Este Blogue tem como objectivo a defesa intransigente do Sport Lisboa e Benfica e da sua Gloriosa História.
Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor Alberto Miguéns. António Melo foi quem teve a ideia deste blogue.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

23/02/2017

Encher a Boca Com Cosme Damião

23/02/2017 + 2 Comentários
HÁ UMA VERTIGEM NOS ÚLTIMOS ANOS EM TENTAR FAZER DE COSME DAMIÃO O JOSÉ ALVALADE DO BENFICA!


Ora se há duas personalidades ligadas ao Futebol, contemporâneas no início do século XX – Cosme Damião (2 de Novembro de 1885) e José Alvalade (10 de Outubro de 1885) completamente distintas são estes dois.

Cosme Damião sempre detestou o individual sobrepondo-se ao colectivo
Como é óbvio eu nunca falei com Cosme Damião. Mas falei com pessoas que não só conheceram Cosme Damião como falaram com ele e ouviram algumas das suas palestras. Mas já li não só o livro dele – e li mesmo (ver depois NOTA FINAL) – como muitas entrevistas incluindo as polémicas com Artur José Pereira (1914), Alberto Rio (1919), Cândido Oliveira (1920), Ribeiro dos Reis (1926), intimação para despejo do Benfica das instalações da Secretaria na rua da Rosa (1926), demitir-se de associado (1926, regressando depois) e com o Clube (1936) enquanto presidente de outro clube, o Casa Pia AC. Este está documentado neste blogue, em 4 de Fevereiro de 2016 (clicar). Os outros hão-de estar um dia destes! Polémicas públicas e publicadas nos jornais desse tempo! Mas foi ele, com as virtudes e defeitos de qualquer ser humano, que fez do Benfica o maior clube português, o Pai do Benfiquismo, como diversas vezes já se assinalou neste blogue. É só ver as etiquetas ou tópicos na lateral direita.


Esta vertigem surgiu aquando do livro que a “pseudo-biografia” de Júlio Cosme Damião
Já existiam os Galardões Cosme Damião que substituíram os prémios anuais "Benfiquista do Ano" (nome À Benfica) por categorias, criados pelo jornal "O Benfica", em 1987 (clicar). Foi o esdrúxulo Serrado que entre uma série de mentiras e opiniões criou duas ideias: Primeira: que Júlio Cosme Damião devia ser o José de Alvalade do Benfica. Segunda: que ao escrever um livro acerca de Cosme Damião franqueava as portas do Clube para ser seu funcionário. O Museu passou a ser designado Cosme Damião. Se Cosme Damião soubesse de tal, tinham muito que o ouvir e ver fazer! E se fosse a assembleia geral - e não foi - a decidir...votaria contra! Tenho poucas dúvidas acerca disso. E haverá mais iniciativas "Cosme Damião" À Sporting CP. É que «pelos vistos» Ricardo Serrado fez escola. Pudera com tanto alagartado! Mas é mentira. O livro foi-lhe proposto para se credibilizar entre os Benfiquistas, como se estes o lessem!


Cosme Damião - O homem que sonhou o Benfica; página 128; Serrado, Ricardo; Zebra Publicações; Outubro de 2010; Lisboa

No Benfica nunca nada teve qualquer nome de alguém
E esta "tradição" tem muito de Cosme Damião. Várias vezes foi indicado para dar nomes a estádios: Amoreiras e Campo Grande. Sempre recusou afirmando que o Estádio não era dele, era do Sport Lisboa e Benfica. Até o denominado Pavilhão Borges Coutinho é uma mentira inventada na comunicação social portuguesa pois não passou de uma proposta, em 1982, quando foi inaugurado - 28 de Fevereiro - que não foi aprovada. Por motivos óbvios, pois o Benfica no início dos anos 80 ainda tinha dirigentes que conheciam a História e Cultura do Clube. Como os jornalistas em Portugal preferem emprenhar pelos ouvidos - dá menos trabalho que "estudar" e averiguar os assuntos - andaram sempre a divulgar essa mentira (o que mais me espantava era alguns/muitos/demais, associados receberem anualmente os Relatórios e papaguearem essa mentira) como se pode constatar num dos Relatórios (em 1994) do Clube. Foi SEMPRE Pavilhão n.º 2 ou Pavilhão Polivalente. SEMPRE; 

(clicar em cima da imagem para melhorar a visibilidade)

É provável que nos próximos tempos surjam mais iniciativas «Aproveitar-se de Cosme Damião»
Lá está (tendo por modelo Ricardo Serrado) para tentar chegar ao protagonismo! Vai dando resultado! Enquanto estiver a dar…



A estátua não sendo original…aceita-se (embora nem devesse existir)
É uma espécie de Fernando Pessoa transportado de uma mesa de café (da Brasileira do Chiado) para um banco de Jardim junto ao estádio da Luz. Algo que também se vê muito – artistas e figuras de prestígio à escala 1:1 - em algumas cidades da Escandinávia e na Suíça. Mas não se podendo/conseguindo alguém com génio para ser original sempre é melhor que mamarrachos como este, que parecem aqueles cartazes de propaganda – política e comercial - que poluem visualmente as cidades. E que até tendo uma base alargada parecem alvos preferencial para os canídeos se servirem.




!oiràrtnoc oa acifneB O

Alberto Miguéns

NOTA1: É que parece que quanto mais se fala dele menos sabem quem realmente foi e que importância teve. Talvez porque as gerações mais velhas – que iam para o Estádio com horas de antecedência para reservar lugar e entre outros assuntos, os mais velhos falavam do passado aos mais novos - vão ficando “fora de combate”. Agora é mais as gerações que falam de «courates e bifanas» e cervejolas. Cosme Damião é apenas um nome que fica bem pronunciar no Benfica. Tal como José Alvalade no Sporting CP. Aposto que 99 por cento dos que se dizem Benfiquistas (e se dizem é porque são) nunca leu nada acerca de Cosme Damião. Dizem o básico. Foi fundador! Mas isso também outros 23 foram. E Cosme Damião de início nem sequer teve actividade de destaque enquanto dirigente ou futebolista até 1908. Alguns - até dirigentes - dizem que foi presidente, algo que nunca foi! Faz-me lembrar uma história que penso que já contei neste blogue.

Uma vez num desses jogos de uma final do Benfica, talvez em Aveiro, um Benfiquista veio ter comigo e disse-me que conhecia bem a História do Benfica! Disse-lhe que isso era bom perguntando-lhe o que mais o fascinava. Respondeu: Ainda não li! Não percebi e retorqui: Não leu o quê? Respondeu: Tenho a História do Clube editada nos 50 anos mas ainda não a comecei a ler! São mil e tal páginas! Respondi: Então o caro Benfiquista não conhece a História do Clube. Conhece o livro onde está escrita a História dos primeiros 50 anos do Clube! Diz ele: Pois é…por agora. Mas um dia destes posso começar a ler porque a tenho! Acabei: Ora sempre é um felizardo. Eu conheço quem a queira ler e não a tenha! E lá seguimos os dois o caminho…rumo ao estádio onde jogava o Benfica!

NOTA2: Um dia destes vou falar acerca do Jazigo de Cosme Damião (incógnito como ele sempre gostou) no Cemitério dos Prazeres (que raio de nome para um cemitério) e das duas placas que lá estão! E que reforçam (e de que maneira arrasadora) o que escrevi hoje!
Ler Mais ►
22/02/2017

A Boina de Vítor Silva

22/02/2017 + 2 Comentários
ENQUANTO NÃO É SEXTA-FEIRA CÁ VAMOS ANDANDO COM A CABEÇA ENTRE AS ORELHAS.



A boina de Vítor Silva que está no Museu é anti-traça. Já o cabelo dele é aboinado. Às vezes parece que joga com boina mas tudo não passa de ilusão optical. Havia quem o fizesse. Raras são as fotos dele com boina a não ser antes dos jogos. A personalidade dele tem muito que se diga, mas o que me interessa é escrever acerca dele como futebolista. Depois o resto fica para quem gosta de pantominices. 



Também vos digo
Das três ou quatro dezenas de futebolistas internacionais portugueses, pelo Benfica, com quem falei ou li entrevistas acerca da sua carreira, só falei/li com três jogadores que não exageram “uma vírgula”: Guilherme Espírito Santo, Rogério Lantres de Carvalho e Malta da Silva. Todos os outros ou exageram um nadazinho ou falam de façanhas que depois os jornais com as crónicas referentes a esses feitos não confirmam. Ele são golos ou jogadas geniais, datas gloriosas em que até nem jogaram. Talvez só na bancada. Há muito que me apercebi. Nos futebolistas os esticanços não são defeito. São feitio!


Vítor Silva confessa-se vaidoso
Quem sabe se esta boina, em Paris, não foi para impressionar alguma flausina. Se foi…espero que tenha funcionado. Melhor. Facturado. Faço força para que tal tenha acontecido!



Antes desse jogo da boina de Vítor Silva em Paris
O único futebolista cedido pelo Benfica para o onze de Lisboa frente a um onze de Madrid foi Vítor Silva (sem boina). Embora aquele cabelo...



Foto encontrado por aí, pela internet, que este blogue até acrescenta os nomes dos futebolistas de Lisboa. De borla!
História do Sport Lisboa e Benfica 1904/1954; II volume; página 38; Mário de Oliveira e Rebelo da Silva; 1954/1956; Lisboa; edição dos autores 

O Benfica e a selecção nacional
Os Benfiquistas do "antigamente" como Rogério Jonet que chegou a sócio número um disse-me que para a geração dele - futebolista do "Glorioso" na segunda metade dos anos 10 - a selecção portuguesa sempre foi considerada uma "manhozisse" (ele utilizou outro nome) pois só foi organizada quando o Benfica deixou de dominar o futebol. E é bem verdade esta situação. A FPF foi fundada em Março de 1914 pois a FIFA (de 1904) só reconhecia selecções nacionais em países que tivessem organizações filiadas da FIFA. Para Portugal ter campeonatos de Futebol e selecção tinha de ter um organismo que respondesse perante a FIFA. Pois veja-se que a FPF demorou sete anos a organizar a primeira selecção nacional e oito a "inventar" um campeonato que nem isso era. Em 1922 o Campeonato de Portugal só não se resumiu a um jogo, em Coimbra, porque o presidente da FPF foi a Coimbra e constatou que não havia campo de jogos com condições para receber o jogo entre o campeão de Lisboa (Sporting CP) e o campeão do Porto (FC Porto). O que é que terá andado a FPF a fazer em 1914, 1915, 1916, 1917, 1918, 1919. 1920 e 1921? Isso mesmo que vocês estão a pensar, pelo menos a sua ausência permite-nos pensar nisso!

ESTREIA DAS SELECÇÕES EUROPEIAS
Data
País
Local
S
Res.
Adversário
30.Nov.1872
Escócia
Glasgow
C
E 0-0
Inglaterra
30.Nov.1872
Inglaterra
Glasgow
F
E 0-0
Escócia
25.Mar.1876
País de Gales
Glasgow
F
D 0-4
Escócia
18.Fev.1882
Irlanda Norte
Belfast
C
D 0-13
Inglaterra
12.Out.1902
Áustria
Viena
C
V 5-0
Hungria
12.Out.1902
Hungria
Viena
F
D 0-5
Áustria
05.Abr.1903
Checoslováquia
Budapeste
F
D 1-2
Hungria
01.Mai.1904
Bélgica
Bruxelas
C
E 3-3
França
01.Mai.1904
França
Bruxelas
F
E 3-3
Bélgica
12.Fev.1905
Suíça
Paris
F
D 0-1
França
30.Abr.1905
Holanda
Antuérpia
F
V 4-1
Bélgica
05.Abr.1908
Alemanha
Basileia
F
D 3-5
Suíça
12.Jul.1908
Suécia
Gotemburgo
C
V 11-3
Noruega
12.Jul.1908
Noruega
Gotemburgo
F
D 3-11
Suécia
19.Out.1908
Dinamarca
Londres*
N
V 9-0
França
15.Mai.1910
Itália
Milão
C
V 6-2
França
22.Out.1911
Finlândia
Helsínquia
C
D 2-5
Suécia
29.Out.1911
Luxemburgo
Luxemburgo
C
D 1-4
França
30.Jun.1912
Rússia
Estocolmo*
N
D 1-2
Finlândia
28.Ago.1920
Espanha
Bruxelas*
N
V 1-0
Dinamarca
28.Ago.1920
Grécia
Antuérpia*
N
D 0-9
Suécia
28.Ago.1920
Jugoslávia
Antuérpia*
N
D 0-7
Checoslováquia
18.Dez.1921
Polónia
Budapeste
F
D 0-1
Hungria
18.Dez.1921
Portugal (23.ª)
Madrid
F
D 1-3
Espanha
NOTA: * Jogos Olímpicos

O Benfica teve o primeiro marcador de um golo pela selecção e muito mais
Durante anos a fio os únicos marcadores de golos na selecção nacional foram de apenas cinco clubes: Benfica (Alberto Augusto, Vítor Silva, Valadas e Guilherme Espírito Santo), Sporting CP (seis), Vitória FC Setúbal (três), CF "Os Belenenses" (três) e FC Porto (dois). 


Vítor Silva foi o primeiro futebolista português a fazer cinco golos (1 de Dezembro de 1929) e oito golos (27 de Fevereiro de 1936). Só dois anos depois Pinga (FCP) conseguiu superar estes oito golos passando para nove, em 24 de Abril de 1938. Eis o golo de Vítor Silva, frente ao seleccionado germânico, que elevou para oito os golos marcados pelo popular avançado-centro, "desdobrando-se" do extraordinário José Manuel Soares (Pepe).


(clicar em cima da imagem para melhorar a visibilidade)

EVOLUÇÃO DOS MELHORES MARCADORES
SELECÇÃO NACIONAL
N.º
COM
DATA
ADVERSÁRIO
CAMPO
S
Res
MARCADORES
NI
001
Part
18.12.21
Espanha
Aviacion/MAD
F
D 1-3
Alberto Augusto (1.º)
3
002
Part
17.12.22
Espanha
Lumiar/LISB
C
D 1-2
Jaime Gonçalves (1.º)
3
003
Part
16.12.23
Espanha
Helmant/SEV
F
D 0-3
-
4
004
Part
15.05.25
Espanha
Lumiar/LISB
C
D 0-2
-
2
005
Part
18.06.25
Itália
Lumiar/LISB
C
V 1-0
João Francisco (1.º)
2
006
Part
24.01.26
Checoslováquia
Ameal/PORTO
C
E 1-1
João dos Santos (1.º)
0
007
Part
18.04.26
França
 Toulouse
F
D 2-4
Augusto Silva (1.º)
João dos Santos (2.º)
1
008
Part
26.12.26
Hungria
Ameal/PORTO
C
E 3-3
João dos Santos (3.º)
Severo Tiago (1.º)
José Manuel Martins (1.º)
1
009
Part
16.03.27
França
Lumiar/LISB
C
V 4-0
José Manuel Martins (2.º) (3.º)
Pepe (1.º) (2.º)
1
010
Part
17.04.27
Itália
Turim
F
D 1-3
Cambalacho (1.º)
1
011
Part
29.05.27
Espanha
Metropo/MAD
F
D 0-2
-
2
012
Part
08.01.28
Espanha
Lumiar/LISB
C
E 2-2
José Manuel Martins (4.º)
João dos Santos (4.º)
2
013
Part
01.04.28
Argentina
Lumiar/LISB
C
E 0-0
-
1
014
Part
15.04.28
Itália
Ameal/PORTO
C
V 4-1
Valdemar Mota (1.º) (2.º) (3.º)
Vítor Silva (1.º)
1
015
Part
29.04.28
França
Paris
F
E 1-1
Armando Martins (1.º)
2
016
JOA
27.05.28
Chile
Olímpico/AMS
N
V 4-2
Vítor Silva (2.º)
Pepe (3.º) (4.º)
Valdemar Mota (4.º)
2
017
JOA
29.05.28
Jugoslávia
Olímpico/AMS
N
V 2-1
Vítor Silva (3.º)
Augusto Silva (2.º)
2
018
JOA
04.06.28
Egipto
Olímpico/AMS
N
D 1-2
Vítor Silva (4.º)
2
019
Part
17.03.29
Espanha
Helmant/SEV
F
D 0-5
-
2
020
Part
24.03.29
França
Colombe/PARIS
F
D 0-2
-
2
021
Part
01.12.29
Itália
Milão
F
D 1-6
Vítor Silva (5.º)
3
022
Part
12.01.30
Checoslováquia
Lumiar/LISB
C
V 1-0
Pepe (5.º)
1
023
Part
23.02.30
França
Ameal/PORTO
C
V 2-0
Pepe (6.º) (7.º)
0
024
Part
08.06.30
Bélgica
Antuérpia
F
D 1-2
Armando Martins (2.º)
1
025
Part
30.11.30
Espanha
Ameal/PORTO
C
D 0-1
-
0
026
Part
12.04.31
Itália
Lima/PORTO
C
D 0-2
-
2
027
Part
31.05.31
Bélgica
Lumiar/LISB
C
V 3-2
Armando Martins (3.º)
Vítor Silva (6.º)
Pinga (1.º)
2
028
Part
03.05.32
Jugoslávia
Lumiar/LISB
C
V 3-2
Pinga (2.º)
Valadas (1.º)
Soeiro (1.º)
2
029
Part
29.01.33
Hungria
Lumiar/LISB
C
V 1-0
Pinga (3.º)
1
030
Part
02.04.33
Espanha
Balaídos/VIGO
F
D 0-3
-
2
031
CM-fa
11.03.34
Espanha
Chamartin/MD
F
D 0-9
-
2
032
CM-fa
18.03.34
Espanha
Lumiar/LISB
C
D 1-2
Vítor Silva (7.º)
3
033
Part
05.05.35
Espanha
Lumiar/LISB
C
E 3-3
Soeiro (2.º)
Pinga (4.º) (5.º)
4
034
Part
26.01.36
Áustria
Lima/PORTO
C
D 2-3
Pinga (6.º)
Soeiro (3.º)
2
035
Part
27.02.36
Alemanha
Lumiar/LISB
C
D 1-3
Vítor Silva (8.º)
4
036
Part
28.11.37
Espanha
Balaídos/VIGO
F
V 2-1
Pinga (7.º)
Valadas (2.º)
5
037
Part
09.01.38
Hungria
Salésias/LISB
C
V 4-0
Espírito Santo (1.º)
Cruz (1.º) (2.º)
Soeiro (4.º)
3
038
Part
30.01.38
Espanha
Salésias/LISB
C
V 1-0
Pinga (8.º)
4
039
Part
24.04.38
Alemanha
Franqueforte
F
E 1-1
Pinga (9.º)
2
NOTAS: NI – Número de futebolistas a jogarem no SL Benfica; CM – fa – Jogos de apuramento para a fase final do Campeonato do Mundo

Guilherme Espírito Santo - o mais nobre de todos aqueles que conheci
Estreou-se a jogar pela selecção nacional com 18 anos e um mês (28 de Novembro de 1937) e a marcar com 18 anos, dois meses e dez dias (9 de Janeiro de 1938). Precoce no Benfica (clicar) e por Portugal. Embora continuem a ignorá-lo principescamente na comunicação do Benfica! 



Em cima e em baixo
Vítor Silva (com Tamanqueiro e Vítor Hugo) no VI Portugal - Espanha (dois-a-dois). Ainda mais abaixo os dois Gloriosos no III França - Portugal (um-a-um). Empatas...



Valadas tem uma particularidade
Marcou o primeiro golo como futebolista do Sporting CP e o segundo já como "Glorioso". Dizia o enorme Macarrão que foi a amizade feita na selecção que fez Valados querer deixar o Sporting CP e passar a jogar no Benfica com Vítor Silva. Não foi o contrário...Vocês percebem...Vítor Silva a....


Ontem passei a tarde a apanhar boinas. Nunca mais é sexta-feira!

Alberto Miguéns


NOTA FINAL: Os valores referentes aos jogos da selecção portuguesa são da minha responsabilidade (recolha directa). Os referentes à estreia das selecções são retirados da seguinte publicação:



Ler Mais ►