A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

25/07/2016

4 de Maio de 1949

25/07/2016 + 1 Comentários
O DIA QUE NUNCA DEVERIA TER EXISTIDO.


A quarta-feira acordou radiante ainda com os acontecimentos da véspera. Um excelente jogo de futebol. O AC Torino derrotado por 3-4 num jogo com "estórias" (diz-se que foi a segunda derrota fora de Itália desde 1940) e um jantar magnífico oferecido por "todo o Benfica" a "todo o AC Torino" onde se fizeram promessas.

Jogo desforra
Os italianos ficaram muito desgostosos com a derrota. Nunca pensaram ser possível. Pediram gentilmente para ser-lhes concedido um novo jogo. Foi agendado um encontro, a 19 de Junho, em Turim. Mazzola concedeu, após o jogo do dia 3 de Maio, aquela que ficou para a história como a última entrevista, à revista "Flama":

(clicar em cima para visualizar com mais pormenor)


Despedida emocionada de Francisco Ferreira
Uma delegação do "Glorioso" deslocou-se ao aeroporto da Portela para se despedir da delegação do AC Torino. Já nos últimos momentos Francisco Ferreira abraçou Mazzola e os restantes futebolistas do clube de Turim, oferecendo-lhes lembranças. Mazzola disse a Francisco Ferreira: «A Itália joga contra a Áustria no dia 22, em Florença. Estás convidado por nós para ires assistir». E foi entre abraços e risos de satisfação que os homens do AC Torino entraram no avião. Mazzola, já na escada de acesso ao interior do avião, ainda se voltou para dizer a Francisco Ferreira: «Adeus, até Turim!»


Viagem fatídica
O avião descolou do aeroporto, pelas 9:46 com 31 pessoas a bordo: um funcionário da companhia de aviação (ALI), três tripulantes, três jornalistas italianos, três dirigentes do clube, treinador, director desportivo, massagista e os 18 futebolistas do AC Torino. Pelas 12:07 horas de Portugal, fez uma escala técnica em Barcelona (cerca de 90 minutos, o tempo de um jogo de futebol) para reabastecimento. E seguiu rumo a Turim.



Mau tempo a criar dificuldades
Quando o avião sobrevoava o território italiano, um violentíssimo temporal começou a dificultar-lhe o voo. Chuva e vento fustigavam o avião. O piloto Pierluigi Meroni comunicou à torre de controlo (pelas 16:59 de Itália, 15:59 de Portugal) que estava a sobrevoar Pino Torinese, vila na colina de Turim, que do ponto de vista aeronáutico está a escassas centenas de metros de Superga. Meroni gracejou: «Podem preparar o café que estamos a chegar». O avião dirigia-se para o aeroporto Aeritalia, em Collegno/Turim.



Como foi possível?
De súbito no subúrbio de Turim, o avião chocou com a base do torreão traseiro da Basílica instalada no topo da colina de Superga, a poucos quilómetros, do aeroporto de Turim, despenhou-se e incendiou-se em chamas mortais, numa violenta explosão, num braseiro de ferro retorcido e cadáveres carbonizados, reduzindo a cinzas os corpos dos malogrados passageiros e tripulantes. Eram 17:05 horas (16:05 em Portugal). Horrível. Devastador. A investigação deu duas hipóteses para justificar o acidente:
1. O altímetro avariou-se. Marcava 2000 metros de altitude e o aparelho, afinal, estava apenas a 600 metros do solo. Possibilidade resultante do forte electromagnetismo devido à tempestade;
2. Uma forte rajada de vento ou qualquer outro fenómeno atmosférico inesperado conseguiu alterar a rota normal do avião, que perdeu o controle, aproximando-se fatalmente da encosta na colina, batendo com uma das asas, despenhando-se de imediato.


Dia 4 de Maio de 1949. O dia que nunca deveria ter existido! 



Para que estas primeiras páginas fossem ficção! 

Alberto Miguéns

 

NOTA: Agradecimento a Andrea Ragusa pelo auxílio com indicações preciosas e ao Benfiquista Mário Pais que cedeu as fichas biográficas dos futebolistas do AC Torino. Estas são da responsabilidade da (excelente) revista italiana GUERIN SPORTIVO n.º 12/13 (22 de Março/4 de Abril de 1989).


ETERNO MEMORIAL PARA O BENFIQUISMO

BACIGALUPO

BALLARIN I

BALLARIN II

BONGIORNI

CASTIGLIANO

FADINI

GABETTO

GRAVA

GREZAR

LOIK

MOROSO

MARTELLI

MAZZOLA

MENTI

OPERTO

OSSOLA

RIGAMONTI

SCHUBERT

TÉCNICOS

Leslie LIEVESLEY
Treinador
Inglaterra; 37 anos

Ernö ERBSTEIN
Director desportivo
Hungria; 50 anos

Osvaldo CORTINA
Massagista
Itália; 58 anos


DIRIGENTES

Arnaldo AGNISETTA
Director geral 
Itália

Ippolito CIVALLERI
Conselheiro/ "Consiglieri" 
Itália

Andrea BONAIUTI
Responsável pelos jogos
Itália


IMPRENSA

Renato CASALBORE
"Tuttosport" (director e fundador)
Itália

Luigi CAVALLERO
"La Stampa" (jornalista)
Itália

Renato TOSATTI
"Gazzetta del Popolo" (jornalista)
Itália

TRIPULAÇÃO

Pierluigi MERONI
Comandante
Itália

Antonio PANGRAZI
Itália

Celestino d' INCA
Itália

Cesare BIANCARDI
Itália

QUE DESCANSEM EM PAZ
1 comentários
comentários
  1. Um dia horroroso.
    Uma digna e muito bonita evocação dando-nos rostos e dados dos campeões do grande Torino.
    Para sempre jovens. Para sempre campeões.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail