A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

01/07/2016

Futebol. 2015/16. Parte IV de IV. Renato Sanches e Mais Dez

01/07/2016 + 4 Comentários API
É UMA FORMA DE DIZER. CLARO QUE UMA EQUIPA NEM SÃO ONZE. GANHA-SE COM PLANTÉIS DE ONDE SE ORGANIZAM EQUIPAS DE ONZE.



A titularidade de Renato Sanches trouxe uma outra dimensão ao “Glorioso” para o que restava da temporada. Permitiu não só recuperar os pontos perdidos como voltar a fazer, em muitos jogos, da Glorioso Equipa um "rolo compressor”. Renato Sanches com Fejsa foram os dois melhores médio-centro do campeonato nacional, completando-se na perfeição. Em futebolês o “seis” e o “oito” quase perfeitos.

(clicar em cima da imagem para melhor visualização do jogo em que Renato Sanches conseguiu, finalmente, ser titular no Glorioso)



O que trouxe o “miúdo”
Equilíbrio no meio-campo, generosidade, irreverência, confiança (às vezes parecia que desafiava jogar contra todo o Mundo), capacidade física e imprevisibilidade (tanto podia recuperar a bola e lançar o contra-ataque como segurar e conduzir a bola). Em alguns jogos Renato Sanches fez reviver os tempos de Coluna, com todas as distâncias devidas pois os tempos e condições são outras. E em milhões de futebolistas a cada momento ou desde sempre não há dois iguais. Mas há muitos que se assemelham. Renato Sanches deu outra qualidade ao Glorioso Futebol. A pedra angular. O pilar que permitiu a Jonas e Mitroglou facturar como se não houvesse amanhã!

CAMPEONATO NACIONAL 2015/16
Jorn
RES
Sit
Adversário
SCP
FCP
11
V 2-0
F
SC Braga
- 7
- 5
12
V 3-0
C
Ass. Académica Coimbra
- 7
- 5
13
V 4-2
F
Vitória FC Setúbal
- 7
- 5
14
V 3-1
C
Rio Ave FC
- 4
- 5
15
V 1-0
F
Vitória SC Guimarães
- 4
- 2
16
V 6-0
C
CS Marítimo
- 4
=
17
V 4-1
F
CD Nacional
- 4
=
18
V 2-1
F
GD Estoril Praia
- 2
+ 3
19
V 3-1
C
FC Arouca
- 2
+ 3
20
V 4-1
F
Moreirense FC
- 2
+ 3
21
V 5-0
F
CF “Os Belenenses”
=
+ 6
22
D 1-2
C
FC Porto
- 3
+ 3
23
V 3-1
F
FC Paços de Ferreira
- 3
+ 3
24
V 2-0
C
CF União Madeira
- 1
+ 3
25
V 1-0
F
Sporting CP
+ 2
+ 6
26
V 4-1
C
CD Tondela
+ 2
+ 6
27
V 1-0
F
Boavista FC
+ 2
+ 6
28
V 5-1
C
SC Braga
+ 2
+ 9
29
V 2-1
F
Ass. Académica Coimbra
+ 2
+ 12
30
V 2-1
C
Vitória FC Setúbal
+ 2
+ 12
31
V 1-0
F
Rio Ave FC
+ 2
+ 12
32
V 1-0
C
Vitória SC Guimarães
+ 2
+ 15
33
V 2-0
F
CS Marítimo
+ 2
+ 15
34
V 4-1
C
CD Nacional
+ 2
+ 15
NOTA: As diferenças não são em tempo real, pois não contemplam adiamentos ou antecipações de jogos

(clicar em cima da imagem para melhor visualização)



E depois ainda houve «males que vêm por bem»
As lesões de Luisão e Júlio César foram uma bênção. É uma frase violenta, mas Luisão é um dos 100 melhores futebolistas - um dos dez melhores centrais - em 112 épocas e Júlio César um dos vinte melhores guarda-redes do Benfica! De sempre! Escrever aquela frase, parece ingratidão e malquerer mas não é. Até vou utilizar o verbo estar em vez de ser. Na temporada de 2015/16 quando Luisão se lesionou Lisandro mostrou estar melhor que o capitão. Quando Lisandro se lesionou foi Lindelöf a mostrar que estava melhor que Lisandro. Tal como quando Júlio César teve “falta de comparência” no jogo do título frente ao Sporting CP (25.ª jornada) foi Ederson a mostrar que estava melhor do que ele. Só espero que em 2016/17, Luisão, Lisandro e Júlio César regressem com a qualidade que os Benfiquistas sabem que têm. E possam discutir taco-a-taco a titularidade com os “miúdos”. A temporada vai ser longa e todos serão poucos para o TETRA e para chegar à final da Liga dos Campeões. Que Júlio César, Luisão e Lisandro tenham qualidade para serem os titulares. Quanto a 2015/16 a “estória” foi outra…

(clicar em cima da imagem para melhor visualização)


Recuperação no campeonato nacional
Com Renato Sanches a valer por “um-e-meio” e Gaitán a desbaratar os adversários, Rui Vitória soube estar sereno e imprimir muita qualidade, mas principalmente tranquilidade e segurança, mesmo sabendo que nas nove jornadas finais não podia haver um empate sequer. O Sporting CP a jogar concentrado apenas no campeonato nacional daria o “golpe fatal” na possibilidade do “Glorioso” ser TRInta e cinco. Mesmo a lesão de Nélson Semedo nunca foi problemática para o Onze Glorioso. Uma equipa de futebol bem organizada até consegue jogar com dez frente a onze adversários. André Almeida tem características diferentes de Nélson Semedo mas desde que a equipa (outros dez) sejam solidários e o treinador perceba de futebol conseguem fazer as compensações necessárias para minimizar os defeitos e maximizar as virtudes de qualquer um, entre onze! André Almeida tem características que são melhores do que algumas das que caracterizam Nélson Semedo e este tem outras que são superiores a algumas de André Almeida. É assim o futebol. Por isso os treinadores são tão importantes. Por isso Rui Vitória teve tanto mérito na sensacional temporada do “Glorioso”.



Liga dos Campeões e afins
Enquanto os rivais foram deixando as outras competições para segundo plano concentrando-se no campeonato nacional, o Benfica manteve-se focado em todas as competições conseguindo atingir (e discutir) os “quartos-de-final” da Liga dos Campeões frente ao FC Bayern (Baviera) Munique, tal como conquistar a Taça da Liga. Os plantéis do “Glorioso”, desde 1904/05, são sempre mais do que onze não só para resolver lesões e castigos de uns e outros, mas também para competir, para vencer continuamente, qualquer jogo em qualquer competição.

Obrigado Renato. Boa sorte no futuro e muito azar, mesmo daquele que mói, frente ao Benfica!

Alberto Miguéns

NOTA: Desde 17 de Novembro de 2010 que um Glorioso não marcava um golo pela selecção portuguesa de futebol

N.º
COMP
DATA
ADVERSÁRIO
CAMPO
S
Res
JOGADORES
NI

509

Part

17.NOV.2010

Espanha

SLB/ LISBOA

C

V 4-0

Carlos Martins (MD) (1)

1

577

CE-FF-QF

30.JUN.2016

Polónia

Velódromo/Marselha/FRANÇA

N

E 1-1
Eliseu (DE) / 
Renato Sanches (MO) (1)

2


4 comentários
comentários
  1. Júlio César não merece entrar num Hall of fame do Benfica. Fez época e meia, sem nunca ter sido figura-chave, indispensável no modelo do Benfica. Penso que seria desbaratar um posto que já teve dos melhores guarda-redes do mundo e até da história.

    ResponderEliminar
  2. Caro Jorgen80

    Também penso o mesmo. Estar entre os 20 melhores se for 20.º significará em termos teóricos que estará em 220.º pois se cada posição for representada por 20, 20 x 11 = 220.

    Fazendo-se uma escolha dos melhores nunca poderá ser superior a 112 ou um valor próximo. Um por cada época. Mais de 120 futebolistas num clube com 112 épocas de futebol até já é exagerado.

    Alberto Miguéns

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso, não posso concordar a 100% com esta afirmação do Jorgen80. Em 2014/15 JC foi muito importante, repito muito importante, na cavalgada para o BIcampeonato.

      Mas é claro que ele, assim como Oblak, não pode ombrear com Costa Pereira, Zé Gato, Manuel Bento e/ou Preud'Homme. Acho que nem com o Silvino e/ou com o Neno se bem que me pareça ser bem melhor do que estes dois últimos e até que Quim.

      Temos, como diz o Alberto, que relativizar e não esquecer o tempo de permanência de águia ao peito versus papel no seio da equipa.

      Desafio interessante Alberto: Escolher o melhor de cada época... É difícil pois há vários critérios: Número de golos, tempo de utilização, estatísticas de jogo, etc... Poderia ser Jonas? Sim mas quem marcou o golo do título foi Mitroglou; Quem começou a fazer a frente atacante (Jonas, Mitro, Raul, Gaitán e Pizzi) carburar foi Renato e para Renato funcionar, Fejsa teve que estabilizar os seus índices físicos... Fejsa teve também de ter as costas seguras e a defesa tinha de estar de si segurar com um bom guarda-redes (sempre teve)... Não é fácil!

      Gosto de ler sobre as parecenças entre Renato e Coluna, sempre adiciono Enzo à equação o que denota a singularidade do jogador em si. Aliás, ontem assim que o seleccionador aprisionou Renato a um flanco, a selecção murchou...

      PS: aproveito para te perguntar a tua opinião sobre uma ideia que tenho Alberto. Lá no meu blog, fiz em Outubro do ano passado, um artigo sobre o Nené. Era uma altura em que o Gonçalo estava numa boa fase do Benfica e onde me fazia lembrar o "nosso" assassino silencioso... Será descabido? Gonçalo é avançado e não extremo, para mim claro!

      Temo é que a forma em como saiu da equipa, algo que estranhei pois numa fase ascensional passar logo a uma queda a pique, signifique que não vá vingar...

      Saudações TRIGloriosas.

      Eliminar
  3. Não concordo que o tempo de permanência no clube seja um indicador para a importância que este tem ou terá na história e exemplifico isso com dois jogadores que marcaram de forma "indelével" a nossa história, Michel Preud-Homme (nunca foi campeão ne?) e Renato Sanchez (6 meses de pura magia) que nos farão recorda-lo por muitos e longos anos.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail