A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

18/10/2016

1971/72: Elevar a Fasquia

18/10/2016 + 0 Comentários API
FARIA HOJE 68 ANOS. EM 1 DE JANEIRO DE 2017 FARÁ 18 ANOS QUE MORREU. TINHA 50 ANOS E POUCO MAIS DE DOIS MESES.



  1. Equadramento político-desportivo: Pela segunda época no Clube, Jimmy Hagan constitui com o presidente da Direcção (Borges Coutinho) e o novo Chefe de Departamento de Futebol (Fernando Neves) um trio imparável que construíram os caboucos do Benfica “arrasador” dos anos 70 e que permitiram a outros continuar a ganhar durante os aos 80. Estavam reunidos cinco dos melhores de sempre (e até hoje) em cada cargo numa dessas três funções do “Glorioso”. Nesta temporada o Benfica – sem dinheiro, a não ser o dele (associados/quotização/bilhetes e espectadores/bilhetes), sem poder endividar gerências futuras (proibido no Regulamento do Clube) e sem acesso a futebolistas “estrangeiros” tendo de formar e captar jovens promessas - tudo foi feito para não hipotecar o futuro do Clube sempre mais importante que o presente, para nos encher de orgulho e honrar o passado. De verdade, sem discursos encomendados à medida da demagogia e propaganda de latão.  


    2. Equadramento desportivo: Fizeram-se pequenas alterações no plantel: Rui Rodrigues (28 anos, preparando a saída de Barros) e Artur Correia (21 anos, este um regresso) ambos da Associação Académica de Coimbra, Victor Batista (23 anos) e aproveitamento do júnior Rui Jordão (19 anos) que ingressou no SLB, em 1970/71, proveniente do SC Benguela. As principais mudanças no plantel deveram-se ao contrato de Victor Batista com José Torres e Praia a rumarem definitivamente a Setúbal, para o Vitória FC, tal como Matine por empréstimo. A equipa-titular pode ser considerada a seguinte:




3. Victor Batista com 2 386 minutos, 35 jogos (29 a titular e 17 completos) e 22 golos foi o 14.º jogador mais utilizado e o 3.º melhor marcador depois de Eusébio (43) e Artur Jorge (36). Afectado com duas paragens prolongadas a adaptação de Setúbal a Lisboa não se revelou fácil. Principalmente a Clube Mítico. Com os métodos de Jimmy Hagan assimilados pelo plantel, conquistámos o Bicampeonato (com dez pontos de vantagem para o Vitória FC Setúbal (2.º classificado) e a Taça de Portugal (V 3-2 sobre o Sporting CP), na 6.ª “dobradinha” da Gloriosa História. Conquistamos ainda a 6.ª Taça de Honra de Lisboa e o 2.º troféu Ramón de Carranza, vencendo na final o CA Peñarol, por 3-0! Sem espinhas! Nesta época conseguimos a proeza de atingir as meias-finais da Taça dos Clubes Campeões Europeus, depois de eliminarmos nos quartos-de-final o SC Feyenoord, que conquistara o troféu em 1970, ao vencermos espectacularmente no nosso estádio o clube holandês, por 5-1, após 0-1, na 1.º mão, em Roterdão. Caímos perante o AFC Ajax (D 0-1 em Amesterdão e E 0-0, na “Saudosa Catedral”) com o clube que se sagraria Tricampeão Europeu, entre 1972/73 e 1973/74.

Da esquerda para a direita. Em pé: Adolfo, Humberto Coelho, Artur Correia, Vítor Martins, Zeca e José Henrique; Em baixo:  Jaime Graça (capitão), Néné, Victor Batista, Jordão e Eusébio
    4.   Estatística e algo mais: A estreia foi promissora. Entrou aos dois minutos a substituir José Torres, marcou um golo e até o adversário (Arsenal FC) percebeu o potencial do futebolista. Dos 63 jogos da temporada, não esteve presente em 28 (44 por cento) incluindo a final da Taça de Portugal (frente ao Sporting CP) e no campeonato nacional, nos dois jogos frente ao FC Porto (5.º classificado), nos dois encontros frente ao GD CUF (3.º lugar), e na deslocação a Setúbal (2.º) e na recepção ao Sporting CP (3.º). Isto porque esteve afastado, por lesão em dois longos períodos: entre 29 de Agosto de 1971 a 26 de Setembro de 1972 (seis jogos) e 9 de Janeiro de 1972 a 18 de Março de 1972 (13 jogos).

ADVERSÁRIO, COMPETIÇÕES, JOGOS E GOLOS
Clube
Minutos
Jogos (35)
Golos (22)
C
T
E
R
P
C
T
E
R
P
TOTAIS
2 386
17
2
5
2
9
11
5
-
-
6
Arsenal FC
123




2




1
Newcastle FC
62




1




-
Middlesbrough FC
45




1




-
Cagliari AC
55




1




1
Genova FC
24




1




-
Atlanta BC
90




1




2
C. Atlético Madrid
90



1




-

CA Peñarol
27



1




-

Vitória FC Setúbal
71
1




1




FC Wacker Innsbruck
69


1




-


SC Beira-Mar
79
1




-




FC Tirsense
90
1




-




CSKA SS Sófia
90


1




-


CF “Os Belenenses”
81
1




1




União CI Tomar
56
1




-




FC Barreirense
115
2




4




Atlético CP
161
2




1




Leixões SC
103
2




2




Ass. Acad. Coimbra
180
2




1




Vitória SC Guimarães
90
1




-




Sporting CP
90
1




-




SC Farense
90
1




1




Portuguesa São Paulo
79




1




1
Boavista FC
90
1




-




FC Bayern Munique
45




1




1
AFC Ajax
21


2




-


AC Marinhense
90

1




2



CD Cova Piedade
90


1



1



FC Porto
90

1




2



NOTAS: C – Campeonato Nacional; T – Taça de Portugal; E – Competições Europeias; H – Taça de Honra de Lisboa; Torneios; P - Particulares

Obrigado Victor Batista

Alberto Miguéns

NOTA: Um grande goleador (esta ficha de www.zerozero.pt mesmo não estando devidamente correcta aceita-se):



0 comentários
comentários

Enviar um comentário

Em Defesa do Benfica no seu E-mail