A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

27/12/2019

Reajustar o Plantel

27/12/2019 1 Comentários
SE HÁ TEMPORADA EM QUE O "MERCADO DE INVERNO" FAZ SENTIDO É ESTA EM 2019/20.



Até final de Janeiro de 2020 muito se vai passar que, como é habitual, tanto pode clarificar como "embrulhar" o que se está a passar na competição prioritária, o Campeonato Nacional. O Sporting CP vai ser o "fiel da balança" pois recebe o FC Porto (15.ª jornada) e o Benfica (17.ª jornada). O Benfica tem ainda a deslocação a Guimarães (15.ª jornada) e Paços de Ferreira (18.ª jornada) ou seja, um mês a jogar e ganhar em terrenos alheios. O Benfica recebe o CD Aves (16.ª jornada) enquanto o FC Porto reparte o mês, casa e fora, pois joga - dupla jornada em terreno alheio - em Moreira de Cónegos (16.ª jornada) e recebe consecutivamente, o SC Braga (17.ª jornada) e o Gil Vicente FC (18.ª jornada). Depois deste mês (quatro jornadas) acredito que o Benfica se distancie do FC Porto. Quatro pontos são escassos para tão grande diferença no futebol praticado pelos dois clubes. É aquele jogo, muito mal planeado, na «Catedral» frente ao FC Porto que está a fazer a diferença entre ter quatro pontos ou ter perdido a possibilidade de ter dez de vantagem! 

          ASSIM VAI O PLANTEL DE 29 + 6 GLORIOSOS
NOTAS: Minutos jogados; TitularSuplente utilizado;  Suplente não utilizadoConvocado não utilizado; L - Lesionado; S - Suspenso (expulsão no Campeonato Nacional);  A – Assistências para goloG – Golos; B - Jogos na Equipa B (Segundo Escalão); S23 - Jogos na Equipa de sub 23 (Liga Revelação) 

Mas 2019/20 tem muito mais que a Liga NOS
1. Taça de Portugal. O Benfica tem um calendário favorável na Taça de Portugal e o FC Porto então, está praticamente apurado para a final da Taça de Portugal, pois os adversários serão de escalões secundários e joga "em casa" nos quartos-de-final e a segunda mão das meias-finais.
2. Liga Europa. O Benfica pode fazer muito melhor que em 2018/19 (quartos-de-final) pois há um ano o Benfica, como muito bem definiu Bruno Lage, não podia perder duas vezes o campeonato nacional, ou seja, depois de depender dos resultados do FC Porto conseguir anular a diferença e passar a depender dos seus resultados. A campanha do «Glorioso» na Liga Europa 2018/19 ficou, sempre, pelo menos para a sensibilidade dos adeptos como secundária - apostava-se tudo em recuperar o título de campeão nacional - pois não podia colocar em causa a «Reconquista».

Em 2019/20 o Benfica tem três competições que estão em igualdade
Não me venham com estórias de prioridades desta ou daquela. A que terá mais jogos será o campeonato nacional (20) e depois a Taça de Portugal (quatro). Estas não têm margem, uma porque está fixa e outra fixa está devido ao conhecimento do sorteio que terá uma final entre o Benfica e o FC Porto. A única que oferece alguma incerteza é a Liga Europa. O Benfica tem obrigação de eliminar o adversário ucraniano que até vai estar incapacitado de competir até esse primeiro jogo na Ucrânia, devido à paragem de Inverno. Depois o sorteio logo definirá o destino, até porque há clubes das cinco principais ligas que podem surpreender.   

Fazer o que tem de ser feito
O Benfica podia ter-se reforçado no Verão para estar mais habilitado para disputar a fase de grupos na Liga dos Campeões. Não o fez e nunca saberemos se o tem feito seria primeiro ou segundo, mas também podia ser quarto que o Futebol vive sempre de probabilidades, castigos, lesões e outros factores. À priori o «Glorioso» sabe o que tem pela frente. No campeonato nacional quatro pontos de vantagem (faltam disputar sessenta pontos, dos quais três no estádio do FC Porto que tem vantagem no confronto directo (V 2-O) na «Catedral». Obrigação de chegar à final da Taça de Portugal e apresentar neste o plantel em condições de discutir a posse do troféu. Uma série que varia de dois (16-avos-de-final) até nove (presença) na final da Liga Europa. Há dois reforços anunciados: André Almeida e Rafa (com este futebolista em forma provavelmente o Benfica estaria apurado para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões).

Guarda-redes
Concordo com Bruno Lage (pelo menos o que deu a entender no início de 2019/20). Odysseas evoluirá tanto mais quanto maior for o seu adversário nos treinos. O Odysseas de Dezembro de 2019 é superior ao Odysseas de Dezembro de 2020. Mas fazia falta ter um guarda-redes mais experiente a "fazer-lhe concorrência". Um plantel como o do Benfica que compete para conquistar não pode acreditar no factor sorte. Nada ocorrerá com Odysseas (lesão grave). e se ocorrer. Zlobin e Svilar dão garantias, neste momento, de estarem à altura de minimizar os erros como o faz, cada vez com mais consistência, Odysseas?
Zlobin ou Svilar a sair e um guarda-redes experiente para entrar.

Defesas-laterais
Com a aposta em Tomás Tavares (tendo André Almeida como pêndulo a nível de experiência) o lado direito parece consistente (o que faz com que Ebuehi não tenha lugar). Na Equipa B ou na Equipa sub 23 está a "tapar" a evolução de jogadores abaixo dos 20 anos. Não faz sentido. Além de Tomás Tavares ainda há João Ferreira. Do lado esquerdo há a certeza Grimaldo (afinal não era "de vidro") e a incógnita Nuno Tavares que foi obrigado a desgastar-se como defesa-direito e conseguiu cumprir.
Ebuehi a menos


Defesas-centrais
A hierarquia parece estabelecida: Rúben, Ferro, Jardel e Morato. Ainda há Pedro Álvaro que até parece mais consistente, pelo menos na Equipa B, que Morato. Conti perdeu espaço e tempo. E parece superior, embora sem "peso" no plantel em relação a Jardel. É supérfluo. 
Conti a sair

Médios-centro

O Benfica passou de excedentário nas alas para excesso de futebolistas no centro. Também necessita de três e antes só eram dois. O trio mais eficiente é Gabriel, Taarabt e Chiquinho. Se um destes ficar impedido há Jota. Com o tipo de jogo que o Benfica faz, actualmente há excesso de futebolistas com as mesmas características. Fejsa e Gedson são supérfluos. Florentino e Samaris dão conta do recado. 
Trocava Fejsa (uma Glória do Benfica) e Gedson (uma Pérola do Seixal) por um futebolista com as características de Gabriel que não há no plantel. Uma lesão prolongada de Gabriel seria problemática ao nível de uma lesão de Odysseas.

Médios-ala
Na direita enquanto Pizzi tiver "pilhas" tudo correrá bem. Há sempre Jota. Na esquerda Rafa será a esperança para ajudar o plantel (onze em campo) a dominar o que falta da temporada e ainda falta muito e o mais decisivo. Cervi é melhor que Caio. 
Caio e Zivkovic (o melhor ala do Benfica deixou de ter condições) por culpa dele ou de terceiros isso é secundário. O que conta é o Benfica conquistar. A dispensar.

Avançados
Jogando apenas com um avançado, a primeira opção é Vinícius. Pra substituí-lo ou um plano B (dois avançados) há Seferovic que já não tendo Jonas ou João Félix revela mais dificuldades. De Tomás parece carta fora-do-baralho. Mas faz falta um terceiro avançado.
Talvez trocar De Tomás por um outro que tenha margem de progressão e não tenha perdido a confiança que há muito De Tomás deixou de ter.

O plantel pode bem "emagrecer" para 20 + 3 e ainda haver trocas para valorizar o grupo com vista a conquistar o T3INT8, a Taça de Portugal e fazer uma óptima Liga Europa. Eu acredito!


Acredita (e faz por isso) Benfica!

Alberto Miguéns

1 comentários
  1. Estamos alinhados, este é o tempo certo de actuar com inteligência e ficamos com o plantel construído para a próxima época.

    ResponderEliminar

Apoio de: