O blogue Em Defesa do Benfica tem como objectivo a defesa intransigente do Sport Lisboa e Benfica e da sua Gloriosa História.
Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas, e só, os seus autores - Alberto Miguéns e António Melo.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

28/06/2016

Futebol. 2015/16. Parte I de IV. TRInta e Cinco

28/06/2016 4 Comentários
TEMOS À PORTA A ÉPOCA 113 DO GLORIOSO FUTEBOL E AINDA NÃO SE FEZ AQUI O HABITUAL BALANÇO DA 112! IMPERDOÁVEL.



Estou à vontade. Já fiz um registo mais institucional salientando os aspectos que devem ser valorizados para o Clube. Sem soberba, nem falsa humildade. À Benfica. Ilustra o que senti ter sido a temporada. Pode ser consultada em Época 2015/16 (clicar). Mas tenho a minha ideia como adepto que é mais apaixonada. Como deve ser a relação de um adepto com o clube do qual é associado.

Foi o segundo título em que tivemos mais sorte em vencer
Aliás não é bem sorte, por que para ter sorte durante 34 jogos dá muito trabalho. Diria de outro modo. Foi o segundo campeonato, dos 35 conquistados, em que nos colocámos mais à mercê de o perder. O primeiro continua a ser o imbatível de 1954/55. Fomos campeões a quatro minutos do seu final, ou seja, quando o avançado-centro Martins do Sporting CP empatou o jogo, na 26.ª jornada (e última), a dois golos, depois do CF “Os Belenenses” estar em vantagem no jogo e no campeonato durante largos minutos. E liderou a competição desde a 23.ª jornada. Dificilmente haverá outro campeonato conquistado pelo Benfica desta forma. Por quatro minutos! Passámos de segundo classificado com um ponto de desvantagem para o primeiro lugar em igualdade pontual mas com vantagem no confronto directo (V 2-1 no estádio das Salésias e E 0-0 na “Saudosa Catedral”)!



Primeiro as contas
Em termos de vantagem pontual  foi o oitavo título conquistado com dois pontos de avanço para o segundo classificado, embora dois pontos até 1995/96 significassem uma vitória e depois da edição dessa temporada, nem isso! Além disso as vantagens pontuais “escondem” realidades distintas. Há campeonatos conquistados pelo Benfica em que nas últimas jornadas aumentou a vantagem e noutras em que foi reduzida mas o Clube já se sagrara campeão. O caso mais flagrante foi em 1959/60 com o Benfica a conquistar o título invicto na 25.ª jornada (quatro pontos de vantagem) e a perder a invencibilidade, na “Saudosa Catedral”, na última jornada frente ao…CF “Os Belenenses”.  

VANTAGENS PONTUAIS
Pon
tos*
N.º títulos
Épocas
=
2
37/38; 54/55;
1
4
35/36; 36/37; 42/43; 56/57;
2
8
59/60; 68/69; 75/76; 79/80; 86/87; 90/91; 93/94; 15/16
3
4
44/45; 66/67; 70/71; 83/84;
4
4
41/42; 60/61; 67/68; 82/83;
5
4
74/75; 04/05; 09/10; 14/15
6
4
49/50; 62/63; 63/64; 64/65;
7
2
88/89; 13/14;
8
-
-
9
1
76/77;
10
1
71/72;

18
1
73/73;
NOTA: Vantagem pontual para o segundo classificado

O Benfica chegou a parecer ter perdido o controle
Depois da “tareia” frente ao Sporting CP (D 0-3 na oitava jornada) sem este ceder pontos durante cinco jornadas, ficar a sete pontos e ainda mais cinco de atraso para o FC Porto parecia que a má programação e escolhas da pré-temporada matariam o sonho do Tricampeonato. Depois foi aproveitar os falhanços alheios, fazer os ajustes necessários e ser competente nas dez últimas jornadas não permitindo ceder pontos para o segundo lugar. Desde a 25.ª jornada (incluída) pairou continuadamente o espectro de um empate. Perder dois pontos significaria, quase de certeza, entregar ao Sporting CP o seu 19.º título. Felizmente o “Glorioso” foi-se safando. Por vezes à justa com uns sustos à mistura! Convém não repetir a dose em duas temporadas consecutivas. Ou seja, em 2016/17. Pode dar mau resultado.

CAMPEONATO NACIONAL 2015/16
Jorn
RES
Sit
Adversário
SCP
FCP
01
V 4-0
C
GD Estoril Praia
=
=
02
D 0-1
F
FC Arouca
- 1
-1
03
V 3-2
C
Moreirense FC
- 1
-1
04
V 6-0
C
CF “Os Belenenses”
- 1
-1
05
D 0-1
F
FC Porto
- 4
- 4
06
V 3-0
C
FC Paços Ferreira
- 2
- 2
07
E 0-0
F
CF União Madeira
- 4
- 4
08
D 0-3
C
Sporting CP
- 7
- 5
09
V 4-0
F
CD Tondela
- 7
- 5
10
V 2-0
C
Boavista FC
- 7
- 5
11
V 2-0
F
SC Braga
- 7
- 5
12
V 3-0
C
Ass. Académica Coimbra
- 7
- 5
13
V 4-2
F
Vitória FC Setúbal
- 7
- 5
14
V 3-1
C
Rio Ave FC
- 4
- 5
15
V 1-0
F
Vitória SC Guimarães
- 4
- 2
16
V 6-0
C
CS Marítimo
- 4
=
17
V 4-1
F
CD Nacional
- 4
=
18
V 2-1
F
GD Estoril Praia
- 2
+ 3
19
V 3-1
C
FC Arouca
- 2
+ 3
20
V 4-1
F
Moreirense FC
- 2
+ 3
21
V 5-0
F
CF “Os Belenenses”
=
+ 6
22
D 1-2
C
FC Porto
- 3
+ 3
23
V 3-1
F
FC Paços de Ferreira
- 3
+ 3
24
V 2-0
C
CF União Madeira
- 1
+ 3
25
V 1-0
F
Sporting CP
+ 2
+ 6
26
V 4-1
C
CD Tondela
+ 2
+ 6
27
V 1-0
F
Boavista FC
+ 2
+ 6
28
V 5-1
C
SC Braga
+ 2
+ 9
29
V 2-1
F
Ass. Académica Coimbra
+ 2
+ 12
30
V 2-1
C
Vitória FC Setúbal
+ 2
+ 12
31
V 1-0
F
Rio Ave FC
+ 2
+ 12
32
V 1-0
C
Vitória SC Guimarães
+ 2
+ 15
33
V 2-0
F
CS Marítimo
+ 2
+ 15
34
V 4-1
C
CD Nacional
+ 2
+ 15
NOTA: As diferenças não são em tempo real, pois não contemplam adiamentos ou antecipações de jogos

Sustos
Recordo estes três. A falta de habilidade dos adversários foi o nosso passaporte para o êxito! Se bem que no golo de Jonas depois da falta de classe do central do Boavista FC ao ter deixado um dos jogadores mais baixos em campo ganhar-lhe uma bola de cabeça poucos futebolistas no Mundo conseguiam naquele momento do jogo (já no seu final com uma pressão tremenda) ter o discernimento e a capacidade técnica para rematar "de primeira". Se tem tentado dominar a bola o outro central boavisteiro "caía-lhe em cima"!





Agora que começa a 113
Que não se repitam nesta temporada os erros da 112. Que o TETRA e seis seja menos cardíaco!

Continua…

Alberto Miguéns

PLANO DE PREVISÕES PARA OS PRÓXIMOS TRÊS DIAS:

  II. As más escolhas da pré-época;
III. Pior a emenda que o soneto;
IV. Renato Sanches e mais dez
Ler Mais ►