A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

13/04/2014

Cardozo: 112, Correia Dias: 110

13/04/2014 + 1 Comentários API
OPINIÃO

AVISO: Texto longo

O golo marcado por Cardozo, em 7 de Abril de 2014, na 26.ª jornada, no primeiro minuto do tempo de compensação após os 90 minutos,  permitiu ao goleador do “Glorioso” atingir os 112 golos marcados no campeonato nacional, ultrapassando Correia Dias que conseguiu 110 golos. É, para já, o 34.º melhor marcador de sempre no campeonato nacional, ex-aequo com Edmilson. Um registo notável que merece destaque no EDB, assim como todos as outras “futuras ultrapassagens”.



Cardozo faz parte de um restrito grupo
Em 80 edições - 79 concluídas - do campeonato nacional foram muito poucos os que ultrapassaram a centena de golos. O EDB evocará o(s) feito(s) de Cardozo recolocando-o entre os melhores, actualizando os seus valores e homenageando – independentemente do clube representado - o goleador “ultrapassado” por Cardozo, pois todos eles estão entre os melhores avançados que passaram pelos campos de futebol em Portugal e (alguns) no Mundo.  

Vários craques na mira
Com 112 golos, nesta edição do campeonato nacional – o mais importante (e fundamental) é o “Glorioso” conquistar o 33.º título - mas a nível individual estão ao seu alcance vários nomes consagrados no futebol português: Edmilson (igualado com 112 golos), Manuel António, Figueiredo, Francisco Rodrigues, Liedson, João Pinto, Iaúca, Albano, Patalino, Rui Águas e Araújo.



MELHORES MARCADORES CAMPEONATO NACIONAL 
Esta listagem pode não estar completa. São pelo menos 43, mas podem ser mais a marcar, pelo menos, 100 golos. Para elaborar este quadro, utilizei a recolha do jornal Record, corrigi os erros no número de golos (em relação aos futebolistas do Benfica), indexei os golos por clube (para quem tenha marcado por mais de um emblema) e acrescentei os nomes de Francisco Rodrigues e Cavém (que não constavam da lista "trapalhona" do "Record"). Acrescentei ainda mais dois nomes: Edmilson (112 golos) e Gaúcho (103 golos) por informação do portal zerozero.pt, mas tenho muitas reservas quanto à informação estatística deste portal. Só que enquanto não pegar na papelada que tenho com todos os golos nas 80 edições do campeonato nacional e fazer as contas não resta alternativa se não aceitar.

N.º
SLB
FCP
SCP
Outros
Golos por clubes
1


Peyroteo
331



2
Eusébio
320



SL BENFICA
SC Beira-Mar
317
3
3

Gomes
318 (*)


FC Porto
Sporting CP
288
30
4
José Águas
289





5
Nené
264





6


Manuel Fernandes
243

GD CUF
Sporting CP
Vitória FC (S.)

16
189
38

7



Matateu
218
CF “Belenenses”
Atlético CP
209
9
8
José Torres
217



SL BENFICA
Vitória FC (S.)
GD Estoril-Praia
152
52
13
9


Jordão
215

SL BENFICA
Sporting CP
Vitória FC (S.)
62
141
12
10
Arsénio
211



SL BENFICA
GD CUF
152
59
11


Vasques
192

Sporting CP
Atlético CP
191
1
12

Jardel
186


FC Porto
Sporting CP
SC Beira-Mar
130
53
3
13
Julinho
167



Académico Porto
SL BENFICA

15
152

14

Artur
Teixeira
163


SL BENFICA
Vitória SC (G.)
FC Porto
SC Braga
6
17
133
7
15
Artur Jorge
159



FC Porto
As. Ac. Coimbra
SL BENFICA
CF “Belenenses”
1
72
72
14
16
José Augusto
158



FC Barreirense
SL BENFICA
45
113
17
Nuno Gomes
154



Boavista FC
SL BENFICA
SC Braga
23
125
6
18

Hernâni
136


FC Porto
GD Estoril-Praia
127
9

19



Bentes
134
As. Ac. Coimbra

134
20


Martins
134



21
Rogério
133



SL BENFICA
Cl. Oriental Lis.
127
6
22


Lourenço
132

As. Ac. Coimbra
Sporting CP
37
95
23


Jesus Correia
131

Sporting CP
GD CUF
130
1
24

Araújo
121




25
Rui Águas
121



Portimonense SC
SL BENFICA
FC Porto
CF Estrela Amad.
10
77
30
4
26



Patalino
118
SL Elvas // “O Elvas” – CAD
Lusitano Évora

106
12
27


Albano
118



28



Iaúca
117
CF “Belenenses”
SL BENFICA
85
32
29
João Pinto
117



Boavista FC
SL BENFICA
Sporting CP
SC Braga
22
64
28
3
30


Liedson
116



31



Francisco
Rodrigues
114
Vitória FC (Set.)
SL BENFICA

68
46

32


Figueiredo
114

Sporting CP
Vitória FC (Set.)
111
3
33



Manuel António
113
As. Ac. Coimbra
FC Porto

82
31
34



Edmilson

112
CD Nacional
CS Marítimo
Vitória SC (G.)
SC Braga
23
48
29
12
35
Cardozo
112




36

Correia Dias
110




37

Custódio Pinto
109


FC Porto
Vitória SC (Gui.)
92
17
38

Oliveira
107


FC Porto
FC Penafiel
Sporting CP
70
10
27
39

Domingos
105




40


Yazalde
104



41


Gaúcho

103
CF Estrela Am.
CS Marítimo
Rio Ave FC
54
35
14
42



João Tomás
101
As. Ac. Coimbra
SL BENFICA
Vitória SC (G.)
SC Braga
Rio Ave FC
8
19
3
31
   40
43
Cavém
100



SC Covilhã
SL BENFICA
22
78
NOTA(*): Na realidade são 317 pois o golo que lhe foi atribuído pelo árbitro Alder Dante, em 18 de Outubro de 1975, aos 57 minutos, da 7.ª jornada do campeonato nacional de 1975/76, frente ao Sporting CP, no estádio das Antas, foi “marcado” por um apanha-bolas do FC Porto, José Maria Ferreira de Matos. (H) À FC Porto



CORREIA DIAS

Manuel Belo Correia Dias nasceu em Ovar, a 24 de Março de 1919. Cedo foi para a cidade do Porto iniciando-se como futebolista no emblema portista. Em 25 de Janeiro de 1942, aos 22 anos, estreou-se no campeonato nacional, na 2.ª jornada, realizada no campo da Constituição frente ao Vitória SC Guimarães, numa vitória por 3-2. Depois da derrota, por 0-5, frente ao Sporting CP, no estádio do Lumiar, na 1.ª jornada o treinador Mihaly Siska decidiu mudar o avançado-centro dessa 1.ª jornada (Sarrea) fazendo titular Correia Dias que marcou dois dos três golos do FC Porto, numa jornada em que o visitante até se adiantou no marcador, por duas vezes, aos 30 e 53 minutos. Correia Dias restabeleceu, por duas vezes, o empate: 1-1 aos 31 minutos e 2-2 aos 83 minutos.


Os "novos" Peyroteos
Correia Dias é um dos melhores exemplos do "perfil" de avançado-centro para os anos 40 do século XX no futebol português. Devido ao sucesso de Peyroteo, no final da década de 30 e anos 40, os clubes tentavam colocar como avançado-centro um futebolista com as mesmas características: possante, com boa estampa física e resistência, alto, com remate espontâneo e forte com os pés, colocado entre os defesas adversários, ainda que pouco dotado tecnicamente. Correia Dias tinha estas características ainda que fosse irregular e dado a lesões que limitavam a sua actividade. Em relação a Peyroteo era "menos músculo e mais banha!" O Benfica foi dos clubes que mais resistiu a esta "peyrotização" do futebol português, até porque os adeptos do"Glorioso" só toleravam "incapacidade técnica" nos defesas. Os médios tinham de ser "suficientemente dotados" e os avançados, principalmente o avançado-centro, habilidosos. Características que vinham dos anos 10, 20 e 30 (António Ribeiro dos Reis, Jesus Crespo, Vítor Silva e Guilherme Espírito Santo). Mas mesmo assim o Clube cedeu a esta tendência, adquirindo, no final da época de 1941/42, ao Académico FC (Porto), o "Correia Dias alvi-negro": Julinho. Se bem que Julinho fosse em termos de "peyrotização" um "híbrido": não era tão possante, mas era muito mais habilidoso. E em termos de resistência, tanta como Peyroteo e muito mais que Correia Dias.



