Cabo Vermelho
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

07/09/2019

Cabo Vermelho

07/09/2019 + 2 Comentários
DESDE QUE FORTUNATO LEVY REGRESSOU AO SEU CABO VERDE. 


Cada vez que há Benfica, há Cabo vermelho em Cabo Verde.

Nascido na Cidade da Praia em 21 de Abril de 1888. Em Lisboa para estudar passou a "louco da bola" no Sport Lisboa (sempre titularíssimo nas três temporadas com a «flanela vermelha»):

1904/05



1905/06



1906/07



Entretanto escolhido em assembleia geral como era apanágio do Clube nos primórdios como capitão da primeira categoria... com 18 anos, sete meses e um dia. Um miúdo. E preto como lhe chamavam, apesar de não o ser mas quem não o é andando ao Sol em Cabo Verde desde que nasce? E o Sporting CP preocupado pois tinha como capitão um inglês Charles Etur! Teriam de se cumprimentar. Um aristocrata da Britânia e um "preto" africano com idade para ser filho dele!  



Na despedida do guarda-redes Manuel Móra e do centrocampista Fortunato Levy no final da temporada de 1906/07.



A confirmação do pedido e autorização, em 20 de Março de 1907, do embarque para Cabo Verde.




Cidade da Praia o viu nascer, Cidade da Praia o viu morrer em 31 de Dezembro de 1969, aos 81 anos.




Fortunato Levy (clicar) continua a ser reconhecido pelos seus conterrâneos mesmo dentro da gigantesca diáspora carbo-verdiana.

Cidade da Praia = Benfiquistas de excelência apesar da distância. Longe da vista, junto ao coração.



Alberto Miguéns

2 comentários blogger
comentários facebook
  1. Obrigado ao Alberto por mais este serviço informativo prestado aos benfiquistas. Tinha de ser ele.
    Um grande abraço para ele e para todos os benfiquistas cabo-verdianos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Benfiquista Nau

      Eu é que agradeço a atenção e credibilidade que muitos Benfiquistas me dão. Não fosse o Benfica o que foi, é e será e bem podia eu estar a inventar. Assim fica sempre algo por dizer pois a grandeza é tanta que não a conseguimos abarcar.

      Saudações Gloriosas

      Alberto Miguéns

      Eliminar

Subscrever este blogue