A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

01/06/2014

Ainda a 28.ª Taça de Portugal (Passado e Presente)

01/06/2014 + 39 Comentários
UM COMENTÁRIO E UMA CRÓNICA FAZEM REGRESSAR A "QUESTÃO DA TAÇA"

Pensava que não voltaria ao assunto da numeração da Taça de Portugal mas eis que, quase em simultâneo, um leitor do blogue e um jornalista fazem recordar-me uma "luta" de 2005, depois do Benfica conquistar o campeonato nacional em 2004/05.

O Glorioso Capitão Fernando Caiado no tempo em que os Clubes, além de uma réplica miniatura para conservarem eternamente, recebiam o troféu original que conservavam durante a época seguinte como demonstração de que eram os detentores do título. Foi assim desde 1922 (foi para as instalações do FCP) até ao início dos anos 60 (não sei precisar a época). Esta fotografia é da conquista do "Glorioso" em 1957

O comentário foi este e o artigo a digitalização que se lhe segue.

Sem por em causa o que me disse pergunto lhe como explica que até final dos anos 90 a generalidade da crítica e da imprensa Portuguesa desse o SL Benfica como tendo 27 campeonatos nacionais??(isto antes dos 3 títulos que venceram desde o inicio do século) É que há imagens de revistas do jornal "Record" e do jornal "A Bola" referentes à temporada de 93/94 que dão o SL Benfica como tendo "apenas" 27 campeonatos nacionais. 
Comentário de Fernando Reis (adepto do Sporting CP)


O Benfica n.º 3657; 30 de Maio de 2014; página 9; 
coluna de opinião de Arons de Carvalho

Antes de mais quero agradecer, publicamente, as simpáticas palavras do jornalista Arons de Carvalho acerca da minha pessoa. Apesar de falar com ele algumas vezes, melhor, vezes algumas não sabia - e ainda bem! - que ele iria escrever o que escreveu. Por isso também não lhe agradeci pessoalmente, porque teria de lhe dizer que iria falar deste assunto hoje. Assim será surpresa. Espero que agradável.


A terceira "dobradinha" do "Glorioso" em 1956/57. Caiado recebe o troféu (miniatura) no Estádio Nacional. Mais tarde em cerimonial na FPF (depois de homologados os resultados) Francisco Calado recebe o troféu de campeão nacional e Fernando Caiado - a primeira foto que abre este texto - o troféu original da Taça de Portugal, embora datado do tempo do Campeonato de Portugal (1921/22)
Ao contrário do que se pensa a unanimidade quanto ao número de títulos de campeão nacional atribuídos actualmente é recente. Tem nove anos!
Durante muito tempo, até aos anos 60, os jornais eram unânimes em considerarem os Campeonatos da Liga como Campeonatos Nacionais até que surgiu o jornal "Record" que decidiu retirar esses quatro títulos da contabilidade. Não vale a pena estar aqui a explicar o porquê. Só que a questão foi-se agravando com a transferência de jornalistas do "Record" para outros jornais, rádios e televisões. Em 2004/05 apenas o jornal "A Bola" se mantinha fiel à tradição, porque era mesmo uma tradição pois não se sabia porquê, pois a FPF não tomava posição indicando com rigor se considerava ou não as Ligas como Nacionais. Ainda mais grave que a situação actual, pois agora diz que a Taça de Portugal começou em 1938/39 (e é verdade) mas não diz é que é a continuação do Campeonato de Portugal (o que é mentira, não estabelecendo a ligação entre as duas competições. Deviam dizer que é!) Pois, a Taça de Portugal é a continuação do Campeonato de Portugal, tal como ficou decidido em 1938.  

Regresso ao passado: 2005!
Aquando da conquista do título de campeão nacional, em 2004/05, "A Bola" noticiou o 31.º enquanto que os jornais do Grupo Cofina (Record e Correio da Manhã) e do Grupo Controlinveste (O Jogo, Jornal de Notícias e Diário de Notícias) noticiaram o 28.º! Ou seja, não contabilizavam as três edições conquistadas pelo "Glorioso" em 1935/36, 1936/37 e 1937/38. A FPF não assumia nem uma posição, nem outra, deixando ao critério dos jornais. As rádios e televisões, como é habitual, copiavam durante o dia o que os jornais destacavam de manhã, assistindo-se a umas vezes dizerem 28 e outras vezes 31, conforme a simpatia dos jornalistas das rádios e televisões por "A Bola" ou pelos outros.

Uma "troika" em acção antes da "troika actual"!
Como eu (Alberto Miguéns) conhecia o assunto, tal como um antigo e respeitado dirigente e dedicado associado do Clube (Armando Abreu Rocha) e um jornalista, também respeitado e dedicado Benfiquista (Manuel Arons de Carvalho) decidimos que estava no tempo certo para definir se eram 28 ou 31! Até porque conhecíamos - eu por ter andado a fazer a história do futebol do Benfica - e eles por serem, um pouco menos jovens do que eu, e terem vivido no "tempo em que havia unanimidade quanto ao número de títulos" na Imprensa. Pensámos que o que se passava era um misto de preconceito, negligência e mal-entendidos para que não fosse definido nos media o número certo de campeonatos para o Benfica e para o FC Porto (os únicos que conquistaram as quatro edições da I Liga).


O presidente da Direcção do SLB eng.º Maurício Vieira de Brito acompanha o pequeno Joselito (miúdo prodígio actor-cantor espanhol, conhecido por "rouxinol" deliciado com o espólio incomparável do Benfica) numa visita à Sala de Troféus do SLB, na rua Jardim do Regedor, em Lisboa, certamente durante a temporada de 1957/58, pois o "Glorioso" foi detentor do título na Taça de Portugal durante a época, depois de a conquistar, em 1957, ao SC Covilhã (V 3-1)

O que ligava o trio
Era salvaguardar o património imaterial do Benfica (o material não era problema porque o Benfica tinha os 31 troféus), o rigor e a verdade, acima de tudo. Ou não fosse Armando Abreu Rocha engenheiro, por isso sempre rigoroso com números e proveniência dos mesmos e Manuel Arons de Carvalho jornalista especializado em atletismo, onde por centésimos de segundo se ganha e perdem, títulos e recordes mundiais e olímpicos!

Primeira tarefa: fazer o que a FPF não fazia
Eu sabia, e creio que o eng.º Abreu Rocha e o Arons de Carvalho, também, que a decisão do Campeonato Nacional ser o mesmo que o Campeonato da Liga tinha sido tomada, oficialmente, pela FPF em 1938. E que constava do seu Relatório. Eu sabia porque me lembrava de ter lido, nos anos 80, quando andava a fazer a pesquisa de todos os jogos de futebol do "Glorioso" nos anos 30 que essa resolução estava tomada e foi dada indicação aos jornais, por ser aí, na Imprensa escrita, que li essa norma. Era fundamental ter esse documento oficial. Eu já por diversas vezes tinha tentado, junto da FPF (na Praça da Alegria) mas foi sempre dito que iam ver e depois passava o tempo e nada! À portuguesa! Entrou em cena o eng.º Abreu Rocha, que foi a "peça-chave" pois conseguiu uma fotocópia (cuja digitalização eu tenho reproduzido aqui no EDB e que mais uma vez hoje será colocada aqui) das duas páginas com o artigo n.º 6 onde está a norma que faz equivaler as competições. Ao contrário do que se dizia dos Campeonatos das Ligas - os clubes competirem por convites, ser experimental, não ser oficial, ser até "contra a Federação" - a própria FPF tinha tomado posição acerca do assunto. Como está em destaque:




Divisão de tarefas
Eu que tinha uma página semanal no jornal "O Benfica" de opinião dei uma explicação acerca da evolução histórica do futebol, na passagem da I Liga para a I Divisão mostrando que a fórmula competitiva era a mesma - apuramento através das classificações obtidas nos campeonatos regionais - mantendo-se assim até 1946/47.
O Arons de Carvalho como jornalista fez chegar a fotocópia a colegas seus noutros jornais que sendo inteligentes e competentes aceitaram, perante um documento oficial da FPF, pois contra factos não há argumentos!



Perante estas duas páginas de um documento oficial só há que implementá-lo, mesmo que a FPF não tenha querido pronunciar-se. Com o tempo havendo unanimidade, a FPF - que nunca assume o que quer que seja - passou a estar de acordo com todos. O Benfica passou a contabilizar 31 títulos de campeão nacional! Acabou por ser mais fácil do que nós  - o trio - imaginava. E ainda bem! Para o Benfica e para o futebol português pois é a posição certa perante uma evidência tomada pela FPF em 1938.


O mesmo troféu

Na coluna de madeira de um lado o nome Taça de Portugal".
Precisamente do lado contrário a placa original como "Campeonato de Portugal" com o nome dos cinco primeiros vencedores.
Na base de madeira do troféu as restantes placas de 1926/27 até à actualidade, actualizadas época-a-época!




A "Questão da Taça" é a mesma
Se essa norma de 1938/39 é válida para o Campeonato Nacional também terá de ser para a Taça de Portugal. Não faz sentido respeitar e implementar uma decisão da FPF a metade. Não lembra a ninguém! Mentira! Lembra a alguns que adoptam uma parte como verdadeira (a continuidade do Campeonato da Liga como Campeonato Nacional) e "fazem-se esquecidos" na outra componente da norma (a continuidade do Campeonato de Portugal como Taça de Portugal). Mas na FPF também não dizem que não é! Pudera! Não podem negar um documento oficial. Preferem escondê-lo. Só que já é tarde. Há quem tenha uma cópia!




Eu acredito no rigor e na verdade
Podem dizer-me que o "Benfica" fica a perder (perdoem-me a cacofonia!) ao contrário da equivalência da Liga ao Nacional. Em 2004/05 em relação aos Campeonatos Nacionais a contabilidade era a seguinte (sem equivalência): SLB -  28; FCP - 19 (menos 9); e SCP - 18 (menos 10). Com equivalência: SLB - 31; FCP - 20 (menos 11); e SCP - 18 (menos 13). É um facto. Agora em relação à Taça (sem equivalência): SLB - 25; FCP - 16 (menos nove); e SCP - 15 (menos dez). Com equivalência: SLB - 28; FCP - 20 (menos oito); e SCP - 19 (menos nove). Não me interessa minimamente! É uma questão de rigor, repor a verdade e honrar as 17 conquistas de sete clubes entre 1921/22 e 1937/38. Nunca me debati pela verdade em relação aos Nacionais para aumentar a vantagem do Benfica! Se fosse ao contrário fazia o mesmo. Queria repor a verdade. Mentiras, meias-verdades e conveniências são inimigas da justiça! E é injusto esquecer os "Heróis do Campeonato de Portugal" que durante 17 épocas , caminharam para as finais, derrubando as adversidades e que as venceram! Honra para todos: FC Porto (4), Sporting CP (4), CF "Os Belenenses" (3), SL BENFICA (3), SC Olhanense, CS Marítimo e Carcavelinhos C (antepassado do Atlético CP).




E nunca desistirei (até me posso tornar enfadonho)
Naquilo que escrevo, mesmo que seja "contra a corrente" penso sempre em três situações: dois criativos e no adágio popular:

António Aleixo
«Que importa perder a vida em luta contra a traição,
  que a razão mesmo vencida não deixa de ser razão»

Bertold Brecht
«Há homens que lutam um dia e são bons,
   há outros que lutam um ano e são melhores,
   há os que lutam muitos anos e são muito bons.
   Mas há os que lutam toda a vida e estes são imprescindíveis»

A Verdade é como o azeite, virá sempre à superfície



Alberto Miguéns

39 comentários
comentários
  1. Estamos numa época em que muita gente ignora ou subverte a verdade assente em factos históricos e documentação oficial, desprezando-a ao sabor do oportunismo e da ganância. A mais desavergonhada desonestidade intelectual e material. O futebol não é excepção. Na verdade nem estava atento a esta questão nem ao facto de que já há bastantes anos existem orgãos de comunicação a re-inventar a verdade.. Sempre me lembro de ser um dado adquirido essa ligação directa de continuidade entre Campeonato de Portugal e Taça de Portugal por um lado e entre o Campeonato da Liga e o Campeonato Nacional pelo outro. É claro que nem esfregando na cara dessa gente com um documento oficial lhes chega. Mas nós sabemos a verdade e claro, no fundo essa gente sabe a verdade. Embora concordando com a sua frase final, ainda assim é muito importante que apareça argumentação verdadeira, rigorosa e factual tal como a que aqui usou. O azeite emerge sempre da água mas olhe que esta gente usa... gasolina.

    Saudações Benfiquistas
    VJ

    ResponderEliminar
  2. Penso que se deve sempre ir pela verdade, doa a quem doer...

    Taça de Portugal de 1921/1922 a 1937/1938;
    Campeonato Nacional de 1938/1939 a 2013/2014.

    O Benfica "perderia" 3 títulos de Campeão Nacional e acrescentaria 3 na Taça de Portugal. Esta seria a verdade que toda a gente que está de boa-fé deveria defender.

    Abraço!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Pedro Simões

      Apesar de ter chegado à pouco a "casa" com ligação à internet e ser tarde não percebi!

      A Taça de Portugal que com este nome até começou em 1938/39 acabou antes?

      Abraço

      Alberto Miguéns

      Eliminar
    2. Troquei tudo!!! É o que faz escrever tão tarde... :D :D :D

      Taça de Portugal de 1921/1922 a 2013/2014

      Campeonato Nacional de 934/1935 a 2013/2014

      Abraço!!!

      Eliminar
    3. Caro Pedro Simões

      Tudo certo!

      Amanhã (quarta-feira), a propósito desta troca de comentários, vou fazer um texto mostrando a importância da FPF editar - ela própria - em vez de terceiros as classificações e os resultados correctos das várias competições que organiza!

      Abraço!

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  3. Muito bom mesmo.
    Mais uma partilha!

    Saudações Gloriosoas.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo1/6/14 09:59

    por falar em verdades, que são mentiras:
    há dias, já com atraso significativo em relação ao dia em que foi publicada no jornal a bola, li um artigo relacionado com o novo patrocinador de equipamentos do porto, referindo a evolução do logotipo de emblema, cuja data inicial se reportava ao ano de 1900 e qualquer coisa.
    como nasceram em 1800 e tal, nasceram sem emblema?
    PS.: parabéns pelo seu trabalho em prol deste grande Clube, que causa tanto amor e tanta inveja!

    ResponderEliminar
  5. Anónimo1/6/14 13:08

    Caro Alberto Miguéns
    Como sempre espectacular. Quem sabe sabe. E as pessoas que por aqui passam aprendem a história do nosso Glorioso. E aqui não se inventam títulos. Do que já foi escrito acerca dos Campeonatos Nacionais, recordo apenas esta passagem. Quando os quatro históricos clubes "Benfica; Belenenses; Porto e Sporting" atingiram os mil jogos no final de 1975/76 "Estavam aqui incluídos os jogos de 1934/35 a 1937/38", a Federação Portuguesa de Futebol na altura ofereceu uma medalha penso comemorativa deste feito. Que eu saiba ou tenho lido, na altura ninguém recusou a medalha por não estarem correctos o nº de Jogos executados. Enfim há sempre vozes que tentam distorcer as verdades por mais que elas sejam evidentes.
    É como o nº de títulos por clube. Os nossos vizinhos costumam afirmar que são o clube do mundo com mais títulos. Até podem ser! Mas por aquilo que sei e que tenho visto escrito, fazem parte desses títulos muitos que são apenas individuais e não colectivos e outros até pertencem ás respectivas federações e não ao Clube em causa. Lanço daqui um repto ao Alberto. Os quadros que costuma fazer muito bem feitos com todos os títulos nacionais e regionais nalgumas modalidades que os estenda também a todos os outros escalões e a todas as modalidades que o Glorioso já praticou e aí veremos definitivamente quem terá mais títulos. Mas atenção só os colectivos porque esses sim são o nosso orgulho.

    Saudações Benfiquistas
    Viva o Glorioso
    Jorge Santos

    ResponderEliminar
  6. Anónimo1/6/14 14:47

    cada vez mais silenciosamente gosto do sr Alberto Miguéns um Benfiquista honesto! e difícil de se vender [ quer dizer de se vender a midia charlatã .........azul/ verde ,obrigado sr Alberto Miguéns e forçaaaaaa

    ResponderEliminar
  7. O Benfica afirma ter 33 campeonatos nacionais e 25 Taças de Portugal... afinal está certo ou errado, é que as Taças de Campeões Nacionais e as Taças de Portugal estão todas expostas no Museu Cosme Damião... certo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Certo!

      Estão lá todos os troféus. Por enquanto 32 campeonatos Nacionais (embora 3 com o nome de Campeonato da I Liga e 29 com a designação da Campeonato Nacional da I Divisão). O 33.º será entregue depois da competição estar homologada. E as 28 réplicas do troféu que começou como Campeonato de Portugal e agora se designa Taça de Portugal: 3 como Campeonato de Portugal e 25 como Taça de Portugal. Não falta nenhum!

      A FPF é que tem de implementar a decisão que foi tomada no Congresso do Futebol em 1938 e vertida para norma no Relatório de 1938/39.

      Uma questão de tempo... A verdade é como o...

      Uma "mãocheia" de papoilas saltitantes

      Alberto Miguéns

      Eliminar
    2. O Benfica tambem nao ajuda!... No merchandising comemorativo da vitoria na tp, é clara a referência ao 25o titulo!!!

      Eliminar
    3. Caro jag

      Estão "esperando" pela FPF. Eu como sou livre, digo o que penso, justificando por que penso assim! O que não quer dizer que esteja certo! Mas digo com sinceridade o que penso! Depois deixo ao critério dos leitores concordarem ou discordarem.

      Saudações

      Alberto Miguéns

      Eliminar
    4. Caro Alberto Miguéns,

      Mas, face às evidências, é possível não concordar?!?

      Saudações benfiquistas.

      Eliminar
  8. Anónimo1/6/14 22:55

    O antigo director do jornal "Record" não concordava com nada disto! Fez diversos artigos no jornal, na altura era provedor dos leitores, argumentando o contrário daquilo que o Sr. Alberto defende.Lembra-se? Talvez em 2005.
    Tenho esses artigos, entre centenas, aqui em casa, julgo que no último artigo já "concordava consigo".
    Saudações Benfiquistas
    Jorge Gomes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Jorge Gomes

      Lembro-me! Penso que se refere ao sr. Rui Cartaxana. "Concordava" depois de receber as duas páginas do Relatório! O "problema" era ele justificar que a I Liga era por convites, experimental, etc. E eu "descobri" (através de um amigo comum) que ele nunca lera nem sabia como foi criada e desenvolvida a I Liga e a alteração do nome para CN. Justificava "afirmativamente" (como Jorge Gomes sabe porque leu e guardou) algo que alguém (sei quem foi, mas como já faleceu não vou dizer quem foi) lhe disse e que para ele era alguém credível e sabedor. Mas não era! Com documentos tudo mudou. Contra factos não há argumentos!

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  9. Muito bem.
    Continue sempre assim, a zelar pela verdade, independentemente de "quem beneficie".
    Tenho grande apreço pelo enorme trabalho feito diariamente aqui, e tenho imensa pena que já não tenham o programa semanal na nossa Benfica TV. Acho que a visibilidade destes temas é pouca face à sua importância. Se possível, era bonito voltarmos a ouvi-lo em antena benfiquista.

    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  10. Resta à FPF vir a terreiro e pôr td em "pratos limpos" ,mas não acredito,kem lá está ,está para "fazer dinheiro" só,e pouco mais.

    Obrigado Alberto Miguéns mais uma vez. Viva o Benfica.

    ResponderEliminar
  11. Caro Alberto Miguéns,

    desculpe, mas se bem entendi, creio que se enganou algures no texto:

    "Ainda mais grave que a situação actual, pois agora diz que a Taça de Portugal começou em 1938/39 (e é verdade) mas não diz é que é a continuação do Campeonato de Portugal (o que é mentira!), porque é como ficou decidido em 1938."

    É VERDADE que a Taça de Portugal é a continuação do Campeonato de Portugal, certo? Creio ser isso que aqui defende neste texto.

    Saudações Benfiquistas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Isaías

      De facto a frase para quem a lê - e não a escreveu - está pouco explicita. O que eu pretendia era reafirmar: É mentira que a Taça de Portugal não seja a continuação do Campeonato de Portugal!

      Sem mudar o sentido da frase acrescentei esse reparo, para memória futura para quem a encontrar perceba desde logo.

      Obrigado.

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
    2. Fiz apenas este pequeno reparo porque tal como o caríssimo Alberto Miguens acho que estas questoes devem ficar bem clarificadas. Não quis de forma alguma por em causa o seu trabalho, que devo dizer até tem sido excelente a todos os níveis. Muito grato pelo esclarecimento que fez. Vamos ver para quando a FPF se pronunciará sobre o assunto. Infelizmente não temos razões para acreditar que esteja para breve.
      Saudações benfiquistas!

      Eliminar
    3. Caro Isaías

      Fez bem! A minha resposta é que foi possivelmente breve. Agradeço sempre reparos construtivos. Só enriquecem o trabalho. E ter o "incómodo" de estar a comentar em vez de ver, pensar que não é esclarecedor, mas ignorar porque é mais cómodo, só posso estar agradecido por ter essa preocupação. Até porque agora o texto está melhor. E só está melhor porque houve alguém, o meu caro Isaías, que teve essa preocupação.

      Faça sempre os reparos que entender. Eu só tenho que agradecer.

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
    4. Caro Alberto Miguéns,

      revendo agora o meu comentário, considero que a forma como abordei a questão, usando a expressão "creio que se enganou", não foi de todo a mais feliz, motivo pelo qual creio dever-lhe um pedido de desculpas, que aproveito este momento para apresentar. Devo no entanto dizer-lhe que a forma cordata como me respondeu e esclareceu esta questão, passando ao lado da minha infeliz escolha de palavras, o engrandece enquanto pessoa, para além do grande Benfiquista que já todos conhecíamos. Quero, porém, que saiba que em momento algum pretendi pôr em causa o seu trabalho, que tem sido, aliás, excelente a todos os níveis, inicialmente na BenficaTV, e mais tarde na blogosfera.

      Saudações Benfiquistas!

      Eliminar
    5. Caro Isaías

      Obrigado pelas palavras e sentimento que elas revelam. É sempre bem-vindo.

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  12. Aqui a minha questão não é tanto a continuidade histórica nas competições, que está provada, mas perceber se os vencedores do Campeonato de Portugal também podem ser titulados legitimamente campeões nacionais, pelo menos até 1934.

    Na minha perspectiva (fala um benfiquista), creio que tal é verdade. Reparemos que os clubes eram assim tratados, numa fase ainda muito rudimentar de competições nacionais em Portugal, como campeões. O próprio Alberto Miguéns digitalizou uma imagem do banquete na saudosa Gomes Pereira dos "campeões de Portugal" em 1930. Mesmo que se se unam os números do Campeonato à Taça, a fase do Campeonato atribui algo ao clube ligeiramente diferente. Qual a sua opinião?

    Saudações benfiquistas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na minha opinião podem. Coincide com a sua.

      São dois níveis:

      1. A FPF decidiu continuar as competições com designações diferentes. Temos de aceitar a decisão das entidades que organizam as competições e a FPF tem de respeitar a decisão que tomou em 1938/39;

      2. Não havendo outra competição nacional até 1934/35, o campeão de Portugal foi o clube que conquistou o troféu. E nas quatro anos em simultâneo com o Campeonato da I Liga foi e deixou de ser porque a FPF decidiu. Nessas épocas - 1934/35 a 1937/38 - o campeão de Portugal deixou de o ser em 1938/39 pela decisão da FPF. Ou seja, os representantes dos clubes de todo o país aceitaram. Foi num Congresso da FPF com os representantes dos clubes presentes através das escolhas que fizeram em cada Associação Regional.

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  13. Visitante12/6/15 08:20

    Deixe-me perguntar-lhe uma coisa.

    Se amanhã a FPF decidir que a Taça da Liga passa a determinar o Campeão Nacional de Futebol, todos os campeonatos nacionais da 1ª Liga desde 2007-08 passam a ser retroactivamente considerados subalternos aplicando-se, como você disse, o "foi e deixou de ser"?

    É uma pergunta honesta.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Visitante

      Não percebe que isso é uma impossibilidade. Absurdo.

      É como dizer. Se o presidente Bruno de Carvalho decidir que os sportinguistas passam a ser do Benfica quer dizer que o SCP sempre foi o SLB?!

      A FPF NUNCA pode decidir isso. Como qualquer criança de 10 anos percebe!

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  14. Visitante12/6/15 18:28

    Então em 1938 quando se determina que o agora Campeonato Nacional passa a deteminar o campeão português de futebol sénior, em que lugar hierárquico são colocadas as competições até ai existentes (17 Campeonatos de Portugal e 4 Campeonatos da Liga) para efeitos históricos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro,

      A FPF apenas determinou que o Campeonato de Portugal passava a designar-se Taça de Portugal, o Campeonato da I Liga e da II Liga designar-se-iam Campeonato Nacional da I Divisão e da II Divisão respectivamente.

      Haverá um antes e um depois de 1934/35. O vencedor da I Liga terá a equivalência a campeão nacional da I Divisão, o da II Liga a campeão nacional da II Divisão e o vencedor do campeonato de Portugal será equivalente a vencedor da Taça de Portugal.

      Antes de 1934/35 apenas se disputava o campeonato de Portugal. A FPF é que devia pronunciar-se sobre isso. Considera ou não os seus 13 vencedores com equivalência a campeões nacionais? Ou considera que o troféu não tinha expressão nacional. E de facto houve temporadas que não teve. Em 1922 só envolveu dois clubes. Poderá o seu vencedor ser considerado campeão de um país?

      Mas isto somos nós a dissertar. O que se sabe é o que está regulamentado desde 1938/39. Fácil de implementar. A FPF é que devia definir. Para não o fazer ignoram os vencedores do campeonato de Portugal apenas fazendo cumprir metade do que regulamentou em 1938/39 (equivalência entre campeonatos das Ligas (I e II) e Nacional da I e II Divisões). É mais cómodo, mas também ninguém quer saber disso. Os vencedores e vencidos (futebolistas, treinadores e adeptos anónimos que tanto incentivo deram aos seus) dos 17 campeonatos de Portugal tiveram glória efémera. Hoje ninguém lhes liga!

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  15. Caros carnidenses, o campeão de portugal existiu desde inicios dos anos 20, era disputado em eliminatórias porquê ? estavamos nos anos 20/30, como poderia haver um campeonato nos moldes de todos contra todos ? não havia forma de se deslocarem, volto a dizer anos 20/30 entendem n havia carros, comboios eram poucos, os clubes n tinham meios, mas já havia campeão de portugal, não vencedor da taça, quem ganhava ostentava o titulo de campeão nacional. Havia uma 2ª competição que eram os campeonatos regionais, tb 2ª em ordem de grandeza, qts ganharam a partir do inicio dos anos 20?, 2 contra 18 do SCP, estes campeonatos apuravam n só os campeões regionais como tb as equipas q disputavam o campeonato de Portugal, disputado em eleminatórias. Aquilo q vçs querem atribuir como 3 titulos de campeão + 1 do fcp, foram provas experimentais e não oficiais para confirmar a viabilidade de uma competição nos presentes moldes, disputava-se de janeiro a abril/maio. Quem ostentava o titulo de campeão de Portugal nesses anos era quem ganhava o campeonato de Portugal não a liga experimental, percebem, e para melhor compreensão da areia prós olhos q pretendem atirar, desses 3 titulos q vçs contabilizam, quem foi o campeão de Portugal foi o SCP atravéz do então chamado campeonato de Portugal essa sim a prova que apurava o verdadeiro campeão, o resto eram pinars. Quanto ao documento apresentado apenas revela o inicio do campeonato e taça atuais, e marca isso mesmo, compreende sua gaivota iluminada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Xico Esperto,

      Não percebe que foi a FPF que fez equivaler as competições? Não consegue ler a digitalização do Relatório da FPF de 1938?

      Vá implicar com a FPF que não fez em 1938 o que o Xico Esperto do Século XXI

      Como pode pensar que "Ensina quem não sabe" se nem ler e entender sabe?

      Como não sabe ler em faço o destaque em braille:

      VI - PROVAS

      Por virtude da reforma a que se procedeu no Estatuto e Regulamento da Federação os CAMPEONATOS DAS (I e II) LIGAS E O CAMPEONATO DE PORTUGAL PASSARAM A DESIGNAR-SE, respectivamente, CAMPEONATOS NACIONAIS (da I e da II Divisão) e TAÇA DE PORTUGAL.

      Se não sabe o que significa "PASSARAM A DESIGNAR-SE" regresse à escola. Se pensa que significa ESTAS ACABARAM E INICIAM-SE OUTRAS COM AS SEGUINTES DESIGNAÇÕES vá já hoje inscrever-se na Escola Básica. Que é para básicos.

      Vá aprender que o saber nunca ocupa lugar.



      AM

      Eliminar
  16. Brilhante!

    Como agradecer a Alberto Miguéns?

    ResponderEliminar
  17. Caro Alberto Miguéns,

    Este post vai voltar a ser necessário, o pateta de Alvalade já se prepara para reivindicar 22 campeonatos nacionais em vez de 20 taças de Portugal, com os 4 campeonatos de Portugal. Estar atentos e não deixar que uma mentira passe a ser verdade.

    Abraço
    JSilva

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tudo o que este post prova é que em 1938 o campeonato da liga, campeonato experimental com restrições territoriais apenas clubes de Lisboa, Setúbal, Coimbra e Porto podiam partipar, foi tornado oficial como o campeonato nacional. Assim sendo a minha pergunta é a seguinte:

      Porque devem os títulos vencidos pelo Benfica e Porto nesse campeonato antes de ser tornado oficial serem contados como títulos nacionais ?

      Eliminar
  18. Deixe de inventar.

    O campeonato teve este modelo - clubes apurados através dos campeonatos nacionais até 1946/47 com restrições territoriais. Em 1939, 1940 e 1941 o campeonato é idêntico ao de 1938. Quatro clubes de Lisboa, dois do Porto, um de Coimbra e outro de Setúbal. Oito clubes/14 jornadas De 1942 a 1947 continuarem as restrições: quatro de Lisboa, dois do Porto, um de Coimbra, um de Setúbal, um de Braga e um do Algarve (10 clubes(18 jornadas).

    Tem de inventar outra que esta não pega

    AM

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não inventei nada, foram informações que obtive noutros posts em que tentam provar a importância dos dois campeonatos na altura e como eram vistas as duas competições na altura em vez de só provar que em 1938 o campeonato da liga foi tornado oficial, também me referia às épocas entre 34/38 aquando do experimento e não nos anos seguintes. De qualquer forma nada disso responde à minha pergunta. Que passo a repetir:
      Se nos anos em que Benfica e Porto venceram a competição ela era apenas um experimento porque devem ps títulos ser considerados oficiais ??
      Não estou a ser retorico nem a tentar atacar o Benfica, não sendo apoiante de nenhum dos "3 grandes" a minha opinião pode perfeitamente ser alterada por isso mesmo estou a responder a alguém que pelos comentários que li sempre tentou ser razoável e provar os factos que defende.

      Eliminar
    2. Caro Carlos Simões.

      Alguma vez viu/leu um documento oficial da FPF, em 1934, 1935 ou 1938 a considerar os campeonatos eram experimentais. Não encontra nenhum! Se eram experimentais porque tiveram troféus exactamente iguais aos actuais!

      Então porque não continuaram a entregar troféus iguais aos do campeonato de Portugal ao vencedor do Campeonato Nacional da I Divisão?

      Continuaram a entregar troféus iguais aos do campeonato de Portugal ao vencedor da Taça de Portugal e a colocar a placa no troféu original de 1921/22!

      No relatório da FPF de 1938 vê alguma referência ao experimentalismo da I e da II Liga?

      Invenções à posteriori. Quem ler a Imprensa do Verão de 1938 sabe perfeitamente que o CN I Divisão será a continuação do C da I Liga, o da II Divisão da II Liga e a TP a continuação do campeonato de Portugal. Entre 1937/38 e 1938/39 ninguém tinha dúvidas!

      O que se diz agora, com digitalizações da Imprensa de antes ou de agora de nada valem. O que vale são os documentos da FPF e o que foi dito na Imprensa, no Verão de 1938, a propósito da mudança na designação dos nomes.

      O campeonato da I Liga em 1934/35 foi experimental, como foi o campeonato de Portugal de 1921/22, a Supertaça e a primeira Taça da Liga. apenas por serem os primeiros. é sempre uma experiência. Só por isso. Nunca tiveram essa designação no nome. Era "Campeonato da I Liga" e "Campeonato da II Liga". é assim que está nos 8 troféus (4 de cada Liga). Já os vi a todos. Confirmo!

      Saudações

      Alberto Miguéns

      Eliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail