Antes Tarde Que Nunca - Em Defesa do Benfica
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

16/07/2018

Antes Tarde Que Nunca

16/07/2018 + 1 Comentários
PARA COMPLETAR O QUE FICOU INCOMPLETO EM 28 DE JUNHO DE 2018 (CLICAR).



E depois em 2 de Julho de 2018 (clicar) ficou-se pela segunda parte. Finalmente houve um domingo sem futebol nem modalidades, nem mesmo equipas da formação, para completar o que pensei poder publicar na íntegra em 28 de Junho!

O que ficou para trás
1. Os períodos/ciclos - do PRIMEIRO TRI ao TETRA - do Benfica no Campeonato Nacional;
2. Os períodos/ciclos - conquistas, finais e eliminações - do Benfica na Taça de Portugal;
3. Os períodos (VED) do Benfica nas competições europeias.

Fulanização do Futebol
Esta mania começou para os futebolistas nos anos 30, treinadores nos anos 50 e presidentes depois de Pinto da Costa.

1. Primeiro os futebolistas
Durante muitos anos não havia destaque aos títulos dos futebolistas. Considerava-se que quem se sagrava campeão era o clube com o contributo dos jogadores pois sem eles não haveria possibilidade de formar equipas. Mas estas eram organizadas a partir dos plantéis que cada clube juntava para competir durante cada temporada. Fazer destaques individuais era viciar a importância de cada um para o todo. Um futebolista podia só jogar um encontro (90 minutos pois não havia substituições) e ser decisivo, outro fazer 180 minutos (dois jogos) mas ser o elo mais fraco. Depois com o alargamento das competições a eliminar, mas principalmente a pontuar de oito, para dez, doze e até 14 jornadas nos Regionais e primeiros Campeonatos Nacionais, atribuir-lhes títulos além de individualizar o que só o colectivo podia conquistar era desvirtuar o verdadeiro contributo de cada um e de todos.
Com os jornais a necessitarem de prolongar o interesse dos leitores/compradores depois das competições terminaram começou-se a listar. Os melhores por posições, os momentos mais decisivos da época e, como é evidente, o número de títulos de cada futebolista quando se começaram a fazer somatórios de cada carreira. As substituições (1968/69) ainda vieram tornar mais disfuncional a relação entre títulos individuais e participação. Mesmo com os futebolistas a ficarem cada vez mais desfasados uns dos outros passou a ocorrer um "fenómeno" que ainda se verifica na actualidade. Como se manteve a "pancada" dos jogos o que ocorre é que por vezes há futebolistas com mais jogos mas com menos minutos, ou seja, com menor contributo quantitativo. Em termos de títulos individuais leva tudo pela mesma medida. Por exemplo num campeonato de 38 jornadas é "tão campeão" que foi totalista (3420 minutos) como quem fez um minuto num jogo dos 38! Mesmo utilizando o número de jogos podem existir situações caricatas - embora apenas como valor hipotético - pois um jogador pode fazer um jogo (em 38) com 90 minutos e outro fazer 38 jogos actuando apenas 38 minutos pois foi suplente utilizado em todas as 38 jornadas apenas no minuto final. Considerar que um futebolista tem um determinado número de títulos é uma abstracção utilizando números inteiros pois estes não reflectem o verdadeiro contributo de cada um. Tornam igual o que é diferente. Mas nos últimos tempos assiste-se a uma autêntica viciação que é tornar igual participar - mesmo que seja um minuto - numa Supertaça conquistada num jogo e ser decisivo na conquista da Liga dos Campeões. Cada um desses futebolistas tem um título. Isto é o cúmulo da desfaçatez.  
Quando o Benfica é campeão lembro-me muito mais dos 24 fundadores e das grandes figuras do Clube - grandes porque o tornaram maior com as suas acções e ideias - que dos futebolistas que acabaram de se sagrar campeões. Quem conquista é o Benfica. E se o Benfica tem condições para ser campeão foi porque no passado houve alguém (muitos) que foram decisivos para dotar o Benfica de condições. O Benfica é campeão, fazendo campeões os que já cá não estão e os que estão para chegar. Como Benfiquista considero-me 36 vezes campeão nacional, mas só venci "fisicamente" 27 e apenas me lembro de comemorar 17 títulos. Os últimos 17! O BENFICA é que é campeão! Os jogadores são instrumentais. Sem dúvida os mais importantes!

2. Depois os treinadores (o «caso» 1967/68)
Então vamos lá "ver" esta temporada mas podiam ser outras!

Trn
Francisco Riera
Fernando Cabrita
Otto Glória
Jor
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
Clas
1.º
1.º
1.º
1.º
1.º
1.º
1.º
1.º
1.º
1.º
1.º
1.º
1.º
1.º
1.º
1.º
2.º
2.º
1.º
1.º
2.º
1.º
2.º
1.º
1.º
1.º
Pt
2
4
6
8
9
11
12
14
16
18
18
20
21
23
25
27
27
29
31
33
33
35
36
38
39
41
Dif
=
=
=
=
=
=
=
=
=
+2
=
+ 1
=
=
=
=
-2
-2
=
=
-2
=
-1
+1
+2
+4

Fernando Riera orientou o Benfica em sete jornadas (27 por cento da competição) com cinco vitórias e dois empates (12 pontos conquistados e dois perdidos) ou seja, um rendimento de 86 por cento mantendo o Benfica sete jornadas em primeiro lugar. "Contribuiu" com 12 pontos dos 41 no total, ou seja com 29 por cento;
Fernando Cabrita orientou o Benfica em 14 jornadas (54 por cento da competição) com dez vitórias, um empate e três derrotas (21 pontos conquistados e sete perdidos) ou seja, um rendimento de 75 por cento mantendo o Benfica 12 jornadas em primeiro lugar e duas como segundo classificado. "Contribuiu" com 21 pontos dos 41 no total, ou seja com 51 por cento;
Otto Glória orientou o Benfica em cinco jornadas (19 por cento da competição) com três vitórias e dois empates (oito pontos conquistados e dois desperdiçados) ou seja, um rendimento de 80 por cento perdendo o primeiro lugar numa das cinco jornadas. "Contribuiu" com oito pontos dos 41 no total, ou seja com 20 por cento. O Benfica foi campeão nacional da 26.ª (e última) jornadaQuem conquistou o campeonato em 1967/68? O BENFICA!

3. Agora os presidentes (o «caso» Borges Coutinho)
Esta mania de contabilizar títulos iniciou-se com Pinto da Costa. E pelos vistos todos gostam porque agora até os pixotes de clubezecos se armam em supercampeões. Não me lembro de alguma vez ter lido Maurício Vieira de Brito a enumerar as suas gloriosas conquistas. E muitas até foram mesmo pagas (em grande percentagem) da carteira dele! E se houvesse naquele tempo - anos 60, 70 e 80 - Supertaças, Taças da Liga e mais tretas. Era um fartote!
Depois há a impossibilidade de querer fazer possível o que não se justifica.

Pres
Adolfo Vieira de Brito
Borges Coutinho
Jorn
22
23
24
25
26
27
28
29
30
1968/69



20.Abr
27.Abr

Competição com 14 clubes/
26 jornadas
1969/70
2.º classificado
1970/71





1971/72









1972/73









1973/74
2.º classificado
1974/75









1975/76









1976/77





8.Mai



NOTA: Jornada em que o Benfica se sagra campeão nacional;
Em 1968/69, Borges Coutinho vence as eleições em 12 de Abril e toma posse em 21 de Abril de 1969; Em 23 de Abril de 1969 disputou-se a 4.ª jornada;
Em 1976/77, as eleições foram em 26 de Maio de 1977 e Borges Coutinho (que não concorreu) deu posse a Ferreira Queimado, em 2 de Junho de 1977;

Adolfo Vieira de Brito não concorreu às eleições de 12 de Abril de 1969 com o Benfica em primeiro lugar, embora em igualdade com o FC Porto devido à vigarice que este patrocinou em conluio com o clube de São João da Madeira (AD Sanjoanense). Conseguiram protestar um jogo do "Glorioso" na 4.ª jornada (29 de Setembro de 1968) de modo a ser jogado entre a penúltima (recepção ao FC Porto) e a última (deslocação a Tomar), ou seja, sete meses depois. O FC Porto tinha vencido o Benfica na primeira volta, por isso vencendo na 25.ª jornada (20 de Abril) passaria a ter dois pontos de vantagem sagrando-se praticamente campeão, pois na última jornada recebia o CF "Os Belenenses". Antes da decisiva jornada de 20 de Abril houve eleições (12 de Abril) em que Borges Coutinho venceu (clicar para Diário de Lisboa), com os outros dois candidatos - Fernando Martins e Romão Martins - a saírem vencidos.


Depois das eleições realizou-se o "Clássico de Portugal" com empate sem golos num jogo muito difícil. Tudo igual na frente mas o FC Porto com vantagem no confronto directo. No dia seguinte - segunda-feira - Borges Coutinho recebeu a presidência de Adolfo Vieira de Brito na tomada de posse a 21 de Abril (clicar para Diário de Lisboa). Antes da 26.ª e última jornada o Benfica teve o jogo da...4.ª jornada. O Benfica tinha de fazer, pelo menos três pontos nos dois jogos em terreno alheio. por exemplo, dois empates dariam igualdade pontual mas vantagem ao FC Porto no confronto directo: V 1-0 (Antas) e E 0-0 (Luz). Na quarta-feira (23 de Abril) mais um jogo complicado resolvido com 1-0 num golo de grande penalidade marcado por Jacinto sem...Eusébio em campo. O SLB passou para a frente da classificação com dois pontos. Necessitava de empatar em Tomar mas venceu por quatro-a-zero! O certo é que quando Borges Coutinho venceu as eleições o Benfica estava em desvantagem perante o FC Porto faltando três jornadas para terminar. Depois da tomada de posse faltavam duas mas o Benfica tinha de vencer um jogo podendo empatar outro. O "Glorioso" foi campeão 15 dias depois das eleições e seis depois da tomada de posse. Com a fulanização do Futebol foi Borges Coutinho que conquistou o título, com Adolfo Vieira de Brito como presidente em 24 das 26 jornadas. Assim...Borges Coutinho com quatro mandatos bienais (oito anos) consegue devido à estupidez da fulanização o que não devia ser fulanizado, "conquistar" sete títulos perdendo dois: 1969/70 e 1973/74! É obra! Mas o mais incrível é que há quem não queira e diga/escreva que Borges Coutinho só conquistou seis! Sete é um abuso até porque não convém! Mas consideram que o treinador que deve ser campeão é o que orienta a equipa no jogo em que se conquista o título! Incoerência. Se o ridículo matasse havia muito morto! Quem conquistou o campeonato em 1968/69? O BENFICA!

Os 30 Gloriosos Futebolistas em Inglaterra a afinar a máquina


Compor plantéis. Jonas e mais dez
Esta temporada não está a ser fácil de entender. Com três plantéis seniores espero que o Benfica não fique com os 99 números das camisolas esgotados. Já falta pouco entre o plantel da A e da B. Ou seja, sobram uns 25 para os sub-23 que ainda está assim:


Enquanto a "A" está em Inglaterra (fica para amanhã escrever acerca dela) a Equipa B fez um jogo-treino no Seixal (Caixa Futebol Campus) e um jogo particular frente a um clube histórico de Londres, fundado em 1881. 


Eis o que foi possível apurar.

Agradeço ao leitor deste blogue, António José Prates estas informações retiradas no local pois o Benfica dá escassas informações aos adeptos do que realmente interessa!

OBJECTIVOS PARA 2018/19 POR COMPETIÇÃO

1. Campeonato Nacional
Em 2017/18 o Benfica "brincou" aos campeonatos. Era um dos mais fáceis de conquistar nos 84 disputados. Além disso permitia fazer explodir o Sporting CP (e fez) e permitia que o FC Porto implodisse. Pois parece que o Benfica quis ajudar na recuperação de um clube que estava mais limitado em 2017/18 que nas três temporadas anteriores. É que não se pode comparar a auto-estrada aberta pelo FC Porto em 2017/18 para o Benfica ser Pentacampeão com o facto do Benfica nunca ter ido além de TRIs. O Benfica nunca foi além de tricampeonatos porque o Sporting CP era um clube fortíssimo que podia contratar estrangeiros, tinha apoio no Estado Novo e cedia menos futebolistas à selecção nacional que o Benfica que ficava com os futebolistas sobrecarregados de jogos nas fases decisivas (Setembro/Novembro) dos apuramentos para os campeonatos do Mundo. O Benfica não foi TETRA em 1965/66 (Inglaterra), 1969/70 (México) e 1973/74 (RFA/Alemanha) porque havia aos sete e nove Gloriosos Futebolistas na selecção nacional. Não explica tudo mas explica muito... Em 1938/39 fomos roubados pelo FC Porto (já escrevi acerca disso em 10 de Maio de 2017: O Benfica Já Foi Tetra Por Seis Segundos - clicar). Em 1977/78 não fomos Tetra porque Romão Martins - responsável pelo Glorioso Futebol - era trapalhão, palavra simpática, por não ter vontade de ir mais longe, pois abdicou de ter o melhor futebolista português: Rui Jordão! Sabendo que o Benfica não podia contratar avançados estrangeiros era "suicídio" e José Maria Pedroto/Pinto da Costa começavam a recolher o que plantaram em 1976/77. Depois de entregar, em 2017/18, o título ao FC Porto o Benfica está obrigado a conquistar o campeonato nacional em 2018/19. Ou entram em cena as FP - 28 de Fevereiro!

2. Liga dos Campeões
Aproveitar o facto de a presença na edição de 2018/19 ter estado em risco pelo facto do Benfica não depender do seu resultado na última jornada do campeonato anterior (2017/18) para classificar-se em 3.º lugar. Se o SCP tem vencido no Funchal seria o SCP a assegurar a participação nas pré-eliminatórias da Liga dos Campeões (2018/19). É necessário melhorar muito em relação a 2016/17 e 2017/18. Em 2016/17 ocorreu uma situação que dificilmente se voltará a repetir a favor do Benfica. Como há quem como muito queijo nada como relembrar. aliás duas vezes. O que se passou e recordar que o Benfica em 2016/17 teve Ederson, Semedo, Lindelöf, Guedes e Mitroglou. Em 2017/18 não teria como não teve. Por isso tudo - as seis derrotas consecutivas em 2017/18 - se percebe e encaixa:

Quando se adivinhava a lógica. Benfica voltar a perder com o SSC Nápoles (2-4 na primeira volta) e FK Dínamo (Kiev) sem vitórias e apenas dois golos marcados em cinco jogos perder frente ao Besiktas JK invicto em cinco jogos, ocorreu o "bem bom": Goleada ao clube turco na capital da Ucrânia!

Em 2017/18 encerra o maior descalabro - anunciado em 2016/17 - de um clube Mítico do futebol mundial, com seis derrotas em seis jogos e um golo marcado (Seferovic) para 14 sofridos, dois deles autogolos de Svilar. Inverter JÁ!



3. Taça de Portugal
Nas últimas 22 edições o Benfica só conquistou três troféus e esteve presente em mais três finais. Seis vezes finalista representa 27 por cento com 50 por cento de sucesso (três conquistas em seis finais). Escasso para um clube com a dimensão do Benfica. O Clube não pode continuar a secundarizar a mais antiga competição portuguesa que completará em 2022/23 as cem edições, embora as 17 iniciais com a designação de Campeonato de Portugal.


AS TAÇAS DE PORTUGAL E AS NÃO-TAÇAS DO BENFICA (1995/96 - 2017/18)
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Mono
95/96
7
F
Mono
03/04
9
F
F
Mono
13/14*
2
Mono
16/17*
1
 NOTA: * Conquista do campeonato nacional na mesma temporada

4. Taça da Liga
Será a 12.ª edição numa competição que se realiza ininterruptamente desde 2007/08. O Benfica conquistou sete troféus em onze (64 por cento) repartindo as restantes quatro edições por outros tantos emblemas: Vitória FC (Setúbal), SC Braga, Moreirense FC e Sporting CP. Só na última edição não foi eliminado pelo vencedor da competição, pois coube ao Vitória FC (Setúbal) afastar o Benfica em 2017/18.


Época
Troféu
Local
Adversário
Res.
2007/08
Vitória FC

4.ª E: E 1-1//D 1-2
2008/09
1
Algarve
Sporting CP
E 1-1 *
2009/10
2
Algarve
FC Porto
V 3-0
2010/11
3
Coimbra
FC Paços Ferreira
V 2-1
2011/12
4
Coimbra
Gil Vicente FC
V 2-1
2012/13
SC Braga
MF: E 0-0 (Ddgp 2-3) Braga
2013/14
5
Leiria
Rio Ave FC
V 2-0
2014/15
6
Coimbra
CS Marítimo
V 2-1
2015/16
7
Coimbra
CS Marítimo
V 6-2
2016/17
Moreirense FC
MF: D 1-3 (Algarve)
2017/18
Sporting CP
2.º no Grupo A **

NOTA: * Vitória no desempate por pontapés da marca de grande penalidade (V 3-2); ** Três jogos, três empates com três pontos. O Vitória FC (Setúbal) que conquistou o primeiro lugar do Grupo A com sete pontos foi finalista vencido

5. Pré-temporada
Gosto da programação embora falte um jogo de dificuldade intermédia durante o estágio em Inglaterra. Começar em Portugal com adversários mais acessíveis ao Dia 13 e 15 da época. Seguem-se três adversários de respeito mas em terreno neutro: Dia 24, 27 e 30. Depois (Dia 35) o adversário do sexto jogo é "bom", a competição excelente, mas o local... Consta que vai haver novo relvado na "Catedral"! Não podia ter havido (Junho/Julho) em vez de haverá (Julho/Agosto)?

 CALENDÁRIO DE JOGOS (JUNHO.AGOSTO/2018)
Mês
Dia
Adversário
Competição
Local
J
U
N
27
QUA
28
QUI
Início da temporada de 2018/19
29
SEX



J
U
L
H
O
01
DOM
04
QUA
08
DOM
09
SEG
Início do estágio em Tróia
10
TER
V 3-0
Tor. Internacional do Sado
Setúbal/Neutro
13
SEX
E 1-1
Tor. Internacional do Sado
Setúbal/Fora
15
DOM
Início do estágio em St. Georges's Park (Inglaterra)
18
QUA
21
SÁB
Sevilha FC (Esp)
Particular
Zurique/Neutro
22
DOM
25
QUA
BVB 09 Dort. (Ale)
T. Internacional Campeões
Pitsburgo/Neutro
28
SÁB
Juventus FC (Itá)
T. Internacional Campeões
Harrisson/Neutro
29
DOM
A
G
O
S
T
O
01
QUA
Olympique Lião (Fra)
X Troféu Eusébio Cup
Algarve/Neutro
05
DOM
08
QUA
3.ª Pré-eliminatória LC/1.ª m
12
DOM
Vitória SC (Guim)
85.ª Primeira Liga.01
SLB/Casa
15
QUA
3.ª Pré-eliminatória LC/2.ª m
19
DOM
Boavista FC
85.ª Primeira Liga.02
Bessa/Fora
22
QUA
4.ª Pré-eliminatória LC/1.ª m
26
DOM
Sporting CP
85.ª Primeira Liga.03
SLB/Casa
29
QUA
   4.ª Pré-eliminatória LC/2.ª m
SET
2
DOM
CD Nacional
  85.ª Primeira Liga.04
  Choupana/Fora
NOTAS: Em 23 de Julho, sorteio para a 3.ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões; Em 6 de Agosto, sorteio para a 4.ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões

Carrega Benfica

Alberto Miguéns

1 comentários
comentários
  1. O MEU MUITO OBRIGADO JÁ ESTOU A RECEBER NOVAMENTE OS MAILS VIVA O BENFICA QUE É O MAIOR DO MUNDO!!

    ResponderEliminar

Subscrever este blogue