Ignorado (para enaltecer Pinto da Costa) e escondido, como tudo o que é anterior a Pinto da Costa (excepto a mentira referente a António Nicolau d'Almeida)
Correia Dias seria um dos maiores símbolos do Futebol se tivesse jogado num clube que fizesse dos futebolistas o seu orgulho em vez de enaltecer um dirigente e um pseudo-fundador. O ovarense sagrou-se melhor marcador do campeonato nacional logo na época de estreia (1941/42) com 36 golos, mais oito que os 28, de Peyroteo (Sporting CP) e Armando (As. Académica Coimbra). Em 1945/46 com 27 golos foi o 2.º melhor marcador, a 12 tentos dos 39 de Peyroteo (Sporting CP). Correia Dias ficou famoso em 6 de Maio de 1948 no célebre jogo com o Arsenal FC, que no estádio do Lima perdeu por 2-3 (chegou aos 0-3!) tendo Correia Dias marcado dois golos: 2-0 aos 18 minutos e 3-0 aos 20 minutos, depois de Araújo (outro futebolista de eleição) ter aberto o marcador, fazendo o golo aos nove minutos.


Foto obtida no Museu do FCP by BMG. Troféu feito depois da vitória. Nem o Arsenal FC sabe disto! São 300 quilos, com 130 em prata. Um grupo de associados do clube entregou-a à Direcção do FCP em 1950. O SLB ganhou a Taça Latina. O FCP a Taça do Arsenal, como eles chamam a esta relíquia do tempo em que nada ganhavam a não ser jogos. Mas sem dúvida uma peça de arte. Imponente e bela
Abandono sem regras
Correia Dias apesar de goleador teve sempre uma relação distanciada do futebol. Após seis temporadas decidiu deixar o FC Porto, em 1946/47, após a realização da 8.ª jornada (9 de Fevereiro de 1947) numa edição em que apenas não actuara na 7.ª jornada e marcara seis golos em quatro jornadas com três sem golos. Para a temporada de 1947/48 o treinador portista argentino (Eládio Vascheto) pediu-lhe para regressar. Correia Dias entretanto chegara aos 113 quilos ou mais... Depois de dieta e treino rigoroso perdeu sete quilos fazendo uma razoável época de 1947/48 - 12 golos em 25 jornadas, num campeonato com 26 jornadas. Em 1948/49 jogou na 12.ª (5 de Dezembro de 1948), 13.ª, 14.ª e 17.ª jornada (16 de Janeiro de 1949). Com apenas um golo marcado desapareceu sem deixar rasto...



Marcou 110 golos, em 114 jogos (10 260 minutos)
Correia Dias disputou 114 jornadas marcando 110 golos em 65 jogos, actuando num total de 10 260 minutos.

Marcou um golo a cada 93 minutos
Correia Dias nas 114 jornadas em que participou, marcou golos em 65 e não obteve qualquer golo em 49. Um valor de excelência próximo de uma média de um golo por jogo (93 minutos).



Frente ao Benfica (pelo FC Porto)
Pelo FC Porto, nos oito campeonatos em que participou, actuou em 12 jornadas frente ao "Glorioso", marcando sete golos, em três jornadas, ficando "em branco" nas outras nove. Em 22 de Fevereiro de 1942 três golos consecutivos, do 1-0 ao 3-0, na vitória, por 4-1, na 6.ª jornada, no campo da Constituição. Em 27 de Fevereiro de 1944 na derrota portista, por 6-3, no estádio do Campo Grande, na 14.ª jornada, com Correia Dias a marcar dois golos: 1-0 e 3-4, aos 3 e 59 minutos. Em 24 de Novembro de 1946, na 1.ª jornada, no estádio do Lima, marcou o 2-1 aos 48 minutos e 3-2 aos 60 minutos, numa vitória portista por 3-2.

REGISTOS NOS 8 CAMPEONATOS NACIONAIS
Época
Minutos
Jogos
Golos
JcG
Média
1941/42
1 890
21
  36
17/04
53'
1942/43
1 080
12
7
05/07
154'
1943/44
1 260
14
  11
07/07
114'
1944/45
810
9
  10
06/03
81'
1945/46
1 980
22
  27
16/06
73'
1946/47
630
7
  6
04/03
105'
1947/48
2 250
25
  12
09/16
188'
1948/49
360
4
1
01/03
360'
Totais
10 260
114
110
65/49
93'
NOTAS: JcG - Jornadas em que marcou golos/
Jornadas sem golos marcados;
Média - Tempo médio, em minutos, para marcar golo


CARDOZO

Óscar René Cardozo Marín nasceu em 20 de Maio de 1983 na pequena comunidade Doutor Juan Eulogio Estigarribia, no centro do Paraguai, a cerca de 150 quilómetros da capital Assunção.

Está a ser uma temporada incaracterística
Em 2013/14 tudo aconteceu. Primeiro esteve afastado das duas jornadas iniciais. Depois jogou todas as sete jornadas seguintes, entre a 3.ª e a 9.ª jornada, um total de sete jogos (505 minutos) marcando cinco golos. Seguiu-se uma prolongada lesão afastando-o de sete jogos, entre a 10.ª e a 16.ª jornada. Regressou na 17.ª jornada, mas entre esta e a 26.ª jornada, apenas jogou em cinco e somente 66 minutos, com dois golos marcados na última, na 26.ª jornada, com 25 minutos em campo.




Marcou 112 golos, em 172 jogos (13 136 minutos)
Cardozo disputou 172 jornadas marcando 112 golos em 82 jogos, actuando num total de 13 136 minutos.

Marca um golo a cada 117 minutos
Cardozo começou com uma média baixa (176 minutos para marcar um golo) mas em 2009/10 conseguiu valores de excelente nível, necessitando de apenas 93 minutos, em média, para marcar golos. Nas 172 jornadas em que participou, marcou golos em 82 e não obteve qualquer golo em 90.

REGISTOS NOS 7 CAMPEONATOS NACIONAIS
Época
Minutos
Jogos
Golos
JcG
Média
2007/08
2 286
29
13
11/18
176'
2008/09
1 889
26
17
13/13
111'
2009/10
2 408
29
26
16/13
 93'
2010/11
1 762
22
12
09/13
147'
2011/12
2 480
29
20
16/13
124'
2012/13
1 740
25
17
11/14
102'
2013/14
571
   12
  7
06/06
  82'
Totais
13 136
172
112
82/90
117'
NOTAS: JcG - Jornadas em que marcou golos/
Jornadas sem golos marcados;
Média - Tempo médio, em minutos, para marcar golo



Podem estar «descansados»…
… que o EDB assinalará, devidamente, cada ultrapassagem, comparando as cifras e médias de Cardozo com cada um desses goleadores. A próxima paragem é aos 113 golos (falta um) na ultrapassagem ao brasileiro Edmilson, com 112 golos, entre 1988/89  e 2001/02, em quatro emblemas: CD Nacional (três temporadas), CS Marítimo (seis épocas), Vitória SC Guimarães (três épocas) e SC Braga (duas épocas). Os leitores do EDB serão informados na “hora exacta”. Depois seguem-se paragens aos 114, 115 (serão dois), 117, 118 (serão mais dois), 119 e 122 (outros dois). Como se percebe em fila indiana. Chegar aos 132 (ultrapassando Jesus Correia) será mais difícil. Talvez… na próxima época! Em 2014/15! Vamos estar atentos! Até aos golos legais que lhe vão anular.

Aperta com eles… Cardozo

Alberto Miguéns


NOTA (para os "mais novos" que de todos os futebolistas que estão "ao alcance de Cardozo" apenas conhecem Liedson):

COMPARATIVO CARDOZO - LIEDSON AO 112.º GOLO
Futebolista
Minutos
Jogos
Min/Golo
Épocas
Anos
Cardozo
13 136
172
117'
7.ª
2007/08-2013/14
Liedson
17 641
203
157'
8.ª
2003/04-2010/11

Cardozo marcou o 112.º golo necessitando de menos 4 505 minutos que Liedson e com menos 31 jornadas disputadas. Cardozo está na 7.ª temporada e Liedson ia na 8.ª época!
1 comentários
comentários
  1. A menos que exista um negócio irrecusável espero que exista o bom senso de perceber que Cardozo deve ficar. É um goleador único que teve uma época acidentada e azarada e que não deve ser encarada como reflectindo qualquer declínio de capacidades. Espero que fique a continue a melhorar os seus números e a dar-nos alegrias.

    Ainda um comentário à Taça do Arsenal. É absolutamente hilariante uma taça construída após uma vitória de um jogo. E claro, com o destaque devido... passa por uma competição de grande importância. A "cuidada edição" de facto históricos deve ser primorosa naquele museu. Fico à espera com muita curiosidade das impressões que guardou dessa sua recente visita.

    Saudações Benfiquistas

    Victor João

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail