Venha o OL - Em Defesa do Benfica
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

01/08/2018

Venha o OL

01/08/2018 + 0 Comentários
UM JOGO FUNDAMENTAL PARA PERCEBER COM O QUE PODEMOS CONTAR DAQUI A UMA SEMANA.

Jogo internacional n.º 1 122 (e último até agora). Da esquerda para a direita. De cima para baixo: Conti, André Almeida, Fejsa, Ferreyra, Jardel (capitão) e Odysseas; Salvio, Grimaldo, Gedson, Cervi e Pizzi

Sabendo que o futebol é o mais imprevisível dos desportos o certo é que este adversário que chega do Sul de França é mais poderoso que o Fenerbahçe SK que será o adversário da primeira de duas pré-eliminatórias. Ver as camisolas rubras em Harrison ou imaginá-las vermelhas, na Feiteira, em 1911, vai uma distância no tempo de 107 anos, uns milhares de quilómetros no espaço mas ocupam o mesmo lugar no Coração do Benfiquismo



22 de Maio de 1911. Feiteira. Primeiro jogo internacional do Benfica. Da esquerda para a direita. De cima para baixo. Defesas e Guarda-redes: Henrique Costa, Alfredo Machado e Francisco Belas; Médios: Carlos Homem de Figueiredo, Cosme Damião (capitão) e Artur José Pereira; Avançados: Germano Vasconcelos, António Costa, José Domingos Fernandes, Francisco Viegas e Alberto Rio. Comparando com o que foi anunciado houve algumas alterações.

Jogo internacional n.º 1
Antes de recordar os quatro jogos frente ao adversário francês há que enaltecer a importância que a França teve no desenvolvimento do "Glorioso". Como se recordou ontem os dois primeiros adversários internacionais do Benfica foram franceses: em 1911 (22 de Maio) o «Stade Bordelais Université Club» e em 1912 (7 de Abril) o «La Vie Au Grand Air Du Médoc». A curiosidade é que tudo leva a crer que Cosme Damião percebeu a importância dos jogos internacionais no desenvolvimento do Glorioso Futebol logo ao primeiro encontro. O Benfica campeão de Lisboa em 1909/10, perdeu o título de campeão regional em 1910/11 para o Internacional/CIF por ter subestimado o adversário na primeira jornada, perdendo por 2-3 com o emblema mais fraco a competir nesse campeonato, o Sport União Belenense. Foi um alerta. O Internacional/CIF nunca mais perdeu a liderança - empatou os dois jogos com o Benfica - e o "Glorioso" somou por vitórias todos os outros jogos. Inglório. Mas uma lição. Clube que quer ser campeão tem de jogar sempre para vencer evitando ser surpreendido no início e colocar-se à mercê do principal rival. Cosme Damião aprendia depressa com os erros, corrigia e pensava em todos os pormenores. 

Uma entrevista que marca a transformação de uma equipa de futebol num clube desportivo
Em 28 de Outubro de 1911, ocupando colunas em duas páginas (4 e 5) no jornal «Os Sports Illustrados», Cosme Damião faz declarações que serão o roteiro para o Benfica no Futuro. Uma das componentes desse roteiro são os jogos internacionais (em Portugal) e as digressões para lá das fronteiras do País. Na temporada de 1911/12 o Benfica dá início a um Tricampeonato Regional e esta será uma temporada de grande classe. além de conquistas retumbantes, o segundo jogo internacional, bem como as primeiras deslocações à cidade do Porto e a Espanha (Galiza). A modernidade chegava ao Benfica e este colocava-se na vanguarda dos clubes portugueses para...sempre. Esta entrevista, ainda que de um modo simplista, pode ser considerada o Dia 1 do Benfiquismo. eis um excerto. Ficará para dia 28 de Outubro de 2018 a merecida divulgação integral da entrevista.



Eis o excerto da entrevista que marca a passagem da utopia à prática


Adversário de logo à noite
Em quatro jogos, uma vitória, um empate e duas derrotas. Vai haver “desempate”. Em golos, o Benfica marcou sete e sofreu nove, ou seja, menos dois golos. São seis os marcadores com apenas um a repetir: Fábio Coentrão (2), Sabry, Kardec, Javi Garcia, Grimaldo e André Almeida. Chegou o jogo de voltar a repor a normalidade. Jogo em Portugal frente a equipas de clubes franceses representa vitória.

JOGOS COM O OLYMPIQUE LIONÊS (LIÃO)
Época
Competição
Res.
Cidade
Estádio
S
Marcador (min)
2000/01
 Particular
E 1-1
Lião
Gerland
F
   (57) Sabry

2010/11

Liga dos Campeões
D 0-2
Lião
Gerland
F
---------------

V 4-3

Lisboa

SLB
C
  (19) Kardec
  (31) Fábio Coentrão
  (42) Javi Garcia
  (66) Fábio Coentrão
2016/17
  Particular
D 2-3
Lião
Parque OL
F
   (21) Grimaldo
   (52) André Almeida
2018/19
  ICC/EC *
?
Faro/Loulé
Algarve
N
?
NOTA: * Terceiro jogo do torneio "Taça Internacional dos Campeões/ICC" e 10.ª edição do troféu "Eusébio Cup/EC"

Uma "saltada" a França para estrear um jogo que teimava em não ocorrer
O clube de Lião é um dos históricos do campeonato francês do pós Segunda Guerra Mundial. O "Glorioso" fazia o estágio de pré-época na Áustria e ao segundo jogo deslocou-se ao estádio do adversário para conseguir empatar depois de estar a perder por 0-1 ao intervalo.



No Grupo B da Liga dos Campeões em 2010/11
Depois de uma vitória (frente ao Hapoel Telavive FC) e uma derrota (frente ao FC Schalke 04) a terceira jornada - segunda em terreno alheio - era decisiva para a continuação na fase a eliminar. A derrota colocou o Benfica em "maus lençóis". 




Depois da ida a França o jogo seguinte foi na "Catedral"
Foi uma jornada imprópria: ver um jogo de loucos na "Catedral" com os ouvidos em Telavive. O "Glorioso" chegou a 4-0 mas foi cedendo acabando por vencer por um golo de diferença embora o terceiro golo do clube francês fosse em cima do apito final já com o tempo de compensação muito avançado. Esta foi a 4.ª jornada mas dramática seria a última com a recepção ao FC Schalke 04. Na derrota valeu os franceses empatarem em Telavive, já perto do final, para o Benfica seguir para a Liga Europa. 






Completaram-se ontem dois anos 
Que os dois clubes se encontraram em Lião. A última vez em vias de passar a penúltima. A curiosidade é que foi o último encontro da pré-temporada em 2016/17 pois o Benfica jogaria a seguir para a Supertaça com o SC Braga. Nesse dia, há dois anos, o Benfica nunca esteve em vantagem: 0-1 (18'), 1-1 (21'), 1-2/1-3 (25'/28') e 2-3 (52'). 







Duas outras curiosidades
Este encontro foi o que se seguiu à...última edição do troféu de homenagem a Eusébio (com o Torino FC) pois em 2017 não se disputou o troféu.
O golo de Grimaldo! Onde é que eu já vi isto!? Há pouco tempo e com mais "afinação"!


Carrega Benfica

Alberto Miguéns

0 comentários
comentários facebook

Enviar um comentário

Subscrever este blogue