A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

31/10/2016

Agora o Sporting CP Já Não Tem Desculpa

31/10/2016 + 11 Comentários API
EM NÃO SABER CONTAR O NÚMERO DE TÍTULOS DE CAMPEÃO NACIONAL.




Até o seu presidente apresentou (e elogiou) o livro em que o autor é peremptório:




Como não tenho "imagens sonoras" (embora gostasse) só posso deixar uma ligação a uma notícia (clicar).





(clicar em cima para obter melhor resolução)


Agora três conclusões: uma constatação, uma «chicoespertice» e uma perplexidade!





Constatação: Rui Miguel Tovar evoluiu em 13 anos
Porque em 2003 considerava que o campeonato nacional da I Divisão era uma competição que não tinha relação com o campeonato da I Liga. Tal como o Campeonato de Portugal não se relacionava com a Taça de Portugal. Eu sei disto porque tive oportunidade (dada por um responsável do Benfica pelo "marquetingue" - numa estória que conto à frente - de nome Seara Cardoso) de falar com Rui Miguel Tovar a propósito da edição do "Almanaque do Centenário 1904 - 1954" do SL Benfica. E só "à porrada" é que os autores Rui Tovar/Rui Miguel Tovar/ João Mendonça (coordenador editorial) juntaram o campeonato da I Liga ao campeonato nacional da I Divisão. Não queriam, mas não tiveram alternativa. Como se prova.


Esta é a página do referido Almanaque, que recusei "liminarmente" (na versão inicial). "Espernearam" mas foram obrigados aceitar (e surgiu esta versão final) na página 17.


Apesar de emendarem (foram obrigados) o quadro global deixaram um "rabo-de-palha" no Almanaque. Em 1941/42 o "Glorioso" conquistou o quarto "Nacional", o primeiro com a designação decidida em 1938: Campeonato Nacional da I Divisão. Na página 155, o "rabo-de-palha" pois para "eles", em 2003 (pelo menos...) os campeonatos da Liga não eram campeonatos nacionais

Reconstituição de memória da proposta que me foi apresentada pela editora Almanaxi (João Mendonça/Rui Tovar/ Rui Miguel Tovar) e que obriguei a emendar pois não autorizaria a publicação do Almanaque. Ainda bem que temerosos do meu "poder" - que se provou ser virtual - aceitaram porque se fizessem "finca-pé" até tinham editado assim, como se pode constatar no capítulo seguinte

"Chicoespertice": Seara Cardoso é o responsável pela alteração dos dados históricos do Futebol do "Glorioso"
Estava o Benfica nas instalações provisórias da Lisboa Gás (Cabo Ruivo) - entre a desmantelamento da "Saudosa Catedral" e a inauguração das actuais instalações - quando Seara Cardoso solicita a minha colaboração para verificar a qualidade de um Almanaque que Rui Tovar e companhia pretendiam editar acerca do Benfica. Coloquei desde logo uma questão: «Sportinguistas? Então porque ainda não editam um para o seu clube? Cheira-lhes a grandeza deste lado? A dinheiro lampião?» Seara Cardoso disse-me que eu tinha poder para impedir a publicação se tal não tivesse qualidade. Conhecendo-o já sabia que era "treta". Mas para que não me fosse imputada a responsabilidade...aceitei. Combinado o encontro Alberto Miguéns/Almanaxia, na Lisboa Gás, pedi a Seara Cardoso que estivesse presente. Disse que não podia. Então mantenha-se contactável (ou seja, telemóvel ligado e "atendível"). Vendo o projecto - abri aleatoriamente umas quantas páginas - percebi que tinha tantos erros que iria modificar a Gloriosa História na componente futebol. Erros de diversos tipos. Fotografias que não correspondiam a equipas do Benfica daquela temporada e ao jogador legendado, jogos não considerados para competições oficiais, palmarés desvirtuados - Ângelo não conquistara qualquer título europeu, por exemplo - confusão com as fichas individuais dos futebolistas - uns que eram o mesmo dividiam-se em dois e outros que eram diferentes apareciam como o mesmo, etecetra. Erros a mais. O pior. Na página do resumo do palmarés, separava-se o campeonato da I Liga do Campeonato Nacional da I Divisão. Era o cúmulo da xicoespertice alagartada. Disse-lhes que o Almanaque não tinha qualidade para ser editado. Fizeram um "choradinho" a dizer que gastaram milhares de horas. Retorqui. No Benfica não se gasta tempo...ocupa-se o tempo. Por mim não é editado pois viciará o Futebol do Clube, mas não sou eu que mando. Será Seara Cardoso. Nisto liguei o número de telemóvel e...nada. Nada que eu já não esperasse! Disse-lhe - repetindo - que por mim não autorizava a edição. Iria falar com Seara Cardoso e seria ele a falar com eles. Despedimo-nos.
Quando falei com Seara Cardoso disse-lhe que o Almanaque não tinha qualidade para ser publicado. Olhou para mim e veio com a conversa fiada que já esperava embora nem imaginasse tal justificação. Disse-me ele «Sabe melhor que ninguém que o Benfica não nada em dinheiro. O  Benfica precisa de obter receitas com tudo o que puder.» Respondi que os valores obtidos pelas receitas do Almanaque (um punhado de euros) não justificavam viciar a história do Futebol, mas que não fosse por mim que o Benfica falisse. Não queria ficar como responsável por isso.  Que se publicasse o Almanaque. Só colocava duas obrigações (tendo como ele prometera a última palavra acerca da publicação do livro):
1. No quadro do palmarés (logo no início do Almanaque) teriam de alterar o número de conquistas no campeonato nacional passando de 27 (idiotice da Revista do Record, onde os «Tovares» pai e filho escreviam) para 30. Até "rebitei": antes um Benfica falido com 3o títulos de campeão nacional que rico com 27!;
2. Que Seara Cardoso NUNCA MAIS solicitasse a minha colaboração, pois colaborando eu gratuitamente com o Benfica - e querendo manter a mesma situação não tendo interesse (nem necessidade) em ser funcionário do Clube - não estava para perder tempo com inutilidades. Tinha mais onde ocupar as horas que me fazia gastar, estas sim, gastar! E assim foi!

O meu Benfiquismo é incorruptível. Carrega Benfica!




Perplexidade: Então se "TODOS" (até estes/clicar) referem que a Taça de Portugal é a continuação do Campeonato de Portugal...
Porque continuam a separar os títulos em duas competições distintas não o fazendo para o Campeonato da I Liga e Campeonato Nacional da I Divisão? Porque só assumem a artigo 6.º do Relatório e Contas da FPF de 1938/39 a cinquenta por cento?




E não venham tentar enganar-me com a FPF! Por que a FPF nunca publicou no seu portal uma lista das duas (ou quatro competições) que oficializasse o que decidiu em 1938. Ao contrário das restantes Federações da FIFA. A FPF desde há anos que não diz sim, nem não, nem nim. Ignora o assunto. Não se pronuncia. Se por iniciativa de cada um agregam os títulos do Campeonato da I Liga no Campeonato Nacional da I Divisão porque não fazem o mesmo em relação ao Campeonato de Portugal e à Taça de Portugal?  

CCC: Coerência,  critério e coragem...por favor!

Alberto Miguéns


NOTA1: O Benfica, a sua grandeza, atraiu e atrai muita Fauna. Que querem "comer um Benficadito": um pedacito do Benfica. Até Benfiquenses, BenfiQuistos e Benfiqueiros. Um dia que faça umas "Memórias Benfiquistas" há muito para dizer. Ui. Algumas histórias são tão escabrosas que só vai acreditar nelas quem acredita "piamente" em mim. Em várias delas a realidade supera a ficção!

NOTA2 (uma borla dada por um Benfiquista - sempre generosos - para os sportinguistas): Na próxima edição do livro - além de juntarem os campeonatos de Portugal aos títulos na Taça de Portugal (pois fez essa declaração na apresentação do livro) - corrijam o "Ringue" para "Rinque". Ringue é o espaço onde se disputam competições de Artes Marciais, Luta e Pugilismo. Rinque é um campo de jogos com tabelas laterais onde se pratica Hóquei em Patins e Futebol de Salão, por exemplo.




Sempre pensei que fizesse parte da formação como jornalistas desportivos distinguir as palavras e espaços. A não acreditarem em mim cliquem.



NOTA3 (pelas 02:20 horas, para justificar um oportuno comentário de um leitor pelas 01:59 da matina): Até no Almanaque o autor afirma que já não existia campeonato Regional mas qual ilusionista aparece como o 19.º título de Campeão Regional, como se lê no texto da página 223 e vê depois no resumo estatístico da temporada na página 228. Então não havendo Campeonato de Lisboa em 1948/49 como pode o SCP ter 19 títulos no campeonato de Lisboa sendo este o 19.º (1947/48) como descreve a página 26? Mais uma emenda para a 2.ª edição.Houve de facto uma competição regional oficial que foi a Taça de Honra, mas como o autor teima em não agendar esses jogos fica o registo no palmarés global mas não quem esteve presente e os resultados. Nem nesta Taça de Honra nem das outras 12! Mas são 13 Taças de Honra de Lisboa e não 12. Tal como são 18 campeonatos regionais e não 19. Como o autor demonstra em 1947/48 ao escrever nessa temporada «Já sem o Campeonato de Lisboa...» O palmarés inventado do SCP provoca insónias nos Benfiquistas! Será para isso que eles inventam tanto?




11 comentários
comentários
  1. Grande Alberto!Cumprimentos e obrigado pela dedicação.SLB

    ResponderEliminar
  2. E mesmo assim conseguiu errar no nº de campeonatos regionais e taças de honra.

    São 18 e 13, respectivamente, para o SCP e não 19 e 12 como o Almanaque apresenta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro

      Muito bem visto. Essa tinha-me escapado. Já fiz uma NOTA3 a ilustrar o erro! Que o próprio Almanaque exibe!

      TRIsaudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  3. o Almanaque que comprei há uns 4 anos, escrito pelo Tovar Jr., é uma vergonha, para ser simpático. de vista, apanhei umas duas centenas de erros de vários tipos, a maioria deles dos anos 90 adiante. imagino as centenas de erros que estão para trás que eu não apanhei, ora por desconhecimento, ora por não ligar ao pormenor... o tipo, dado a sua incompetência, tem uma sorte incrível em ser escolhido para estes trabalhos, seja o clube visado que for.

    ResponderEliminar
  4. Alberto, para quando um verdadeiro almanaque Glorioso escrito por um verdadeiro Benfiquista?

    Obrigado pelo trabalho que tens em demonstrar os factos e o rigor que se deve ter com eles.

    😉

    ResponderEliminar
  5. Não li, não leio e nem vou ler qualquer almanaque, seja de que clube for.

    Quem tem sempre à mão o Alberto Miguéns, para que é preciso consultar almanaques?

    ResponderEliminar
  6. Jonny8Forever31/10/16 13:00

    Mas o Trinca Bolotas já prometeu re-lançar um Almanaque com a narrativa dos 22 campeonatos. Talvez peça ao Serrado.

    Carrega Glorioso! Rumo ao bi-18.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro,

      Nem mais.

      Isso de fazer uma edição com adulteração da informação e Rui Miguel Tovar só não autorizar o seu nome, introdução e prefácio é uma impossibilidade.

      Só se Rui Miguel Tovar deixar. A propriedade intelectual é inviolável.Era como eu comprar uma pintura e apagar o nome do pintor e colocar lá o meu ou não gostar do quadro e fazer um bigode a uma figura pintada no quadro. É crime. Tratas à SCP.

      Carrega Benfica (que eles estão aflitos ou 36 não fossem 18 + 18)

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  7. O Rui Tovar até na data de nascimento do José Águas errou. Não sei onde foi buscar a data mas há vários sites que a usam por terem visto no almanaque do clube.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na internet (até a wikipédia tinha duas conforme o idioma) circulavam duas datas:

      9 de Setembro de 1930 (errada) e 9 de Novembro de 1930 (correcta). Eu só consegui saber a data certa quando falei com o filho Rui Águas.

      NOTA: Ainda há a data errada na internet:

      http://relvado.aeiou.pt/benfica/faleceu-jose-aguas?device=desktop&quicktabs_3=1


      Saudações

      Alberto Miguéns

      NOTA: Rui Tovar/Rui Miguel Tovar fizeram um trabalho vergonhoso no Almanaque do Benfica. Principalmente na falta de respeito para com a actividade desportiva dos futebolistas (jogos, golos e contribuição para títulos e troféus em competições oficiais). Com a conivência dos responsáveis do Benfica!

      Eliminar
  8. E o filho continua trapalhão. Em 1947/48 escreve que já não havia campeonato de Lisboa mas depois atribui um título de campeão de Lisboa ao Sporting CP em 1947/48.

    Ele dizer que não muda de 18 para 22 não tem valor algum. Porque sabe que seria duplamente ridículo:

    1. Por ser mentira;

    2. Por dar o dito por não dito. É que ficava o "rasto da lesma": a listagem que faz na página 22 da 1.ª edição.

    Seria ridículo.

    AM

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail