Mais Uma Mentira Contada Muitas Vezes - Em Defesa do Benfica
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

22/03/2018

Mais Uma Mentira Contada Muitas Vezes

22/03/2018 + 5 Comentários API
NO FUTEBOL PORTUGUÊS INVENTAM-SE CENTENAS DE MENTIRAS E SE CONTABILIZARMOS A ESTATÍSTICA DE JOGOS E FUTEBOLISTAS SÃO DEZENAS DE MILHARES. IMPRESSIONA A FALTA DE RIGOR E A REPETIÇÃO. 


Muito se emprenha pelos ouvidos no «Futeluso». Uma das mentiras é dizer e escrever-se que a vinda de José Augusto para o Benfica foi na sequência de uma traição do Benfica/Béla Guttmann ao FC Porto.

A mentira
Em 1958/59 (a partir da sua chegada a Portugal em 1 de Novembro de 1958) Béla Guttmann foi treinador do FC Porto e José Augusto futebolista do FC Barreirense. Pouco antes de terminar a temporada o Benfica "apalavrou" Guttmann como treinador para 1959/60 e contratou cinco futebolistas, incluindo José Augusto. Logo os portistas começaram a intoxicar a Imprensa dizendo que o treinador não só traíra o FC Porto como "desviara" para o Benfica futebolistas que pensava para reforçar o FCP em 1959/60. 


Agradecimento ao Benfiquista Mário Pais que enviou esta digitalização pela tarde de 23 de Março de 2018 

A verdade
Próximo do final da temporada de 1958/59 os dirigentes (da Direcção do SLB) pressionaram o presidente Maurício Vieira de Brito que a metodologia Otto Glória - no SLB desde 1954/55 - estava esgotada. Era necessário renovar o grupo de técnicos da equipa de Honra. Gastão Silva (braço direito do presidente Maurício Vieira de Brito para assuntos do futebol que envolvessem financiamento) sugeriu o treinador do...FC Porto. O presidente disse que isso seria impossível pois estava comprometido com o FCP. Gastão Silva disse que no Futebol nunca há impossíveis sem saber o que pensam as pessoas. O presidente autorizou-o a viajar até à cidade do Porto. Foi de comboio. Gastão Silva ao falar com Béla Guttmann ficou surpreendido. O treinador disse logo que sim! Gastão Silva espantado disse: «Mas o FC Porto foi campeão nacional!» Béla Guttmann retorquiu. «Mas o Benfica tem os melhores jogadores e é o maior clube de Portugal. O "siñor Silva" deve saber que eu defrontei o Benfica duas vezes no campeonato e vi a final da Taça de Portugal. E vi outros jogos do Benfica! Claro que se o Benfica quiser eu serei o vosso treinador em 1959/60». E foi! 

O inequívoco
Como é que em final da temporada de 1958/59 José Augusto iria para o FC Porto - apesar de verbalmente o próprio José Augusto sempre ter dito e continuar a dizer que é mentira - se um ano antes, em 5 de Março de 1958, na página 1 e 8 do jornal "Mundo Desportivo" foi publicada a seguinte entrevista.


Deixem-se de invenções. José Augusto foi peremptório em 1958. A 5 de Março. Béla Guttmann só chegou a Portugal em 1 de Novembro. Muito se mente no futebol em Portugal!

Alberto Miguéns



NOTA: José Augusto estava eternamente agradecido ao Benfica, pelo menos desde, 29 de Abril de 1945, tinha José Augusto oito anos e 16 dias quando o Benfica foi ao Barreiro participar na Festa de Homenagem ao seu pai (Alexandre de Almeida) que estava gravemente doente. Nunca mais esqueceu este gesto de solidariedade do Benfica!


O futebolista de branco (do Luso FC Barreiro) é Alexandre de Almeida, ou seja, o pai de...José Augusto quando jogava no Luso FC antes de transferir-se para o FC Barreirense

5 comentários
comentários
  1. Tudo clarinho e bem explicadinho como é apanágio deste Historiador. Não pente fino do Miguéns, não há piolho que escape!

    José Augusto e Saraiva foram dois pedidos do Mago.

    ResponderEliminar
  2. A por os pontos nos is. Muito bem. Nada como ler testemunhos em discurso directo, pessoal e claro.

    Como o Alberto melhor deve saber as duas historietas das traições de Guttmann e de José Augusto são muito antigas. Lembro-me de a ter lido num texto publicado na antiga revista Foot pelo falecido jornalista Neves de Sousa, sportinguista dos 7 costados. Desconheço se foi ele a fonte original ou se a ouviu também e tratou de a contar.

    Guttmann era profissional e um homem que sabia muito de futebol. Quando acabou o contrato com o FCP e era livre de ir para onde queria. E como sabia de futebol escolheu o melhor Clube, com os melhores jogadores. A história provou que ele tinha razão. O FCP afundou-se numa seca de títulos de quase 20 anos e o SLB foi bicampeão europeu, finalista múltiplas vezes, diversas vezes tricampeão nacional, etc, etc. Depois terminou o contrato e escolheu ir para o Penarol. E lá no FCP ficaram tão ou tão pouco ressabiados que mais de 10 anos depois ainda contrataram Guttmann quando já estava em final de carreira (não ganhou nada como era de esperar). Coerência à FCP ou treta à FCP? Provavelmente as duas, misturadas num balde.

    E sabia da história de gratidão de José Augusto para com o SLB por via do seu Pai. Não conhecia era a entrevista que é absolutamente conclusiva.
    Muito bom. Obrigado.

    ResponderEliminar
  3. Mais um conteúdo excelente. Muito obrigado!
    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  4. Vou a caminho dos 72 anos, espero lá chegar em agosto, e sempre me lembro da haver essa polémica relacionada com o Guttmann por parte do Porto que apesar de campeão preferiu o Benfica. Julgo até que na primeira época no Benfica nem acompanhou a equipa devido a ameaças. Já naquele tempo havia outros madureiras. Recordo, ainda, relativamente ao Zé Augusto ele ter sempre afirmado que ao sair do Barreirense gostaria que fosse para o Benfica, porque nessa altura se dizia que o Guttmann não o quis no Porto, porque sabia que na época seguinte iria para o Glorioso.

    ResponderEliminar
  5. Eu diria: tiro no porta-aviões. E ao fundo com o barco da treta!

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail