A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

18/10/2016

Brilhante Victor Batista

18/10/2016 + 5 Comentários API
FARIA HOJE 68 ANOS. EM 1 DE JANEIRO DE 2017 FARÁ 18 ANOS QUE MORREU. TINHA 50 ANOS E POUCO MAIS DE DOIS MESES.



Em Setúbal, no seu Vitória FC, revelou-se um jogador cada vez mais influente. Em 1970/71, na última jornada (26.ª) o Benfica já campeão nacional recebia a equipa da Associação Académica de Coimbra (5.º lugar) na “Saudosa Catedral” com um objectivo: colocar a bola em Artur Jorge permitindo a este ponta-de-lança ultrapassar o melhor marcador da competição, pois a diferença era escassa: Victor Batista (22) e Artur Jorge (21). Mas enquanto o Vitória FC (4.º lugar) jogava em Faro, frente ao SC Farense (11.º classificado), o “Glorioso” recebia o adversário que, à época, era mesmo um clube da AAC. E assim foi. Artur Jorge marcou dois golos, na vitória por 5-1 e em Faro não se marcaram golos (0-0). No final da temporada Victor Batista ingressava no SLB escrevendo-se na Imprensa da época que era a transferência mais elevada de sempre em Portugal. No histórico dia 17 de Julho de 1971.




Obrigado Victor Batista

Alberto Miguéns

Continua
5 comentários
comentários
  1. De Victor Baptista ficou uma imagem forte de talento e de loucura. É no entanto importante que os Benfiquistas lembrem mais o génio do futebol do que o homem que se progressivamente se degradou. Victor Baptista não foi o único. Como ele, muitos outros génios das artes, do desporto, do espectáculo, das mais diversas áreas também foram sucumbindo às pressões dos que rodeavam e aos seus próprios fantasmas. Todos nós podemos recordar outros nomes.

    Mas Victor Baptista foi acima de tudo um predestinado para o futebol. E se é certo que não atingiu os números que o seu talento poderiam permitir ainda assim foi uma estrela brilhante. Foi uma estrela brilhante, de um talento e brilho que é recordado por aqueles que o viram nos seus dias de glória. Depois, bem depois há sempre quem conte os seus dias de sombra. Eu não vi mas o meu Pai tratou de me contar o encanto que ele trouxe ao Glorioso. Dias felizes quando o ataque do Benfica tinha Néné, Eusébio, Artur Jorge, Jordão, Victor Baptista, Simões, Moinhos, Diamantino.Ia tudo à frente. Cada um por si, uma estrela mas que nos deram títulos e glórias, bom futebol e orgulho em Ser Benfiquista.

    Se o homem se perdeu, a estrela, o génio do futebol nunca se perderá. Porque a memória dos bons Benfiquistas não esquece os que honraram a camisola.

    Esta série de textos fará com certeza honra ao grande e louco génio do futebol Benfiquista. Obrigado ao Alberto por mais estes presentes aos Benfiquistas.

    ResponderEliminar
  2. Alberto, Victor Batista ou Vítor Baptista? Julgo que o correcto seja o último.
    Já agora, eu estava lá, atrás da baliza em que ele marcou o golo e perdeu o brinco. Já vi muita "porra na bola", mas assim decerto que jamais.
    Não sei se era o maior, mas em determinada altura não conheci maior.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É Batista. Assim está na sepultura (vou colocar fotografia) e no Relatório do Benfica!

      Bem dito. Nessa altura era o Maior. Estávamos sempre à espera dele. Metia a cabeça onde alguns não se atreviam a colocar as chuteiras.

      TRIsaudações

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  3. Grande Vitor Batista. No jogo do brinco eu estava lá.
    Muitos dizem que o árbitro parou o jogo para procurarem o brinco, mas, que me lembre, a busca foi no intervalo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viriato

      A busca do brinco foi logo a seguir ao golo (baliza sul), ocorrido na segunda parte, feita por ele e colegas, pondo todos à
      espera para recomeçar o jogo. O brinco nunca foi encontrado.

      Eliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail