A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

15/03/2011

Balcanização do futebol em Portugal? Não!!

15/03/2011 + 4 Comentários API
OPINIÃO
                       
Temos assistido nos últimos anos, no futebol português, a tentativas de balcanizar o frágil tecido da importância dos clubes em Portugal. Primeiro foi com o Vitória SC, em Guimarães e nas últimas, duas ou três, temporadas com o SC Braga, em Braga. Objectivo: tentar fazer "crescer" os clubes locais em detrimento do Benfica, procurando estigmatizar os adeptos locais do "Glorioso", com a criação de uma ideia separatista: em Guimarães ou Braga deve ser-se "totalmente" desses clubes, nunca do Benfica, entendendo-se ser vimaranense benfiquista ou bracarense benfiquista como traição às suas cidades. Uma falsidade.

Balcanização política
Na geopolítica entende-se por "balcanização" a criação de pátrias sem condições de sobrevivência, porque estabelecidas em territórios enfraquecidos, sem condições económicas, políticas e sociológicas para sobreviverem, no sentido de permitirem a sua existência no futuro e a possibilidade de oferecerem aos seus habitantes condições para terem um nível de vida digno. É um termo que expressa os problemas de fronteiras e divisão de povos da Península Balcânica no Continente Europeu.

Balcanização do futebol português
Em Portugal, devido à escassa dimensão económica do país, só um clube de dimensão nacional pode ombrear com os colossos dos principais campeonatos disputados na Europa. A economia portuguesa "vale" cerca de um por cento do Produto Interno Bruto (PIB) da União Europeia, constituída por 27 estados-membros (ver Quadro). Tendo em conta que o PIB é o rendimento de toda a actividade económica produzido num país durante um ano, é um valor muito baixo quando comparamos com a Alemanha (20 por cento), Reino Unido (16 por cento), França (15 por cento), Itália (13 por cento) ou Espanha (oito por cento), respectivamente 4.º, 1.º, 5.º, 3.º e 2.º na ordem dos melhores para a UEFA. Assim, em países com economia débil, como Portugal - 15.º no PIB da UE27 e 10.º nos coeficientes da UEFA -, só é possível ter um clube forte, para ombrear com os colossos dos países de economias robustas, se esse clube tiver dimensão nacional. Em Portugal, é o caso do Benfica! Só o "Glorioso" tem capacidade - eliminados os constrangimentos que nos têm afastado da Liga dos Campeões - para enfrentar os grandes emblemas europeus. Tentar dividir os adeptos benfiquistas, para criar "emblemas locais ou regionais" é, nos tempos de globalização que correm neste século XXI, aniquilar o único clube português que pode, com dignidade e sem subtilezas, estar entre os melhores clubes europeus. É condenar o futebol nacional a uma posição marginal e conseguir aniquilar a qualidade, por incapacidade em manter os melhores jogadores ou atrair futebolistas mundiais de qualidade.

Que futuro!?
Na Europa o futebol evoluirá para uma competição de âmbito continental, disputada entre os melhores (e mais populares) clubes do "Velho Continente". Só uma competição que coloque em confronto, semanalmente, época após época, os colossos do futebol mundial conseguirá sustentar os enormes encargos com a formação, transferência, aquisições e manutenção dos melhores futebolistas, treinadores e directores existentes no Mundo. Se Portugal não quer ser marginalizado dos grandes jogos, nem afastado da possibilidade de decidir os títulos, tem de criar condições para ter um clube nesse rol restrito dos melhores. Se o Benfica quer estar entre os melhores, não pode permitir manobras, durante o campeonato nacional - enquanto este apurar para a Liga dos Campeões - que nos afastem dessa competição, nem permitir veleidades nos media que estigmatizem os benfiquistas - em particular as gerações mais novas - das várias regiões do país, procurando criar uma miragem de "clubes locais fortes" que nunca existiram, nem existirão num país com permanentes, porque históricas e estruturais - dificuldades económicas. É preciso estarmos todos, e em todo o lado, atentos a esta "esperteza ridícula" de dividir em Portugal, para enfraquecer na Europa!

Salvador, Braga e o FC Porto
As declarações do presidente do SC Braga são, no mínimo, hilariantes. Quer fazer do SC Braga um dos "Grandes", quando ainda nem "médio" é! Num futebol como o português que vive de Lisboa e Porto, apenas cinco clubes se sagraram campeões nacionais (ver Quadro ). Para Lisboa 51 títulos e o Porto com 25! É difícil encontrar no "Mundo FIFA" algo semelhante. Mesmo o 2.º lugar, para 76 Nacionais, apenas oito emblemas o conseguiram: Lisboa (46), Porto (27), Setúbal (1), Coimbra (1) e Braga (1). E até o 3.º lugar é reserva de nove emblemas de cinco localidades: Lisboa (55), Porto (13), Guimarães (4), Setúbal (3) e Barreiro (1). O SC Braga nem pode ser considerado como um dos cinco melhores clubes portugueses, quanto mais "Grande". Vive do FC Porto e para o FC Porto. Quando se "portar mal" acontece-lhe o mesmo que ao Vitória SC de Guimarães. Um "estagiozinho à maneira" na II Liga virá mesmo a calhar! Vais ver!

A concluir, apenas uma frase: Salvador é um hipócrita *
* hipócrita (adj. e s. 2 gén.) 1. Pessoa que tem o vício do fingimento de boas qualidades para ocultar os defeitos; 2. Velhaco; 3. Falso; 4. Fingido; 5. Dissimulado. (Do grego Hypokrités, «actor dissimulado», pelo latim Hypocrita, «idem»).

Um hipócrita pode enganar durante algum tempo, mas nunca conseguirá enganar TODOS… SEMPRE! Só quem for tolo!

Alberto Miguéns

Comparativo do PIB para os 27 países da União Europeia


Declarações da António Salvador in Jornal (?) O JOGO de 13.Março.2011

4 comentários
comentários
  1. grande articulo....es para mim um orgullo seguir todas as tuas opinioes..un abraço desde madrid......claudio

    ResponderEliminar
  2. Claudio um forte abraço e calorosas saudações benfiquistas. Onde estiver um benfiquista, está um amigo.
    António Melo

    ResponderEliminar
  3. Um artigo interessantíssimo que não pude deixar de ler (como tem acontecido com os anteriores também).
    Obrigado.

    Este, tem particular interesse, por diversas razões.

    Hoje em dia, um clube que ganhe ao Benfica, é tão "elevado" pelos Media que pensa (e é só isso que podem fazer... pensar) que já são "Grandes".

    Ora, o SCB tem-se alinhado à corrupção e armados em "Grandes" (com uma tabela tão boa, como a apresentada em cima, vemos bem a grandeza deste clube :p ), com grande orgulho, dizem que já conseguem encher (quase) o estádio.
    Se bem me lembro, na época passada, apenas (e quando conseguia) enchia o estádio com ofertas de bilhetes à "população".

    No Benfica, não se fazem dessas coisas e um jogo nunca tem menos de 25k (já por lá, para chegar a isso, só quando o Benfica lá vai ou oferecem bilhetes).

    Em relação ao presidente do SCB, é de lamentar com cada afirmação que faz, que uma pessoa não sabe se há-de apenas rir, ou chorar de tanto rir.

    O Benfica, em qualquer que seja o distrito Português, tem mais adeptos que qualquer outro clube... e por isso, é que toda a gente se aproveita para (tentar) "angariar" mais adeptos.

    Nunca se esqueçam "Anti-Benfica", os Benfiquistas, são fiéis ao seu clube, à sua Nação e à sua história.


    Eu, como Benfiquista, sou fiel ao Benfica e defendo-o sempre que for preciso, porque CAMPEÕES, fazem-se com vitórias, empates e derrotas... mas, nós adeptos, temos é de apoiar porque a nossa história faz inveja a muita gente, mas temos de estar cá em qualquer momento.


    VIVA o BENFICA!!!

    5ªf, vitória do SLB.. :)


    Saudações Gloriosas,
    Paulo Pinto.

    ResponderEliminar
  4. Não concordo nada o que escreveu,sr Miguéns!.Os adeptos de cada região deviam apoiar unicamente os clubes da sua região! Fico triste ver até sócios de clubes regionais a apoiar os ditos "grandes" contra os seus próprios clubes de coração..

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail