A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

22/01/2012

Vamos Benfica… O Futuro É Nosso…

22/01/2012 + 0 Comentários API
ADVERSÁRIOS
             
Logo à noite, pelas 20.15 horas, iniciamos a segunda volta do 78.º Campeonato Nacional, com vantagem no número de títulos conquistados: SLB (32), mais sete que o FC Porto (25), 14 que o Sporting CP (18), com CF “Os Belenenses (em 1945/46) e Boavista FC (em 2000/01) a conquistarem os restantes dois títulos.

Fundação como Gil Vicente Foot-Ball Barcelense
O Gil Vicente FC, de Barcelos, fundado em 3 de Maio de 1924, menos de uma década depois, contagiado pelo Benfiquismo no Minho, pediu a filiação no “Glorioso” passando a fazer parte das Delegações do Clube, sendo, actualmente, a Delegação (clubes já existentes que se filiaram no Benfica) n.º 5, passando a equipar de vermelho (camisolas) e branco (calções).

Primeiro Benfica vs Gil Vicente FC
O primeiro encontro com o “Glorioso” ocorreu em 3 de Maio de 1943, num dos habituais jogos do Benfica, com filiais ou delegações afastadas de Lisboa, às segundas-feiras, depois de deslocações para jogos oficiais. É que em 2 de Maio de 1943, a equipa de futebol do “Glorioso” disputou, na liderança do campeonato que conquistaríamos, a 16.ª jornada do Nacional de 1942/43, em Matosinhos, frente ao Leixões SC (V 4-2), deslocando-se, a pedido dos gilistas, a Barcelos, para no dia seguinte defrontar o Gil Vicente FC, que vencemos, por 7-2. Foi o único encontro, não oficial, que realizámos com a nossa Delegação. Depois dele, apenas jogos oficiais, 29 para o Campeonato Nacional e dois na Taça de Portugal.

Emblema histórico

Gil Vicente FC prejudicado…
A generalidade dos barcelenses e minhotos sempre foram Benfiquistas, mas nem sempre os associados que dirigiram o clube assumiram os mesmos ideais. Por isso as ligações, históricas, do Gil Vicente FC ao “Glorioso” nunca passaram de simbólicas. Leais foram sempre grande parte dos seus adeptos.
O Gil Vicente FC foi, em termos globais, um dos principais clubes do Minho, mas nunca conseguiu o acesso à I Divisão, se bem que por vezes só nas últimas jornadas perdesse a possibilidade de ascender directamente ou numa “Liguinha” ao principal escalão. Havia vários adeptos gilistas que atribuíam esse facto à conhecida filiação do clube de Barcelos no Benfica, acabando prejudicado face a emblemas como o FC Famalicão, FC Felgueiras, FC Penafiel, FC Tirsense, Varzim SC ou SC Espinho. Percebe-se porquê…

Emblema actual
Foi preciso mudar… até o equipamento
Em 1990/91 estreou-se na I Divisão, após 32 épocas, com 19 temporadas consecutivas (desde 1971/72) no 2.º Escalão, com algumas classificações muito próximas da promoção, até noutros períodos na II Divisão antes de 1971/72. 
Como o clube já estava formado o emblema não está relacionado com o nosso, mas o equipamento está ou… estava porque nos anos 80 o Gil Vicente FC alterou as cores do equipamento principal (vermelho e branco para azul e branco) nem sequer regressando às cores do clube antes da filiação no Benfica (vermelho e azul) pois as cores-símbolo do Município são o vermelho e amarelo.

Vantagens inegáveis
Em 33 encontros frente ao Gil Vicente FC o “Glorioso” obteve 23 vitórias (mais 19 que as quatro derrotas) e marcou 64 golos (mais 41 que os 23 golos sofridos). Com poucos jogos extra-campeonato nacional, apenas quatro encontros (V 7-2 na estreia num particular), um para inaugurar o relvado do campo do estádio Adelino Ribeiro Novo e oferecer um jogo ao clube de Barcelos pela tranferência do malogrado guarda-redes Dias Graça (V 2-1) e dois na Taça de Portugal, o jogo da final da 5.ª Taça da Liga é estreia entre os dois emblemas (ver Quadro I).

                                      QUADRO I
  JOGOS TOTAIS POR COMPETIÇÃO com Gil Vicente FC

Competição
J
V
E
D
GM
GS
TOTAIS
33
23
6
4
64
23
Campeonato Nacional
29
20
5
4
53
19
Taça de Portugal
  2
  1
1
-
2
  1
Particulares
  2
  2
-
-
9
  3

No Campeonato Nacional, avulta uma derrota, por 0-2, do “Glorioso” na “Catedral” (ver Quadro II). Mas, nessa jornada o protagonista foi o árbitro portista Rui Costa. Vergonhoso!


                              QUADRO II
                 OS 41 BENFICA – GIL VICENTE FC
N.º
Época
Comp
Sit
V
E
D
01
42/43
Par
F
7-2


02
87/88
Par
F
2-1


03
90/91
CN
C
3-0


04
CN
F
3-2


05
91/92
CN
F
1-0


06
CN
C
5-0


07
92/93
CN
F

1-1

08
CN
C
2-1


09
93/94
CN
C

0-0

10
CN
F
3-0


11
94/95
CN
F


0-1
12
CN
C


0-1
13
95/96
CN
C
3-0


14
CN
F
2-1


15
96/97
CN
F
3-0


16
CN
C
1-0


17
97/98
TP
F

1-1

18
TP
C
1-0


19
99/00
CN
F
2-0


20
CN
C
3-0


21
00/01
CN
C

0-0

22
CN
F


0-3
23
01/02
CN
C
2-0


24
CN
F
2-0


25
02/03
CN
C
3-1


26
CN
F
2-0


27
03/04
CN
C
2-1


28
CN
F
2-1


29
04/05
CN
F

1-1

30
CN
C
2-0


31
05/06
CN
C


0-2
32
CN
F
3-1


33

11/12
CN
F

2-2

34
CN
C



TOTAIS
33 J 23 6 4  (64/23)
    
Que o 34.º jogo seja o começo de mais uma época gloriosa rumo ao 33.º título de campeão nacional.

Alberto Miguéns
0 comentários
comentários

Enviar um comentário

Em Defesa do Benfica no seu E-mail