Bem-Vindo, Jorge Jesus | Em Defesa do Benfica -->
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

09/08/2020

Bem-Vindo, Jorge Jesus

09/08/2020 + 6 Comentários
QUE A TUA PAIXÃO GENUÍNA PELO JOGO SE TRADUZA EM CONQUISTAS PARA O «GLORIOSO».



Eu sempre tive ideia que Jorge Jesus regressaria ao Benfica só não sabia quando! Mas confesso que pensei que seria ele a substituir Rui Vitória. Embora também pensasse que este treinador ficasse cinco ou seis temporadas e não foi o que se passou.


Não fazer uma apreciação global à entrevista
Que não consigo! Não consigo dizer se foi boa, assim-assim ou má! Tinha expectativa (por já ter ouvido Jorge Jesus durante tantos anos) em perceber se entendia haver alguma mudança no seu discurso.

A forma como falou diz tudo
Não deve haver no binómio paixão pelo jogo/qualidade muitos treinadores como ele. Falo da conjugação destas duas ideias. Podem existir treinadores com muita paixão e sofreguidão pelo Futebol mas depois não passa disso. Haverá treinadores por "esse mundo fora" com muito mais qualidade. Mas Jorge Jesus vive o Futebol de um modo incrível. Está um ao no Brasil e já vem com termos brasileiros: goleiro, torcida, etecetra. Isto ilustra o modo intenso como vive a sua profissão e é bom. Quando precisa de ser mais racional é que pode falhar, mas no global é positivo. Não faz fretes. Isso leva ao seguinte:

É exigente na formação do plantel
Que foi o que faltou a Rui Vitória e a Bruno Lage. Mas incompreensível. É evidente que Jorge Jesus tem "estatuto" até pela idade (experiência) e passado no Clube (seis temporadas) mas os responsáveis pela Benfica Futebol SAD devia ter sido mais solidários com o trabalho dos dois treinadores. Não sei se eles pediram mais qualidade e experiência e não foi aceite ou não se atreveram. Seja como for uma "estrutura" competente devia ter colocado à disposição de Rui Vitória (em 2017/18 com muita parcimónia em gastar parte das verbas de cinco transferências por valores elevados) e de Bruno Lage (em 2019/20 com contratações disparatadas) esperando nesta última época "outro milagre" como o de 2018/19 onde o Benfica teve o título dado como irrecuperável. Nisto Jorge Jesus vai ser inflexível. Não mudou. Continua a falar em que a qualidade é mais importante que tudo o resto (idade, etnia, proveniência, nacionalidade, etecetra). Dois temas e continua a mesmo... cinco épocas de intervalo depois. Então não mudou nada? Mudou! 

Tem "mais mundo"
Significando que parece mais ponderado, mais confiante nas suas capacidades por isso sem necessidade de "se mostrar". Que isto signifique ter maior "polimento" não repetindo situações que não são próprias de um clube com cultura cosmopolita e de exigência como o Benfica, onde sempre se soube e quis vencer, vencer, vencer mas quando não se consegue... sabe-se perder. Que não volte a repetir aquelas histórias  de esticar quatro dedos para o treinador do CD Nacional (mentindo a seguir), andar aos trambolhões com a polícia em Guimarães enrolado num adepto atrevido do Benfica ou provocando o treinador do Tottenham HFC e ainda com a agravante de ter sido mal educado com alguém que sabe o que é ser Benfiquista, o enorme Sheu. Foi inadmissível. Parece que temos um outro Jorge Jesus. E ainda nada "negativo"?

Continuará a não confiar nos futebolistas formados no Seixal
Parece-me evidente. Embora da primeira passagem se tenha exagerado nas críticas a Jorge Jesus com aquela célebre tirada, "joga o Manel" ou "terão de nascer dez vezes". Neste caso eu sempre entendi que não era desprezo pela Formação, era em relação a Matic. Não havia nenhum futebolista jovem que sequer se aproximasse ao nível médio de Matic. Eu sempre entendi que era uma frase relacionada com Matic, mas posso ter-me equivocado até porque nunca dei muita atenção a isso. Jorge Jesus bem pode dizer que se "a Formação conseguir bons futebolistas... aposta! Mas quem anda no Futebol, mesmo que seja só pelas bancadas e nos sofás, apercebe-se que se um treinador não confia e dá oportunidades a um jovem este dificilmente vingará. Ou porque deixa de ter confiança e tem medo de arriscar tornando-se vulgar (não faz a diferença) ou tem tão poucas oportunidades que quando as tem torna-se sôfrego acabando por participar mal no jogo colectivo e fazer desesperar os colegas. Aqui continuo a ver um Jorge Jesus sem evolução. Podia ter mudado, nem que fosse um pouco, mas até parece que vem pior influenciado por, segundo ele, ter treinado o terceiro melhor plantel do Mundo, só com paralelo em dois de clubes ingleses! Puxa! O CR Flamengo num campeonato europeu de clubes a vinte, lutava para não descer!


Continuará a tentar mostrar que ele é mesmo bom
CE vai alterar futebolistas de posição, em relação, às últimas temporadas. Vai querer mostrar (mas não é defeito dele... é feitio) que há futebolistas que devem jogar noutras posições, ter outras funções e combinar com outros. Estou curioso para saber o que vai fazer com Pizzi, Rafa, Weigl, Gabriel e Taarabt, por exemplo. Estou mesmo. Só para perceber isto não me importava de haver já um jogo de pré-época (a sério) sem ser no Seixal, frente a um adversário mediano, dfaqui a uma semana. Até pagava (se me deixassem) ir ver o jogo! Nisto não acredito que Jorge Jesus possa perdoar. Quantas vezes não me lembrei dele, desde que saiu do Benfica, do tipo: o que estará Jorge Jesus a pensar acerca da posição e das funções de futebolistas em campo no tempo de Rui Vitória e Bruno Lage. Deve ter tido discussões com os adjuntos do tipo que nós, adeptos, temos!  


Continuo a pensar que não tem carisma
Embora respeite quem tenha opinião contrária, como é evidente. O modo atabalhoado como fala, os gestos, as tiradas são vão ser suportadas pelos adeptos com o Benfica a vencer. Os futebolistas até gostam dele pois ele ao estar sempre a corrigi-los podem irritar-se no campo durante o jogo, com a adrenalina, mas depois percebem que se aplica na perfeição o adágio popular. «Quem te avisa, teu amigo é!» 


Do que tenho receio?
Duas "coisas". Uma é repetição. Continuará a ter dificuldade em gerir os momentos de menos fulgor que ocorrerem, sempre, em temporadas longas, com seis dezenas de jogos em nove meses (se o Benfica conseguir chegar às finais das competições a eliminar)?
Uma "nova". Nós adeptos vamos sempre querer que todos os jogos sejam tipo "rolo compressor"! E nem todos foram, mas esses estão mais esquecidos que os de "rolo compressor"! Ou seja, os adeptos vão ser mais exigentes. Já estou a imaginar, pois ouvi isso (e disse isso) de Mortimore, Eriksson, Mário Wilson, Toni e Camacho! Este já não é o mesmo Jorge Jesus da primeira passagem!

Jorge Jesus: a tua competência será a nossa alegria

Alberto Miguéns




  1. Boa reflexão, concordo com praticamente tudo. Na parte dos receios, temo que o problema não seja a gestão dos momentos de menos fulgor mas sim a maneira como fisicamente os seus plantéis estão esgotados na fase final das temporadas. Infelizmente o Benfica mesmo quando é campeão nunca consegue ter pontos de vantagem que dêem margem suficiente para na recta final para gerir entre liga e Europa/taças. É sempre a rezar que a equipa não rebente...

    ResponderEliminar
  2. Concordo com tudo. Comentário lúcido, como sempre nos habituou. Obrigada Alberto. O único blog que eu leio com muito agrado e que me mantém atenta ao futebol e ao Benfica. Bem haja.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Excelsa Benfiquista

      É sempre com satisfação acrescida - por saber das dificuldades porque passa e da paixão que tem pelo Glorioso - saber que continua atenta, perspicaz e com o bom senso a que me habituei. Saber que partilhamos neste aspecto as mesmas ideias é um prazer.

      Pela paixão que nos une. Pelo Glorioso.

      Viva o Benfica

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  3. Mas este não é decididamente o JJ que esteve cá na primeira vez. Não vejo particular alegria em JJ. Vejo ambição mas também a convicção pessoal de que é superior ao Clube. JJ justifica o regresso pela sedução do projecto e pelo desafio feito pelo presidente, de novo amigo próximo, ultrapassadas as acesas polémicas pessoais e institucionais. Até aqui não seria de estranhar mas percebe-se que há também um conformismo por ter sido forçado a ser sensível a essa convicção.

    Mas vejo também um lamento e um certo conformismo. JJ estava endeusado no CR Flamengo embora longe de casa. A pandemia a consequente indefinição do calendário futebolístico na América do Sul forçou-o ao regresso. Tem também a ambição de ainda chegar a um grande de Espanha que lhe permita conquistar a Champions. O Benfica e o tremendo investimento conjuntural que LFV se viu forçado a fazer, acabam por lhe dar possibilidades reais de conseguir resultados que o possam levar a essa ambição europeia.

    Nisto tudo o que os Benfiquistas pretendem é vencer e traduzir finalmente nos resultados a grandeza do Benfica. Nisto tudo o que se exige à actual Direcção é que fazendo esse tremendo investimento conjuntural, ainda assim não comprometa o futuro. Teria sido muito melhor que os investimentos no futebol tivessem sido feitos de forma mais repartida ao longo dos anos e que tivessem permitido conquistar mais títulos em particular o penta. O desinvestimento desse anos é imperdoável.

    Esperemos que o regresso de JJ seja muito feliz para ele e para o Benfica. Que sejam dois anos plenamente vitoriosos. Depois logo se encontrará mais uma solução à medida da grandeza do Benfica.

    ResponderEliminar
  4. Carisma é das coisas mais subjectivas que existe. Se há personagem carismática é ele, se bem que não pelas melhores razões...
    Ninguém no seu perfeito juízo dirá que não é bom treinador, simplesmente não é tão bom como o próprio se julga, o que é perfeitamente natural, já que ele se acha o melhor do mundo... No Sporting viu-se que JJ não consegue ser campeão num clube que não seja grande...
    Nunca devia ter voltado? Por mim não. Mas por mim a seguir ao primeiro ano, Vieira devia ter-lhe dado guia de marcha quando o chantageou com um suposto interesse do porto. Foi exactamente o mesmo que fez em 2016 com bruno carvalho...





    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De acordo. Confesso que nunca gostei do estilo de JJ e nem avalio a sua prestação nas seis épocas que cá esteve como tão extraordinária. Basta um olhar pela estatística: nas mesmas épocas o rival FCP ganhou praticamente o mesmo número de troféus, com a diferença de ter tido , se não me engano, pelo menos cinco treinadores! O JJ teve jogadores fora de série e estabilidade. Oxalá tudo isto não corra mal. Benfica, sempre!

      Eliminar

Subscrever este blogue

Apoio de: