A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

23/12/2012

O Clube Sem Medo

23/12/2012 + 4 Comentários
OPINIÃO


O jornalista Arons de Carvalho, na sua habitual coluna, no Semanário "O Benfica":

O Benfica 21 de Dezembro de 2012
Lançado o repto, não há que hesitar, apesar de ter pensado dar algumas notas acerca do sorteio para a Liga Europa (1/16 e 1/8 de final). Fica para amanhã!

Um Jornalista com J maiúsculo
Manuel Arons de Carvalho sabe ser rigoroso nunca perdendo a face. Por isso tem a credibilidade que nunca perde seja em que circunstância for. Ao contrário de muitos que vestem a pele de isentos, apenas uma máscara, para esconder ligações e dependências, autenticas marionetes manietadas. Há disto – e com abundância excessiva - em muitos media nacionais. Por isso Vítor Pereira disse o que disse e dentro dos jornais (O Jogo, Record e A Bola) ninguém foi à edição de 11 de Setembro de 2011, para fazer uma nota de redacção (NR) esclarecendo o que se passou, colocando a verdade e chamando mentiroso a Vítor Pereira. O que querem é “Lendas”. “Verdade” a quanto obrigas!


O Jogo 13 de Dezembro de 2012
A conversa de um treinador medíocre
Para justificar a vergonha da protecção DESCARADA ao FC Porto, desde há muitos anos (e por isso também desde o início desta temporada) aparece sempre alguém do clube do “Apito Dourado” a desviar a atenção com mentiras. Desta vez serviu o jogo da 4.ª jornada de 2011/12, na recepção do “Glorioso” ao Vitória SC de Guimarães (10 de Setembro de 2011). Afirma ele…cada vez:
1. Que via a bola a bater na cabeça, dava penálti para o Benfica;
2. Que batia nas costas marcavam mais um penálti;
3. Que batia na coxa e novo penalti.

Qual bola na cabeça, bola nas costas ou bola nas coxas?
Houve, de facto quatro grandes penalidades, a favor do Benfica, mas apenas três foram assinaladas. Ficou uma por marcar. O Benfica foi prejudicado… em casa… frente ao Vitória de Guimarães. Tudo lances, bem no interior, da grande área do Vitória SC.

Aos 26 minutos, Alex desvia com o braço direito a bola cruzada por Emerson (Qual bola na cabeça, bola nas costas ou bola nas coxas!);

Aos 33 minutos, N’Diyae empurrou, pelas costas, Saviola (Qual bola na cabeça, bola nas costas ou bola nas coxas!);

Aos 35 minutos, El Adoua em posição frontal (marca da grande penalidade) desvia com o braço direito um remate de Witsel (Qual bola na cabeça, bola nas costas ou bola nas coxas!);

Aos 44 minutos, N’Diaye desvia com o antebraço esquerdo um remate de Saviola (Qual bola na cabeça, bola nas costas ou bola nas coxas!).

O filme das grandes penalidades marcadas (ver aqui).

O filme da 3.ª grande penalidade marcada (ver aqui) para não haver dúvidas.

O filme da grande penalidade que não foi marcada (ver aqui).
 


Vítor Pereira? Quantas grandes penalidades existentes, a favor do Benfica, são de mais?
E de menos? O FC Porto tem a grandes penalidades de menos. Como se sabe!


Vítor Pereira nunca vai ser Treinador
Vai ser tão “bom” como os melhores do FC Porto que só ganham no FC Porto: José Maria Pedroto, Artur Jorge, Carlos Alberto Silva, Oliveira, Fernando Santos, Co Adriaanse, Jesualdo Ferreira (a maior vergonha…até hoje…com cinco títulos - três campeonatos nacionais consecutivos e duas Taças de Portugal - os únicos em 40 anos de carreira medíocre) e André Villas-Boas.

Calabote em 1959
Em 1959 ninguém falou da arbitragem de Inocêncio Calabote no SLB vs GD CUF. Ninguém teve dúvidas nas grandes penalidades assinaladas nem do tempo de compensação (três a quatro minutos). Houve até quem escrevesse que ficou mais uma grande penalidade por marcar e o tempo de compensação foi escasso para tanto tempo “queimado” pelos cufistas! O Benfica marcou o 7 a 1 aos 83 minutos, ou seja, teve mais dez ou onze minutos (7 minutos mais 3 ou 4 de compensação) para marcar um golo e igualar o FCP forçando a um jogo de desempate ou marcar dois golos e sagrar-se campeão nacional. O jogo na “Catedral” terminou sete a oito minutos depois do jogo do FCP porque começou mais tarde. O FCP em Torres Vedras venceu, por 3-0, com os golos que lhe deram o título marcados aos 88 e 90 minutos, depois de duas expulsões – aos 65 e 89 minutos - de futebolistas do SCU Torreense pelo árbitro de Beja, Francisco Guiomar. Os portistas depois desta última jornada em que se sagraram campeões nacionais, calaram-se bem caladinhos” para esconderem a “vergonha de Torres Vedras”. Nem um pio…

O Calabote de Pedroto (…e depois dos Pintecostistas)
Só em finais dos anos 70, em 1977/78 e 1978/79, quando o FCP treinado por José Maria Pedroto “roubava à grande” sendo questionado nos media acerca dessa “pouca vergonha”, levava o treinador portista (capitão do FCP nos anos 50), sem argumentar ou justificar os benefícios, a responder “vocês queriam era calabotes”! E não podia ser antes. Em 1977, quase vinte anos depois de 1959, poucos se lembravam, com rigor, do que se passara. Até porque não houvera polémica. O FCP sagrou-se campeão! Calabote (uma mentira e mesmo apenas num jogo) servia para encobrir muitas vigarices em muitos jogos em 1977/78 e 1978/79. Duas épocas com o FCP a sagrar-se Bicampeão Nacional… com Pinto da Costa como chefe do Departamento de Futebol na presidência do dr. Américo de Sá. Pinto da Costa (e o seu harém) aprendizes da “estratégia Pedroto” andam a justificar, há 40 anos, os benefícios ao FC Porto em mais de cem jogos com a arbitragem (isenta) de Calabote num jogo em 1959! Os media deixaram criar uma lenda, que podiam ter cortado de raiz, se têm divulgado as crónicas dos jogos publicadas, pelos próprios, em 1959!

O Clube do Regime (o Calabote de Pinto da Costa)
A estratégia de Pinto da Costa colar o Benfica ao Regime totalitário deposto em 25 de Abril de 1974 é decalcada da estratégia de Pedroto em relação a Calabote. Uma mentira criada desfasada do tempo. Se a mentira Calabote foi inventada vinte anos depois de 1959, a mentira Antigo Regime foi inventada vinte cinco anos depois de 1974. E não podia ser de outra forma, por dois motivos.
Primeiro: Em 1974 e anos seguintes sabia-se que se havia Clube Grande que tinha dirigentes que eram oposicionistas, era o Benfica. Ligar o Benfica ao Antigo Regime quando havia memória e pessoas com conhecimento da situação, era ridicularizarem-se com desmentidos e jocosidades;
Segundo: Durante os vinte anos após 1974, até 1994, quando a Democracia ainda não se corrompera pela corrupção que a tem arruinado moralmente, o Benfica foi o clube com mais sucesso na democracia, com 17 títulos: 10 campeonatos nacionais e sete Taças de Portugal (quatro em finais com o FC Porto). O FC Porto conquistou 13 títulos: oito campeonatos nacionais e cinco Taças de Portugal. Menos quatro títulos para o FCP, dois campeonatos nacionais e duas Taças de Portugal.

Estratégia “À Calabote”!
Esta historieta do jogo com o Vitória SC de Guimarães, é outra mentira. Se houve clube prejudicado foi o Benfica, pois ficou uma grande penalidade por marcar. E é uma mentira que serve para encobrir os mais de dez jogos em que o FCP já foi beneficiado (em grandes penalidades mal marcadas a seu favor ou em grandes penalidades não assinaladas contra). O que impressionada é esta forma grosseira de um clube sobreviver e crescer financeiramente… Por que eles sabem que ninguém, nos media, se atreve a contrariar ou desmenti-los. Livra-te...

Benfica vs Vitória SC de Guimarães, em 2011/12, um Calabote para o século XXI

Alberto Miguéns




NOTA: O se disse na imprensa no dia seguinte ao jogo:

A Bola



Comentário EDB: Será que quem, em A Bola, fez estes comentários, com fotografias das imagens, não viu as imagens!



Record



Comentário EDB: Será que quem, no Record, fez estes comentários, com fotografias das imagens, não viu as imagens!
 

O Jogo


Comentário EDB: Pois é, Pedro Henriques! Se como árbitro fosses tão bom - isento nos jogos do Benfica - como comentador... nem a internacional chegavas, quanto mais seres "um Olegário ou Proença"!
4 comentários
comentários
  1. Só uma dúvida, no jogo de Torres Vedras em 1959, o Torrense acabou o jogo com menos 2 jogadores, mas creio que um foi expulso, e o outro lesionou-se (não havia substituições)...

    Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dois jogadores do SCU Torreense expulsos. Manuel Carlos aos 65 minutos (havia 0-1) e Saldanha aos 89 minutos (após 0-2). O 0-3 foi aos 90 minutos. O 0-1 foi aos 26 minutos, com o SCU Torreense reduzido a dez futebolistas após António Manuel sair lesionado na cabeça - devido ao jogo duro do FCP - aos 14 minutos, reentrando aos 28 minutos já com 0-1.

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  2. "Ele" "lembra-se" do jogo porque houve 3 penaltis a favor do Benfica ...... ou seja, não importa se justos ou injustos, apenas houve 3 penaltis a favor do Benfica. O que não pode ser, claro!
    Isto faz-me lembrar uma ano em que nos 4 primeiros jogos do Campeonato houve penaltis a favor do Benfica (todos justos) e imediatamente o "Dono da Bola", estando no Brasil (olhem que lugar) fez ouvir a sua "voz" e lá está ..... mais penaltis nem vê-los!

    ResponderEliminar
  3. Quanto ao Calabote não tenha dúvidas que todos ops pofrtistas estavam estarrecidos ao ouvir o relato do CUF vs SLB. E com razão: Até o guarda redes da CUF teve de ser substituído, tal era o escândalo. E não me desminta que eu vivi esse dia negro em que só ganhavam os de Lisboa. Dava até a impressão que cozinhavam os campeonatos. Este ano ganha o SLB no ano seguinte ganhava o SCP. Num ano em que o BFC ia ser campeâo o SCP tirou-lhe essa possibilidade poeque o campeonato tinha sido prometido ao SLB.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail