A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

22/09/2015

Triângulos Invertidos

22/09/2015 + 3 Comentários
TENHO PROGRAMADO ESCREVER ACERCA DOS TREINOS DE OTTO GLÓRIA. E PARA PERCEBER OTTO GLÓRIA É NECESSÁRIO FALAR ANTES DO “LAR”. MAS…


Para escrever acerca do “Lar dos Jogadores” que funcionou entre 1 de Setembro de 1954 e final da temporada de 1969/70 é necessário falar do que era o Benfica, por onde andava o Benfica, nesses tempos. Porque era tudo muito diferente do que se passa hoje.


Era tudo tão diferente. E escolhi 1970. "Quase" ontem... para quem nasceu em 1904!
Há “apenas” 45 anos, nem meio-século, o Clube não estava centralizado como na actualidade. Pelo contrário estava “espalhado" pela cidade de Lisboa. Colocando os locais onde havia instalações do Benfica num mapa da Capital podemos estabelecer dois triângulos, embora um seja forçado (clicar em cima das imagens para ampliar).


Primeiro triângulo, o do Futebol, logo…
O mais importante! Centrado no Estádio da Luz (em 1970, mais afectividade que efectividade) tinha os outros dois vértices no “Lar do Jogador” e nas instalações do Campo Grande. No Estádio da Luz jogava-se praticamente de quinze em quinze dias (ou por vezes nas quartas-feiras europeias) ou nalgum jogo da categoria Reserva, à noite, para “limpar castigos” de jogadores importantes a fim de “libertá-los” para a jornada do fim-de-semana seguinte. O Estádio da Luz, por dentro, foi crescendo no tempo. Se em 1954 era um estádio com “Dois Anéis” depois teve iluminação artificial (1958) e mais um anel (ou meio anel) o “Terceiro”, entre 1960 de 1985, quando ficou fechado. Esse crescimento permitiu-lhe albergar depois, por baixo da nave de suporte do “Terceiro Anel” um pavilhão (1965), o posto médico, o Lar do Ciclista, ginásios, etc. Mas em 1970 continuava com actividade muito limitada. Praticamente só funcionava ao fim-de-semana: futebol e jogos das modalidades. Mesmo os treinos das equipas de andebol de sete, basquetebol (masculinas e femininas) e voleibol (masculinas e femininas) faziam-se em ginásios das escolas públicas: preparatórias e liceus.

Lar do Jogador
Campo(s) Grande
Saudosa Luz em... 1973. Um estádio - e que estádio - apenas um campo relvado, num descampado servido por uma auto-estrada deserta! Ou quase!

Eu e o Benfica
Sabem qual o jogador do Benfica com quem falei a primeira vez? Até foi uma jogadora. Frequentava eu a Escola Preparatória de Nuno Gonçalves (na avenida General Roçadas) e cruzava-me no ginásio com jogadores e jogadoras de…Badminton! Nunca mais me esqueci daquele dia em 1970 em que falei com Isabel Rocha, campeã nacional de badminton. Como ficava lindo num equipamento totalmente branco aquele emblema vermelho com a Águia. Nem queria acreditar. Fui gritar para o pátio da Escola que tinha falado com um jogador do Benfica. Questionavam-me. Esteve cá o Eusébio? O Artur Jorge? O Jordão? O Nené? O José Henrique? E eu respondia: Não! Não! Não! Não! Não! Então? perguntava a malta. Disse-lhes: A Isabel Rocha melhor jogadora de Portugal de Badminton! Até me deu "uma pena" autografada!" Riram-se e mandaram-me dar uma volta! (por outras palavras) Depois de dois anos - 5.º e 6.º - nessa escola, passei para o Liceu de Gil Vicente. Bem! Aí era ver no ginásio desse liceu na rua da Verónica, o Voleibol (homens e mulheres) a treinar e jogar, pois o pavilhão da Luz não dava “vazão” a tanto jogo e tanta modalidade!

Secretaria
Sede
Piscina

Segundo triângulo, o lúdico
Para além do futebol ao fim-de-semana na Luz, passava-se a semana, de segunda-feira a sexta-feira, longe do Estádio, do Lar e do Campo Grande. Era a Secretaria, na rua Jardim do Regedor que fazia as delícias. Quantas vezes não me "enganava" na passeata pela Baixa, fazendo um desvio do Rossio ou dos Restauradores, para ir dar uma volta naquela porta giratória que nos encantava. Ou subia ao primeiro andar para ver o Bilhar e o Ténis de Mesa. Ou levava “estranhos de outros clubes” a visitar a Monumental Sala de Troféus. Ou… Ou… Ou… Havia tanto Benfica por Lisboa. Como vivia na Graça, junto à Vila Berta, a Secretaria ficava mais à mão (aliás mais ao pé). A Sede, em Benfica, só raramente visitava. Contam-se pelos dedos de uma mão. Ficava longe. Só de autocarro da Carris. O 46! Mas ouvia falar dela. Do rinque. Da sala de cinema. Do “glamour” perdido com o tempo. E ainda havia a piscina alugada ao Batalhão de Sapadores Bombeiros, na avenida D. Carlos I pois o Benfica podia não ter (e não teve até 1978) piscina mas tinha Natação. Mais natacinha…

Para provar a realidade
Eis a primeira página (aliás segunda) do Relatório e Contas de 1970.


E esta sim a primeira página desse Relatório de 1970
Uma frase do inigualável…


Como o Mundo mudou em menos de 50 anos. Como Portugal passou de cinzento a colorido. Como Lisboa se "enstradou". Benficar todos os dias é que nunca muda!

Alberto Miguéns

NOTA: A minha homenagem ao Badminton (página 44 do citado Relatório de 1970)


PLANO PARA AS EDIÇÕES DURANTE  SETEMBRO/OUTUBRO
(provisório como é evidente)
De 23 de Setembro a 11 de Outubro de 2015 (Sempre pela meia-noite)
Quarta-feira (de 22 para 23): O Lar dos Jogadores;
Quinta-feira (de 23 para 24): Os treinos com Otto Glória;
Sexta-feira (de 24 para 25): Os treinos com Béla Guttmann;
Sábado (de 25 para 26): O Benfica e o FC Paços de Ferreira;
Domingo (de 26 para 27): E depois da Sexta?;
Segunda-feira (de 27 para 28): Artur Santos dixit;
Terça-feira (de 28 para 29): O Benfica esmiúça Madrid;
Quarta-feira (de 29 para 30): O “Glorioso” e o CAM;
Quinta-feira (de 30 para 1): E depois de Madrid?;
Sexta-feira (de 1 para 2): José Augusto dixit;
Sábado (de 2 para 3): O “Glorioso” na Ilha da Madeira;
Domingo (de 3 para 4): O SLB e o CF União;
Segunda-feira (de 4 para 5): E depois da Sétima?;
Terça-feira (de 5 para 6): No melhor pano cai a nódoa;
Quarta-feira (de 6 para 7): Anatomia de uma descoberta;
Quinta-feira (de 7 para 8): Mentiras Oficiais Made in SLB;
Sexta-feira (de 8 para 9):  Cuidado com eles;
Sábado (de 9 para 10): Benfica tão brilhante que se vê no escuro;
Domingo (de 10 para 11): O mais belo 138


3 comentários
comentários
  1. Fantástico. Conhecer a história do Benfica.

    Tenho para mim que é necessário conhecer a história do Benfica. engrandece o que já sentimos pelo clube, prepara-nos para o servirmos melhor.

    Borges Coutinho, não é do meu tempo mas só ouço e leio bem sobre ele.

    Saudações Gloriosas

    ResponderEliminar
  2. A foto de 1973 de um dos estádios mais miticos da historia do futebol mundial, é fantástica.
    Mais uma vez , grande trabalho de benfiquismo que aqui assistimos!!

    ResponderEliminar
  3. Excelente trabalho, mas gostaria que fosse indicado em que local foi instalado o Lar do jogados e, já agora, onde foi construído o Estádio da Luz.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail