A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

21/10/2016

Se Abril de 2005 fosse em 1991! Se...Se...

21/10/2016 + 4 Comentários API
VEM AÍ MAIS UM CLÁSSICO NO PORTO. CÉSAR BRITO, O HERÓI DE IGUAL JOGO, EM 1990/91, FAZ HOJE 52 ANOS. 21 DE OUTUBRO. 1964 - 2016.


César Brito marcou os dois golos, em 28 de Abril de 1991, no resultado de 2-0. Entrou aos 80 minutos, marcando dois minutos depois (82 minutos) e aos 85 minutos fez o resultado final (três minutos depois do primeiro).


Para o portista a comentar na RTP houve um Carlos e um César
Carlos Brito entrou aos 80 minutos e marcou o primeiro golo. César Brito fez o 2-0.

O herói de 28 de Abril de 1991 (César Brito) e o melhor marcador da edição 1990/91 do campeonato nacional (25 golos de Rui Águas) 
A história na História
Na 34.ª jornada (em 38, num campeonato de 20 clubes) o Benfica deslocava-se ao estádio do FC Porto com um ponto de vantagem. Nove dias antes, em 17 de Abril, nos quartos-de-final da Taça de Portugal, o "Glorioso" foi eliminado pelo FC Porto numa derrota por 1-2, após estar a vencer por 1-0 até próximo do intervalo. O FCP necessitava de vencer. E tudo fez. Principalmente "fora-de-campo". Até ambiente criou para isso condicionando a equipa (obrigada a equipar-se fora do balneário) e a equipa de arbitragem. À FC Porto! No final do jogo três pontos de vantagem e...vantagem no confronto directo: 2-2 / 2-0. Faltavam quatro jogos (oito pontos) embora o SLB só tivesse um jogo em terreno alheio, na 37.ª jornada (CS Marítimo). No final do campeonato dois de avanço, pois logo na jornada seguinte o Benfica cedeu um ponto no Dérbi de Lisboa. 

Quatro jogos finais de arrasar
O Benfica fez sete pontos (1-1, 2-0, 2-0 e 3-0: 8/1). O FC Porto fez oito pontos (2-1, 2-1, 2-0 e 5-0: 11/2). Estes 5-0 na última jornada, frente ao Vitória SC Guimarães, foi para tentar que Domingos - marcou quatro golos! - recuperasse o atraso de três golos (20/23) para Rui Águas e conseguisse sagrar-se o melhor marcador da competição. Foi quase...

Praticamente a equipa que jogou em 28 de Abril de 1991, embora esta se pareça mais com o onze que terminou o jogo do que com aquele que o iniciou. Da esquerda para a direita de cima para baixo. De pé: Paulo Sousa, Neno, Ricardo, Samuel («no 2-0 de César Brito», entrou para o lugar de Paulo Sousa), Rui Águas e Wiliam; Em baixo: César Brito («no 2-0 de César Brito», entrou para o lugar de Pacheco), Thern, Vítor Paneira, Valdo e Pacheco. Nesta fotografia dos 13 futebolistas falta o capitão Veloso e Paulo Madeira. NOTA: Esta é a equipa da 35.ª jornada (SLB - SCP, empate a um golo) em 5 de Maio de 1991 

Um plantel que no início dos Anos 90
Podia ter conquistado muito mais. Foi dos melhores de sempre. Se o "Apito Dourado" surgisse em finais dos anos 80... Se Abril de 2005 fosse em Abril de 1991...Se... Se...


E na temporada seguinte (1991/92) foram mais dois golos ao...
FK Dínamo Kiev na goleada por 5-0, em 1 de Abril de 1992. Os dois iniciais: 1-0 e 2-0.



FC Porto e FK Dínamo Kiev. 1991 e 1992. 2016

Alberto Miguéns
4 comentários
comentários
  1. É bom recordar um dos jogos mais marcantes dos anos 90 com a vitória nas Antas num jogo marcado por vários incidentes. Já não me lembrava do pénalti escandaloso sobre o Pacheco perdoado por Carlos valente. Foi das poucas épocas nos anos 90 e início de 2000 que o Benfica ainda mediu forças com o FC Porto e o sistema do futebol português. Como foi possível só em 2014/15 o SLB ter ganho outro campeonato em confronto direto com o FCP?

    ResponderEliminar
  2. Lembro-me bem do histerismo, da coacção psicológica, da má educação e da violência que rodearam esse jogo. Só não foi o pico do sistema porque esse foi atingido múltiplas vezes fora dos terrenos de jogo. Foram duas décadas de vigarice. Roubos. Jogos atrás de jogos, títulos atrás de títulos. Ainda hoje causa repulsa. Impunidade. Sem esquecimento, sem perdão.

    César foi um raio de sol. Um raio de talento. Golos. Braços no ar. Festa no meio da violência. Foi o homem que expressou o talento de uma equipa valorosa que lutou de forma brava e corajosa durante um jogo intenso. Uma equipa que se equipou nos corredores porque um cheiro insuportável dentro do balneário impedia que fosse usado. Do outro lado não houve um pingo de decência. Não houve um único castigo. Impunidade.

    No acesso aos balneários agressões aos jogadores do Benfica e aos árbitros. Impunidade. Foi uma vergonha. Vergonha que ficou impune. Apenas dentro de campo essa gente pagou. Perderam o título porque César e companheiros souberam ser homens para ser eles próprios. Jogadores de talento. Campeões.

    Obrigado a César, a Valdo, Ricardo, Águas, Paneira, e todos os outros os que pisaram aquele relvado para defender a camisola da Águia. Foram dignos campeões. Contra tudo e contra todos naquele dia vergonhoso.

    Parabéns a César Brito, um nome inesquecível do nosso Clube.

    ResponderEliminar
  3. Vergonhoso o comentador insistir no erro do carlos valente ao não assinalar penalti sobre Kostadinov, quando o mesmo está fora de jogo em 2 metros....
    Penalti clarissimo é sobre o pacheco, o grande erro de Carlos Valente!!!

    ResponderEliminar
  4. Está visto que nos faz falta um herói improvável. Tal como César Brito, ninguém metia dinheiro no Nuno Gomes marcar dois no estádio do ladrão. O Lima talvez menos improvável, mas mesmo assim...

    Seja qual for o nome que atirarmos para o ar, certamente que não vai ser o jogador que nos vai fazer sair do antro com mais 3 pontos. Mas que vamos ganhar, vamos. À Benfica!

    ROC

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail