A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

05/03/2014

O Debutante Álvaro Gaspar

05/03/2014 + 7 Comentários


OPINIÃO

ÁLVARO GASPAR
Nascimento: 10 de Maio de 1889
Primeiro jogo: Desconhecido (por enquanto)
Último jogo na 1.ª categoria: 1 de Março de 1914 (24 anos)
Último jogo com o "Manto Sagrado": 11 de Abril de 1915 (25 anos)
Falecimento: 3 de Setembro de 1915 (26 anos)
Funeral: 5 de Setembro de 1915 (para o Cemitério da Ajuda)

Em 5 de Março de 1911, há 103 anos, marcou um golo no empate a dois golos entre o SLB e o CIF/ Internacional, na 8.ª jornada do campeonato regional da AFL para a 2.ª categoria, jogando a "meia-ponta-direita" no recinto do Sítio das Mouras, alugado pelo CIF para os seus jogos "em casa"
(Foto digitalizada da página 177 do 1.º volume da História do SLB: 1904-1954, de Mário de Oliveira e Rebelo da Silva)

Tal como referi no passado dia 1 de Março as informações acerca de Álvaro Gaspar como futebolista concentram-se entre 1910/11 e 1913/14. Mas há outras informações como associado.

1905/1906 (16 anos)

(Imagem digitalizada da página 310 do 1.º volume da História do SLB: 1904-1954, de Mário de Oliveira e Rebelo da Silva)

Em que época começou a jogar?
Pela Ficha de Inscrição que deve ter sido preenchida no início de 1912/13, quando Álvaro Gaspar tinha 23 anos, ele escreveu que jogava há sete anos sempre no SL Bemfica sem interrupções. Deve ter sido preenchida antes do início da época, pois segundo Rogério Jonet essa era a prática no Clube. Todos a preenchiam até o Capitão-Geral (treinador e organizador das equipas) Cosme Damião.

Sete com ou sem 1912
Se o "Chacha" contava 1912 como o 7.º ano quer dizer que começou em 1905: final de 1905/06 ou início de 1906/07. Se como é muitas vezes frequente no futebol se fizer equivaler aos anos as épocas pode ter sido mesmo em 1905/06: entre 1905/06 e 1911/12. Ou 1906/07: entre 1906/07 e 1912/13, contando já com a temporada que estava prestes a começar. Eu inclino-me para 1905/06.

Em 1907 e 1908 já há registo de Álvaro Gaspar entre os associados do Sport Lisboa
Sabe-se que em finais de 1907, como resposta à saída de vários futebolistas/ associados para vários clubes, com destaque para oito futebolistas e mais sete associados (ex-futebolistas) para o Sporting CP, o "Gloriosíssimo" contava com 106 associados segundo uma nota manuscrita feita por Virgílio Paula. Entre eles havia quatro "Álvaros": Vivaldo, estudante (n.º 6); Coelho, empregado no comércio (n.º 7); Corga, funcionário público (n.º 13); e... Gaspar, sem profissão (n.º 76). Em finais de 1907 tinha 18 anos!
Sabe-se que o Sport Lisboa aquando da junção com o Sport Benfica, consumada em 13 de Setembro de 1908 teria de indicar, no mínimo, 50 associados... e indicou mais de 54, entre eles Álvaro Gaspar (História do SLB; I volume; página 84). Entretanto, num ano, houve mudanças: Corga o 11.º nome indicado; Vivaldo foi o 15.º; Álvaro Quintino o 36.º; Álvaro Malheiros, o nº 40 e Álvaro de Mendonça o 45.º. Álvaro Gaspar estava acima do 54.º. Ou seja, a "antiguidade" não era respeitada nas renumerações do Sport Lisboa, o que ilustra na perfeição a falta de jeito para assuntos burocráticos, ao contrário do jeito para o futebol.


A 2.ª categoria em 1905/06 com um misto de ex-1.ª categoria de 1904/05 e novos futebolistas. De cima para baixo. Da esquerda para a direita. Alinhadas com a táctica do jogo. Em cima, os três médios: Luís Vieira, Cosme Damião e Marcolino Bragança; Ao meio, os cinco avançados: Félix Bermudes (cap.), Eduardo Corga, Henrique Teixeira, António Meireles e Carlos França; À frente, os defesas e guarda-redes: José Rosa Rodrigues, João Carvalho Persónio e José Netto. Álvaro Gaspar não aparece como futebolista, apenas como associado. Fotografia digitalizada da página 73, do volume I, da História do SL Benfica 1904-1954, de Mário de Oliveira e Rebelo da Silva

O que diz Mário de Oliveira dos primeiros anos?
Praticamente nada, a não ser uma referência a Álvaro Gaspar enquanto jogador em 1909/10. Mas na página 310 refere o seguinte: Álvaro Gaspar tinha-se criado no ambiente de entusiasmo em que o SPORT LISBOA se fundou, em 1902. Seu pai prestara serviços ao Clube e o garoto foi-se desenvolvendo em contacto com o Clube e os seus jogadores. Criara-lhe, assim, uma afeição que não conhecia limites. Foi-se fazendo jogador a pouco e pouco. E do mesmo modo foi despertando simpatia. A tudo correspondeu com as suas qualidades de jogador e magnífico espírito de dedicação.

Mas... registos de jogos... só em 1909/10!

Alberto Miguéns

NOTA: Por dificuldades técnicas - impossibilidade por excesso de informação - para que resulte com eficácia (publicar fotografias e documentos a ilustrar os textos) "A Vida Desportiva de Álvaro Gaspar Numa Dúzia de Datas" está programada para os seguintes dias (coincidindo com efemérides relativas à relação d Álvaro Gaspar com o Clube):

PUBLICADO
1.       01.Mar.2014       O Último Jogo;
2.      05.Mar.2014      O Debutante;

A PUBLICAR
3.      16.Mar.2014       O Crescimento;
4.      30.Mar.2014      O Triunfo;
5.      09.Abr.2014       O Primeiro Título;
6.      11.Abr.2014        O Reservista;
7.      25.Abr.2014       A Titularidade;
8.      26.Abr.2014       A Ficha;
9.      05.Mai.2014       O Brasil;
10.    10.Mai.2014       A Derradeira Glória;
11.     03.Set.2014        A Última Época;
12.     05.Set.2014        O Legado  

Aquando do 100.º aniversário do seu falecimento, em 3 de Setembro de 2015, conto fazer um "Especial" que junte os 12 textos e mais algum ou alguns se entretanto os tiver feito!        

7 comentários
comentários
  1. Caro Alberto,
    muito obrigado por mais interessantes detalhes sobre Álvaro Gaspar.

    O facto do último jogo de Álvaro Gaspar ter sido na 3ª categoria indica que tentava ainda jogar pelo seu clube mesmo provavelmente já bastante limitado pela doença .

    Na ficha de inscrição e no campo "Categoria" julgo perceber que Álvaro Gaspar refere "Infantis". Presumo que não existem documentos de registo dessa categoria?

    Interessante de facto a numeração de sócios. Um caso flagrante é Álvaro Corga... um fundador que tinha número mais alto do que Álvaro Vivaldo e Álvaro Coelho. Estranho. A segunda lista (em que Corga é 11º) será talvez mais próxima da antiguidade.

    Uma nota lateral intrigante para mim é a (presumo) ausência quase completa nos primórdios do Sport Lisboa de referências a muitos dos fundadores. Assim sendo, a presença de muitos deles no acto de fundação parece quase circunstancial. Isto é particulamente contrastante com a ausência na lista dos 24, de alguns homens mais "seniores" e que foram desde logo inegrados na 1ª categoria. Existem casos interessantíssimos (estou a pensar em particular em figurantes casapianas tais como Januário Barreto e Silvestre da Silva) entre essas figuras. Assim sendo, seria muito revelador para perceber melhor os primeiros tempo do clube, se pudessemos ter o trajeto de vida mais detalhado de cerca de 50 pessoas (incluindo os 24 fundadores mas não só).

    Voltando a Álvaro Gaspar, tendo pertencido às categorias infantis do clube, realmente só poderia sentir intensamente a camisola encarnada. Por acaso tem referência da profissão do pai uma vez que refere que prestou serviços ao clube?

    Muito obrigado
    Saudações Benfiquista.

    Victor João

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Victor João

      Como as suas questões são pertinentes penso que seria mais complicado responder sem documentos. Por isso, assim que houver disponibilidade, prometo fazer um texto ilustrado com documentação onde vai ter surpresas. E são acerca dos 24 fundadores. Temos que ter presente que o Clube apesar de ser fundado em 28 de Fevereiro de 1904 apenas se estreou "em campo" quase um ano depois em 1 de Janeiro de 1905. E não esteve parado, pois houve 24 treinos com a presença de 31 jogadores (e fundadores foram 24) diferentes até 3 de Julho de 1904 e mais seis treinos, entre 20 de Novembro de 1904 e a manhã de 1 de Janeiro de 1905, no dia da estreia, com a presença de 18 jogadores diferentes.

      Quanto às questões referentes a Álvaro Gaspar.

      1. Há notícias na História do Benfica da organização de uma categoria de Infantis (uma espécie de 5.ª categoria sem veteranos) mas só para jogos particulares, quase de brincadeira. Não há registos, pois antes de 1909/10 (ou seja antes do aparecimento do primeiro jornal especializado em desporto, o "Sports Ilustrados") até para a 2.ª categoria é complicado;

      2. A questão dos números penso dever-se à falta de organização do Sport Lisboa. Ao contrário do Sport Benfica, ainda e até 1945 Bemfica, o Sport Lisboa era burocraticamente desorganizado. O que eles queriam era jogar futebol. Tinham dificuldades em ter contabilidade e registos organizados. Eram essencialmente futebolistas e bons. E ao mesmo tempo tinham de ter preocupações de contabilidades e cobrança de quotas. Não tinham vocação para isso;

      3. Não sei a profissão do pai. Mas no início do século XX os habitantes do bairro Estrela de Oiro eram empregados das lojas de confeitaria de Agapito Serra Fernandes. O pai podia ser um desses empregados, pois os alojamentos desse bairro operário na Graça eram reservados aos operários dessa empresa do burguês e industrial galego.

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
    2. Caro Alberto,
      muito obrigado pelas suas respostas. Em cada detalhe novo que obtenho mais se reforça o meu interesse pela fascinante história do nosso Glorioso.

      Como já viu eu vou de forma pouco dissimulada aproveitando os seus artigos para levantar algumas interrogações que tenho desses tempos e desses pioneiros. Agradeço a sua disponibilidade para ir respondendo. Há de facto pouca informação acerca dos factos e das fontes que a possam dar resposta às dúvidas que aparecem quando se le criticamente o que se encontra.

      A questão dos fundadores é uma das mais intrigantes. Fico contente que tenha elementos para dar algumas respostas e que quando achar oportuno as possa partilhar.

      O papel de historiador (eu às vezes até acho que sou um historiador frustrado pois trabalho em Ciência) deve ser complicado. Reconstruir puzzles com peças limitadas pois presumo as fontes são escassas, dispersas, por vezes contraditórias; deve ser complicado. Exige-se trabalho, dedução e relacionamento e contextualização de informação.

      Pelo que sei o SCP e o FCP são exemplos ainda piores de preservação de documentação oficial. Para além da questão da preservação a grande maisvalia dos arquivos, também é preciso não esquecer outra missão essencial que é divulgar. Partilhar informação para informar, desmistificar e obter interpretações alternativas sobre factos penso eu é o procedimento mais correcto. No caso do nosso clube, em última análise, serve para engrandecer a nossa história e dar reconhecimento devido às verdadeiras grandes figuras do nosso clube.

      Este trabalho sobre Álvaro Gaspar é um mais um exemplo dessas preocupações que o Alberto tem vindo a manifestar, É a demonstração do seu enorme conhecimento, sustentado em trabalho para obter e interpretar documentação.

      Os seus leitores agradecem e o Glorioso fica mais engrandecido.

      Saudações Benfiquistas.

      Victor João

      Eliminar
  2. Excelente pedaço de leitura. Os comentários também.

    Forte abraço caro Miguéns.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo5/3/14 09:03

    O Alberto é o grande capitão da nossa equipa de historiadores.
    Muito obrigado capitão.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo5/3/14 22:42

    SR ALBERTO VENHO INFORMAR QUEESREVI ISTO NO BLOG SANGUE LEONINO .......................podeis chamar nomes feios e mais nomes feios e continuai a chamar nomes feios e as muitas mentiras, mas o que vos faz vibrar e odiar como se o mundo acaba-se amanhã é o sangue da cor das camisolas do Sport Lisboa e Benfica que vos corre nas veias e nos vossos corações,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, grande poema ao nível do LUIS VAZ DE CAMOES QUE SE FOSSE VIVO ERA UM GRANDE BENFIQUISTA .........................SR. ALBERTO OS GAJOS DO SPORTING SAO MENTIROSOS E ODEIAM O BENFICA NÃO POSSO COM ELES sou um benfiquista do norte ......

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo

      Não se preocupe. Eles estão desesperados. Percebem que se não houver uma alteração do modo como os clubes são geridos, o SCP nunca poderá ombrear com o Benfica. Têm menos de metade dos adeptos do Benfica e mesmo podendo ter maior poder económico nunca poderão gerar mais que 50 por cento do dinheiro que os Benfiquistas conseguem disponibilizar para o Clube: quotas, produtos, bilhetes, televisão, etc.

      O problema está no crescimento do FC Porto. O SCP consegue fazer um bom campeonato porque só joga no campeonato. Quando para o ano estiverem na Liga dos Campeões (através do 2.º lugar) ou na Liga Europa (se ficarem em 3.º lugar não passam na pré-eliminatória) é que se vai ver o poderio.

      O resto é conversa e bazófia sportinguista. O meu amigo já os devia conhecer desde 1907. Já sabe o que a casa gasta.

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail