (CS Marítimo)
F
?    Grupo SLB
DOM
15
CN21
C
Vitória FC (St.)
C
Vitória SC Gui
F
CF "Os Belen."
QUA
18
UEFA
Eliminado
F
FC Basileia
F
VfL Wolfsburgo
DOM
22
CN22
F
Moreirense FC
F
Boavista FC
C
Gil Vicente FC
QUI
26
LE
Eliminado
-
----------
C
VfL Wolfsburgo
M
A
R
Ç
O
DOM
1
CN23
C
GD Estoril Praia
C
Sporting CP
F
FC Porto
QUA
4
TP 1/2
Eliminado
Eliminado
F
CD Nacional (PL)
DOM
8
CN24
F
FC Arouca
F
SC Braga
C
FC Penafiel
QUI
11
UEFA
Eliminado
C
FC Basileia
?
?
DOM
15
CN25
C
SC Braga
C
FC Arouca
F
CS Marítimo
QUI
19
LE
Eliminado
-
----------
?
?
DOM
22
CN26
F
Rio Ave FC
F
CD Nacional
C
Vitória SC Guim.
QUA
25






DOM
29
Jogos das Selecções Nacionais

Segunda-feira mais uma etapa. Em Paços de Ferreira

Alberto Miguéns


NOTA FINAL1: Muito bem a Liga, tanto a valorizar o jogo, o seu espírito, como no rigor. Numa bola dividida, que nem as imagens televisivas esclarecem - depende do ângulo - valorizam quem tem acção positiva (Derley) e evitam penalizar o azar (autogolo). Também muito bem a temporizar os golos aos minutos, fazendo arredondamentos dos segundos indexando-os ao minuto mais próximo: 64:24 será 64 (a 24 segundos do minuto 64 e a 36 segundos do 65) e 67:20 será 67 (a 20 segundos do minuto 67 e a 40 segundos do 68). Isto quando em Portugal, na Sport TV e depois copiado nos jornais, golos aos 66:54 minutos (por exemplo) serem indexados ao minuto 68, quando ainda nem ao 67 tinha chegado.  


NOTA FINAL2: Como tenho acompanhado a Taça da Liga desde o início, há oito temporadas, quando posso vejo os jogos marcados para campos diferentes, mas em simultâneo ou sobrepostos, para saber com rigor a ordem cronológica dos golos. Estive a ver os dois jogos em simultâneo - Benfica e o SC Braga frente ao FC Porto - para saber a ordem de marcação do golos se houvesse alguns quase em simultâneo. E houve, o 2.º do Benfica e o empate do SC Braga! Mas isso é secundário! Importante é que aquilo mais parecia um jogo amigável jogado por duas equipas de "pantufeiros"! Muitas entradas grosseiras (a nível individual) mas duas equipas amigas. O SC Braga parece um clube-Filial com respeito ao clube-Sede! A jogar mais de meia-parte frente a uma equipa com menos dois elementos apenas marcaram de grande penalidade. Tão "pêlo na venta" e tão macios... 
2 comentários
comentários
  1. Caro Alberto,

    Também eu faço as minhas estatísticas dos jogos, apenas para consumo próprio, e discordo consigo na questão dos arredondamentos dos segundos, assim:
    - Um jogo tem 90 minutos, do 1º ao 90º minuto.
    - Se um golo for marcado aos 15, ou aos 30, ou aos 59 segundos, todos foram marcados no 1º minuto de jogo, logo em termos estatísticos deverá ser contabilizado assim.
    - Se um golo for marcado aos 64:25 ou aos 64:52, ambos foram marcados no 65º minuto de jogo.

    Aplico a mesma regra nas substituições, que contabilizo no momento em que o jogo é interrompido antes da substituição, parte-se do princípio que o tempo "perdido" entre a interrupção do jogo e a saída do jogador será acrescido ao tempo regulamentar do jogo.

    Grande abraço glorioso,
    Pedro Freire

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Pedro Freire

      1. Não há perfeição. As estatísticas não são a "verdade". Devem é mascarar o menos possível. Devem viciar o menos possível os valores reais. O que faz, mesmo que mantenha sempre o critério, leva nalguns jogadores a cerca de 6/7 minutos de diferença em termos de tempo de jogo no final da época. Já fiz, em tempos, a contraprova e isso ocorre com mais frequência do que se pensa.

      2. O numero de ocorrências de golos até aos 29 segundos é escassíssima. Então substituições nem existem.

      3. A um jogador que tenha o "azar" de ser várias vezes substituído antes do minuto chegar aos 30 segundos é-lhe sistematicamente retirado um minuto. Por exemplo entra em campo aos 60:02 passa a entrar aos 61! Mentira. Jogou mais 58 segundos! Praticamente um minuto! O contrário também é válido. Jogar mais um minuto que na realidade, se entrou por exemplo aos 60:02. Jogaria 29 minutos. Mentira. Jogou praticamente 30 minutos;

      4. Não acredito nas "teorias das compensações". Acredito muito mais em ser "o mais justo possível"!

      5. A regra que aplica - desde que mantenha o critério - é tão válida quanto a minha.

      6. Mas tem de manter a regra. Um jogador que entrar ao intervalo, entra aos 45:01, ou seja, aos 46 (como se lê muitas vezes na Imprensa) ou seja joga 44 minutos. Porque os 45 correspondem à primeira parte!

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns


      Eliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail