A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

05/11/2011

Uma Por Semana: Andebol

05/11/2011 + 6 Comentários
OPINIÃO

             
Foto Isabel Cutileiro Um plantel de luxo para conquistar títulos

Aviso Prévio: Texto muito longo



Mote

A acompanhar TODAS as modalidades, nas nossas instalações, desde 1979 e a estudar a história desde os primórdios da sua existência, gostaria de comentar as CINCO modalidades de pavilhão neste início de temporada: Pequeno Historial, Últimos Tempos e Perspectivas.



Vamos a isso…

O eclectismo é um dos pilares do Benfica como Grande Clube. É assim, na actualidade, tal como desde sempre. Por isso é um pilar!



Uma das características do “Glorioso” enquanto agremiação desportiva foi proporcionar aos seus associados praticarem a sua(s) modalidade(s) favoritas no seu clube. Para isso foi necessário criar Secções Desportivas para as modalidades que iam surgindo por vontade dos sócios.



PASSADO …



O Andebol vai a caminho dos 80 anos

O Andebol foi a 17.ª Modalidade Benfiquista, cuja estreia em competição ocorreu em 8 de Maio de 1932. O Clube foi acarinhando este desporto, com os atletas depois de deixarem de competir a assegurarem a manutenção, direcção e encontrarem as melhores soluções para prestigiar o Andebol, na Secção, como Benfica e por Portugal. Foi assim com o Andebol e com as outras modalidades, fazendo do Benfica o baluarte do eclectismo português, com mais modalidades de prática efectiva e ininterrupta.



Interrupção após oito temporadas (1931/32 a 1938/39)

O Andebol Benfiquista interrompeu a sua actividade durante a oitava época, por a Direcção do SLB considerar que os órgãos associativos não salvaguardavam o desenvolvimento da modalidade, permitindo querelas constantes que degradavam o ambiente desportivo



Ressurgimento três épocas depois, em 1942/43. São 70 temporadas consecutivas, incluindo a actual (2011/12), com um total de 78 épocas (8 + 70) na temporada em que completaremos 80 anos de Andebol

A actual temporada corresponde à 78.ª época com Andebol, com as 70 últimas consecutivas. Actualmente, somos o 4.º clube com mais temporadas a jogar andebol, depois de Sporting CP e FC Porto que praticam ininterruptamente a modalidade desde 1931/32, ou seja estão na 81.ª temporada. O CF "Os Belenenses" tem menos uma época de modalidade (1932/33, 80.ª temporada consecutiva).



Depois da Queda, Erguemo-nos em sete anos

Em 1998/99, o 31.º presidente da Direcção do SLB Vale e Azevedo, decidiu suspender a modalidade, no início da temporada, inscrevendo-a, na temporada seguinte (1999/2000) no Campeonato Regional, com o “Glorioso” a conseguir após sete épocas ascender, em 2006/07, ao 1.º escalão do Andebol Português.


Benfica a investir, FC Porto a “marcar em cima”
Nas últimas temporadas o FC Porto voltou a “interessar-se” pelo andebol, precisamente quando o “Glorioso” conquistou o título de Campeão Nacional, o 7.º da nossa história. Esta conquista – de algum modo inesperada para o “meio andebolístico nacional” (recordemos que vencemos na final do bota-fora (em inglês play-off) o bicampeão nacional ABC de Braga, apontado – antecipadamente – como Tricampeão, pelo desinvestimento do FC Porto, desde 2003/04, connosco ainda no 2.º escalão (Divisão de Elite da FAP – Federação de Andebol de Portugal). O FC Porto depois de conquistar o 13.º título, com um tricampeonato, em 2003/04, ainda na vigência da Liga Profissional de Andebol, ultrapassando os 10 do ABC de Braga, ficando a quatro do recordista Sporting CP (com 17) nunca imaginou com o Benfica, dois anos depois de ingressar no 1.º escalão conseguisse ser campeão, e mais do que isso, devido à quebra e desarticulação do Sporting CP, apresentava-se como clube capaz de ter hegemonia no futuro próximo da modalidade em Portugal. Os andróides de imediato lançaram-se sem olhar a meios, usando tudo e todos, como habitualmente, para impedir o nosso Bicampeonato. E conseguiram-no, pois são tricampeões… O Sporting CP, recordista de Nacionais e Taças de Portugal (com 12) não é Campeão Nacional desde 2000/01, competia o “Glorioso” na III Divisão Nacional.

LISTAGEM DOS TÍTULOS NACIONAIS (SENIORES)
Comp
01/02
02/03
03/04
04/05
05/06
06/07
07/08
08/09
09/10
10/11
CN
FCP
FCP
FCP
Mad
ABC
ABC
SLB
FCP
FCP
FCP
TP
ASt
SCP
SCP
SCP
FCP
FCP
ABC
ABC
XAn
SLB
ST
FCP
SCP
FCP
---
---
SLB
---
SLB
FCP
SLB
PR
---
---
Horta
F.Hol
Horta
Mad
SLB
Bel.
S.Mam
---

LISTAGEM DAS CLASSIFICAÇÕES (SENIORES)
Comp
01/02
02/03
03/04
04/05
05/06
06/07
07/08
08/09
09/10
10/11
CN
II D
DE
DE
DE
DE
4.º
T
2.º
3.º
4.º
TP
1/8
1/16
1/18
1/8
1/4
F
1/4
1/2
1/4
T
ST
NP
NP
NP
---
---
T
---
T
5.º
T
PR
---
---
---
---
---
---
T
---
---
---
Em 2009/10 a Taça da Liga (2006/07 e 2008/09) passou a designar-se (indevidamente) Supertaça

… PRESENTE …

A última temporada em 2010/11

A inacreditável fase final do Campeonato Nacional
Quando a 1.ª fase (22 jornadas) terminou o Benfica estava classificado em 3.º lugar, ficando a três pontos do FC Porto. Mas… uma fase final (10 jornadas) atípica, com cinco derrotas (“fora” só ganhámos ao Madeira SAD e em “casa” a todos menos ao… Madeira SAD) colocou-nos em 4.º lugar, a pior classificação desde o ingresso no 1.º escalão. Ora, tendo o “Glorioso” um plantel para ser Campeão, ficou atrás de FCP (- 6 pontos), Madeira SAD (- 1 ponto) e SCP (em igualdade pontual). Impensável. Para reflectir, nesta temporada, já que o modelo competitivo é o mesmo.

Uma Taça de Portugal bem tirada
Os quatro jogos para conquistar a nossa 4.ª Taça de Portugal mostraram que o plantel podia ter feito muito melhor no Nacional. Nos oitavos-de-final afastámos o detentor do título (V 35-27 ao CD Xico Andebol) e na final a quatro, em Tavira, eliminámos o Campeão Nacional (V 30-29) e no jogo decisivo derrotámos (V 29-25) o vice-campeão nacional, Madeira SAD. Nunca uma Taça de Portugal ficou tão bem entregue: Sem espinhas…

Mais do que uma Supertaça
A Supertaça, que desta não tem nada, sendo um sucedâneo da anterior Taça da Liga – que conquistámos duas vezes - é mais um torneio de campeões (reúne os seis melhores classificados da 1.ª volta da 1.ª fase do campeonato nacional) foi muito bem tirada, em Portimão, ao Sporting CP (V 22-19), FC Porto (V 32-26) e na final (V 28-20) ao CA Águas Santas.

Finalistas europeus! Não esquecer…
Na Taça Challenge tivemos um percurso de enorme categoria, com quatro eliminatórias (oito jogos) ultrapassadas para atingir a final. Nesta, a duas mãos, não tivemos sorte no sorteio, pois geralmente quem joga a 2.ª mão em casa conquista o troféu: empatámos a 27 golos (1.ª mão na Luz) e perdemos, por quatro golos (27-31), na 2.ª mão (Eslovénia).

… FUTURO




Os Primeiros Jogos em 2011/12
Esta época foi possível acompanhar, logo no início - nas bancadas - os quatro primeiros jogos oficiais, com a 1.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, 8.ª e 10.ªs jornadas no nosso pavilhão n.º 2. E só “ao vivo” é possível entender e perceber o valor, rotinas, comportamentos, correlações entre atletas e treinadores, bem como a inter-relação e carisma entre plantel e apoiantes.

Um Plantel Para Ganhar Tudo
Há condições para conseguirmos uma inédita “dobradinha”, pois com sete nacionais e quatro Taças de Portugal, nunca conseguimos conquistar os principais títulos na mesma temporada. Deve sere em 2011/12. Porque não?!

ÉPOCA
TÍTULO
9 épocas
1961/62
1.º Campeonato Nacional
12 épocas
1974/75
2.º Campeonato Nacional
6 épocas
1981/82
3.º Campeonato Nacional
1982/83
4.º Campeonato Nacional
1 época
1984/85
1.ª Taça de Portugal
1985/86
2.ª Taça de Portugal
1986/87
3.ª Taça de Portugal
1 época
1988/89
5.º Campeonato Nacional
1989/90
6.º Campeonato Nacional
17 épocas
2007/08
7.º Campeonato Nacional
2 épocas
2010/11
4.ª Taça de Portugal
2011/12


As características da modalidade não nos favorecem
Algumas equipas quando nos defrontam mais parecem jogadores de râguebi de pavilhão que propriamente (e adequadamente) andebolistas. Tudo isto porque há duplas de arbitragem que interpretam as regras do jogo, já de si favorável ao contacto físico, com demasiado rigor contra o Benfica e permissivas para os adversários. É mais uma – e não é pequena – contrariedade. De facto, o Andebol, devido à maior discricionariedade na interpretação das regras (jogo passivo, falta atacante ou contactos físico a defender ou atacar) presta-se a ser muito influenciado pelas arbitragens. Ao contrário do Voleibol, esta é a modalidade onde vamos ter (é histórico) mais dificuldades em vencer as arbitragens.

DIRIGENTES
Espera-se deles o exemplo e o sentido de responsabilidades, bem como a exigência (real) de jogar num clube com as características do “Glorioso”: assente no amor de muita gente pacata que dá o que pode, em termos materiais, e muito carinho, para que as equipas com o “Manto Sagrado” tenham sucesso, contentando as gerações actuais, honrando as gerações passadas e alicerçando o futuro do “Glorioso”. Dirigentes com sensibilidade, na modalidade e valores do Clube são imprescindíveis. Até para passar a Cultura Benfiquista ao plantel: jogadores e treinadores.

TREINADOR
Pela primeira vez no Clube, vindo de um clube (ABC) de uma área (Porto e arredores) que manda na modalidade é uma incógnita. Tem “escola”, conhecimentos, experiência, ambição, mas é preciso perceber como vai reagir (e que margem lhe vão dar…) as estruturas que “põem e dispõem” numa modalidade que gravita em torno do FC Porto e das carradas de andebolistas, às fornadas que formatam “no Anti-Benfica” na (de) formação do clube e que todas as épocas espalham pelos clubes arregimentados: AA Águas Santas, Maia-ISMAI e AA São Mamede. 

Jorge Rito {estreia; ex- ABC de Braga}

NOTA: Segue-se a apreciação individual de um adepto (Alberto Miguéns), sem conhecimentos académicos da modalidade, baseados apenas naquilo que vê, sem pretensiosismo. Apenas opinião de Benfiquista.

GUARDA-REDES
Elemento sempre importante, em qualquer modalidade com balizas (futebol, futsal e hóquei em patins) adquire no andebol valor extra, por que é o guarda-redes (entre todas as outras modalidades) que está mais vezes em actividade (cerca de uma acção a cada três minutos), numa posição ingrata, por isso as Leis do Jogo protegem-lhe a cabeça, por estar exposta devida a defender de braços estendidos para aumentar a superfície de protecção da área da baliza. Além disso é fundamental no lançamento do contra-ataque, ao colocar a bola a mais de 20/25 metros.

João Ferreirinho (12) {27 anos; 97 kg; 1,92 m; 5 épocas (2006/07 a 2010/11) 223 jogos; 6 troféus oficiais: 1 Nacional, 1 Taça de Portugal, 2 Taças da Liga, 1 Taça Presidente da República e 1 Supertaça}

Ricardo Candeias (16) {31 anos; 83 kg; 1,88 m; 2 épocas (2009/10 e 2010/11); 106 jogos; 1 golo marcado; 2 troféus oficiais: 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça}

David Andersson (24) {26 anos; 90 kg; 1,91 m; ex- HK Malmoe (Suécia)}

Temos dois excelentes guarda-redes portugueses, talvez os melhores, entre os cinco mais consagrados de Portugal. Excelente idade, entre os 26 e os 32 anos, altos, esguios, ágeis, experientes, com capacidade para se revezarem. Temos ainda uma aquisição desta época, para suprimir a falta de um deles, pois João Ferreirinho recupera de lesão. Um guarda-redes - com uma biometria “exacta” – escandinavo, região europeia, onde se localiza uma das escolas com mais tradições no andebol mundial.

PONTAS
Andebolistas versáteis são os mais tecnicistas do plantel, pois exige-se que marquem golos de ângulos muito fechados, em rotação ou arrojo, rematando a bola com efeito, por vezes caprichoso. Na defesa devem fechar entre o central e a linha de fundo, ou seja são os únicos que não têm andebolistas dos dois lados. São muito importantes, por jogarem nas alas, no contra-ataque.

Direitos
São esquerdinos, pois os pontas direitos são obrigados a rodar para a esquerda, para conseguir ampliar o ângulo de “ataque” à baliza. A defender só coordenam com o lateral direito, ou seja, do seu lado esquerdo. Contra-atacam pela lateral direita.

David Tavares (5) {30 anos; 80 kg; 1,84 m; 2 épocas (2009/10 a 2010/11) 116 jogos; 572 golos marcados; 2 troféus oficiais: 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça}

António Areia (22) {21 anos; 91 kg; 1,91 m; 2 épocas (2007/08 e 2010/11) 59 jogos; 63 golos marcados; 4 troféus oficiais: 1 Nacional, 1 Taça de Portugal, 1 Taça Presidente da República e 1 Supertaça}

Temos no plantel o melhor ponta direito a jogar em Portugal (30 anos) e a melhor esperança portuguesa (21 anos).

Esquerdos
São dextros, pois os pontas esquerdos são obrigados a rodar para a direita, para conseguir ampliar o ângulo de “ataque” à baliza. A defender só coordenam com o lateral esquerdo, ou seja, do seu lado direito. Contra-atacam pela lateral esquerda.

João Pais (8) {23 anos; 77 kg; 1,84 m; 5 épocas (2006/07 a 2010/11) 235 jogos; 647 golos marcados; 5 troféus oficiais: 1 Nacional, 1 Taça de Portugal, 1 Taça da Liga, 1 Taça Presidente da República e 1 Supertaça}

Pedro Graça (15) {33 anos; 87 kg; 1,90 m; 1 época (2010/11) 66 jogos; 83 golos marcados; 2 troféus oficiais: 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça}

Temos dois bons andebolistas, pois à juventude e leveza (23 anos/ 77 kg) formada no SLB veio juntar-se na época passada a experiência e o peso (33 anos/ 87 kg). Rápidos a atacar/ contra-atacar, sólidos a defender.

LATERAIS
Jogadores importantes a defender, pois formam harmónio com pontas e central (e pivô), marcam muitos golos, de 2.ª linha, ou seja, de meia-distância.

Direitos
Jogam do lado direito, defendendo à esquerda com o central (ou pivô) e à direita com o ponta direito. No ataque, além de rematarem de meia-distância, são importantes a desfeitearem o bloco defensivo, jogando com o central (ou pivô) e com o ponta direito, servindo-os ou sendo servidos.

Cláudio Pedroso (10) {25 anos; 87 kg; 1,98 m; 7 épocas (2004/05 a 2010/11) 388 jogos; 1579 golos marcados; 6 troféus oficiais: 1 Nacional, 1 Taça de Portugal, 2 Taça da Liga, 1 Taça Presidente da República a e 1 Supertaça}

Inácio Carmo (77) {33 anos; 98 kg; 1,94 m; ex- FC Porto}

Esta temporada temos os dois melhores laterais direitos, um com 25 anos e na 8.ª temporada de “Manto Sagrado” depois de passar pela formação do “Glorioso”. Outro, mais experiente (33 anos), possante (98 kg) e batalhador.

Esquerdos
Jogam do lado esquerdo, defendendo à direita com o central (ou pivô) e à esquerda com o ponta esquerdo. No ataque, além de rematarem de meia-distância, são importantes a desfeitearem o bloco defensivo, jogando com o central (ou pivô) e com o ponta esquerdo, servindo-os ou sendo servidos.


João Lopes (7) {32 anos; 105 kg; 1,98 m; 4 épocas (2007/08 a 2010/11) 203 jogos; 384 golos marcados; 5 troféus oficiais: 1 Nacional, 1 Taça de Portugal, 1 Taça da Liga e 1 Supertaça} troféus oficiais: 1 Taça de Portugal, 1 Taça Presidente da República e 1 Supertaça}

Nuno Grilo (20) {24 anos; 90 kg; 1,92 m; ex- FC Porto}

Dois excelentes andebolistas, um mais experiente (32 anos) fundamental no equilíbrio da equipa e outro, mais jovem (24 anos) mas o melhor a jogar em Portugal.

CENTRAIS
São andebolistas de elevada qualidade técnico-táctica, fisicamente possantes, pois jogam – defendem e atacam - pelo centro. Reúnem um pouco de todos os outros (excepto de guarda-redes). Podem improvisar, momentaneamente, qualquer posição. São peças-chave nas manobras defensivas e atacantes, pois são eles que permitem o equilíbrio e harmonia da equipa.

Carlos Carneiro (18) {25 anos; 87 kg; 1,83 m; capitão desde 2010/11; 4 épocas (2007/08 a 2010/11) 216 jogos; 1682 golos marcados; 5 troféus oficiais: 1 Nacional, 1 Taça de Portugal, 1 Taça da Liga, 1 Taça Presidente da República e 1 Supertaça}

Nuno Roque (13) {24 anos; 87 kg; 1,83 m; 2 épocas (2009/10 e 2010/11); 116 jogos; 461 golos marcados; 2 troféus oficiais: 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça}

Temos o melhor andebolista português contemporâneo e provavelmente, a manter-se a níveis elevados nos próximos 5/6 anos, um dos melhores de sempre (capitão Carlos Carneiro). Nuno Roque é outro excelente andebolista (um ano mais novo) que permite uma rotação sem que a equipa perca qualidade.

PIVÔS
São elementos importantes, quer a defender ou a atacar, pois permitem variantes tácticas conforme as características dos adversários e tipo de jogo a desenvolver. Defendem, à zona ou ao adversário, permitindo vantagens numéricas, a nível táctico. Marcam muitos golos, da 1.ª linha, com infiltração entre os centrais adversários. São andebolistas muito possantes (cerca de 100 kg).

Rui Silva (19) {32 anos; 112 kg; 1,98 m; 5 épocas (2006/07 a 2010/11) 265 jogos; 928 golos marcados; 5 troféus oficiais: 1 Nacional, 1 Taça de Portugal, 2 Taças da Liga e 1 Supertaça}

João Pinto (17) {19 anos; 90 kg; 1,91 m; 1 época (2010/11) 3 jogos; 1 troféu oficial: 1 Taça de Portugal}

José Costa (54) {27 anos; 95 kg; 1,90 m; 1 época (2010/11) 57 jogos; 147 golos marcados; 2 troféus oficiais: 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça}

Temos um dos melhores pivôs portugueses (32 anos), e dois de gerações diferentes (27 anos – uma certeza e 19 anos – uma esperança) mas com margem de progressão elevada. Uma posição onde a excelência é digna de nota.

POLIVALENTE
Georgi Zaikin (9) {34 anos; 95 kg; 1,96 m; 5 épocas (2006/07 a 2010/11) 265 jogos; 1547 golos marcados; 6 troféus oficiais: 1 Nacional, 1 Taça de Portugal, 2 Taças da Liga, 1 Taça Presidente da República e 1 Supertaça}

Um jogador completo que é universal, fazendo qualquer lugar, sempre a nível elevado e com classe. Originalmente lateral esquerdo, vemo-lo jogar, sempre bem (quase não o lesionam) em várias posições. Um polivalente no plantel e na equipa. Uma preciosidade. Com “escola de andebol”. 

Um plantel de excelência
Jogadores de grande valia, num plantel que é o melhor – em teoria – desde os anos 80, quando dominámos a modalidade. E mesmo assim, nessa década, apenas conquistámos dois bicampeonatos e três Taças de Portugal consecutivas, quando tínhamos plantel para “abarbatar” oito, em Campeonatos Nacionais e Taças de Portugal, em dez…

Uma equipa para a Europa
Com o acesso à Taça Challenge vedado aos clubes de Alemanha e Espanha, onde se realizam os dois campeonatos que monopolizam os melhores andebolistas mundiais, o Benfica tem condições – pelos investimentos realizados – para conquistar, num futuro próximo este troféu. O “problema” é participar nessa competição, pois é a 4.ª em hierarquia, depois da Liga dos Campeões (“proibida” para clubes portugueses), Taça dos Vencedores das Taças e Taça EHF.

Um plantel sem paralelo (apenas com aproximação dos andróides) neste início de temporada. Mas… é o tempo que vai ser o melhor juiz. Vamos ver como esta equipa vai ultrapassar as enormes dificuldades que encontrará ao longo da temporada. Vamos perceber a solidariedade dentro do plantel. Que merece, inequivocamente, o apoio – Quota Suplementar (em dia) e incentivo na bancada do pavilhão n.º 2 – de TODOS OS BENFIQUISTAS.

PRÓXIMO JOGO

O adversário "que se segue" mora no Casal Vistoso, nas Olaias
Pelos resultados não é difícil perceber, que apesar de nas últimas três temporadas sermos muito superiores aos sapóides apenas registamos mais duas vitórias em duas dezenas de jogos. E em golos, estamos a perder por 28 golos, ou seja ganhamos mais (mas pouco e por escassa margem), mas quando perdemos, as derrotas são por margens mais dilatadas. A ter em atenção no domingo, não no próximo mas no seguinte, dia 13, na deslocação ao reduto do Sporting CP.

   DÉRBIES DE LISBOA EM ANDEBOL

OS ÚLTIMOS 20 JOGOS SLB vs SCP

Dérbi
N.º(1)
Ép.
Comp
S
V
E
D
349
08/
09
Torn
N
20-33 (3)
350
CN3
C
30-25 (5)
351
Torn
N
26-33 (7)
352
CN12
F
353
TLf
N
29-25 (4)
354
Torn
N
33-38 (5)
355
CN1/2f1
C
26-24 (2)
356
CN1/2f2
F
25-36 (11)
357
CN1/2f3
C
28-25 (3)
358
09/
10
Torn
N
30-29 (1)
359
CN2
F
28-37 (9)
360
CN13
C
25-24 (1)
361
CNF2
C
22-23 (1)
362
CNF7
F
23-27 (4)
363
10/
11
CN11
C
21-28 (7)
364
ST2
N
22-19 (3)
365
CN22
F
22-21 (1)
366
CNF5
C
25-24 (1)
367
CNF10
F
17-21 (4)
368
11/
12
Torn
N
24-22 (2)
369
CN11
F
370
CN22
C
TOTAIS
20 J - 11 - 0 - 9 (+ 23/ - 51)

(1)    Inclui 87 jogos em “Andebol de Onze”



Carrega BENFICA! O Futuro é (será) TEU!



Alberto Miguéns



NOTA (Plano de “Uma Modalidade Por Semana):



Publicadas:

(I)                          VOLEIBOL - 21 de Outubro de 2011

(II)                      FUTSAL – 27 de Outubro de 2011



Próximas:

(IV)       BASQUETEBOL

 (V)        HÓQUEI EM PATINS




Observação: Há um comentário (o primeiro) que merece ser lido


6 comentários
comentários
  1. Não gosto de falar mal dos nossos atletas, mas acho que a visão é demasiado rosada para a realidade. Na baliza o Candeias é fabuloso, mas o Ferreirinho, talvez por ter perdido a titularidade absoluta com a entrada do Candeias tornou-se um pouco mais irregular, grandes exibições mescladas com exibições em pouca ou nenhuma diferença faz. Na ponta direita o Tavares é muito bom, mas também tem alguns problemas de regularidade falhando por vezes golos fáceis em contra-ataque, o seu ponto forte, e no ataque planeado é mais fraco pois opta pouco por rematar picado ou em rosca em detrimento do chapéu (pouco eficaz). Confesso que não tenho uma opinião formada do Areia. Na lateral direita, o Pedroso tinha desde jovem, todas as condições para ser o melhor jogador português dadas as suas fantásticas condições naturais, porém foi mal trabalhado fisicamente, tem pouca potência de remate para a sua envergadura e muitas lesões. Pedroso alterna o bom com muitos remates falhados (defesas dos gr) quer por deficiência de potência, algo que se vê bem nos jogos internacionais, quer por pouca colocação no remate. Quanto ao Inácio Carmo fez muitas épocas de alto rendimento nos porcos, será que ainda tem condições físicas para jogar ao mais alto nível ? A ponta esquerda parece-me ser o sector mais fraco da nossa equipa, graça está em fim de carreia e João Pais, apesar de ser filho de quem é, não me parece que passe muito da mediania. Como pivôs acho que o Benfica está magnificamente servido, mesmo em termos internacionais, quer Rui Silva (fantástico) quer José Costa (um pouco menos consistente) são dois pivôs com tudo o que necessitam, envergadura, força, inteligência, técnica, enfim, muito completos e por isso por vezes os treinadores apostam em jogar com os 2 ao mesmo tempo. O José Costa deve moderar um pouco a agressividade na defesa para não ser tantas vezes excluído. Lateral esquerdo temos aquela que eu acho ter sido a melhor contratação do Benfica, assim não mostre ser mais um daqueles morcões que quando chegam ao Benfica deixam de parecer que sabem jogar, tipo tó neves(eu sei que é do hóquei mas é para dar um exemplo de sub-rendimento) e outros que tais. Nuno Grilo é um grande jogador e além disso permite que Carlos Carneiro jogue como Central em vez de no ataque estar sempre a jogar como lateral esquerdo. João Nunes é útil na defesa. Em relação ao Zaikin, acho que em tantos anos de Benfica nunca conseguir fazer muitos jogos a alto nível. Carlos Carneiro é só o melhor jogador português desde o Carlos Resende e não sei se não será mesmo melhor do que ele foi. O Nuno Roque é um central bom, mas que obviamente com a entrada do Nuno Grilo vai perder peso na equipa. Numa apreciação global, acho que a ponta esquerda é o sector menos forte, mas acho que temos equipa que chega e sobra para ganhar o campeonato,a taça e todas as competições nacionais. Para mim, o factor decisivo, ainda mais que os jogadores é o treinador, visto que desde que saíu o Donner, talvez me saibas explicar porque saíu o melhor treinador que já passou por Portugal, o José António Silva por muito que soubesse de andebol era um fraco condutor de homens, não conseguindo manter a concentração da equipa numa base permanente e por isso somámos derrotas que nos afastaram dos títulos, visto o campeonato ser uma prova de regularidade. Que opinião tens do Rito, eu não sei se ele saberá trabalhar fora do meio que sempre conheceu (Braga). Ainda assim estou expectante por conquistar o título numa modalidade em que o Benfica tem atraso frente aos tripas e sapóides, ainda para mais quando tenho tradição familiar nessa modalidade.

    ResponderEliminar
  2. Uma opinião que considero poder ser mais válida que a minha

    Alberto Miguéns

    ResponderEliminar
  3. Visto que já observou vários jogos na luz, gostava de saber que sensdações lhe transmite o treinador em termos de relação com os jogadores, algo que se percebe nos descontos e antes dos jogos. Como acompanha o Benfica mais de perto do que eu, hoje em dia eu a quase 300 km de distância, gostava de saber porque razão o Donner saíu do Benfica ? Porquê essa tendência para a auto-fagia de despedir um treinador campeão cujo único intuíto é ser sempre campeão - se o currículo dele antes de chegar ao SLB e no SLB não mostrasse isso, depois veio para o Gil Eanes e transformou uma equipa de quase sempre numa equipa campeã.

    ResponderEliminar
  4. Ponto 1. Apesar de 6 jogos na Luz (vi 4) a relação parece-me marcada pelo facto dos jogadores sentirem que estão "em dívida" pois ficar em 4.º lugar (2010/11) com tão bons jogadores não é nada agradável. Eles estão a fazer tudo para mostrar que também "sabem" jogar no colectivo. Nesta fase da época sinto isso...

    Ponto 2. eu também gostava (e muito) do Donner. Mas... quem se relaciona com ele, diz que tem um feitio impossível, intratável, complicativo com tudo e todos, ou seja, as relações desgastam-se muito. E "isto" agrava-se quando está à frente de um plantel que lhe permite ganhar. Custa-me mas eu estou "de fora", por isso admito que mau ambiente não é nada bom, antes pelo contrário...

    ResponderEliminar
  5. em termos europeus qual é a nossa história no andebol? Têm ideia da época em nos estreamos nas competições europeias da modalidade?

    ResponderEliminar
  6. Caro Benfiquista

    A resposta mereceu um texto autónomo publicado às 00.00 de 17 de Novembro de 2011.

    Alberto Miguéns

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail