A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

06/11/2016

Olhos Nos Olhos! Rabiscos Valem Zero!

06/11/2016 + 4 Comentários
35 TÍTULOS, 13 VITÓRIAS: É TRÊS VEZES MENOS DIFÍCIL CONQUISTAR TÍTULOS DE CAMPEÃO NACIONAL QUE VENCER NO TERRENO DO FC PORTO.



Nos “Clássicos de Portugal” pouco há a dizer antes deles ocorrerem. O melhor é esperar pelo final do jogo de hoje. Mas o Benfica é favorito. O Benfica é Tricampeão Nacional. Tem de mostrar que não é por acaso nem obra de terceiros. Não vai ser fácil. Em números e estatísticas é o jogo mais complexo do SLB em 82 campeonatos nacionais. Derrotas: 61 por cento; Vitórias: 16 por cento. Sem Grimaldo e...Fejsa, pode ser mais difícil, mas o Benfica vai iniciar o jogo com onze futebolistas e com zero-a-zero. Não vai ser fácil? Nunca foi, mas o FC Porto terá de assumir o “factor casa” e os cinco pontos de desvantagem. O “Glorioso” tem de saber ser sagaz e dar a "machadada final” quando se proporcionar! Que a sorte e capacidade de superação esteja connosco!

Só quem está aflito - por pressão dos adeptos (pelo menos estes para não ser intriguista) - puxa de rabiscos para dar lições de portismo!
Na História do Futebol - últimos cinquenta anos - não há memória de um guarda-redes conseguir ter sucesso como treinador. Só se um «frangueiro» for excepção!



Previsão pessoal (tendo em conta o que penso ser o critério de Rui Vitória):
Titulares; Suplentes; Convocados não utilizados
(clicar em cima da imagem para obter melhor visualização)
NOTA: Minutos jogados; Titular; Suplente utilizado; Suplente utilizado substituído; Titular substituído que reentrou; Suplente não utilizado; Convocado não utilizado; L - Lesionado; F – Férias; NC – Não convocado; NI – Não inscrito; SN – Convocado para selecções nacionais; A – Assistências para golo; G – Golos

Na relação vitórias “fora” e títulos já houve de tudo
Em 35 campeonatos conquistados o Benfica já venceu o duplo confronto – casa/fora – em quatro edições (1942/43, 1949/50, 1971/72 e 1976/77). Vencer apenas no terreno do FC Porto, também em quatro conquistas: 1962/63, 1974/75, 1975/76 e 1990/91 (o mítico 2-0 de César Brito). Ou vencer apenas numa das “Catedrais”, em vinte e uma edições. Depois há duas conquistas com duplo empate: 1963/64 e 1988/89. E três edições sem vencer, com um empate e uma derrota: 1968/69, 1970/71 e 2004/05. Até perder os dois jogos (0-1 e 1-2) como na temporada passada e ser campeão nacional. Chegou a época (2016/17) e o título (36.º) para regressar à dupla vitória: primeiro lá e cá…depois!

82 CAMPEONATOS NACIONAIS
ÉPOCA
Melhor
Pior
FORA
CASA
1934/35
1
3.º
1-2
3-0
1935/36
1
2.º
2-2
5-1
1936/37
2
4.º
1-2
6-0
1937/38
3
2.º
2-2
3-1
1938/39
2
3.º
3-3
4-1
1939/40
3
4.º
2-4
2-3
1940/41
2.º
4.º
2-5
3-2
1941/42
4
4.º
1-4
5-1
1942/43
5
7.º
4-2
12-2
1943/44
2.º
4.º
2-2
6-3
1944/45
6
4.º
3-4
7-2
1945/46
2.º
6.º
2-0
4-0
1946/47
2.º
3.º
2-3
4-0
1947/48
2.º
5.º
2-0
4-1
1948/49
2.º
4.º
3-4
1-1
1949/50
7
5.º
1-0
3-2
1950/51
2.º
3.º
2-5
0-2
1951/52
2.º
3.º
0-3
2-0
1952/53
2.º
4.º
1-2
2-1
1953/54
2.º
3.º
3-5
2-2
1954/55
8
4.º
0-3
1-0
1955/56
4
2.º
0-3
1-1
1956/57
9
2.º
0-3
3-2
1957/58
2.º
3.º
0-1
2-3
1958/59
5
2.º
0-0
1-1
1959/60
10
4.º
2-2
2-1
1960/61
11
3.º
2-3
2-0
1961/62
2.º
3.º
1-2
1-1
1962/63
12
2.º
2-1
1-2
1963/64
13
2.º
1-1
2-2
1964/65
14
2.º
0-1
4-0
1965/66
2.º
3.º
0-2
3-1
1966/67
15
3.º
1-1
3-0
1967/68
16
3.º
1-1
3-2
1968/69
17
2.º
0-1
0-0
1969/70
2.º
9.º
2-1
2-0
1970/71
18
3.º
0-4
2-2
1971/72
19
5.º
3-1
1-0
1972/73
20
4.º
2-2
3-2
1973/74
2.º
4.º
1-2
2-1
1974/75
21
2.º
3-0
0-1
1975/76
22
4.º
3-2
2-3
1976/77
23
3.º
1-0
3-1
1977/78
6
2.º
1-1
0-0
1978/79
7
2.º
0-1
1-1
1979/80
2.º
3.º
1-2
0-0
1980/81
24
2.º
1-2
1-0
1981/82
2.º
3.º
1-2
3-1
1982/83
25
2.º
0-0
3-1
1983/84
26
2.º
1-3
1-0
1984/85
8
3.º
0-2
0-1
1985/86
9
2.º
0-2
0-0
1986/87
27
2.º
2-2
3-1
1987/88
10
2.º
0-3
1-1
1988/89
28
2.º
0-0
0-0
1989/90
11
2.º
0-1
0-0
1990/91
29
2.º
2-0
2-2
1991/92
12
2.º
0-0
2-3
1992/93
13
2.º
0-1
0-0
1993/94
30
2.º
3-3
2-0
1994/95
14
3.º
1-2
1-1
1995/96
15
2.º
0-3
2-1
1996/97
16
2.º
1-3
1-2
1997/98
17
2.º
0-2
3-0
1998/99
18
3.º
1-3
1-1
1999/00
2.º
3.º
0-2
1-0
2000/01
2.º
6.º
0-2
2-1
2001/02
3.º
4.º
2-3
0-0
2002/03
19
2.º
1-2
0-1
2003/04
20
2.º
0-2
1-1
2004/05
31
2.º
1-1
0-1
2005/06
21
3.º
2-0
1-0
2006/07
22
3.º
2-3
1-1
2007/08
23
4.º
0-2
0-1
2008/09
24
3.º
1-1
1-1
2009/10
32
3.º
1-3
1-0
2010/11
25
2.º
0-5
1-2
2011/12
26
2.º
2-2
2-3
2012/13
27
2.º
1-2
2-2
2013/14
33
3.º
1-2
2-0
2014/15
34
2.º
2-0
0-0
2015/16
35
3.º
0-1
1-2
2016/17

Fora:  082 J – 13 V – 19 E – 50 D     095/162
Casa:  082 J – 42 V – 25 E – 15 D     165/083
Total:  164 J – 55 V – 44 E – 65 D    260/245
                                    (- 10 V)                         (+ 15)

Em jeito de conclusão
O FC Porto é o único clube (dos 71 que já jogaram no principal escalão do futebol português) que apresenta vantagem no confronto directo, com mais uma dezena de vitórias. Apenas nos golos está em desvantagem (15 golos de diferença). Em 2001/02 os dois clubes estavam iguais. Cinquenta vitórias para cada um e 36 empates. Nas últimas catorze temporadas (28 jogos): cinco vitórias, oito empates e 15 derrotas. Urge inverter esta iniquidade. Mais oito títulos (35/27) devia significar mais vitórias (em vez de mais derrotas) em 164 jogos. Só mais de vinte anos de vigarice, por exemplo com dez derrotas consecutivas no terreno do FCP, entre meados dos anos 80 e 2004/05, subverteu os números! Vai levar tempo! O clube portista está no fio da navalha! Começa hoje...

Carrega Benfica

Alberto Miguéns

4 comentários
comentários
  1. Caro Dr Alberto,

    Atente na contradição patente na sua conclusão final :

    "Em 2001/02 os dois clubes estavam iguais. Cinquenta vitórias para cada um e 36 empates. Nas últimas catorze temporadas (28 jogos): cinco vitórias, oito empates e 15 derrotas. Urge inverter esta iniquidade. Mais oito títulos (35/27) devia significar mais vitórias (em vez de mais derrotas) em 164 jogos. Só mais de vinte anos de vigarice, por exemplo com dez derrotas consecutivas no terreno do FCP, entre meados dos anos 80 e 2004/05, subverteu os números!"

    Vejamos, em 2002 o balanço vitórias&derrotas prevalecia então um "empate tecnico", entretanto acabaram as "vigarices" que permitiram ao FC Porto vencer duas T Europeias consecutivas (com uma Champions), isto no legado de Mourinho. Todavia, o FC Porto entre 2004&05 e 2015/16, venceu 5 partidas na Luz para o Campeonato, quando no seu total venceu 15 jogos como visitante em Lisboa, isto é, a vantagem do FC Porto alargou-se sobretudo nas ultimas 12 temporadas sobretudo na nova Luz, justamente quando terminaram as "vigarices"...

    Mas é curioso, o "Bieira", ilustre dragão de ouro como sócio da década do FC Porto (os Portistas da Graça nunca se esquecem do benemerito Bieira, e do Deco), mas o "homem da inteira confiança do Senhor Pinto da Costa", é o Presidente do Benfica (ou será Sport Bieira?) que acumula mais derrotas com o FC Porto para o Campeonato, em 13 temporadas, soma 13 derrotas, e apenas 5 vitórias, é obra!

    Dr Alberto, estive para participar no post de ontem, quando abordou os Tris, curioso, o Sporting tinha uma pontaria em ser Campeão em ano de Mundial, isto no Estado Novo, aquilo era "matemática pura", mas houve então uma pequena traição cometida pelo relógio da Sé de Évora (naquele Domingo estava atrasado), e o Inocencio Calabote que tinha o habito de acertar o seu relógio pelo da Sé de Evora, daí, não ter levado o Benfica CUF para prolongamento (tal como fez recentemente o Paixão em Paços), e em Torres Vedras o argentino Valdivieso, não conseguiu fazer milagres no banco do Torreense, e assim se perdeu mais um Tri "matemático"!

    Saudações des_Portistas dos desgraçados da Graça

    P.S. Amanhã pela meia noite, virei aqui ao seu blog, dar-lhe os parabéns ... O FC Porto irá com certeza evitar o primeiro golo, e depois evitar a goleada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro,

      1. Não há contradição alguma. Os números tanto têm um valor absoluto como relativo (por comparação). O SLB sempre teve dificuldade em vencer o FCP na situação "fora" (Constituição, Lima, Ameal, Antas, etc). O máximo de vitórias que o "Glorioso" teve de avanço foram dez (39 V - 18 E - 29 D) em 1976/77, ou seja, com 43 campeonatos nacionais disputados: 23 títulos para o SLB e cinco (cinco!) para o FCP, ou seja, apenas mais dez vitórias (em 86 jogos) e no entanto mais 18 troféus de campeão nacional. Isso quer dizer que "perdeu" essa vantagem de dez até 2001/2002 (necessitando de fazer jogos estoicos como o de 1990/91) e depois perdeu mais dez. Fazendo a contabilidade perdeu a vantagem de dez em 25 edições (30 jogos) entre 1977/78 e 2001/02. Nos 28 jogos seguintes (14 temporadas) o FCP "afastou-se" dez vitórias. Ou seja, são muito mais épocas do que quer fazer crer. Porque o SLB chegou a ter essa vantagem de dez triunfos. Embora nunca por larga margem. Por períodos de 20 épocas/40 jogos:

      1934/35 - 1953/54 - + 6 (20 V - 6 E - 13 D) SLB com 7 títulos e FCP com três;

      1954/55 - 1973/74 - + 2 (15 v - 12 E - 13 D) Total: + 8 // SLB com 20 títulos e FCP com cinco;

      1974/75 - 1993/94 - (- 3) (11 V - 15 E - 14 D) Total: + 5 // SLB com 30 títulos (em 60 edições/50 por cento) e FCP com 13;

      1994/95 - 2015/16 (22 épocas) - (- 15) (9 V - 11 E - 24 D) Total: - 10 // SLB com 35 títulos e FCP com 27.

      2. As vigarices generalizadas e impunes terminaram. Mas Pedro Proença encarregou-se de fazer a diferença. E muitas das 65 vitórias (50 + 15) do FCP foi com mérito (mais capacidade) do FCP e demérito/incapacidade do SLB. Isto desde 1934/35. Mas há muitas - depois de final dos anos 80 - que foram "apitadas". Jamais seria possível numa competição a duas voltas (casa/fora) um Clube ter mais oito títulos que outro e ter menos dez vitórias. E se sempre foi difícil vencer o FCP até final dos anos 80 isso era visível mas estava dentro da lógica. O SLB tinha pouco mais, mas tinha...mais.

      2. O meu presidente responderá por ele. Eu não posso justificar as suas atitudes enquanto sócio do FCP. Mas não foi dragão de ouro. Foi associado do FCP durante 24 anos e "não necessitava de bater à porta" do sr. Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa, mas não tenho conhecimento que fosse dragão de ouro, muito menos ilustre e até nem a roseta de prata chegou! Eu nem que me pagassem as quotas e ainda me pagassem uma mensalidade (ou seja lucrar com o FCP) aceitava ser associado do FCP ou de qualquer outro clube. Mas eu só respondo por mim. E se lê este blogue - e estimo que o faça - sabe que desde que ele existe (28 de Fevereiro de 2011) que quando não concordo escrevo-o. É assim Ser Benfiquista. Crítico e responsável, dando exemplos e assumindo a divergência. Tolerância democrática. Por isso nunca poderia ser portista à Pinto da Costa.

      3. De facto o SCP beneficiou do facto do SLB ter sempre muitos futebolistas a jogarem (e a lesionarem-se) na Selecção Nacional na parte decisiva dos apuramentos para os Mundiais, que era o segundo semestre anterior ao ano da fase final, "apanhando" o início da temporada: 1961/62, 1965/66, 1969/70 e 1973/74. Agora se isso teve ou não implicações jamais se saberá. Pode ser apenas uma coincidência, embora quatro coincidências seja "muita coincidência".

      Eliminar
  2. 4. Como sabe - ao ler este blogue - Calabote foi teimoso. Disse que o jogo tinha tido início à "hora certa" e foi mentira. Todos os jornais escreveram acerca disso. O SLB atrasou propositadamente o jogo para terminar depois do jogo em Torres Vedras. A FPF por causa do relatório do árbitro - que não mencionava isso - não pôde multar o Benfica por ter atrasado o início do jogo. Tudo o resto são fantasias. Deu 3 ou 4 minutos de compensação no final. Não expulsou nenhum futebolista do GD CUF e das grandes penalidades só houve dúvida numa que por ser obstrução dentro da grande área podia ser livre indirecto. Em Torres Vedras é que houve duas expulsões de jogadores da "equipa da casa"! O FCP marcou três golos sempre em superioridade numérica. O 1-0 porque um jogador do SCU Torreense estava a receber assistência médica por ter levado uma cacetada de um portista mauzão, o 2-0 frente a dez e o 3-0 frente a nove adversários. Além disso o Benfica esteve mais de dez minutos (6/7 por ter começado depois e 3/4 por descontos) a saber que se marcasse um golo o FCP não seria campeão e não conseguiu. Se Calabote quisesse tinha conseguido. Se com Pedro Proença o FCP conseguia tanto. Recorda-se!?

    5. E não seria TRI pois o SCP foi campeão em 1957/58 e este jogo frente ao GD CUF permitiu ao FCP ser campeão nacional, em 1958/59, com Béla Guttmann.

    TRIgloriosas Saudações

    Alberto Miguéns

    NOTA: Logo se vê. Vamos esperar pelo jogo. Mesmo que o SLB jogue mal que ganhe! O FCP no último Clássico jogou mal e ganhou! Amor com amor se paga!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Dr Alberto,

      Grato pela sua resposta, e elevação, já o afirmei, e repito, respeito muito o seu benfiquismo puro e altruísta.

      Bom, quando apontei o dedo ao relógio da Sé de Évora ou ao sacristão, e esse facto ter feito abortar mais um Tri do Benfica, recordo-lhe que caso o Benfica tivesse vencido o Campeonato 1958/59, teria sido Tri Campeão, curiosamente Bella Guttmann, foi justamente Tri Campeão (o unico Treinador Tricampeão em Portugal por dois Clubes distintos, Jesus esteve perto de o replicar na temporada passada). Curioso, Guttmann entra em Portugal pela porta FC Porto, no dia dos finados de 1958, e despede-se de Portugal no ano da revolução de Abril de 1974, pela mesma porta, FC Porto!

      "...Selecção Nacional na parte decisiva dos apuramentos para os Mundiais, que era o segundo semestre anterior ao ano da fase final, "apanhando" o início da temporada: 1961/62, 1965/66, 1969/70 e 1973/74."
      (omisso está o Campeonato Mundial da Suécia em 1958, e "precisão matemática" Sporting Campeão Nacional na temporada 1957/58, mais uma coincidência" para juntar).

      Sobre ex G Redes, posteriormente Treinadores, também é curioso, o FC Porto tem um numero inusitado de ex G Redes como Treinadores, o Nuno é o 5º, recordo-os:
      Mihaly Siska, Bi Campeão na década de 30!
      Dorival Knipel, mais conhecido por Yustrich o "homão", conquistou a primeira "dobradinha" para o FC Porto em 1956!
      Aimoré Moreira, nada venceu no FC Porto, mas relevo o facto de ter lançado o imberbe Fernando Gomes, ainda junior com 17 anos como titular, e na estreia ter marcado à CUF, jornada 1 Campeonato 1974/75!
      Lopetegui, actual Seleccionador de Espanha, também nada venceu, mas tal como Aimoré, também lançou um junior com 17 anos como titular, Ruben Neves, e em estreia também marcou tal como Gomes, neste caso ao Maritimo jornada 1, Campeonato 2014/15!

      Finalmente o Nuno, irá com certeza lutar pelo 3º lugar com o Sp Braga neste Campeonato, sobretudo para assegurar o play off Champions, e talvez assegurar a presença 22ª do FC Porto na Champions, mas via play off!

      Hoje, o jovem André Silva completa 21 anos de idade, e a talhe de foice, vou-lhe deixar os 10 melhores marcadores do FC Porto, em partidas para o Campeonato com o Benfica :
      Monteiro da Costa 10 golos (era médio).
      António Santos, Araujo e Fernando Gomes, todos com 8 golos.
      Correia Dias e Hernâni, ambos fizeram 7 golos em Clássicos com o Benfica.
      Vital, Teixeira, Lemos e Jardel, todos com 6 golos cada.

      Menção honrosa para o anafado Lemos, na mesma temporada 1970/71, assinou um poker nas Antas, e bisou na Luz, 6 golos na mesma temporada desportiva, confesso que nem sei se o Senhor Eusébio também o terá feito!

      Dr Alberto, qual o melhor marcador do Benfica em clássicos com o FC Porto? Terá sido Eusébio, ou Julinho que numa só partida fez 5 golos ao FC Porto, isto na década de 40?

      Saudações des_Portistas

      Eliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail