Uma Utopia Chamada Benfica | Em Defesa do Benfica -->
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

16/09/2021

Uma Utopia Chamada Benfica

16/09/2021 4 Comentários

COM OS BENFIQUISTAS SEMPRE A PENSAREM NO MODO COMO SERIA O «CLUBE MAIS QUE PERFEITO» POIS PERFEITO JÁ ELE É. OU QUASE.



Quanto às Eleições 2021/2025 tenho uma opinião quanto ao candidato a presidente da Direcção. Devia ser um «Decano Benfiquista»!

 

Desde o dia 1 de Setembro que penso assim

Aliás até já antes deste dia (renúncia dos 18 dirigentes em exercício) que penso o mesmo, por isso, talvez desde meados de Julho, quando o anterior presidente da Direcção do Clube foi detido, renunciou ao cargo e adivinhavam-se eleições, embora ainda não se soubesse como e quando.


NOTA: Este texto está feito desde o dia 5 de Setembro (foi escrito nesse domingo) e programado para esta data, ou seja, para depois da estreia do Benfica na Liga dos Campeões.

 

O que considero ser um «Decano do Benfiquismo»

Alguém que tenha vasta experiência profissional e vivência como Benfiquista de modo a "colocar o Benfica" nos eixos. Alguém que já não tenha idade para querer fazer mais que um mandato. Aliás a candidatura seria anunciada com esse propósito. No máximo, duraria até 2025. No mínimo, quando tivesse cumprido os propósitos para que fosse eleito, por isso até poderia terminar em 2024...se tudo corresse pelo melhor. Alguém com ambição à Benfica que reformulasse o modo como o Clube tem participado na Liga dos Campeões procurando "chegar" mais próximo dos clubes mais fortes. Alguém que potencie o eclectismo sustentado não esbanjando recursos, nem os desviando do Futebol. Se bem que "cortar no esbanjamento de negócios futeboleiros" permita economizar recursos para ter um leque de modalidades competitivas. Alguém que adapte os valores do Benfiquismo a esta terceira década do século XXI que caminha para metade. Mas principalmente alguém, com reconhecimento no Universo Benfiquista, que faça o trabalho que é necessário fazer para que quem vier, mais novo, não se depare com situações que depois faça retroceder ou justificar que "encontrou o Clube e a SAD pior do que pensava". É que já é difícil encontrar quem consiga preencher os requisitos estatutários - 25 anos de sócio efectivo obriga a ter no mínimo 43 anos de idade - e são necessários três associados nestas condições para a presidência dos três Órgãos Sociais. Ainda mais 17 associados com 28 anos de idade e dez anos de sócio efectivo, no mínimo. Ora, já sendo difícil encontrar associados disponíveis com capacidade para serem competentes, sujeitá-los ao descrédito torna-se um círculo vicioso. 

 

Sem NUNCA descurar a componente desportiva

O que seria prioritário em 2021/2025? 

1. Auditoria forense (penso que é assim que se denomina investigar as finanças dos últimos anos e perceber onde há vulnerabilidades, se não for peço desde já desculpa, mas é assunto que domino muito pouco) às Contas do Clube e da Benfica Futebol SAD;

2. Revisão Estatutária com a criação desde logo uma Comissão para ter o articulado pronto em quatro meses (até ao aniversário do Clube) para ser discutido por todos, associados e não associados, numa plataforma digital, sendo depois discutido e aprovado em assembleia geral a realizar durante Junho/Julho de 2022. Em minha opinião os actuais Estatutos são "labirínticos, incongruentes e discricionários". São demasiado complexos para serem Estatutos e demasiado simplistas para funcionarem como Regulamento Geral;

3. Regulamento Geral contendo toda a regulamentação que dê sustentabilidade a muitos dos artigos dos Estatutos: simbologia; equipamentos; protocolos em cerimónias do Clube; Eleições; funcionamento das assembleias gerais; funcionamento de cada um dos três órgãos; e funcionamento do Plenário dos Órgãos Sociais, por exemplo. O Clube tem de funcionar do modo que os sócios decidem e havendo Regulamento Geral sabem como funciona. Deixariam de existir acasos e decisões arbitrárias e/ou discricionárias. A orgânica seria semelhante à implementada para os Estatutos, sendo depois discutido e aprovado em assembleia geral a realizar durante Junho/Julho de 2023.      

 

Isto de traçar perfis, teorias e mandar os outros fazer é o mais fácil!

Claro que é o que eu penso. Mas o que interessa é o que a maioria quer. Há pessoas com possibilidades de fazer isto ou algo semelhante? Já não restam muitos, por isso penso que deviam ser aproveitados Benfiquistas como, por ordem alfabética, Bagão Félix, Luís Tadeu ou Tinoco de Faria. O ideal era presidirem a cada um dos três órgãos. Estes agregariam outros. Se eles lerem isto peço, desde já, desculpa, se estiver a ser inconveniente, pois não falei com ninguém. 

 

Há depois alguns Benfiquistas em todas as listas concorrentes às Eleições anteriores (28 de Outubro de 2020)

Que poderiam preencher os 17 nomes/cargos para os três Órgãos Sociais, para além das óbvias escolhas pessoais.

 

Utopia!

 

Alberto Miguéns

4 comentários
  1. São utopias destas que me fizeram amar este clube.
    E são temas na maior parte dos casos, bastante pacíficos entre benfiquistas. O problema é em quem confiamos para que isso seja atingido.

    ResponderEliminar
  2. Alberto as pessoas não gostaram do que vou dizer, mas para mim o Benfica sempre foi um clube de futebol, nunca liguei muito ao eclectismo, isto se o Benfica se quiser bater com os grandes da Europa do futebol, já digo isto desde o inicio dos anos 80.

    Claro que gosto que o Benfica ganhe em todas as modalidades, mas não nos devemos esquecer que o Benfica foi, é e sempre seráconhecido por um clube de futebol e não de qualquer outra modalidade.

    Ao longo do tempo sempre se gastaram enormes recursos financeiros nas ditas modalidades amadoras que mais não servem que para alimentar a rivalidade interna, porque a nível europeu não se faz nada de relevante, salvo raras excepções como era a equipa de Basquetebol do tempo do Lisboa que se chegou a bater com os grandes da Europa e fez grandes resultados. Nós em Portugal gostamos muito de hóquei patins, mas esta modalidade não tem expressão a nível mundial e mesmo em Espanha e Itália a modalidade perdeu expressão, tanto que o melhor campeonato é o nosso, dai os clubes portugueses na ultima década terem ganho mais vezes a taça dos campeões que durante décadas, chegando a termos 4 equipas portuguesas na final four.

    Tirando Portugal onde os clubes tem a mania do eclectismo, isto num país de baixos recursos como é o nosso, o único clube que é ecléctico no mundo é o Barcelona, só que o Barcelona é um clube com características muito especificas e num contexto muito especifico, além disso eles são eclécticos mas ganham a nível europeu em qualquer modalidade.

    Depois se olharmos para as modalidades ditas amadoras, podemos junto o ciclismo que é profissional, mas que em Portugal as pessoas pedem para os clubes terem equipas de ciclismo, vemos que 98% das equipas de Basquetebol, Andebol Voleibol, Hóquei, Ciclismo, são clubes de terras com 1 modalidade ou de marcas mais no caso do ciclismo. Os grandes clubes europeus de futebol, praticamente nenhum tem mais nenhuma modalidade em que seja relevante, falei no Barcelona mais ecléctico e lembro-me do Real Madrid no basquetebol, na qual é também o clube mais titulado, tirando isso há os gregos no basquetebol, mas que não são grandes no futebol e pouco mais, mas em Portugal tivemos sempre esta mania de ganhar em todas as modalidades, repito a nível interno apenas, esbanjando recursos que faziam mais falta ao futebol, é mais fácil os clubes se concentrarem no futebol e quanto muito apostarem a serio noutra modalidade, sendo que comprar jogadores de categoria hoje em dia envolve grandes somas de dinheiro. Agora anda também a moda do futebol feminino, eu pergunto se nem em masculinos os estádios já enchem, falo em pré-pandemia, tirando o Benfica alguém mais enche estádios? alguém quer saber de um jogo de futebol feminino, vamos ver porquê à porque joga o Benfica!
    CONT

    ResponderEliminar
  3. CONT
    Quanto ao prioritário totalmente de acordo, eu acho que se aparece-se alguém serio e credível, esta direcção nem se devia apresentar a votos, era um bem que faziam ao Benfica, mas tem muita gente que acha que os outros querem é ir para o Benfica sacar dinheiro, porque o clube agora é que é apetecível, nunca era antes.

    Quanto aos nomes qualquer dos 3 nomes apresentados são pessoas validas, mas penso que são pessoas que não têm interesse em se meter no lamaçal do futebol. Luis Tadeu nunca mais concorreu, Tinoco Faria também não e Bagão Félix sei da própria voz, quando visitei o centro de estagio do Seixal, ele ia nessa visita, e perguntei-lhe se ele não queria ser presidente do Benfica, a resposta dele foi que já não era para ele, devido à idade, pela família que não queria, porque não estava para ser enxovalhado ao mínimo resultado negativo e que o futebol não era para pessoas como ele. Talvez em colaboração com o clube ele possa colaborar, em direcção pareceu-me difícil.

    O mais difícil parece-me ser o Decano Benfiquista, com essas características não me parece fácil aparecer alguém, lembro-me do Humberto Coelho, um dos grandes do Benfica, grande capitão, mas um bocado acomodado na federação e nunca gostei de o ver com certos personagens que coabitam na federação há anos, alguns deles ligados a um período negro do futebol português. Muitos ex jogadores tem algumas características, mas talvez não tenham perfil para presidir a uma direcção. Ex jogadores lembro-me do Toni, Diamantino Miranda, Shéu, Nené, etc, mas nenhum destes quis ser dirigente. Rui Costa para mim nem pensar, foi um grande jogador mas não o foi no Benfica, no Benfica jogou 3 anos nos seniores, com mais efectividade apenas 2, os 2 últimos da carreira não veio fazer nada a não ser ganhar dinheiro, foi grande jogador por Portugal, Fiorentina e ainda Milan e como dirigente, a meu ver é impossível ser o braço direito do Vieira durante 13 anos e não saber nada do que se passava, é impossível. Portanto jogadores melhores e maiores que o Rui Costa no Benfica houve muitos. Mas acho que ele vai a eleições e ganhará como muitos na politica ganham, é igual

    ResponderEliminar
  4. O que propõe não é utopia, caro Miguéns. Porque é exequível e vai ao encontro da concordância de muitos e muitos benfiquistas. Os três decanos que aponta serão, julgo, consensuais entre a nação benfiquista. Assim eles resolvessem avançar. Rui Costa, acho que temos razões para temer que será mais do mesmo.

    ResponderEliminar

Apoio de: