A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

18/10/2016

1972/73: Estar à Espera

18/10/2016 + 1 Comentários API
FARIA HOJE 68 ANOS. EM 1 DE JANEIRO DE 2017 FARÁ 18 ANOS QUE MORREU. TINHA 50 ANOS E POUCO MAIS DE DOIS MESES.




    1.     Enquadramento político-desportivo: Foi na sua segunda temporada no Benfica (1972/73) que Jimmy Hagan conseguiu um feito notável – inédito ainda na actualidade – ao conquistar o TRIcampeonato nacional, a sete jornadas do final, invicto com 28 vitórias e dois empates (o primeiro forçado no estádio do FCP) com estes a ocorrerem apenas em duas das três últimas deslocações ao terreno dos adversários – 24.ª e 29.ª jornada. O SLB deixou o CF “Os Belenenses” (2.º lugar) a 18 pontos! Nesta temporada gloriosa conquistou-se a 7.ª Taça de Honra de Lisboa e o 2.º Torneio Internacional de Badajoz, para além de outros troféus internacionais de prestígio: Torneio San José de Salamanca, Torneio de Luanda e Torneio Internacional Vinho do Porto. Faltou a Jimmy Hagan (e ao plantel) a consagração internacional, já que o Clube não conseguiu conquistar ou chegar a qualquer final europeia durante as temporadas em que nos treinou.



   2.Enquadramento desportivo-competitivo: Praticamente não houve alterações no plantel pois houve apenas uma aquisição, Bento (24 anos, do FC Barreirense) com utilização episódica – 14 jogos/782 minutos. Tal como com os ex-juniores: Nelinho (13 j/446’), António Bastos Lopes (2 j/180’) e Sheu (4 j/177’). Zeca e Barros deixaram o Clube. Na equipa titular de 1972/73 houve apenas duas alterações significativas: Messias a central ao lado de Humberto Coelho e Vítor Martins com cada vez mais protagonismo. O excelente central Humberto Coelho tornou-se, muito por influência do treinador, nesta época um temível finalizador de cabeça em lances de “bola parada”! A equipa-titular pode ser considerada a seguinte:


3.Victor Batista com 1 499 minutos, 26 jogos (17 a titular e 10 completos) e sete golos foi o 16.º jogador mais utilizado e o 6.º melhor marcador depois de Eusébio (74), Nené (34), Artur Jorge (29), Jordão (19) e Humberto Coelho (16). Afectado com duas paragens prolongadas e comportamento social problemático teve dificuldades em conseguir a titularidade onde só podiam jogar três avançados e o Benfica dispunha dos quatro melhores de Portugal: Eusébio, Artur Jorge, Jordão e Victor Batista.  Dos 64 jogos da temporada, não esteve presente em 38, ou seja, 59 por cento! A temporada foi muito irregular. Esteve afastado, por lesão em dois períodos: entre 3 de Setembro de 1972 a 22 de Outubro de 1972 (onze jogos) e 28 de Janeiro de 1973 a 3 de Junho de 1973 (21 jogos).



ADVERSÁRIO, COMPETIÇÕES, JOGOS E GOLOS
Clube
Minutos
Jogos (26)
Golos (7)
C
T
E
H
R
P
C
T
E
H
R
P
TOTAIS

14
-
2
1
4
5
6
-
-
-
-
1
Athletic Club Bilbau
14




1





-

Selec.  Berlim Ocid.
45





1





1
CF “Os Belenenses”
90
1





-





Derby County FC
117


2





-



Vitória FC Setúbal
77
1





1





FC Porto
90
1





1





União C I Tomar
90
1





-





Calcio Pádua
45





1





-
Vitória SC Guimarães
24
1





-





GD CUF Barreiro
90
1





-





Atlético CP
118
2


1


-


-


CD Montijo
90
1





-





Leixões SC
90
1





1





Boavista FC
90
1





2





C. Atlético Madrid
90





1





-
SC Beira-Mar
62
1





1





União F. Coimbra
90
1





-





Sporting CP
24
1





-





Stade Reims
30





1





-
Ass. Acad. Coimbra
45





1





-
Notingham Forest FC
15




1





-

CD Málaga
45




1





-

FK Estrela Vermelha
18




1





-

NOTAS: C – Campeonato Nacional; T – Taça de Portugal; E – Competições Europeias; H – Taça de Honra de Lisboa; Torneios; P - Particulares 


Obrigado Victor Batista

Alberto Miguéns


Continua

NOTA FINAL: Como é que se consegue inventar tanto!

O Almanaque do SL Benfica (produto oficial) avança com erros:




E o zerozero além de os copiar ainda acrescenta mais um erro.



1 comentários
comentários
  1. Caro Alberto Miguéns, ao ver essa fotografia com as bancadas cheias pergunto-me se a assistência média actual para a Liga, 55.723, seria a maior de sempre (na nova Luz é de certeza), a manter-se a este nível nos próximos 14 jogos.

    É uma pergunta sem resposta, devido à falta de dados fiáveis, ou será que existem números suficientemente credíveis que permitam chegar a uma conclusão sobre este tema? Não me recordo de ler um texto com as assistências anuais, daí a questão.

    Saudações benfiquistas,
    Sérgio

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail