A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

25/01/2014

Viva Eusébio

25/01/2014 + 6 Comentários
É assim tão difícil acertar?

OPINIÃO


No dia em que Eusébio completaria 72 anos o EDB deixa uma listagem de 72 datas que marcaram a sua vida e a do Benfica. Além disso faz uma resenha das mentiras e inexactidões com que os portugueses tiveram que levar nos dias seguintes ao seu falecimento.

Este dia - 25 de Janeiro - é um dos mais "simbólicos"
1917 - Nascimento de Fernando Martins (27.º presidente) em Paul (Alenquer)


1942 - Nascimento de Eusébio (Glória do Benfica/ futebolista; avançado) em Lourenço Marques (Moçambique)

1947 - Eleição de João Tamagnini Barbosa (18.º presidente) o único que faleceu durante o mandato como presidente da Direcção do SL Benfica


1981 - Nascimento de Artur (actual guarda-redes do futebol do "Glorioso") em Leme (estado de S. Paulo) no Brasil

1982 - Nascimento de Eduardo Simões (ex-futebolista; defesa) em Lisboa

1997 - Estreia, pela 4.ª vez, do treinador de futebol Mário Wilson

2004 - Falecimento, em Guimarães, envergando o Manto Sagrado de Miklós Fehér (ex-futebolista; avançado)

2008 - Falecimento, em Lagos, de Joaquim Macarrão (ex-futebolista; avançado e funcionário do Clube) uma dedicação ao Benfica "sem igual"
NOTA (está completo, pelas três da matina): O facto de ter que fazer digitalizações, sempre morosas, não permitiu fazer os devidos comentários. Na próxima hora serão colocadas mais digitalizações, bem como serão editados os comentários que se impõem

PARTE I


Erros nos valores em Jogos e Golos
É incrível que "até para o melhor de todos" não exista rigor. Cada cabeça (Jornal) sua sentença (números). Lá pelo facto do futebol ser jogado com os pés não quer dizer que não haja rigor. No futebol tem de aplicar-se a velha lengalenga que um relojoeiro "manhoso" que andava de lugarejo em lugarejo dizia em meados dos anos 60 na minha esquecida aldeia alentejana de Montalvão. "Se queres horas certas guia-te só por um relógio! Não precisas de ter dois relógios, pois não!"


A Bola; 6 de Janeiro; Página 11
Invenção de "A Bola"
Tiram-lhe um golo no campeonato nacional (são 617 e não 616), dois golos na Taça de Portugal  (são 98 golos e não 96) e acrescenta-lhe um jogo na Taça de Portugal (são 61 jogos e não 62).
O Jogo; 6 de Janeiro; Página5
Invenção de "O Jogo"
Além de trapalhadas quanto a jogos (440) e golos (473) pelo Benfica que não se sabe como se obtêm esses somatórios, "dar-lhe" três "Bolas de Ouro" também é de mais. Foi só uma, em 1965. Em 1962 e 1966 ficou em 2.º lugar! E o 3.º lugar no Mundial 1966 não é um título*, nem colectivo, quanto mais individual!
* desde quando não ser campeão ou vencedor é "um título"!?



Record; 6 de Janeiro; Página27
Invenção do "Record"
Tiram-lhe um golo na Taça de Portugal  (são 98 golos e não 97). Eusébio jogou na Taça das Cidades com Feiras, depois Taça UEFA, agora Liga Europa.

PARTE II


Eusébio não chegou a 17, nem a 16, mas em 15 de Dezembro de 1961

A falta de rigor é assustadora, até para o historiador doutorando FCSH -UNL, que por exibir o "canudo" devia ter mais, muito mais cuidado. Mas datas para este historiador é coisa de desprezar!


Público; 6 de Janeiro; Página14
Sábado; 8 de Janeiro; Página 34
Visão; 7 de Janeiro; Página 60
Eusébio chegou a 15 de Dezembro (quinta-feira) porque...

... a primeira entrevista foi publicada na edição de 17 de Dezembro (sábado) do jornal "A Bola"!

Diário de Notícias; 6 de Janeiro; Página 4
Três erros...

Além do erro do dia 17, a estreia com o "Manto Sagrado" não foi em 25 de Maio, mas em 23 de Maio. A confirmação como futebolista do "Glorioso" foi em 17 de Maio (e não a 23!). Tanta trapalhada! 


PARTE III


Como podia recusar marcar um livre nos últimos minutos, se tinha sido substituído aos 76 minutos!
Uma das últimas aldrabices a serem criadas. Os jornais do dia seguinte ao jogo entre o SC Beira-Mar e o SL Benfica, são unânimes. Eusébio foi o jogador que mais rematou. Em "A Bola" escreveu-se que "Eusébio rematou mais à baliza do Benfica, que toda a equipa do Benfica à baliza do Beira-Mar!" Como poderia ele ter-se recusado a marcar um "pontapé livre" nos últimos minutos se foi substituído aos 75 minutos! Segundo rezam as crónicas a defesa da tarde foi de José Henrique, guarda-redes do "Glorioso", a um poderoso remate de... Eusébio!

Diário de Notícias; 6 de Janeiro; Página 19
Record; 7 de Janeiro de 1977


 PARTE IV

Entendam-se quanto aos clubes e anos em que estiveram interessados em Eusébio
Uma das estorietas mais divulgadas e menos consistentes é a famosa "Só não foi para Itália porque o ditador Salazar era do Benfica e obrigou Eusébio a ficar em Portugal, como "Património do Estado" porque quis fazer do Benfica um clube ganhador". Tanta mentira. Salazar não tinha clube nem gostava de futebol. Havia a "Lei da Opção" que protegia os clubes em relação aos contratos e vencimentos dos futebolistas (Um clube só deixava sair um jogador se quisesse!). O Benfica nunca admitiria ingerências externas na sua gestão, como se provou em 1965 quando o Ministério do Interior (e a PIDE) quis impedir o Benfica de jogar na URSS frente ao Spartak de Moscovo. Eusébio não saiu de Portugal porque até 1965, estava impedido pela Lei do Serviço Militar Obrigatório e a Guerra Colonial. Não podia sair antes de 1962, quando completou 20 anos pois tinha que cumprir - como todos os mancebos portugueses - a obrigação de fazer a recruta. Depois quem não fosse mobilizado para o Ultramar (Guerra Colonial) tinha que ficar dois anos na Reserva, até aos 23 anos, pois em caso de necessidade (falta de efectivos), tinha de ir mesmo para África (Angola, Guiné ou Moçambique). A menos que fosse refractário ou desertor (se já fosse militar, na recruta, por exemplo e fugisse).  


Diário de Notícias; 6 de Janeiro; Página 9

Sábado; 8 de Janeiro; Página 34

Sábado; 8 de Janeiro; Página 34

Visão; 8 de Janeiro; Página 60 

PARTE V

Saída do Benfica em 1975
Quando se fala da saída do Benfica, como se fosse extemporânea, é preciso perceber que Eusébio raramente conseguia fazer um jogo completo. E se o fizesse actuava muito limitado, ficando em campo para aproveitar as "bolas paradas" que pudessem surgir. Nas quais continuava temível. Já não era jogador para o Benfica apesar de teimar em continuar a jogar futebol "porque só tinha 33 anos!". Não contava era com as várias operações aos dois joelhos...


Sábado; 8 de Janeiro; Página 46

PARTE VI
  
Também houve artigos, opiniões e informações úteis e bem feitas
Com tanta desinformação ou "informação contraditória" também houve muita fotografia disponibilizada, bem como artigos bem conseguidos e opiniões bem fundamentadas. Como exemplo o EDB publica este excelente gráfico que ilustra as dificuldades que o Benfica teve para fazer de Eusébio um futebolista do "Glorioso".

Sábado; página 35; 8 de Janeiro de 2014


Um Presidente do "Glorioso" que acreditava nos seus dirigentes (se assim não fosse Eusébio teria ido parar ao Sporting... provavelmente)
As dificuldades (tempo dispendido, entre 15 de Dezembro de 1960 e 17 de Maio de 1961), recursos e exposições legais às tutelas políticas e desportivas do País e o dinheiro envolvido - para a mãe de Eusébio, ordenados de Eusébio, estadia no Algarve e no Lar do Jogador em Lisboa e pagamento da transferência ao Sporting Clube de Lourenço Marques - foram de tamanho montante que o presidente Maurício Vieira de Brito, como homem de negócios pragmático, rigoroso, prático e simplicista dizia, segundo Francisco Campas e Gastão Silva: "Esse miúdo de 18 anos que ninguém do Benfica ainda viu jogar deve ser mesmo bom! Ou então anda tudo enganado! Com o dinheiro que o Benfica já gastou com ele comprávamos os três melhores avançados do futebol português que não jogam no Benfica e sabemos o que valem porque já todos os vimos jogar. E há alguns anos que marcam golos contra nós! Figueiredo do Sporting, Iaúca do Belenenses e Serafim do Porto. E ainda sobrava dinheiro!"
 


72 DATAS IMPORTANTES

Data                    Idade  Acontecimento

25.01.1942      -        Nascimento em Moçambique
15.12.1960       18      Chegada a Lisboa
23.05.1961      19      Estreia pela Reserva (3 golos)
01.06.1961      =       Estreia na Taça de Portugal (1 golo)
08.06.1961      =       Estreia no campeonato nacional (1 golo)
13.06.1961      =       Estreia num jogo internacional (1 golo)
15.06.1961       =       Primeiro "hat-trick" (3 golos)
08.06.1961      =       Campeão nacional (1.º título)
19.09.1961      =       Estreia na Taça Intercontinental (1 golo)
01.10.1961       =       Primeira vez quatro golos num jogo
08.10.1961      =       Estreia na Selecção Nacional (1 golo)
01.11.1961        =       Estreia na Taça Clubes Campeões Europeus
02.05.1962     20     Conquista da Taça Campeões Europeus (2 golos)
01.07.1962      =       Conquista da Taça de Portugal (1.º título)
15.09.1962      =       Conquista da Taça de Honra Lisboa (1.º troféu)
22.11.1962       =       Primeiro "hat-trick" na Taça Campeões Europeus
04.05.1963     21      Campeão nacional (2.º título)
06.10.1963      =       Primeira vez cinco golos num jogo
23.10.1963      =       Estreia na Selecção da FIFA
02.02.1964     =       Primeira vez seis golos num jogo
05.04.1964     22     Campeão nacional (3.º título)
19.04.1964      =       Melhor marcador Nacional (1.º troféu)
20.05.1964     =       Estreia na Selecção da UEFA
05.07.1964     =       Conquista da Taça de Portugal (2.º título)
09.09.1964     =       Conquista da Taça de Honra Lisboa (2.º troféu)
04.04.1965     23     Campeão nacional (4.º título)
09.05.1965     =       Melhor marcador Nacional (2.º troféu)
27.05.1965      =       Melhor marcador da Taça Campeões (1.ª vez)
28.12.1965      =       Melhor jogador europeu/ Bola de Ouro
01.05.1966      24     Melhor marcador Nacional (3.º troféu)
11.05.1966       =       Melhor marcador da Taça Campeões (2.ª vez)
28.07.1966     =       Terceiro lugar da Selecção Nacional no Mundial
28.07.1966     =       Melhor marcador do Mundial (9 golos)
29.07.1966     =       3.º melhor jogador do Mundial
30.04.1967     25     Campeão nacional (5.º título)
07.05.1967      =       Melhor marcador Nacional (4.º troféu)
04.09.1967     =       Conquista da Taça de Honra Lisboa (3.º troféu)
12.05.1968      26     Campeão nacional (6.º título)
12.05.1968      =       Melhor marcador Nacional (5.º troféu)
29.05.1968     =       Melhor marcador da Taça Campeões (3.ª vez)
30.06.1968     =       Melhor marcador Europeu/ Bota Ouro (1.º tr.)
27.04.1969     27     Campeão nacional (7.º título)
22.06.1969     =       Conquista da Taça de Portugal (3.º título)
19.04.1970      28     Estreia a capitanear o Benfica
19.04.1970      =       Melhor marcador Nacional (6.º troféu)
14.06.1970      =       Conquista da Taça de Portugal (4.º título)
25.04.1971      29     Campeão nacional (8.º título)
07.05.1972      30     Campeão nacional (9.º título)
04.06.1972     =       Conquista da Taça de Portugal (5.º título)
23.12.1972      =       Conquista da Taça de Honra Lisboa (4.º troféu)
11.03.1973       31      Campeão nacional (10.º título)
28.03.1973     =       Último golo (41.º) na Selecção Nacional
10.06.1973      =       Melhor marcador Nacional (7.º troféu)
30.06.1973     =       Melhor marcador Europeu/Bota Ouro (2.º tr.)
13.10.1973       =       Último jogo (64.º) na Selecção Nacional
24.10.1973      =       Último golo na Taça Campeões Europeus (46 golos)
07.11.1973       =       Último jogo na Taça Campeões Europeus (64 jogos)
02.06.1974     32     Último golo na Taça de Portugal (98 golos)
09.06.1974     =       Último jogo na Taça de Portugal (61 jogos)
16.10.1974       =       Conquista da Taça de Honra Lisboa (5.º troféu)
24.10.1974      =       Último golo no campeonato nacional (317 golos)
07.11.1974       =       Último jogo no campeonato nacional (301 jogos)
19.03.1975      33     Último jogo nas Competições Europeias (75 jogos)
31.03.1975      33     Último golo (638.º) pelo Benfica
04.05.1975      =       Campeão nacional (11.º título)
18.06.1975      =       Último jogo (614.º) pelo Benfica
18.06.1975      =       Último jogo (30.º) a capitanear o Benfica
01.11.1980       38     Regresso ao Clube para treinar as "Escolas"
26.03.1982     40     Concessão da "Águia de Ouro"
25.01.1992      50     Inauguração da estátua no estádio do SLB
07.01.2000     58     Eleito pela FIFA o 7.º "melhor de sempre"
05.01.2014      71      Falecimento em Lisboa

Alberto Miguéns

NOTA: Devido ao que foi escrito no Record (na passada sexta-feira), acerca do jogo arbitrado pelo árbitro Calabote, o EDB vai fazer - na próxima semana - o que o jornalista Rui Dias devia ter feito, em vez de deixar enxovalhar o nome do guarda-redes do GD CUF. Mostrar que Gama sofreu cinco golos (três de grande penalidade e dois indefensáveis) mas evitou, pelo menos mais dois com duas defesas "impossíveis" segundo foi publicado na Imprensa escrita da época, na segunda-feira a seguir ao jogo!



6 comentários
comentários
  1. Caro Alberto

    Mais um excelente retrato do nosso King. Parabéns.
    Após a questão Peyroteo ter sido esclarecida, vamos ter a questão CR7 por muito tempo. Claro que reli o seu post sobre Eusébio como inovador do futebol mundial...ao lado de outros como Di Stefano ou Messi...talvez falte aí um Cruijff ou Zico pelo meio, mas tudo bem. Colocou Cristiano como o melhor executante à data...e que Eusébio não tem comparação com nenhum futebolista português (à data). Penso que a sua opinião é a de que Cristiano também não se pode comparar com o nosso King, o que eu concordo...até porque o nosso King foi um jogador de mais de uma década ao mais alto nível...foi um talento raro e bem mais precoce que Cristiano. O assunto Cristiano é o da 2ª Bola de Ouro...os mais distraídos têm dito que esta bola de ouro é mais importante que a bola de ouro dos tempos de Eusébio, pois agora, entram todos os jogadores do mundo, não só da Europa. Se tivermos boa memória e mesmo olhando para o prémio da FIFA que desde 1991 a 2009 consagrou o melhor futebolista do ano no mundo...vemos que nos 3 primeiros lugares, só aparecem( e posso estar a cometer uma grande gaffe) jogadores que actuavam em clubes europeus. Os únicos não europeus a jogarem em clubes europeus, que ganharam ou o prémio da FIFA ou o da bola de ouro da France Football, foram Weah, Ronaldo (brasileiro), Ronaldinho Gaucho, Rivaldo e Messi, ou seja, temos um africano, três brasileiros e um argentino...em mais de 20 anos de entrega de prémios...basicamente o futebol mundial é apenas o futebol europeu e alguns expoentes máximos do futebol argentino e brasileiro...a grande excepção foi mesmo Weah como representante de África. Por outro lado, nos anos 60, a Bola de Ouro foi entregue a jogadores diferentes...o primeiro a repetir a vitória foi Cruijff em 1973, o que se pode depreender da quantidade de bons representantes, ao nível europeu que existiam nessa altura. Pelo contrário, hoje em dia, a eleição, mesmo sendo a nível mundial, só acaba por representar os clubes europeus e na grande maioria, futebolistas da Europa, com alguns casos excepcionais de brasileiros e argentinos...portanto, a meu ver , estes prémios não são assim tão globalizantes como querem fazer passar para toda a gente...basicamente, futebol mundial são somente os melhores campeonatos da europa ( espanha, inglaterra ou alemanha) e brasil e argentina na américa latina, quando um ou outro jogador destes países se destaca...em solo europeu. Não sei se tem a mesma opinião e se partilha do facto de andarem a endeusar Cristiano, tentando achincalhar o nome e as conquistas do nosso King.

    Um abraço


    Fernando Antunes

    ResponderEliminar
  2. Caro Fernando Antunes

    Concordo. Estava para escrever sobre o assunto. Antes da atribuição da Bola de Ouro. Entretanto faleceu o nosso fora-de-série. Hei-de voltar ao assunto. Se a atribuição da BO

    ResponderEliminar
  3. Se a atribuição da Bola de Ouro (modo como é feita a votação) fosse nos anos 60 e 70 como é na actualidade Eusébio tinha conquistado 6 ou 7!

    Alberto Miguéns

    ResponderEliminar
  4. Caro Alberto

    Esqueci-me do Kaká...de resto se a atribuição fosse feita somente pelos votos dos correspondentes/jornalistas em cada país...este ano então, CR7 tinha perdido por larga margem...o ano passado também, como pude constatar no site da FIFA...ou seja, penso que se a atribuição fosse feita como no tempo de Eusébio...Cristiano só tinha uma Bola de Ouro. Comparações à parte, apenas acho que o prémio tenta ser globalizante, mas apenas tem relevância aquele jogador que se destaca a jogar em dois ou três campeonatos europeus, no máximo. Portanto, de global só mesmo o nome...claro que no tempo de Eusébio, todos sabemos que os não europeus não entravam na votação e isso é um facto indesmentível...mas a eleição não era mediatizada nem a pedido, pelo menos é aquilo em que acredito. Claro que sempre houve injustiças...Bobby Moore como melhor jogador do Mundial 66 parece-me um desses exemplos, de algo que estava previamente destinado, pois penso que era o capitão da seleção inglesa. Acho que estas atribuições e prémios reflectem uma parcialidade evidente.

    Fico então à espera de voltar ao assunto.

    Saudações benfiquistas

    ResponderEliminar
  5. ok Sr. Alberto Miguéns...

    o Sr. CALABOTE merece ficar tranquilo no CEU .... paz a sua alma..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo

      O seu comentário foi em 20 de Janeiro. Está respondido do seguinte modo:

      Na próxima semana o EDB vai publicar o que foi escrito nas crónicas desse jogo, acerca do assunto (guarda-redes Gama)

      Eliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail