Rogério Imortal (1945/46)
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

08/12/2019

Rogério Imortal (1945/46)

08/12/2019 + 0 Comentários
QUARTA TEMPORADA, INTERNACIONAL PORTUGUÊS. CUSTOU... MAS TEVE QUE SER.


Mais uma tarde de glória. Vitória por 7-2, ao Sporting CP, na 18.ª jornada do campeonato nacional, em 28 de Abril de 1946, conquistado pelo CF "Os Belenenses". Serviu de pouco...


Começava a ser demasiado escandaloso não jogar na selecção nacional. A FPF teve que ceder.

Rogério joga 42 encontros dos 43 jogos realizados pelo Benfica. Só "falha" o último da temporada, um encontro particular, em Portalegre, frente ao GD Portalegrense. Inolvidável. Marca 39 golos em 3683 minutos, ou seja, um golo a cada 94 minutos! E não era avançado-centro. Assistências para golo foram 53, ou seja, esteve em 92 golos dos 166 marcados pelo Benfica! 

Mudança da direita para a esquerda
Continua como extremo-esquerdo. Foram 41 jogos, com um a interior-esquerdo. Curiosamente ele sempre disse que era onde preferia jogar e pouco jogou nesta posição. Dos 41 jogos, marca golos em 22 jogos: onze golos em onze jogos, dois golos em oito jogos, três golos num jogo, quatro golos noutro jogo e cinco golos em mais um jogo. É nesta temporada que um jogador correctíssimo como Rogério é expulso. Foi na 2.ª jornada do campeonato nacional, frente ao Atlético CP, num empate a um golo. Aos 38 minutos: 



Selecção nacional
Em 14 de Abril de 1946 estreia-se na 50.ª selecção nacional, numa vitória, por 2-1, frente à selecção francesa, encontro realizado no Estádio Nacional. Foi preciso o extremo-direito (Guilherme Espírito Santo) estar incapacitado para o extremo-esquerdo "cativo" da selecção - Rafael do CF "Os Belenenses" passar para extremo-direito "abrindo vaga" para Rogério obter a primeira internacionalização, jogando a extremo-esquerdo. Estreia-se a marcar no jogo seguinte: 16 de Junho de 1946, frente ao seleccionado da República da Irlanda, numa vitória por 3-1, no Estádio Nacional. Rogério como extremo-esquerdo marca o 2-0 (15 minutos) e assiste Peyroteo para o 3-0, aos 25 minutos. Rogério era o decano dos futebolistas e goleadores do «Glorioso», bem como da selecção nacional. Se José Bastos "herda" o testemunho no Benfica, na selecção passa a ser Ângelo o mais antigo internacional português (27 de Setembro de 1953), na derrota por 1-9, frente ao conjunto austríaco, no estádio Prater, em Viena, numa eliminatória de apuramento para o Mundial de 1954 cuja fase final foi realizada na Suíça.


Continua…

Alberto Miguéns

0 comentários blogger
comentários facebook

Enviar um comentário

Subscrever este blogue