De Louco e Treinador Todos Temos um Pouco! - Em Defesa do Benfica
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

30/07/2018

De Louco e Treinador Todos Temos um Pouco!

30/07/2018 + 4 Comentários API
ÓRFÃOS DE KROVINOVIC OU À ESPERA DELE.


Foi com Krovinovic que tivemos o futebol mais agradável em 2017/18. E entenda-se "agradável" no sentido de termos a ideia que conseguimos estar junto da grande-área adversária com possibilidades de alvejar a baliza contrária sem a sensação de correr riscos de sofrer um contra-ataque.   


No futebol uma equipa pratica um "futebol agradável"
Quando consegue ter cinco futebolistas a atacar e cinco a defender, pois o guarda-redes "não conta" apesar de ser elemento fulcral para que os outros dez estejam à vontade!

A sensação que se tem
É que o Benfica joga muito com tracção atrás, com cinco médios, pois os alas jogam muito recuados. A fotografia que abre este texto é exagerada (o Benfica estava a recuperar de um contra-ataque da Juventus FC) mas durante o jogo foi possível ver várias vezes o Benfica com uma linha de cinco atrás de Ferreyra e depois de Castillo. Por vezes mesmo uma linha de quatro e de cinco na defesa com Fejsa (outras vezes Pizzi) entre os dois centrais, principalmente no início da segunda parte. Fico com a ideia - que pode ser idiotice pois se percebesse de futebol não escrevia textos passivos acerca dele, mas era jogador ou treinador - que o treinador do Benfica tem muito receio em expor os dois laterais à possibilidade de "um-para-um" preferindo encurtar o espaço entre os alas e os laterais mesmo sabendo que desde que há dois defesas-centrais uma das funções destes é ajudar os laterais, no futebolês "dobrar" os defesas-laterais.


Com Krovinovic
Havia um dos três futebolistas médio-centro que funcionava como "maestro", ou quase, pois o Glorioso Futebolista ainda tem margem de progressão para saber dosear o esforço durante os 90 minutos (sem chegar desgastado ao final cometendo erros defensivos) e ter mais capacidade na decisão de passar ou não a bola. Mas é o melhor no plantel a fazer essa função de pautar o jogo permitindo dar tempo a que os outros dois médios e dois alas se posicionem mais à frente na linha avançada. Aliás Jonas dava isso à equipa. Por isso não é um grande goleador a equipas mais fortes mas dá muito à equipa nesses jogos pois consegue ser médio com mestria a pautar o jogo. Só que a idade não perdoa. Zivkovic consegue fazer a posição mas não tem as características de Krovinovic. Nem Alfa Semedo parece conseguir fazer semelhante. A capacidade de Krovinovic ritmar o jogo, permitindo que a equipa "suba", ainda lhe permite aparecer nos espaços criados para finalizar.


As grandes equipas
Conseguem ter três médios centro que numa linguagem metafórica podem ser no conjunto o motor da equipa cada um com a sua função como num automóvel: travão (Fejsa), acelerador (Gedson) e embraiagem (Pizzi ou Zivkovic). Mas não há caixa de velocidades no plantel como Krovinovic. E isso preocupa-me. Pode ser que tudo não passe de ilusão de quem percebe pouco das dinâmicas do jogo. Oxalá o treinador do Fenerbahçe SK não esteja a estudar afincadamente e "doentiamente" o Benfica - vai ter quatro jogos para esmiuçar - e mesmo que o estude não tenha plantel para anular o Benfica. Se há clube - excepto o AFC Ajax e FC Basileia - que já mostra o que quer e como quer jogar é o Benfica. Não vai surpreender o(s) treinador(es) do clube turco. Está tudo exposto a menos que Rui Vitória tire um "coelho da cartola" dia 7 de Agosto.


Com Jonas a perder capacidade de "guardar a bola" e saber o que fazer com ela
Resta esperar que Krovinovic regresse sem sequelas físicas ou que o Benfica - dentro ou fora - do plantel encontre quem possa fazer a transição: da bola durante o jogo ou até ele regressar em pleno.

Só contam os que cá estão e estão em condições. Carrega Benfica.


Alberto Miguéns


NOTA: É hábito dar opinião realçando o negativo daí que criticar seja geralmente entendido como sinónimo de "dizer mal". Mas criticar é julgar. Quando se elogia também se critica. Elogio não é antónimo de crítica. A crítica deve ser sempre positiva. Quando «se diz mal» o objectivo é pensar o que há a mudar para melhorar. Quando «se diz bem» o efeito deve ser ter orgulho mas humildade para fazer ainda melhor. Para quê toda esta prosa. Porque a transmissão televisiva do jogo em Harrison merece ser elogiada. O campo (rectângulo de jogo) é excelente, em dimensões e qualidade do relvado. O estádio (bancadas) é fantástico para as transmissões televisivas. Tinham câmaras ao nível do relvado e nas bancadas que faziam com que se percebesse o jogo estando em casa. Não me lembro de ver tão bem um jogo, no sofá e num inácio, como nesta transmissão. Parabéns ao clube que construiu este estádio e ao realizador que nos transmitiu o jogo. Vejam-se estes exemplos. Falta uma referência às gruas que permitiam ver os adeptos nas bancadas de um plano superior e que não é possível reproduzir em imagens fotográficas. Uma estrutura polivalente pois permite perceber a marcação de "bolas paradas" junto às duas grandes-áreas.



4 comentários
comentários
  1. Concordo em pleno com este artigo. O Krovinovic é um verdadeiro "Maestro" e neste momento não temos ninguém no plantel para o seu lugar, ou ainda não o "encontramos". O Zivkovic desenrascou, mas é nas alas/extremos que se sente como peixe na água. Havia o João Carvalho, mas foi vendido e, como referiu, só conta os que estão cá.
    Fala-se no Gabriel, não sei se é um chamado 10 ou 8, mas não me parece ser aquilo que necessitamos. É preciso alguém para pensar o jogo.
    Apesar das criticas que circulam pela blogoesfera benfiquista, Fejsa, Alfa, Gedson, Samaris, Pizzi e Parks são jogadores para jogar na equipa principal (A).

    Obrigado e Saudações!

    ResponderEliminar
  2. Devias ter visto o jogo contra o Dortmund então... ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro PP

      E "vi" com as condições possíveis.

      AM

      Eliminar
  3. O krovinovic, se tudo correr bem, só deverá estar perto dos eu melhor nível lá para Fevereiro/Março. Isto se voltar a ser o jogador que era. Estas lesões são muito complicadas. Veja-se o Sálvio. Hoje em dia não é nem 50%do jogador que era antes das lesões.
    O Gabriel, sendo um jogador diferente do Krovi, é o que me parece com maior capacidade para pautar os ritmos na equipa do Benfica.
    Krueger, pelo amor de Deus, ainda andas com essa cantiga do Samaris? O homem não tem o minimo de categoria para jogar com o manto sagrado.

    ResponderEliminar

Subscrever este blogue