Rogério Imortal (1946/47) -->
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

08/12/2019

Rogério Imortal (1946/47)

08/12/2019 + 0 Comentários
QUINTA TEMPORADA, COMEÇA NO BENFICA TERMINA NO BOTAFOGO FR.



Rogério joga 31 encontros dos 42 realizados pelo Benfica. Mas até ao 36.º jogo do Benfica apenas está ausente em cinco. Nos seis últimos estava já no Brasil. Marca 30 golos em 2670 minutos, ou seja, um golo a cada 89 minutos.

Mais uma temporada de excelência
Trinta jogos como extremo-esquerdo e um a interior-esquerdo. Dos 31 encontros, marca os 30 golos em 20 jogos: onze golos em onze jogos, dois golos em oito jogos e três golos num jogo.

Se Peyroteo era o melhor goleador, Rogério era o melhor futebolista
A meio da década de quarenta havia poucas dúvidas. O melhor futebolista português de todos os tempos era Rogério embora Peyroteo (Sporting CP) por ser goleador também pudesse ser considerado como tal. Assim desde que o Futebol em Portugal começou a ser noticiado com rigor e regularidade o testemunho foi passando de Artur José Pereira (ainda como futebolista do Benfica, antes de rumar ao Sporting CP e CF "Os Belenenses"), Vítor Silva (SL Benfica), Pepe (CF "Os Belenenses") e Pinga (FC Porto). Depois Travassos (Sporting CP) juntar-se-ia ao grupo de Rogério e Peyroteo. Seria Coluna, primeiro, e depois Eusébio a destroná-los. Até hoje. Eusébio é o melhor futebolista português de sempre e o segundo melhor goleador, atrás de Cristiano Ronaldo (Manchester United FC e Real Madrid CF). 


Casamento e viagem rumo ao Brasil
No início de 1947, surpreendentemente, surge em Portugal um emissário enviado pelo clube do Rio de Janeiro, Botafogo Futebol e Regatas a observar jogos dos principais clubes portugueses. Depois de uma dezena de jogos vistos, em Lisboa e no Porto, não tem dúvidas. O melhor futebolista, aquele com mais aptidão para jogar no futebol brasileira era o Rogério do Benfica. Contrato feito, casamento feito para passar a "Lua-de-Mel" em Copacabana. 



Adeus ao Benfica antes dos últimos seis jogos do «Glorioso» 
Rogério faz o último encontro pelo Benfica, em 18 de Maio de 1947, na 20.ª jornada do campeonato nacional, na vitória por 3-0, no nosso estádio no Campo Grande. Faltavam seis jornadas para terminar a competição e a temporada pois nesta época não se realizou a Taça de Portugal devido ao campeonato nacional ter terminado muito tarde. A última jornada (26.ª) realizou-se em 2 de Julho de 1947 e a Taça de Portugal, no modelo Campeonato de Portugal, jogava-se depois de terminados os campeonatos da I e II Liga - depois de 1938/39 - Divisões, por saírem destas duas competições a pontuar, os clubes apurados para jogar uma prova a eliminar. Joga pela selecção nacional, em 25 de Maio de 1947, numa derrota por 0-10, no Estádio Nacional, frente aos seleccionados de Inglaterra. Foi o jogo 56 da selecção portuguesa e o sétimo consecutivo de Rogério. Custou a entrar na selecção mas depois fez o pleno, entre o jogo n.º 50 e o n.º 56. 



Continua…

Alberto Miguéns

Publicar um comentário

Subscrever este blogue

Apoio de: