Futebol: de Anacronismo a Aberração
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

01/09/2017

Futebol: de Anacronismo a Aberração

01/09/2017 + 1 Comentários
Como o Futebol em Portugal mudou. Como nos obrigaram a mudar para pior. De rivais a discutir por discutir até inimigos a insultar porque sim. 


Se o Futebol já era um anacronismo - a cada jogo os pobres  (a "esmagadora maioria" dos adeptos) ficam mais pobres para os ricos (futebolistas profissionais) ficarem mais ricos, agora tornou-se uma aberração.  Os clubes necessitam de fazer aumentar os pobres (adeptos) porque os ricos também aumentaram. Além dos futebolistas somam-se agora dirigentes pagos, comentadores pagos num comboio infindável de gente...

Eu até vivo perto da "Catedral" mas aqueles adeptos que vêm de longe ainda dão mais realce a este desfasamento. Tal como os que vão ver os jogos no terreno dos adversários. Muitos fazem um sacrifício financeiro gigantesco. Compram as deslocações, bilhetes, refeições, camisolas, porta-chaves, apliques que depois para nada servem, jornais... Com vencimentos mensais minúsculos. Para terem futebolistas cada vez mais bem pagos para poderem ser melhores e fazerem a diferença para MAIS. Esbanjam dinheiro numa paixão. Só a paixão pode explicar esta irracionalidade. A paixão e as discussões das segundas-feiras nos empregos ou escolas! Nos últimos anos uma constelação de gentios somou-se aos futebolistas pagando-se bem. Por isso é necessário SEMPRE MAIS DINHEIRO. MAIS, MAIS, MAIS...Este é sempre pouco porque é para muitos. Isto passa-se no Benfica e em todos os clubes num grau superlativo que está relacionado com a grandeza de cada clube.

É uma história real do meu Benfiquismo na relação com o sportinguismo - iniciada há quatro décadas - que acabei de completar e reservo para logo. Pela hora habitual!

Alberto Miguéns

NOTA: E há adeptos-comentadores-pagos a agredirem-se física e verbalMENTE. Muitas vezes em pura encenação!
  1. Foi suave na sua análise. Estamos no futebol, como Portugal estava em relação aos restantes países europeus, no que ao desenvolvimento social e económico diz respeito (como se diz "atrasados em relação à Europa 50 anos"). Nem a nossa conquista do Campeonato da Europa, consegue disfarçar o estado lamentável em que a saúde do nosso futebol se encontra! Os responsáveis pelas empresas (hoje os clubes são empresas e as pessoas esquecem-se disso frequentemente) de futebol, aproveitam-se do futebol para subir na vida(dispenso-me de os nomear são visíveis os sinais de enriquecimento sem justa causa). O seu comportamento só ainda nao levou a desgraças mais sérias nos campos de futebol e à sua volta porque este povo é manso. Da rivalidade clubista passou-se para a agressão verbal permanente, onde tudo vale para se atingirem os adversários. As queixas permanentes das arbitragens, os pedidos de castigos sumários para os adversários, as penalizações aos dirigentes, nalguns casos roçando a censura ao jeito dos velhos tempos (veja-se o castigo aplicado ao nosso Presidente) são bem a demonstração de que a ética e o fair play desapareceram há muito do nosso futebol. E assim nos vamos afastando cada vez mais como sector gerador de proveitos, criador de empregos e entrada de divisas (ou euros) da restante Europa, com campeonatos competitivos e estádios permanentemente cheios (embora depois sejam sempre os mesmos a ganhar). Desta realidade ressalta que as equipas portuguesas sempre que jogam com clubes de outros países acabem smpre pir vir para casa com os bolsos cheios de golos e fracassos consecutivos, raramente (é um milagre) atingindo uma final ou eatando perto disso. Dificilmente investidores estrangeiros investem no futebol português enquanto este fôr visto pela mediocridade dos olhos dos dirigentes portugueses. Só será possível ombrearmos com os clubes lá fora se criarmos competição interna e espectáculo futebolístico onde os jogadores nao se atirem para o chão, não façam antijogo, nao tenhamos treinadores medíocres que em vez de os formarem como homens e jogadores os ensinam a praticar o antijogo para justificarem os seus erros e incompetência por não saberem mais. Muito há para dizer e eu diria para começar, que acabem com os programas diários sobre futebol pois são um dos maiores vírus de contaminação negativa e geradores de mau ambiente entre adeptos, dirigentes, arbitros. Diria mesmo que são os verdadeiros corruptores do futebol português. Enquanto isto assim continuar jamais chegaremos a poder ombrear competitiva e económicamente com a restante Europa do futebol. Já vai longa a miha dissertação.

    ResponderEliminar

Subscrever este blogue

Apoio de: