A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

22/03/2012

Tenham Medo. Muito Medo

22/03/2012 + 5 Comentários
OPINIÃO


O que é que esta notícia tem de errado?

Em que é que esta notícia nos incomoda?


Quando li a notícia detectei um erro e uma incongruência. Vamos primeiro ao erro.

Em Portugal, em 1906, nunca poderia existir um clube denominado “Velo Club de Ciclismo” porque Velo era o nome pelo qual era conhecido em Portugal o Ciclismo, daí que a actual Federação Portuguesa de Ciclismo (F.P.C.) tenha sido fundada em 14 de Dezembro de 1899 com o nome de U.V.P. – União Velocipédica Portuguesa. O clube citado na notícia, muito importante – porque muito forte - na época, e rival do “Glorioso” era o “Velo Club de Lisboa” tal como existiam outros Velo Club’s do Porto, Coimbra, etc. Detectado o erro questionei se não seria um preciosismo da minha parte tendo em conta aspecto tão específico. Para ponderar, nada melhor que dar a conhecer a notícia a alguém que perceba da história do ciclismo, para verificar o “grau” de inexactidão e repercussão da incorrecção. Mostrei o recorte de jornal (se bem que eu tivesse tido conhecimento, em 1.º lugar, através da BenficaTV) a um antigo dirigente da UVP/FPC. Assim que leu a primeira parte da notícia riu-se dizendo que o nome do clube estava incorrecto! Ou como se referiu – “nome aldrabado, pois velo é sinónimo de ciclismo". Transpondo para o futebol era como se houvesse um clube chamado – Foot Club de Futebol.

É “uma aventura” fazer legendas no futuro Museu do Benfica com inexactidões deste tipo. O Museu deve ser um espaço lúdico, didáctico, educativo, exemplificativo para todos, ou seja, deve primar pela pedagogia, cultura, exigência e rigor, para quem pouco entenda dos assuntos mas também para peritos, que ao depararem-se com os conteúdos não ridicularizem o nosso Museu.

O segundo aspecto está relacionado com o critério de selecção dos materiais e artefactos a expor. A grandeza do “Glorioso” exige que se seja muito criterioso, isto é, que se separe o essencial do acessório. Num clube como o nosso, quem escolher estará sempre a excluir muito mais, por isso há que estabelecer “malhas de rigor” para seleccionar (pois está-se, essencialmente, a excluir). Não parece acertado que sendo obrigado a excluir TANTO daquilo que é nosso - do que foi conquistado pelos atletas de “Manto Sagrado” - se possam seleccionar objectos que não estejam ligados directamente ao clube, mas sim indirectamente porque pertenceram a associados ou simpatizantes, alguns até conquistados “contra” nós, o que pode (parece) ser o caso. E nem se devem dar falsas expectativas de futura exposição aos proprietários ou familiares.

Será um duplo erro. Porque não é sério e pode criar ilusão.

É preciso rigor porque a História do Benfica não pode ser motivo de chacota. Nem de exclusão.

Alberto Miguéns



5 comentários
comentários
  1. Caro BENFIQUISTA pelo que me dá a entender pela leitura do artigo trata-se de um lapso quando foi referido o Velo Club de Ciclismo, já que logo a seguir se refere que tem uma outra peça em que tem a faixa do Velo Club de Lisboa e outra peça com as medalhas do sogro, logo o mesmo terá sido ciclista do Velo Club de Lisboa.


    Viva o BENFICA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Luís Moura

      Claro que foi um lapso. Espero que no Museu eles estejam ausentes ou reduzidos ao mínimo.

      Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  2. Inês Mata, do Departamento de Reserva, Conservação e Restauro, falou da antiguidade da peça, “A peça mais antiga que tínhamos, com data visível, era do ano de 1906. Com esta doação, este é o objecto mais antigo do espólio do Sport Lisboa e Benfica. Apesar de não estar directamente ligado ao nome do Clube, é importante pelos seus antecedentes”, afirmou

    ResponderEliminar
  3. Caro Anónimo

    Espero é que, se aceitam objectos que não estão ligados ao Benfica (até ganhos "contra" atletas do Clube) nunca recusem objectos (mesmo que os considerem insignificantes) de atletas que os conquistaram/ obtiveram a servir o Clube.

    Saudações Benfiquistas

    Alberto Miguéns

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail