Rogério Imortal (1947/48) -->
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

08/12/2019

Rogério Imortal (1947/48)

08/12/2019 + 0 Comentários
SEXTA TEMPORADA, CHEGAR AINDA A TEMPO.


18 de Abril de 1948. Dois golos frente ao Atlético CP, no seu estádio da Tapadinha, na 21.ª jornada (em 26) com golos aos 34 (2-0) e 67 (3-2) minutos, numa vitória por 4-2

Depois de oito meses no Brasil, entre final de Maio de 1947 e final de Fevereiro de 1948, Rogério regressa a Portugal. A esposa quando se apercebe que está grávida do primeiro filho pede que este nasça em Portugal. E assim foi... 


Rogério joga ainda os últimos 16 encontros dos 18 jogos realizados pelo Benfica desde o seu regresso com o «Manto Sagrado», em 28 de Março de 1948, na vitória por 3-0, frente ao Vitória FC Setúbal, na 18.ª jornada (em 26), num encontro realizado no estádio do SLB, no Campo Grande. Marca 12 golos em 1440 minutos, ou seja, um golo a cada 120 minutos.

Perdeu o lugar, alternando da esquerda para a direita
Dez jogos como extremo-direito e seis como extremo-esquerdo. Dos 16 jogos, marca 12 golos em dez encontros: oito golos em oito jogos e dois golos em dois jogos. Um jogo como extremo-esquerdo, dois como extremo-direito, três como extremo-esquerdo, dois como extremo-direito, um como extremo-esquerdo, seis como extremo-direito e um como extremo-esquerdo. No Benfica é assim. Os interesses do colectivo sobrepõem-se aos de cada um! TODOS POR UM - EIS A DIVISA DO CLUBE CAMPEÃO, escreveu Félix Bermudes no Hino!


A extremo-esquerdo (frente ao Arsenal C) ou a extremo-direito (frente ao FC Porto) Rogério Carvalho nem com tantas mudanças deixava de ser o melhor

Com Janos Biri substituído por Lipo Herczka
Rogério entra como titular indiscutível mas foi necessário ir fazendo ajustes no onze titular:
Guilherme Espírito Santo, Arsénio, Julinho, Melão e Rogério de Carvalho;
Rogério de Carvalho, Arsénio, Julinho, Melão e Vítor Baptista;
Guilherme Espírito Santo, Corona, Julinho, Vítor Baptista e Rogério de Carvalho;
Rogério de Carvalho, Corona, Julinho, Arsénio e Vítor Baptista;
Guilherme Espírito Santo, Corona, Julinho, Melão e Rogério de Carvalho.
Mas houve mais "combinações"!


O craque estava de regresso a casa e isso é que interessava aos Benfiquistas!

Continua…

Alberto Miguéns

Publicar um comentário

Subscrever este blogue

Apoio de: