A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

01/12/2012

Em Luto

01/12/2012 + 0 Comentários API
HOMENAGEM

Imagem "Stadium" 1939

Continuamos a evocar, o Benfiquista e Glória do Clube, Guilherme Espírito Santo falecido no domingo, 25 de Novembro. Que notícia triste.

Quando um obstáculo era recorde nacional
Na época de 1937/38, enquanto treinava futebol no Estádio das Amoreiras, a bola saiu do campo. Junto à linha lateral, os saltadores do Clube treinavam laboriosamente o salto em altura, com a fasquia já próxima de 1,82 metros, em busca de melhorar um recorde nacional que datava de… 1915! Espírito Santo correu para lá da linha lateral para recolher a bola. Deparando-se com o aparelho do salto em altura - por instinto - saltou, para não embater nesse obstáculo que dificultava chegar à bola! Saltou e não derrubou a fasquia. Os atletas do “Glorioso”, em particular Pedro Vasconcelos que estava muito próximo da marca de 1,82 metros, pasmaram… Provavelmente o avançado-centro do futebol do Benfica e internacional português batera o recorde nacional do salto em altura!

Depois houve que treinar atletismo
Espírito Santo procurava uma bola que saíra de campo das Amoreiras, deixando espantados, os atletas do “Glorioso” que treinavam o salto em altura. Depois, os saltos com intenção já não resultavam! Tinha receio de bater na fasquia ou cair mal! Havia que treinar, com técnica e adaptação às botas de atletismo. Com pouquíssimo treino, mas afincado, bateu, no Verão de 1938, três recordes nacionais absolutos: em 3 de Julho, o recorde nacional de salto em altura (1,825 metros); em 10 de Julho, o do salto em comprimento (6,89 metros); e em 17 de Julho, o do triplo salto (14,015 metros). Ainda em 1938, sagrou-se campeão nacional júnior e sénior, individual e por equipas.

Mais novo que o velho recorde
Quando Pascoal de Almeida, do GS Cruz Quebrada, conseguiu uma espantosa marca de 1,82 metros em 8 de Agosto de 1915 afirmou, quando questionado acerca da extraordinária proeza. “Ainda não nasceu em Portugal quem irá bater esta marca!” E não é que tinha razão. Guilherme Espírito Santo nasceria mais de quatro anos depois, em 30 de Outubro de 1919. Quando o “velhinho” recorde de Pascoal de Almeida, que datava de 1915, foi batido em 1938, vigorava há 22 anos, dez meses e 25 dias. Espírito Santo quando bateu o recorde tinha 18 anos, 8 meses e 3 dias…
 
Imagem "O Século Ilustrado" 1938 Recorde nacional
 
Pelo Atletismo: campeão e recordista nacional
Guilherme Espírito Santo foi campeão nacional e internacional no futebol, e também no… atletismo, sendo nesta modalidade recordista nacional em três especialidades. Caso único. Mais do que um grande futebolista, um enorme atleta português.
 
Fotografia de Roland Oliveira
 
Recordista de Portugal em salto em altura, comprimento e triplo salto

TRIPLO SALTO
No salto em comprimento foi recordista nacional entre 1938 e 1941. Melhorou em 58,5 centímetros o recorde de Acácio Mesquita que datava de 1928, há 10 anos e deixou de ser recordista nacional em 1941, por 2,5 centímetros.

Marca
(m)
Dif.
Nome/Clube
Data
13,430
+ 49 cm
Acácio Mesquita (FCP)
01.Jul.1928
14,015
58,5 cm
Espírito Santo (SLB)
17.Jul.1938
14,040
  + 2,5 cm
João Vieira (SCP)
17.Ago.1941

SALTO EM COMPRIMENTO
No salto em comprimento foi recordista nacional entre 1938 e 1944. Melhorou em 9 centímetros o recorde de José Carvalhosa que datava de 1931, há 7 anos, foi igualado em 1941 por Edgar Tamegão e deixou de ser recordista nacional em 1944, por 6 centímetros.

Marca
(m)
Dif.
Nome/Clube
Data
6,80
+ 10 cm
José Carvalhosa (SCP)
13.Set.1931
6,89
+ 9 cm
Espírito Santo (SLB)
10.Jul.1938
6,89
=
Edgar Tamegão (AFC, Porto)
20.Jul.1941
6,95
+ 6 cm
Álvaro Dias (SCP)
26.Ago.1944

SALTO EM ALTURA
No salto em altura foi recordista nacional entre 1938 e Junho de 1940 e entre Agosto de 1940 e 1960. Melhorou em 0,5 centímetros o recorde de Pascoal de Almeida que datava de 1915, há quase 23 anos, deixou de ser recordista nacional em 1940 (durante 15 dias), por 1 centímetro. Melhorou o recorde nacional do salto em altura, por duas vezes, em 1940: em 11 de Agosto (1,85 metros, mais 1,5 centímetros) e em 25 de Agosto (1,88 metros, mais 3 centímetros).

Marca
(m)
Dif.
Nome/Clube
Data
1,820
+ 7 cm
Pascoal de Almeida (GSCQ)
8.Ago.1915
1,825
+ 0,5 cm
Espírito Santo (SLB)
3.Jul.1938
1,835
+ 1 cm
Pedro Vasconcelos (SLB)
16.Jun.1940
1,850
+ 1,5 cm
Espírito Santo (SLB)
11.Ago.1940
1,880
+ 3 cm
Espírito Santo (SLB)
25.Ago.1940
1,880
=
Rui Mingas (SLB)
Júlio Fernandes (SCP)
24.Abr.1960
1,900
+ 2 cm
Rui Mingas (SLB)
19.Jun.1960

Imagem "Stadium" 1940 Recorde nacional

Recordista de Portugal no salto em altura até 1960!
Os 1,88 metros no salto em altura duraram 20 anos, até… 1960, quando Rui Mingas do Benfica conseguiu melhorá-lo por 2 centímetros! Sem possibilidade de praticar, a nível elevado – com consistência e seriedade – duas modalidades, dedicou-se em exclusivo ao futebol! Passou rapidamente pelo atletismo, mas com o poder de uma estrela cintilante, num rasgo de brilhantismo inexcedível.
 
Fotografia de Roland Oliveira "Benfica Ilustrado" n.º 14 de Novembro/1958
Guilherme Espírito Santo e Rui Mingas
 
Lá no 4.º anel continuará orgulhoso pelo “seu/ nosso” Benfica

Alberto Miguéns

NOTA: Estes apontamentos são possíveis por que resultam de muitas horas de conversa franca e amiga, durante mais de década e meia, entre um adepto do Benfica e esta Glória do Clube. Um enorme futebolista e personalidade fantástica, que era o paradigma do Jogador e do Benfiquista: simples, virtuoso, trabalhador, dedicado e generoso. Só posso estar agradecido, por ter aprendido tanto com Espírito Santo.
0 comentários
comentários

Enviar um comentário

Em Defesa do Benfica no seu E-mail