A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

26/02/2014

Glória Eterna Coluna (9)

26/02/2014 + 0 Comentários API


OPINIÃO

Coluna (entre Costa Pereira e Neto) aos 25 anos Campeão Europeu frente ao FC Barcelona em Berna! Que eliminara o pentacampeão Real Madrid CF! Só acreditámos aos 90 minutos desse jogo em 31 de Maio de 1961

Em 1960/61 com o Benfica campeão nacional e a participação na Taça dos Clubes Campeões Europeus, o Futebol Benfiquista entrava numa fase decisiva, com Mário Coluna a tomar a batuta de maestro a meio-campo. Seguir-se-ia o Bicampeonato Europeu em 1960/61 e 1961/62, com o futebolista a distinguir-se nos dois jogos decisivos para atribuição dos títulos europeus, marcando dois golos, um em cada final.

Arrancar para o Bicampeonato Nacional
Foi uma grade temporada, com o Benfica a controlar duas competições, pois não se sabia se seria campeão europeu e necessitava de voltar a conquistar o título de campeão nacional para estar pela segunda vez consecutiva na Taça dos Clubes Campeões Europeus. Mal sabiam eles (e nós, os adeptos) que a glória estava em Berna. Coluna com 2160 minutos em 24 jogos (e quatro golos) é o terceiro futebolista do "Glorioso" com mais tempo de jogo na 27.ª edição do campeonato nacional. Uma coluna sólida, indestrutível, entre o meio-campo e a linha avançada. 



Campeão Europeu
A campanha europeia foi fantástica. Coluna é um dos sete totalistas da competição, com 808 minutos em nove jogos e dois golos (ao  SK Rapid Viena na "Saudosa Catedral" e outro em Berna) é o expoente máximo da equipa. Coluna fez o 3-1, sobre o FC Barcelona, aos 54 minutos, com um golo magistral. Na meia-esquerda Coluna entregou a bola a Cavém e desmarcou-se para o centro do terreno. Depois de bater o catalão Foncho, Cavém centro por alto e atrasado. Em corrida, Coluna recolheu o esférico na passada e, ainda a alguns metros do limite da grande-área desferiu um potente remate com o pé direito, que levou a bola a entrar como uma flecha, junto à base do poste direito. Com dois golos de vantagem, já na segunda parte dificilmente uma equipa com tanta classe esbanjaria a oportunidade de sagrar-se campeã europeia. Assim foi!

Impedido de conquistar a Taça de Portugal
Incrivelmente, ou talvez não, enquanto os 16 melhores futebolistas do Benfica venciam o FC Barcelona em Berna (31 de Maio de 1961) e viajavam para Portugal  (1 de Junho) neste dia a FPF em conluio com vários emblemas fez do 1 de Junho de 1961 "um dia de vergonha" obrigando o Benfica a ir com a Reserva desfalcada a Setúbal discutir a passagem aos quartos-de-final da Taça de Portugal.

No Torneio de Paris começou a perceber-se Eusébio
Quando se pensava que seria Coluna a receber a distinção de melhor futebolista português de sempre, eis que surge um menino de 18 anos, mais novo quase sete anos que Coluna que começava a destacar-se: Eusébio! Para Coluna, então a caminho dos 26 anos, estava criado mais um desígnio: contribuir para fazer do "miúdo" o melhor jogador do Mundo na década de 60 e o melhor de sempre em Portugal! E não é que o conseguiu.

1960/61
Competições
Jogos
Golos
Adversários
Golos
TOTAIS
42
6


Taça Clubes Campeões Europeus
9
1


Campeonato Nacional
24
4


Taça de Portugal
2
1


Taça de Honra de Lisboa
2
-


Torneio Relâmpago
2
-


Torneio Internacional de Paris
1
-


Particulares internacionais
1
-


Particulares nacionais
1
-


NOTA: A vermelho troféus (e/ou) títulos conquistados

Alberto Miguéns

NOTA: Em Defesa do Benfica declara luto pelo falecimento de Coluna, com um fumo negro sobre o rosto do EDB. E em homenagem ao Eterno Capitão o EDB evocará de hora a hora durante as próximas 18 horas o percurso desportivo de um futebolista inigualável.
0 comentários
comentários

Enviar um comentário

Em Defesa do Benfica no seu E-mail