SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

28 março 2020

Chalana 1977/78: Tetra Por Um Canudo

28 março 2020 3 Comentários
QUANDO SE PENSAVA QUE DEPOIS DO TRI ERA ATÉ MAIS NÃO EIS QUE SURGE EM CENA UM HOMEM RIDÍCULO.


Romão Martins responsável para o futebol do Benfica aproveita-se da fragilidade que a doença que seria mortal atinge o presidente Borges Coutinho e faz o impensável.

Deixa sair Artur e Jordão para o Sporting CP
Não percebendo que a parelha Pinto da Costa (com as mesmas funções dele no FC Porto/ Pedroto preparavam-se para o tudo por tudo! Artur era o defesa-direito titular do Benfica e da selecção nacional. Jordão era o melhor ponta-de-lança do futebol português devido à «vida malvada» de Victor Batista. E ainda saiu para o SC Braga, o extremo-direito Nélinho que se fartou de assistir Néné adaptado a ponta-de-lança com a saída de Jordão para Espanha. Ora o Benfica não podendo contratar estrangeiros não podia dar-se "ao luxo" de prescindir dos melhores portugueses. Ainda por cima do Benfica, ou ligados ao Benfica. Jordão tinha saído no final de 1975/76 para o Real Saragoça mas estava interessado em regressar ao futebol português em 197/78. E regressou mas para o Sporting CP. Quando tinha sido júnior no «Glorioso». Um erro histórico monumental pois não só impediu o Benfica de conquistar (talvez) uma dúzia de títulos consecutivos como fez emergir o FC Porto, mostrando que a estratégia de "guerrilha e larachas" Pinto da Costa/Pedroto dava resultados. Que é isso o que os adeptos querem. Para atingir determinados fins vale sempre a utilização de qualquer meio. Agora até os do Benfica, ou grande parte, pensam assim! Mas em final de 70 nem pensar. Com Borges Coutinho e a Cultura então vigente entre os associados do Benfica nem pensar!  

O treinador foi obrigado a fazer adaptações
As contratações revelam-se apenas isso e não foram reforços, por muita boa vontade que tivessem Celso (avançado) e Mário Wilson filho (médio). Depois ainda se tentou com Rui Lopes (avançado júnior) remediar mas o mal estava feito!


O que é que isto tem a ver com Chalana?
Tem tudo porque o futebol é um desporto colectivo. Por muito que brilhe uma estrela se as outras empalidecerem o céu escurece! O treinador John Mortimore (pela segunda época no Clube) bem dizia que «não se podem fazer omeletas sem ovos», mas os adeptos querem é vitórias. De uma linha avançada com Nélinho, Néné e Chalana passou-se para um sistema híbrido onde até Chalana chegou a jogar a extremo-direito, quando a linha avançada devia ser Néné, Jordão e Chalana. Esta linha avançada garantiria mais de 50 golos na época e uns 30 no campeonato nacional. 



Não ser campeão terminando invicto
Chalana fez a sua época mais brilhante desde que se iniciara como titular em 1976/77, mas o Benfica marcava poucos golos. Mesmo a defesa-direito foi necessário adaptar Pietra que era centrocampista ou António Bastos Lopes que devia ser defesa-central. O Benfica "sabendo" que marcava pouco tinha de garantir que não sofria golos. No final do Campeonato Nacional, em Maio de 1978, pagou caro o erro cometido em Agosto de 1977. Chalana foi utilizado em 28 dos 30 jogos marcando oito golos. O FC Porto sofreu uma derrota e o «Glorioso» terminou invicto, com nove empates para sete do campeão nacional. Foi nos golos que se fez o campeão: 81/21 (+ 60) para o FC Porto e 56/11 (+ 45) para o Benfica. O melhor marcador do Benfica foi Néné com... 12 golos. Chalana e Victor Batista com oito. Houve 14 futebolistas para marcarem 56 golos! Aliás 55 pois no jogo do título, no estádio das Antas (28.ª jornada) até foi Simões (FCP) a fazer autogolo. Chalana foi o melhor futebolista da temporada - o mais brilhante jogador português e a jogar em Portugal - mas o Benfica não conquistou NADA! NADA!



Na Taça de Portugal
Chalana foi intenso. O Benfica atingiu os quartos-de-final e depois com o sorteio a colocar o clube a jogar em Alvalade foi um fartote para o Benfiquista Artur e Manuel Fernandes que marcou dois golos do 1-3. Adeus à Taça que o Sporting CP conquistaria ao campeão, FC Porto, numa finalíssima. Campeonato para o FCP, Taça de Portugal para o Sporting CP e o Benfica com os oito/nove melhores futebolistas portugueses: Bento, Humberto Coelho, Eurico, Alberto, Toni, Sheu, Pietra, Néné, Chalana e já não contando com Victor Batista que tinha dias de excelência e outros de mediocridade! Aliás foi neste campeonato (16.ª jornada) a "cena do brinco". Não como se diz que ele perdeu o brinco quando marcou o golo da vitória sobre o Sporting CP. Quando marcou o golo (1-0, aos 54 minutos) deu foi pela falta do brinco. Sabia lá ele onde o tinha perdido! Desfalcar o Benfica do melhor defesa e do melhor avançado, só de quem não tem noção. Pagam-se caro as "brincadeiras" no Futebol! E Chalana a brilhar! Jogou em três dos cinco jogos. Olha se tem tido Jordão ao meio e Néné do outro lado (direito)? 



O Liverpul FC foi muito forte
Mesmo com tantas limitações John Mortimore colocava a equipa a jogar como se não houvesse amanhã. E com o Liverpul FC não houve. Nos quartos-de-final duas derrotas: 1-2 (com Néné a fazer 1-0) e 1-4 na Ilha da Grã-Bretanha. Obladi-obladá! Chalana fez os quatro jogos anteriores mas não defrontou em qualquer dos jogos o Campeão Europeu, pois esteva afastado devido a uma lesão na 18.ª jornada, frente ao Vitória SC Guimarães, na «Saudosa Catedral», em 25 de Fevereiro de 1978. Só regressou na 21.ª jornada (2 de Abril de 1978) e os jogos com o coloso inglês foram em 1 e 15 de Março e o tal jogo com o SCP para a Taça de Portugal em 5 de Março. Chalana falhou estes três jogos e mais duas jornadas para o campeonato nacional. Pontaria! 
  

Uma grande temporada
Com 43 jogos e dez golos dos 52 jogos e 100 golos do Benfica. E ainda houve tempo para conquistar a Taça de Honra de Lisboa frente ao CF "Os Belenenses" e Sporting CP (28 de Dezembro de 1977) mas parece que não contam apesar de organizadas pela AFL. Já o Regional de Lisboa, também organizado pela AFL... conta. Conta tudo ou nada! É que o CF "Os Belenenses" foi 5.º classificado no campeonato nacional e o Sporting CP foi terceiro. A Taça da Liga ao pé da Taça de Honra costuma ser uma brincadeira.

Apesar de tudo
Um ano a ver os outros conquistar troféus? Como sempre os Benfiquistas perceberam o que se passava e em 1 de Julho de 1978 a assembleia geral (sem que fosse necessário pois nunca foram norma nos Estatutos mas apenas tradição ainda que tivesse mais força que um artigo escrito) decidiram que o Benfica pudesse contratar estrangeiros... mas só para avançados!

Mas... a teimosia de não contratar estrangeiros continuou em 1978/79 e continuámos a ter Chalana e nada conquistar!

Alberto Miguéns

3 comentários
  1. Muito bom Alberto

    ENgraçado como contas a historia do brinco, ri-me com isso e vi esse jogo

    ResponderEliminar
  2. Caro ALberto.

    Foi um grande jogador ate aparecer a ANabela e depois foi para o Bordéus.
    Deixa saudades pela classe e garra com o manto sagrado.
    Aquela asa direita quando funcionava era um espectáculo.

    ResponderEliminar
  3. Chalana acabou para o futebol aos 24 anos em França no Europeu, depois disso nunca mais foi o Chalana que nos habituamos a ver, e eu tive o privilegio de acompanhar a carreira dele no Benfica desde os juniores, foi uma pena, mas quem o viu nunca se esquecerá dele

    ResponderEliminar

Artigos Aleatórios

Apoio de: