A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

18/08/2015

Cosme Damião no Sporting? Olhe Que Não!

18/08/2015 + 15 Comentários API
LÁ VEM À BAILA (É CÍCLICO) A HISTÓRIA DE COSME DAMIÃO TER JOGADO NO (OU PELO) SPORTING CP.


Isto a propósito do seguinte comentário a um texto neste blogue publicado em 3 de Outubro de 2011 (clicar)


Pedro Mesquita Fernandes ·
Porto
Eu sei que sei as palavras benfiquista e honestidade não andam de mãos dadas. Começa na mentira do ano de fundação e termina com a conquista do último campeonato... lol Tem algum nexo dizer que o SCP recusou o convite do Huelva e que uma hipotética selecção de Lisboa equipou à Sporting porque era a do capitão? E se o SLB tinha acabado de ser campeão porque é que o misto lisboeta equipou à Sporting? É lógico que o SCP foi convidado e gostava de saber a que báu foram buscar essa teoria. O SCP tal como o CIF terá optado por convidar atletas do SLB e demais clubes visto não ser de estranhar terem melhores equipas não tivesse o SCP terminado a época em 5º lugar.... O Cosme Damião efectivamente jogou pelo adversário e não por nenhum misto, facto. Dói ter um fundador jogar pelo rival mas se fossem inteligentes o suficiente para analisar a conjuntura da altura perceberiam que tanto ele como os demais jogadores do SLB deveriam ainda nutrir uma grande amizade pelos diversos atletas que abandonaram o SLB em Maio de 1907 (melhor dizendo abandonam o Sport Lisboa lol)... Não deveria ser assim tão repugnante conviver e jogar com alguns... Provavelmente até o Cosme meteu algum ao bolso por fazer este jogo pelo SCP, é a vida! Conclusão, acham que o Cosme imaginaria em 1910 a rivalidade que surgiria depois? lol



Lol. Prévio. Nem vou comentar as duas primeiras frases porque  só merecem desprezo. E com desprezo ignora-se. Aplica-se na perfeição a frase "misturar alhos com bugalhos". No final desta "posta" veremos quem é honesto e quem é pantomineiro! Lol

Lol. Há um frenesi nos últimos anos por "descobrir" assuntos da História do Futebol que há muito foram "descobertos". Como se alguém quisesse descobrir a pólvora no século XXI. A história desse jogo em Huelva está escrita nos jornais da época e foi historiada em 1940. Cada um pode interpretar como quiser e onde quiser. Depois há quem tenha credibilidade e quem não tenha. Eu não faço qualquer interpretação de factos que não presenciei. Nunca o fiz, nem farei. Limito-me a divulgar o que foi escrito e dito acerca de assuntos que não presenciei nem vivi. E neste "caso" quem divulgou esse acontecimento - Tavares da Silva, Ricardo Ornelas e Ribeiro dos Reis - merecem-me toda a atenção e respeito. Sei que há no entanto quem pouco perceba de assuntos específicos mas que escreva acerca de tudo. Talvez por saberem pouco e por isso nunca terem dúvidas. Lol






Quanto aos três nomes que escreveram o texto ou que se responsabilizaram por ele:

Tavares da Silva tinha seis anos mas conviveu com muitos dos futebolistas que se deslocaram a Huelva. Nasceu em Veiros/Estarreja (29 de Novembro de 1903) e faleceu em Lisboa (19 de Outubro de 1958) aos 54 anos. Sportinguista assumido, foi jogador de futebol sem grande destaque, mas seria como jornalista - Stadium, A Bola, O Norte Desportivo, Diário de Lisboa (entre 1933 e 1958) entre outros - que ficaria famoso ao criar a expressão "Cinco Violinos". Também foi treinador (Associação Académica Coimbra, CF "Os Belenenses", Lusitano GC Évora, SC Covilhã, Oriental/COL, Caldas SC e Sporting CP, onde conquistou o campeonato nacional e a Taça de Portugal em 1953/54) e seleccionador nacional (1931, 1945 a 1947, 1951 e 1955 a 1957).

Ricardo Ornelas tinha dez anos mas também conviveu com muitos dos futebolistas que fizeram parte do Misto. Nasceu em Lisboa, a 31 de Dezembro de 1899 e faleceu, em Lisboa, a 4 de Setembro de 1967, aos 67 anos. Casapiano foi essencialmente jornalista desportivo desde 1920 até falecer (desde a revista Football do seu Casa Pia AC do qual foi um dos 18 fundadores até ao Record, incluindo títulos como: A Pátria, A Tarde, Diário de Notícias (e Os Sports/Mundo Desportivo que estava ligado ao DN), Eco dos Sports, Stadium, A Bola e Diário Popular (onde escreveu até morrer) entre outros) embora a profissão fosse a de empregado de escritório numa empresa da marinha mercante, na CNN: Companhia Nacional de Navegação. Foi seleccionador nacional em 1928. Criou a popularizada expressão, para designar a selecção nacional, como "A Equipa de Todos Nós". Essencialmente casapiano (do Casa Pia AC) tinha uma costela (diria até duas, três, talvez mais...) Benfiquista.

Ribeiro dos Reis tinha 14 anos mas conheceu todos os integrantes do misto, quer por ter jogado com alguns, quer por ter sido adversário dos restantes. Nasceu em Alcântara/Lisboa em 10 de Julho de 1896 e faleceu no Areeiro/Lisboa em 3 de Dezembro de 1961, aos 65 anos. Casapiano ingressou no SLB em 1913/14 (aos 17 anos) começando na 4.ª categoria para ser capitão da 1.ª categoria, internacional por Portugal (na estreia em 18 de Dezembro de 1921 como avançado-centro) depois seleccionador nacional em 1925, 1926 e 1934. Com profissão na Administração Militar onde foi Oficial destacado - era tenente coronel quando faleceu - destacou-se o jornalismo desportivo (O Sport de Lisboa, Diário de Lisboa, Os Sports e A Bola, que fundou com Cândido Oliveira e Vicente de Melo). No Benfica foi destacado dirigente, ainda no tempo de futebolista, passando a capitão-geral (em Agosto de 1926, depois do afastamento do cargo de Cosme Damião - que esteve em Huelva, ou não fosse o motivo deste texto - e treinou Ribeiro dos Reis entre 1913/14 e 1925/26, nesta época já na 4.ª categoria pois Ribeiro dos Reis mesmo seleccionador nacional fazia o percurso descendente da 1.ª para a 4.ª categoria na primeira metade dos anos 20 quando o fizera ascendente a partir de 1913/14). Tantas vezes juntos, devem ter falado desta ida do grupo de futebolistas a Espanha. Ribeiro dos Reis no Benfica foi presidente da Mesa da Assembleia Geral, entre 1940 a 1944 e de 1948 a 1956, sendo fundamental na epopeia da construção da Saudosa Catedral. Treinador em vários períodos do Glorioso Futebol conquistou dois títulos no Campeonato de Portugal (actual Taça de Portugal) em 1930/31 e 1934/35. Foi ainda campeão de Lisboa em 1932/33. Numa conquista épica que parecia impossível face ao poderio da equipa do CF "Os Belenenses" e que Ribeiro dos Reis classificou como uma "conquista só possível pela Mística" utilizando o termo pela primeira vez (que se saiba!). Em 30 de Agosto de 1933 foi agraciado pelos restantes associados do SLB com a distinção suprema do Benfica, a "Águia de Ouro". Uma das maiores figuras do futebol em Portugal. A par de Cosme Damião as duas maiores figuras do Benfiquismo. E nunca foram presidentes da Direcção.

Três nomes de valor irrepreensível. Contemporâneos do acontecimento e conhecedores do futebol nos anos 10. Eu acredito neles! E o Pedro Mesquita Fernandes? Acredita mais neles ou mais em si. Nestas suas interpretações revisionistas, porque sim!

Depois há as notícias da época.

Em Espanha:



No jornal "Os Sports Illustrados" mais desenvolvido (clicar) (clicar)



Na revista "Tiro e Sport" mais resumido (clicar)


Carrega Misto!

Alberto Miguéns

NOTA1: Agradeço publicamente ao Benfiquista Francisco Veloso que me emprestou a obra para poder digitalizar essas quatro páginas;

NOTA2: O facto de terem jogado com os equipamentos do Sporting CP (que não é explicado no texto por não ser sequer questão) só posso explicá-lo de acordo com o que se fazia nesse tempo. 
Quando se organizava um Misto jogava-se com o equipamento do clube de quem organizava/seleccionava os futebolistas, ou seja, com os equipamentos do clube onde jogava o capitão. O que é compreensível. Já era complicado fazer equipamentos para as épocas quanto mais para um jogo. É preciso perceber que não havia equipamento à venda. Nem havia pronto-a-vestir. Os equipamentos eram feitos por alfaiates (ou modistas no caso da roupa feminina). Os emblemas eram bordados individualmente. Os calções e camisolas eram feitas individualmente daí se perceber, mesmo nas fotografias a preto-e-branco vários tons de cores garridas, como o vermelho do Benfica. Muitas vezes eram os jogadores mais abonados em finanças a comprarem junto de um alfaiate o "seu" equipamento e de uma bordadeira o "seu" emblema. Estamos a falar em 1910. É preciso ter noção! Fazer um equipamento para um jogo envolvia escolha de cores, composições e criar um emblema, além de tempo (no alfaiate) e dinheiro esbanjado em onze conjuntos de calções, camisola e emblema que não fazia qualquer sentido. Nenhum sentido, como é óbvio;

NOTA3: Nos anos 10 há vários jogos de mistos em que o capitão foi um jogador do Benfica. Onde se jogou com o equipamento do Benfica. Isso não faz destes encontros (geralmente internacionais), jogos do Benfica!
15 comentários
comentários
  1. Nao jogou mas mesmo que tivesse jogado nao vejo problema nenhum,quem tem complexos de inferioridade nao somos nos.

    ResponderEliminar
  2. Caro Alberto,
    em adição a essa magnífica obra que usou na sua argumentação deixe-me lembrar-lhe que poderá ainda recomendar a essas pessoas tão (mas tão) carenciadas de informação correcta e factual, que existem outras fontes.

    Fontes igualmente inequívocas e pasme-se fontes contemporâneas (de 1910!)

    Tiro e Sport º 453 de 30 de Setembro de 1910. Pode ser visto aqui:

    http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/Periodicos/TiroeSport/1910/N453/N453_item1/P14.html

    Lá se fala apenas em grupo Portuguez e grupo Hespanhol. Não falam uma vez que seja em Benfica, Sporting, ou Sport União Belenense (os três clubes representados). Só "grupo Portuguez".

    Querem mais evidências? Já enjoa tanta parvoíce e ignorância.

    ResponderEliminar
  3. Mas que belo naco de história!!!

    Agradeço ao bronco/leão Pedro Mesquita Fernandes, ter mexido com os neurónios históricos do Miguens.

    Os tais jogadores (foram 8) que o adepto do clube cujo símbolo é o chulo da selva, diz terem abandonado o Sport Lisboa. Não foi bem assim. Os biscondes endinheirados foram ROUBAR (está no seu ADN) esses 8 jogadores a troco de umas sandochas, de um pirolito e de um banho quente nos fins dos jogos. Passados dois ou 3 anos, foram lá roubar mais 3. Tem sido assim, roubar é sinónimo de Sportém, mas mesmo assim, jogando com os que ficaram, ganhávamos ao Sportém.

    Quanto à data do nosso nascimento, é de facto a 28 de Fevereiro de 1904, porquanto, depois do roubo que nos fizeram os biscondes falidos em 1907, para o Sport Lisboa não acabar, o nosso Grande e Enorme Cosme Damião fez uma fusão com o Sport Benfica em 13 de Setembro de 1908, mas ficou exarado em acta que o nascimento do Sport Lisboa e Benfica (fruto desse profícuo casamento) seria a 28 de Fevereiro de 1904 por se tratar da data do clube mais antigo dos dois.

    Cheira-me que este verme/leão/chulo da selva, será amigo, parente ou mesmo um dos que o Vieira chamou para fazer a história do Museu. Foi lamentável Vieira ter chamado para esse trabalho (Museu) elementos afectos ao sportém, capitaneados por um tal lagarto Serrado.
    Os do sportém sempre têm insistido que o ENORME nasceu em 13 de Setembro de 1908.
    Problema vosso!!! Vão chatear o Camões!!!

    ResponderEliminar
  4. o SCFarense copiou o equipamento do SportingCP em 1910 e ficou a preto e branco... porque a foto era a perto e branco. Senão o Stromp era igual ao do Sporting.

    Do lado de lá:

    Viernes 26 de agosto (La Provincia de Huelva)
    -(Huelva)(hoy) Partido amistoso entre R.C.Rec. de Huelva y un equipo de Portugal (selección de Lisboa)

    Sábado 27 de agosto (La Provincia de Huelva)
    -(Huelva)(ayer 17:30) R.C.Rec. de Huelva - Selección deLisboa 0-4


    Disputa de los primeros partidos internacionales

    Tras el éxito cosechado por el club en la organización del Campeonato de Andalucía y Extremadura, el Ayuntamiento de la capital invita al club a colaborar en la organización de los festejos veraniegos anuales, que en esta ocasión pretendían incluir partidos de fútbol debido al gran éxito popular que estaba cosechando.

    En marzo de 1910 la Comisión de Festejos, en la cual había un representante del club, el tesorero Enrique Pinzón, tenía bastante avanzado el programa de actos para las fiestas Colombinas y las fiestas en honor de la patrona de la ciudad, la Virgen de la Cinta, que incluían un partido de fútbol, para tal fin el Recreativo estaba contactando con el Madrid F.C. y el Sporting de Lisboa.

    Por cuestiones de presupuesto se decidió organizar un solo partido y que el rival fuera el equipo lisboeta, la razón por la que se eligió al equipo portugués en vez de el de la capital de España fue el contacto que existía entre algunos jugadores onubenses y lisboetas, merced a un partido que se había disputado un año antes en Badajoz, en el que se enfrentaron un combinado lisboeta y otro de jugadores de la capital extremeña en el cual también participaron 3 jóvenes jugadores onubenses.

    Quedaba así organizado el primer partido internacional que se disputaría en Huelva, esto unido a que el Sporting era en ese momento el club más importante del país vecino provocó una gran expectación, tanto en Huelva como en Lisboa.

    El partido se disputó el 27 de agosto de 1910 a las 17:00 horas de la tarde, y era completamente gratis a excepción de las entradas para la tribuna del Velódromo que costaban 50 céntimos de peseta para los no socios del club, siendo también de entrada libre para los socios; fue tanta la expectación generada que incluso esa tarde se cerraron los comercios para que los trabajadores también pudieran acudir al partido. Esa tarde el Velódromo se vistió con sus mejores galas y fue tal el éxito de público que ni las propias fuentes de la época se atreven a dar una cifra de espectadores teniendo en cuenta que el estadio y alrededores se encontraban a rebosar.

    En el plano deportivo el partido no tuvo mucha historia, el club lisboeta demostró su clara superioridad marcando el primer “goal” en el minuto 3 y consiguiendo a continuación dos más en un pequeño período de tiempo, siendo 0-3 el resultado al descanso, a la reanudación el cuadro lisboeta conseguiría el cuarto y último gol.

    Al finalizar el encuentro el club anfitrión agasajó al club visitante con un gran banquete, como era costumbre en esta época, en el que reinó la alegría y comunión entre ambos equipos y directivos y en la que se decidió que seguirían disputándose estos partidos tanto en suelo onubense como lisboeta, aunque el Recre no pudo presentarse en la capital portuguesa hasta 1919 por el gran gasto que suponía llegar hasta allí, en ese año se disputaron dos partidos en Lisboa, en el primero de ellos el resultado fue de un claro 5-0 para los locales y en el segundo se produjo una apretada victoria recreativista (0-1).

    ResponderEliminar
  5. ....SR DR ALBERTO....." Não despreze a ignorância. Ela, muitas vezes, é a única cultura que algumas pessoas têm...(Ediel -pensador)..........abraço

    ResponderEliminar
  6. Grande enciclopédia Benfiquista! Parabéns Alberto.

    ResponderEliminar
  7. LOL Lots of Lama, para tapar os olhitos dos verdes, e azuis já que voltaram a ser amigos por imposição do sobrinho e do ricciardi.

    Mais um artigo que vou divulgar. Já tinha feito o mesmo com o artigo "Ser Ou Não Ser Eis a Questão" de 2011... Ena, já aqui venho há tanto tempo.

    Venho porque venho, o Alberto vai-me desculpar a inconfidência mas... É bom sentir-me em casa porque isto é o Benfica!

    Assim como isto: http://3.bp.blogspot.com/-zzYWLK9SXuE/VdIWp23UMAI/AAAAAAAATso/AZR3do8Wf3A/s1600/Sh%25C3%25A9u%252BNelson%2BAMC.gif

    ResponderEliminar
  8. Verdadeiro serviço público. Do artigo e dos comentários!

    ResponderEliminar
  9. Obrigado, muito obrigado sr Alberto por mais esta 'aula' de conhecimento.

    PS(por favor, não por ser preciso mas só pelo gosto do resultado final, para além do que todos nós aprendemos, não deixem de ""desafiar" os neurónios do sr Alberto Miguéns

    RuiL

    ResponderEliminar
  10. Curioso! Equiparam à Sporting! Realmente vê-se o verde na foto (LOL)e o símbolo mostraa mesmo um leão (LOL)!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ignorância pura.
      Já sei que o comentário vai ser censurado lol

      Eliminar
    2. Com quem estaria o Benfica para jogar? Não há leão na camisola...


      http://www.colunabenfiquista.pt/wp-content/uploads/2016/04/Cosme-Damião-num-derby-sporting-benfica-1915.jpg

      Eliminar
  11. LoooL seleção de leite Lisboa... O Huelva convidou o CIF que rejeitou o convite e indicou o Sporting que aceitou o convite e impôs a condição de levar alguns jogadores de outros clubes para colmatar algumas ausências, daí terem ido 11 jogadores do Sporting, 4 do benfica e um do belenenses...... um livro de memórias de miúdos de 24 anos e menos, provavelmente benfiquistas é a fonte mais correcta para citar.... Mais do mesmo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O CIF não indicou o SCP. Indicou um jogador João Bentes quer era capitão do SCP para formar uma equipa. Ningém ia fazer um equipamento para fazer só um jogo, como era evidente. Estamos em 1910. Ainda nem se tinha fundado a AFL,

      A wikisporting é explicita:

      A 27 de Agosto de 1910 realiza-se aquele que poderá ser considerado o primeiro jogo internacional de uma selecção portuguesa, quando um misto de jogadores das equipas de Lisboa, se deslocou a Espanha para jogar com o Huelva. João Bentes capitaneou essa equipa, que ganhou por 4-0, com golos de Luís Vieira, António Rosa Rodrigues e dois de Francisco Stromp. Jogaram ainda os Leões Augusto de Freitas, António Stromp e António Couto.

      http://www.forumscp.com/wiki/index.php?title=1909/10

      A wikisporting deve estar cheia de infiltrados do Benfica. Talvez não. Provavelmente foram só os que fizeram este texto baseado naquilo que foi dito na Imprensa da época.

      Alberto Miguéns


      Eliminar
  12. http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/Periodicos/TiroeSport/1910/N453/N453_item1/P14.html

    http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/Periodicos/OsSportsIlustrados/N13/N13_item1/P5.html

    E há mais embora não estejam disponíveis na internet.

    Foi um misto organizado por João Bentes com 6 do SCP, 4 do SLB e um do SB que em 1910/11 até passaria a jogar no SLB.

    Sem equipamentos, nem capacidade para os condeccionar (em tempo e dinheiro) fizeram o que era comum nesse tempo. Equiparem com os equipamentos do clube a que pertencia o capitão (organizador do misto).

    AM

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail