A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

04/09/2015

Se Não Arrisca Não Petisca

04/09/2015 + 3 Comentários API
PORQUE É QUE OS JOVENS FUTEBOLISTAS, MESMO INTERNACIONAIS NOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO, TÊM TANTA DIFICULDADE EM AFIRMAR-SE?


Por que aos primeiros “falhanços” geralmente sucumbem às críticas arrasadoras que sobre eles se abatem.

É impossível um futebolista não falhar
Tal como em qualquer profissão. E quando um futebolista, por ser mais novo, tem menos experiência o risco de falhar aumenta. Tal como em qualquer profissão. Mas um futebolista antes de deixar de ser novo tem de ser novo e…futebolista?!

Mas há mais futebolistas em “pausa que em continuidade”
Não é raro ver-se um jovem futebolista deslumbrar até aos 18/19 anos e depois “desaparecer” para ressurgir alguns anos mais tarde, aos 25 ou 26 anos! Certamente que não deixou de jogar nesse período de meia dúzia de épocas! Mas andou “desaparecido”.

Não é fácil um jovem chegar a titular numa equipa de futebol do topo
Ainda é mais difícil, muito mais, “agarrar” a titularidade e mantê-la. Isto porque ao(s) primeiro(s) erro(s) há jovens promessas que perante a enxurrada de críticas, dúvidas e interrogações (criticismo exacerbado, mas muitas vezes com razão de ser, por que um elemento pode prejudicar outros dez!), culpando-os do insucesso daquele jogo ou naquela competição deixam de arriscar, tornado o “seu” futebol banal: previsível, inconsequente, anulável e “conservador”. Perdem a confiança que aliada às suas capacidades “acima da média” fazem deles excepção à regra (maioria). Deixam de ser O futebolista, para passar a ser mais UM futebolista!

O que distingue alguns “O” de “UNS” quantos milhares
É a capacidade de correr riscos rematando com eficácia (se for atacante), equilibrando a sua equipa ou desequilibrando o adversário (se for centrocampista) ou fazendo um "muro" frente à baliza (se for defesa). É a capacidade de continuar a arriscar depois dos primeiros erros comprometedores, por isso graves. Dos segundos… Terceiros será já um exagero numa dúzia de jogos! Numa equipa de topo será fatal. “Desaparecem” entre assobios na bancada e vergastadas nos Jornais e Televisões…

Digo isto porque…
Em mais de 30 anos (a perder em média 2/3 jogos por época dos cerca de 20 realizados nos nossos dois estádios (Luz I e II) em cada temporada) vi o nascimento e ocaso de anunciadas vedetas. Que sucumbiram às primeiras críticas devido aos primeiros erros. Que os nossos seis “miúdos” desta temporada, saibam olhar em frente e continuar a arriscar com eficiência, ou seja, saberem ser futebolistas de Equipa Grande.

É com redobrada expectativa – por serem jovens e tentarem agarrar a titularidade – que sigo com atenção, em 2015/16, os nossos seis jovens.

Alberto Miguéns

PLANO PARA AS EDIÇÕES DURANTE  SETEMBRO
(provisório como é evidente)
De 5 a 16 de Setembro de 2015 (Sempre pela meia-noite)
Sábado (de 4 para 5): Hipocrisia é moda?;
Domingo (de 5 para 6): Benfica tão brilhante que se vê no escuro;
Segunda-feira (de 6 para 7): O Mais Belo e Inigualável 138;
Terça-feira (de 7 para 8): Mentiras Oficiais Made in SLB;
Quarta-feira (de 8 para 9): Uma modalidade por semana: Râguebi;
Quinta-feira (de 9 para 10): Cuidado com eles!;
Sexta-feira (de 10 para 11): E o "Glorioso" na 4.ª jornada?;
Sábado (de 11 para 12): O Benfica e o CF "Os Belenenses";
Domingo (de 12 para 13): E depois da Quarta?;
Segunda-feira (de 13 para 14): Desde que Luisão chegou…;
Terça-feira (de 14 para 15): O Benfica e o FC Astana;
Quarta-feira (de 15 para 16): Que estreia na Liga dos Campeões 2015/16?;

Quinta-feira (de 16 para 17): Uma modalidade por semana: Pólo Aquático
3 comentários
comentários
  1. Anónimo4/9/15 00:56

    patriarca disse:


    Excelente texto, que frisa a realidade.
    No entanto esses mesmos jovens na maioria dos Casos, falo no nosso Benfica, não têm ou não tinham quem os aconselhe e OS PROTEJA, daquilo que precisa e Doutamente fala no texto, são entregues a um treinador que por razões óbvias de quase todos, os colocam do Clube para fora, ainda há pouco tempo se viu isso mesmo, felizmente que esse Escarro verde, que nunca deveria ter vestido o manto sagrado, já foi de vez..
    Porque na maioria das vezes quem está à frente da Equipa, só quer do Clube o Dinheiro ao fim do Mês e está-se nas tintas para "as novas promessas" ou mesmo para o Clube. Embora também sabemos que um Clube só com Jovens da formação tem as possibilidades de ganhar diminuídas ou quase nulas, têm que entrar na equipa faseadamente e com muito critério, mas NUNCA mandar embora os que são BOM, os que sabem jogar à bola.

    ResponderEliminar
  2. O pior aos olhos dos adeptos parece ser mesmo as espectativas que se geram por não saber distinguir contextos diferentes. É diferente ser a estrela da B de ser um tipo que resolve jogos na A. E depois há o deslumbramento. Ao serem estrelas na B parece que passam para a A como jogadores formados e não como quem tem de aprender. O caso paradigmático recente é o Nélson Oliveira.

    Reforço o voto do Alberto para que os que foram integrados este ano se mantenham humildes e trabalhadores. Nélson Semedo dá óptimos sinais, mas vai cometer falhas e vão surgir vozes a dizer que não devia ser o titular. Sem Ola John, Guedes e Andrade vão andar mais expostos, mas espero que baixem as orelhas e trabalhem mais, que até agora os sinais são bons, mas no contexto de quem tem 20 anos ou menos e muito para aprender e evoluir.

    ResponderEliminar
  3. A ultima década em que o Benfica potenciou e de que maneira a Formação, foi justamente na década de 70, Chalana, Alberto, Eurico todos titulares, e ainda os habituais suplentes José Luís, Pereirinha e Cavungi, 6 ex Juniores promovidos que fecharam o ultimo Tri Campeonato em 1976/77!

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail