Quando o Sistema Treme | Em Defesa do Benfica -->
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

20/04/2021

Quando o Sistema Treme

20/04/2021 + 13 Comentários

GOSTO DE OS VER A TREMER.



É o que está a ocorrer com o anúncio da criação da Superliga Europeia.

NOTA (às 23:59): Que diferença "ouvêr" um presidente como o do Real Madrid CF (com Mundo) ou seja, capacidade de argumentar e explicar - independentemente de se concordar ou não com a Superliga Europeia - e os do «Futeluso» (que olham quais calhaus/trolhas com dois olhos para os seus umbigos). Ai, ai, Benfica!


A FIFA e a UEFA têm sido antros de corrupção

Com muitos dirigentes investigados e detidos. Não têm "moral" para julgar nenhum clube. São os maiores proxenetas do Futebol Mundial e Europeu.

 

Nasceram para promover e desenvolver o Futebol

E tiveram sucesso pois tornaram o Futebol um desporto global, apaixonante, coerente e fácil de entender, por crianças e analfabetos. Principalmente a FIFA (21 de Maio de 1904). A UEFA já tem outras estórias por detrás da sua fundação (15 de Junho de 1954).

 

Depois tudo o dinheiro levou

Nas últimas décadas do século XX e neste início de século XXI as duas entidades exploram o Futebol em benefício próprio. Vivem (e bem) do negócio criado pelos adeptos dos clubes. São um grupo de gente que nem gosta do Futebol (generalizações são sempre redutoras) mas gostam enormemente das receitas das competições de clubes e principalmente dos Mundiais e Europeus onde contam com populações fanatizadas pois propõem-se (com hinos e tudo) fazer guerras entre países através do jogo da bola. A FIFA e a UEFA são locais mal frequentados. «Calores da Noite» de alta qualidade.


Lembrei-me mais desta (às 19:32 horas)

Os "doze fundadores" até são os melhores clubes actuais da Europa (se tivermos em conta os coeficiente da UEFA) para ordenar os clubes nos sorteios. Falta o FC Bayern Munique e o Paris Saint-Germain FC aceitarem para estarem os dez melhores. Depois com Sevilha FC, BVBorussia 09 (Dortmund) e AS Roma chegariam aos 15 melhores. Com os imprescindíveis FC Inter (Milão) e AC Milan estavam 17. Estes teriam de estar presentes pois formam, com a Juventus FC, o "núcleo duro" do Calcio! Os alemães continuam sempre a desconfiar dos ingleses. Traumas da Geopolítica Europeia que nos chegam do tempo do Império Romano, entre Germanos e Saxões, qual deles era mais bárbaro para "morder" as Legiões Romanas. O Futebol (com as suas vicissitudes) acaba por ser o retrato do mundo tribal europeu. Porra! Em 2000 anos evoluímos pouco, é o que é!



Este anúncio da criação da Superliga no início desta semana

Não foi pura ingenuidade. Foi estratégico. É a semana entre a segunda-mão dos quartos-de-final das duas Ligas Continentais da Europa e a semana da primeira-mão das meias-finais dessas duas competições. Ou seja, uns dez dias para "apalpar terreno", cada um dos lados cavar trincheiras ou erguer barricadas para uns cederem o menos possível e outros obterem alguma coisa mais do que têm. Da última vez que os maiores clubes pressionaram a parelha FIFA/UEFA conseguiram alterar profundamente o modelo Taça dos Clubes Campeões Europeus/Liga dos Campeões reservado em exclusivo a campeões nacionais passando a jogar na Liga dos Campeões, emblemas classificados em segundo, terceiro até ao quarto lugar nas ligas nacionais mais importantes. Os clubes queriam mais, a UEFA não queria ceder, mas cedeu. E tem cedido sempre aumentando os milhões por vitória, empate, apuramento para a fase de grupos e passagem às eliminatórias seguintes. Quando é que a Liga dos Campeões passou de uma competição de campeões nacionais para uma competição com os principais clubes europeus com demonstração interna - pelas classificações na temporada anterior - obtendo entradas directas ou através de pré-eliminatórias na temporada seguinte? Em 1997/98. Em 1996/97 ainda participaram apenas os 23 campeões nacionais mais o campeão europeu da temporada anterior (Juventus FC). Em 1997/98 já participaram 55 clubes (das 46 federações da UEFA). Em 1999/2000 participaram 71 clubes das 47 federações. Em 2020/2021 participaram 81 clubes das 54 federações que constituem a UEFA. Ou seja, houve 27 clubes que não foram campeões nacionais! Campeões Nacionais: 54. Não campeões nacionais: 27 (50 por cento). É a vida! A UEFA foi sempre cedendo dando a ideia que não cedia. Mas como enchia os bolsos toca a dar benesses às principais ligas. Assim, em vez da UEFA "mamar" 200 milhões por época, que só "mamem" 20 milhões e distribuem os restantes 180 milhões pelos oito ou quatro ou dois melhores clubes na Liga dos Campeões.  

 

A criação da Superliga tem aspectos positivos e negativos

Como sempre que há mudanças. Quando se passou da permanência no campeonato nacional, com promoções e despromoções, sem necessidade de conseguir esse apuramento pelas classificações nos Regionais, até 1946/47, também se disse que seria a falência do Futebol em Portugal. Foi é o fim da chulisse da AFL e da AFP e de mais três ou quatro associações regionais! Quando há muito dinheiro fácil aparecem sempre os proxenetas de ocasião.


Vai haver aqui no blogue muitos pretextos para voltar e repetir escrever acerca deste assunto 

Agora já se percebeu quem está "à rasca": os empresários de futebolistas (que vigarizam os Estados colocando milhões fora do controle), os dirigentes (muito bem pagos) das federações nacionais, os sub-dirigentes destas que gravitam à volta dos milhões, os dirigentes capitalistas da FIFA e da UEFA, alguns presidentes comissionistas de clubes, uma cambada de absentistas que vive e fomenta o actual sistema e os Idiotas Úteis. Claro que depois tem de se considerar os negativos, quase todos de índole desportiva. Mas isso fica para a próxima vez. Esperando pelas «Cenas dos Próximos Capítulos». 

 

Prevejo um fartote de riso para os próximos dias/meses! Chularia profissional!

 

Alberto Miguéns

  1. Não concordo com a criação desta liga. Feita à revelia da UEFA, parece-me uma iniciativa gananciosa e lesiva para o futebol-desporto e para os adeptos.

    Em minha opinião, os clubes promotores da ideia terão de ser responsabilizados e eventualmente punidos. Por trás desta iniciativa está a ganância, uma lógica mercantilista e o profundo desrespeito pelos adeptos e pelos outros clubes. Ainda há pouco ouvi que este grupo inclui clubes que nunca foram campeões europeus e que deixa de fora clubes que no seu conjunto venceram 18 TCCE ou LC. Mas mesmo que fosse um grupo com todos os clubes campeões europeus, continuaria a ser uma iniciativa que mostra falta de respeito por todos os outros.

    Estes clubes promotores tem líderes que não amam ou defendem o futebol-desporto. Estão neste "mercado" como poderiam estar num negócio de comercialização de bananas ou amendoins, caso isso desse mais dinheiro. Desprezam os adeptos, a História dos clubes e das competições, ou seja da pura essência deste desporto e da sua popularidade. Por detrás disto estão também instituições bancárias poderosas que vêem neste incidente uma estratégia para aumentar os lucros e poder de influência num mercado apetecível.

    A UEFA e FIFA são também culpadas por esta desastrosa iniciativa. Culpadas porque como o Alberto disse, foram num passado recente antros de corrupção. No entanto, mesmo que nem tudo tenha sido devidamente punido ou resolvidos, as instituições têm sempre de ser regeneradas e respeitadas. Não podemos viver no caos e esperar que estas iniciativa se multipliquem no futuro ao sabor de associações de clubes e do seu nível de ganância. Não podemos ter essa gente a substituir competições com história e com prestígio, amadas pelos adeptos, só porque acham que assim ganham mais dinheiro.

    A UEFA e FIFA são também culpadas por não terem combatido em termos efectivos casos gritantes de dinheiro sujo no futebol, de desrespeito ao fair play financeiro, de selvajaria negocial promovida pelos empresários e outra gente comissionista do futebol, do aumento perigoso e irresponsável dos calendários dos jogos nas temporadas desportivas.

    O futuro próximo também revelará se estamos a ver uma iniciativa a valer ou se é apenas uma estratégia para extremar posições negociais e nesse bluff conseguir mais lucros. Estão a levar o futebol a limites perigosos e nunca foram testados. No futebol tudo é momento e se este processo negocial se arrastar, podem vir a registar-se danos irreparáveis para o final desta temporada e para a próxima.

    Acredito que são sementes da destruição. Estou em crer que a maioria dos adeptos percebe isso e estará contra. Hoje já se percebeu isso em vários desses clubes promotores. Os seus protestos poderão vir a ser decisivos para chamar à razão os dirigentes dos clubes promotores. Ou pelo menos serão suficientes para levar as autoridades políticas a intervir.

    Uma palavra de desgosto perante o que até agora ouvi por parte de responsáveis do Sport Lisboa e Benfica. Segundo sei, o Benfica remeteu a sua posição oficial para as declarações do Sr. Domingos Oliveira, feitas há dois anos. Na altura terá declarado que o Benfica é contra essa liga europeia mas que dificilmente poderia recusar caso fosse convidado. Parece-me pouco perante tamanhos desenvolvimentos e perante assunto tão sério e definidor do futuro. E também dá uma impressão terrível de que o Clube está vendedor dos seus princípios. Apesar dos últimos anos ruinosos, o Benfica é um gigante europeu e tem de assumir esse lugar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo com o caro Carocha, aliás nos assuntos relacionados com o Glorioso e o futebol em geral, poucas ou nenhumas vezes, discordo!
      Vou roubar...

      Eliminar
    2. Assino por baixo tudo o que escreveu.

      Eliminar
  2. Excelente texto, Vítor Carocha. Subscrevo por inteiro tudo o que aqui abordou.

    ResponderEliminar
  3. Primeira machadada e que matou a essencia que era o futebol, Lei Bosman, segunda machadada alteração da Taça dos Campeões mais a extinção da taça das taças, e por fim terceira criação de uma supermerda, desculpem superliga.

    Como diz o Alberto e bem a culpa de tudo isto foi primeiro da UEFA que foi sempre cedendo as gastos magalomanos dos atrasados mentais como o Florentino Perez, e outros, e depois dos governos que permitiram lavagens de milhoes. Eles estão com prejuizos porque pagam ordenados pornograficos a jogadores e treinadores e ainda a empresarios, isto é uma equação muito simples, gastam mais do que aquilo que têm e podem gastar e depois querem arranjar uma forma de ir buscar dinheiro a qualquer lado.

    Sempre fui contra a alteração das competições europeias, para mim era sempre a eliminar, e tanto assim é que a verdadeira competição começa com os jogos a eliminar, o resto está lá para encher chouriços e para jogos sem interesse nenhum, mesmo jogados por estes feudais do futebol, mas os feudais não podem ser eliminados na 1ª ou 2ª eliminatoria, ou jogar na Taça Uefa ou Taça das Taças, são finos, têm que sempre chegar às meias finais ou à final, para satisfazerem o apetite.

    Se a Liga dos campeões tem um formato absurdo, esta supermerda que querem criar ainda o é mais, os meninos nunca descem, em 20 15 participam sempre, apenas porque sim, porque são os fundadores de lixo e depois deixam outros 5 participar mas que será sempre entre esses cinco que se decidem as descidas, mesmo que um desses 5 até acabe por ganhar o superlixo.

    Se já pouco ligo ao futebol e nunca paguei canais para ver o que quer que seja então agora ainda menos.

    Deviam era ser todos irradiados, na hora, as competições europeias já tiveram alguns anos ausentes de clubes ingleses e nunca perdeu o carisma que tinham bem pelo contrario

    ResponderEliminar
  4. Subscrevo as opiniões aqui deixadas. Uma superliga deveria ser de facto especial e emocionante MAS com regras que promovessem a equidade e possibilidade de participação sem elitismos.

    ResponderEliminar
  5. Para colocar a cereja em cima do bolo, o Sr. Florentino Pérez, presidente do Real Madrid, disse ontem qualquer coisa como "os grandes clubes não podem perder dinheiro quando os pequenos ganham". Um homem destes representa bem determinadas elites que nos governam quer no futebol quer em outros sectores. Nenhum respeito pelos outros, pelas regras, pela decência, pela verdade.

    Este é um tempo decisivo para moldar o futebol nas próximas décadas. Que a UEFA apesar de tudo o que foi e que ainda poderá ser, saiba não apenas punir mas propor algo com sentido e atractivo para clubes e adeptos. Os sinais não são positivos. O novo modelo proposta para 2024 parece-me ridículo. E depois, fala-se numa bazuka para injectar dinheiro nas competições ou nos clubes, não está claro. colocar dinheiro num modelo desequilibrado apenas alimentará o monstro e adiará novas cisões.

    Que saibam entender a importância que o futebol tem para o povo. O futebol foi criado por elites mas apenas pela paixão do desporto. Foi depois adoptado pelo povo, praticado pelo povo para deleite do povo. Que se entenda tudo isto e que se seja consequente com isso.

    ResponderEliminar
  6. Caro Alberto. Gosto muito do seu blogue que leio assiduamente. Sei que escreve sempre o que pensa independentemente do que agrada às sua audiência. Mas como pelos comentários noto que hoje discordam da sua opinião maioritariamente, aproveito para lhe dizer que estou plenamente de acordo consigo. As estruturas federativas do futebol estão a espremer a galinha dos ovos de ouro e a maior parte dos adeptos defende-os porque como nunca viram outra coisa acham que o futebol é isto. Para quem tem alguma ideia da história, como o Alberto, está claro que 70 anos de uma fórmula híbrida em que os principais clubes europeus podem jogar uma competição continental mas não podem abandonar a sua liga local é uma aberração. Infelizmente os adeptos dos grandes clubes das ligas pequenas (Portugal, Holanda, Grécia, Chequia, não percebem que a escala das suas ligas os condena a estar atrás de clubes que, numa prova continental, a longo prazo estariam atrás de si e só beneficiam do efeito escala das suas ligas domésticas mais poderosas. A UEFA parece ter ganho está batalha, mas vai perder a guerra porque está a destruir o futebol. O alargamento a 36 clubes é mais uma passo para sobrecarregar os futebolistas com jogos que as pessoas não querem ver, em vez de fomentar a criação de uma audiência continental, continuam a apostar na fragmentação das audiências locais tentando que todos vejam os seus clubes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Benfiquista

      Agradeço, mas eu ainda vou fazer um texto acerca do que penso de como será uma futura Superliga Europeia.

      A UEFA cedeu. Tanto que vai aumentar os prémios. Quem mais vai beneficiar são uma vintena de clubes, principalmente os tais doze. Quem vai ser mais prejudicado são os das ligas periféricas.

      A UEFA vai perder o monopólio da organização da competição continental onde participem os melhores clubes. Só não se sabe quando! Nem os "uefeiros" vão conseguir travar o Futuro pois a UEFA é um mero organismo parasitário do Futebol (mangas de alpaca engravatadas que metem muito graveto ao bolso) que tem que ser banido.

      Um dia destes escreverei o que penso acerca do modo como pode ser organizada uma Superliga com várias divisões. Isto no futebol somos todos treinadores e dirigentes, por isso cada cabeça, sua sentença.

      Abraço Glorioso

      Alberto Miguéns

      Eliminar
    2. Caro Alberto,

      Lembro-me de ter lido num dos seus textos há uns tempos que apoiaria a criação de uma Superliga Europeia com a presença do Benfica, então gostava de ler mais acerca da sua proposta relativa ao modo como essa Superliga poderia ser organizada com as tais várias divisões de que fala. Fiquei curioso.

      Eliminar
    3. Caro Ricardo E estão previstos dois - Geopolítica da Bola - para quando não houver tanto jogo do Glorioso uns a seguir aos outros. Abraço Glorioso Alberto Miguéns

      Eliminar
  7. "Prevejo um fartote de riso para os próximos dias/meses! Chularia profissional!" - Estas palavras mal envelheceram, mas envelheceram realmente mal. O riso foi outro...

    "NOTA (às 23:59): Que diferença "ouvêr" um presidente como o do Real Madrid CF (com Mundo) ou seja, capacidade de argumentar e explicar - independentemente de se concordar ou não com a Superliga Europeia - e os do «Futeluso» (que olham quais calhaus/trolhas com dois olhos para os seus umbigos). Ai, ai, Benfica!" - Foi precisamente pela "excelente" capacidade de argumentação e eloquência do "delusional" Perez que começaram a fazer descambar a SuperLeague ainda antes da intervenção das autoridades inglesas. Perez não passa dum Vieira sem bigode.

    Achar que a SuperLeague é aberrante não é defender a UEFA ou a FIFA. Pelo contrário. É mostrar que este tipo de ideias é e sempre será rejeitado. Um clube privado baseado na "rentabilidade". Sim, há demasiadas semelhanças entre a SuperLeague a Champions a partir de 2024, mas a ideia é reverter a coisa e não criar uma parvoíce ainda maior.

    Vejo neste blogue um (raro) sinal de resistência ao futebol moderno e a tudo o que ele não representa. Se há clube que consegue perceber, nas veias da sua história, o que se perdeu, é o Benfica. Aqui não preciso de fazer apelos à memória, pelo que espero que este regozijo tenha sido apenas uma gargalhada irónica pelo facto de "do outro lado" estar a UEFA, que não merece outra coisa, mas que, com o tempo, se perceba que não é substituindo um mal por outro maior que se resolve seja o que for.

    PELO BENFICA, O MAIOR DE PORTUGAL, MAIOR QUE PORTUGAL.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Benfiquista

      A estória da Superliga está longe de terminar. E eu nunca defendi a proposta dos 12 clubes. Apenas disse - e mantenho - que a FIFA/UEFA é um antro de gananciosos. E que os 12 estavam a "chatear" o Poder.

      E em breve vou fazer um texto denominado «Geopolítica da Bola» onde vou publicar valores, mostrar que há grupos económicos que detêm vários clubes - alguns podem ser "adversários" - sem que a FIFA/UEFA intervenha. Uma vergonha.

      Os adeptos ingleses deixam-se manipular. Venderam os seus clubes, não mandam nada, exigem que os capitalistas invistam cada vez mais. Se há adeptos que não prestam são os ingleses. Abdicaram de dirigir os clubes e querem que os donos conquistem tudo. E vão conquistar.

      Os clubes ingleses fazem concorrência desleal - pois o RU nunca pertenceu ao Euro, nem ao espaço de livre circulação (Schengen) - que levou os clubes espanhóis e italianos à falência. O caso francês (só o PSG FC) e germânico é diferente, mas refletem muito do que é a política mundial actual: PSG é uma demonstração de que um muçulmano (Qatar) pode ser "dono e senhor" de França, mandando no clube de Paris (a escolha não foi por acaso) ridicularizando os franceses. Os clubes alemães são orgulhosos e entendem que sendo mais evoluídos e inteligentes que os restantes europeus - raça superior - conseguem com a sua organização enfrentar os ingleses que consideram idiotas.

      Só não vai ter nos próximos anos os clubes ingleses a conquistar a LC e LE sistematicamente (haverá sempre excepções à regra) porque será criada uma Superliga (ainda que - acredito - diferente da proposta pelos "Doze" que até era uma proposta hibrida) que limite o poderio dos clubes ingleses. Quem travou a "SL dos 12" foi a proximidade de Eleições no RU. O resto é para entreter..

      O tempo mostrará se será assim ou não.

      Mas conto escrever dois textos (brevemente sobre isso). «Geopolítica da Bola» e «Onde Está o Cancro do Futeluso?».

      Abraço Glorioso

      Alberto Miguéns

      Eliminar

Subscrever este blogue

Apoio de: