O blogue Em Defesa do Benfica tem como objectivo a defesa intransigente do Sport Lisboa e Benfica e da sua Gloriosa História.
Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas, e só, os seus autores - Alberto Miguéns e António Melo.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

06/05/2016

Se Eu Fosse Sportinguista…

06/05/2016 0 Comentários
A FÁBULA DA RÃ E DA ÁGUIA.


Ainda bem que não sou nem quero ser. Deixo o Sporting para os sportinguistas. Até desconfio dos que são e estão no “Glorioso”. Se o tempo voltar para trás e viver, em 1907, espero que não ser um dos que vão passar, de cá para lá! Talvez por conhecer a magnífica história desportiva do Sporting CP, desde 8 de Maio de 1906 (quando foram eleitos os primeiros dirigentes e instituídas as normas de funcionamento), jamais serei um anti-sportinguista. Mesmo que os anti-benfiquistas do SCP tudo tentem para que os Benfiquistas os odeiem em idêntico grau. Nunca conseguirão mudar a minha opinião. Tal como Pinto da Costa nunca conseguiu que eu desprezasse a cidade do Porto quando tenta diluir-se, ele o FC Porto, numa osmose com a Invicta. Antes pelo contrário.

Era uma vez…
Uma rã que se encontrava numa lagoa e viu um dia aproximar-se uma águia que foi saciar a sede. O pequeno batráquio ficou impressionado com o volume do animal. A rãzinha era muito pequena, nem tinha a dimensão de um pequeno limão. Ao ver a corpulenta águia encheu-se de inveja e decidiu inchar de ar até igualá-la em tamanho.
A rãzinha enquanto ia inchando perguntava às suas companheiras:
- Ei! Já inchei o suficiente para igualá-la?
- Não!
- Já estou tão grande como ela?
- Qual quê!
- E agora? 
- Tão pouco!
- Ainda não? Vou conseguir!
- Continuas muito pequena quando comparada com a águia!
E a pobre da rã inchou tanto, com tanto ar, que explodiu. 
Moral da história (adaptada de uma fábula de La Fontaine): O mundo está repleto de pessoas que não conseguem enxergar-se pensando poder chegar ao que jamais conseguirão ser!

Quando o actual presidente do SCP foi eleito pensei, pensei, mas enganei-me…
Pensei que Bruno Carvalho tivesse consciência da dimensão relativa dos clubes. Que soubesse que o Sporting CP seguindo o rumo “natural” adoptado na gerência dos clubes portugueses jamais teria condições para igualar o Benfica, até comparar-se ao FC Porto. O SCP já foi de facto um grande clube, equiparando-se ao Benfica entre os anos 20 e a década de 50, embora diferente. Um clube elitista, com dirigentes aristocráticos, alguns retrógrados, mas ampla base popular mercê da rivalidade com o Benfica, alicerçada no Ciclismo, muito popular por todo o país chegando ao vivo e a cores onde o futebol só chegava, e tardiamente, por escrito em escassas fotografias a preto-e-branco. Que até permitiu aos dirigentes do SC Farense adoptar, em 1910, como cores o preto-e-branco por pensarem que eram essas as cores do seu clube inspirador! Depois o Sporting CP foi perdendo importância, após meados da década de 70, que se acentuou com a ascensão do FC Porto. Tantas décadas decorridas tornou-se irreversível, daí os orçamentos mais limitados em relação aos dos dois clubes rivais. Só um milagre dará, em condições normais, a possibilidade do Sporting CP sagrar-se campeão. Até porque o Sporting CP não deixa de ser o terceiro clube com mais simpatizantes, praticamente “colado” ao FC Porto, mas sem a estrutura experiente deste, nem as manhas e muito menos a hegemonia avassaladora do portismo, entre 1994/95 e 2012/13. O SCP nunca surpreenderá num campeonato porque partirá sempre como potencial candidato, numa exigência suportada no narcisismo sportinguista e pela pressão dos media. Não vale a pena fazer comparações com o clube do momento, o Leicester City FC, que em breve – mais época, menos época - regressará às divisões secundárias, como o Nottingham Forest FC ou o Aston Villa FC que até já foram Campeões Europeus!

Imaginei “outro” tipo de presidência (embora estando do lado de fora)
Pensei que sendo Bruno Carvalho descendente de sportinguistas ilustres, como por exemplo, o avô materno Eduardo de Azevedo, tivesse os pés bem assentes no chão e também soluções alternativas para presidir (e gerir) o clube. Nada disso. E isso seria fazer do SCP uma espécie de “balão de ensaio” em alternativa àquilo que existe. E que é confrangedor. Os actuais dirigentes dos clubes portugueses limitam-se a ser negociantes – transferidores de futebolistas - numa espécie de gerentes incubadores de futebolistas para outros emblemas, em vez de dirigirem os clubes de modo a conseguirem soluções alternativas, para equipararem os clubes portugueses aos emblemas com igual força social noutros países. Imaginei o presidente do SCP a propor soluções alternativas baseadas num modelo de financiamento que permitisse ao Sporting CP equiparar-se financeiramente ao SLB e ao FCP. Porque não um investidor extra-europeu credível que redimensionasse financeiramente a SAD do SCP? Clube é clube, SAD é SAD. Ali conta o sportinguismo, aqui conta o dinheiro investido em futebolistas, depois potenciados durante a época pelo sportinguismo militante.

O Futebol português não tem evoluído em continuidade
Teve em mais de cem anos dirigentes que souberam fazer “pequenas” revoluções que permitiram equiparar, em determinados momentos, os principais clubes portugueses a outros que sendo de países mais poderosos nem por isso intimidaram quem soube ousar. É falta de ousadia aquilo a que se assiste em Portugal, camuflado com um “ranguerangue” doméstico gritado e insultado que vai ter consequências nefastas no futuro, gerando ódios (vendo inimigos onde estão adversários) que vão causar alarme social “não tarda nada, mesmo nada”!

A História do Futebol Português não engana
O Sporting CP é um clube perdedor quando falamos de contemporaneidade. Nos últimos 30 anos (três décadas) conquistou dois títulos. Em meio século foi campeão cinco vezes (em média, um título por década). Em termos de Futebol, o SCP há muito que deixou de ser um clube “Grande”. Em termos sociais ainda é, mas está em perda. Que só não é mais acentuada porque Portugal tem taxas de mortalidade e natalidade baixas, e ao invés, uma esperança média de vida elevada. E são poucas as pessoas que mudam de clube, a não ser, em idades avançadas, por serem interesseiras. Fraca personalidade. A maior parte segue a tradição familiar, porque a partir de certa idade a mudança é entendida como “traição aos valores da família”. É assim na maior parte dos países em que os clubes têm valor social e ideológico, ou seja, tribal. Há perdas para os imigrantes e nalguns filhos que “tresmalham”. Sem sentido pejorativo. Os números numa série tão longa – 25, 50 ou 60 anos - não enganam. Não são um acaso. Só uma mudança radical poderá alterar esta aridez. Ou então ficar à espera que “um dia aconteça”!

SPORTING CP (N vezes campeão nacional nos últimos n anos)
0*
2
2
2
4
5
9
16
17
18
06/07 - 15/16
96/97 - 15/16
91/92 - 15/16
86/87 - 15/16
76/77 - 15/16
66/67 - 15/16
56/57 - 15/16
46/47 - 15/16
41/42 - 15/16
34/35 - 15/16
10
20
25
30
40
50
60
70
75
82









40/41
43/44
43/44
46/47
46/47
46/47
47/48
47/48
47/48
48/49
48/49
48/49
50/51
50/51
50/51
51/52
51/52
51/52
52/53
52/53
52/53
53/54
53/54
53/54
57/58
57/58
57/58
57/58
61/62
61/62
61/62
61/62
65/66
65/66
65/66
65/66
69/70
69/70
69/70
69/70
73/74
73/74
73/74
73/74
73/74
79/80
79/80
79/80
79/80
79/80
79/80
81/82
81/82
81/82
81/82
81/82
81/82
99/00
99/00
99/00
99/00
99/00
99/00
99/00
99/00
99/00
01/02
01/02
01/02
01/02
01/02
01/02
01/02
01/02
01/02
NOTA: * Em 2015/16, a duas jornadas do final, frente a dois clubes “do meio da tabela”, considero que só a incompetência do Benfica retirará o título ao “Glorioso”. A menos que algo se passe, mas daria muito “trabalho” e seria demasiado explicito, embora nunca fiando! Há que esperar! Mas ”aposto todas as fichas” no Benfica!

Deslumbramento inesperado
O Sporting CP fez em 2015/16 uma aposta para o segundo lugar, face ao orçamento que dispunha e tendo Lopetegui como treinador, a prazo, no FC Porto. Foi essa a mensagem que entendi na apresentação do treinador Jorge Jesus: “apenas” discutir o título de campeão durante a temporada. Só que de repente viram-se, quase a meio da competição, com margem folgada (sete pontos de vantagem) além de em três jogos terem obtido três vitórias, em três competições diferenciadas, com 6-1 em golos (1-0, 3-0 e 2-1) sobre o Bicampeão Nacional! Algo que nem os mais cândidos, ingénuos e optimistas podiam alguma vez sonhar, quanto mais realizar. Depois, o tempo, numa competição-maratona com 34 jogos encarregou-se de colocar ordem no caos que parecia instalar-se como se os “deuses tivessem enlouquecido”. O jogo do Benfica no recinto do Sporting CP, na 25.ª jornada, colocou normalidade no que aparentava estar descontrolado. O Benfica merecia ser líder. Nove jornadas depois merece ser campeão! Um clube que chegou a ter a vantagem que o SCP teve, desperdiçá-la em jogos nos quais tinha obrigação de vencer, a duas jornadas do final, ser campeão nacional, seria um “golpe de teatro”. Com a agravante de se ter conseguido desfazer, paulatinamente, das restantes competições para se concentrar numa! “Golpe de teatro” que a ocorrer, não será inédito em 82 edições do campeonato nacional, mas seria injusto. 


Quando um clube se coloca a jeito (não é jeitoso, é perdedor)
O Sporting CP merece perder o campeonato porque, além disso, na segunda volta, recebeu o Benfica com um ponto de vantagem, uma supremacia tripla alicerçada nos três sucessos (incluindo 3-0 na “Catedral”) e regressa aos balneários do seu estádio em segundo lugar, a dois pontos do “Glorioso”, com nove jogos por disputar. Até os sportinguistas têm de admitir que perderam o campeonato por “culpa própria” se não quiserem dar mérito ao rival Benfica! O mérito de ter acreditado, corrigido o que estava mal e conseguir ser sereno dentro de uma tempestade de provocações, entre opiniões, decisões e tentativas de influenciar.

CAMPEONATO NACIONAL 2015/16
Jorn
RES
Sit
Adversário
SCP
FCP
01
V 4-0
C
GD Estoril Praia
=
=
02
D 0-1
F
FC Arouca
- 1
-1
03
V 3-2
C
Moreirense FC
- 1
-1
04
V 6-0
C
CF “Os Belenenses”
- 1
-1
05
D 0-1
F
FC Porto
- 4
- 4
06
V 3-0
C
FC Paços Ferreira
- 2
- 2
07
E 0-0
F
CF União Madeira
- 4
- 4
08
D 0-3
C
Sporting CP
- 7
- 5
09
V 4-0
F
CD Tondela
- 7
- 5
10
V 2-0
C
Boavista FC
- 7
- 5
11
V 2-0
F
SC Braga
- 7
- 5
12
V 3-0
C
Ass. Académica Coimbra
- 7
- 5
13
V 4-2
F
Vitória FC Setúbal
- 7
- 5
14
V 3-1
C
Rio Ave FC
- 4
- 5
15
V 1-0
F
Vitória SC Guimarães
- 4
- 2
16
V 6-0
C
CS Marítimo
- 4
=
17
V 4-1
F
CD Nacional
- 4
=
18
V 2-1
F
GD Estoril Praia
- 2
+ 3
19
V 3-1
C
FC Arouca
- 2
+ 3
20
V 4-1
F
Moreirense FC
- 2
+ 3
21
V 5-0
F
CF “Os Belenenses”
=
+ 6
22
D 1-2
C
FC Porto
- 3
+ 3
23
V 3-1
F
FC Paços de Ferreira
- 3
+ 3
24
V 2-0
C
CF União Madeira
- 1
+ 3
25
V 1-0
F
Sporting CP
+ 2
+ 6
26
V 4-1
C
CD Tondela
+ 2
+ 6
27
V 1-0
F
Boavista FC
+ 2
+ 6
28
V 5-1
C
SC Braga
+ 2
+ 9
29
V 2-1
F
Ass. Académica Coimbra
+ 2
+ 12
30
V 2-1
C
Vitória FC Setúbal
+ 2
+ 12
31
V 1-0
F
Rio Ave FC
+ 2
+ 12
32
V 1-0
C
Vitória SC Guimarães
+ 2
+ 15
33
F
CS Marítimo
34
C
CD Nacional
NOTA: As diferenças não são em tempo real, pois não contemplam adiamentos ou antecipações de jogos

Bruno de Carvalho quis ser como a Rã que tem inveja da grandeza da Águia
Os campeonatos não podem ganhar-se medindo os decibéis de ruído que cada clube consegue produzir ou induzir terceiros a fazê-lo, mas sim com o somatório de pontos obtidos através das vitórias conseguidas com golos marcados nas balizas dos adversários. Em vez de tentar inchar talvez não tivesse sido má ideia procurar soluções alternativas. E quem sabe ser pioneiro na viragem do Futebol Português.

O Benfica tem de saber defender-se o que não quer dizer alimentar a “doença”.

Alberto Miguéns


NOTA FINAL: Depois de ter feito o texto (no domingo passado), aproveitei algum tempo livre (desde o fim-de-semana) e fui em busca de ligações entre Bruno Carvalho e o avô materno. Em cheio, numa entrevista ao “Record” (fonte embora sem muito interesse).


Falar com o avô acerca do Benfica fez o neto amuar. A diferença está em que o avô nunca quereria ser Rã. Foi e seria sempre Leão! Era bom que Bruno Carvalho em vez de saber apenas que o avô fez a História do Sporting CP a… lesse. Que foi para isso que o avô a escreveu! Isso, sim, era de valor. Para querer ser só Leão! E não passar pela fase da Rã!
Ler Mais ►