A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

04/08/2015

Quanto Vale Uma Pré-época na Época?

04/08/2015 + 2 Comentários API
ESTA (2015/16) É A PIOR PRÉ-TEMPORADA DE SEMPRE (desde 1987/88) AINDA PIOR QUE A DA ÉPOCA PASSADA (2014/15).


Os adeptos ficam sempre ansiosos pelo início de Julho e pelos primeiros jogos depois de um mês de Junho de secura. Os jogos e vitórias são muito importantes na pré-época que é sempre vista por vários ângulos: futebolistas, treinadores, dirigentes e adeptos. Estes quatro prismas de visão nem sempre coincidem totalmente. Às vezes nem parcialmente.

Gloriosa n.º 5087. De cima para baixo. Da esquerda para a direita. Júlio César, Jonas (2.º golo) , Talisca (1.º golo), Samaris, Jardel e Luisão (capitão); Gaitán, Eliseu, Sílvio, Lima (último jogo com o Manto Sagrado) e Pizzi  

O porquê das pré-épocas
Conta-se (nunca averiguei o tema em profundidade) que quem "inventou" as pré-épocas com o formato actual foram os treinadores de clubes alemães - da segunda metade da tabela - da principal Liga da RFA (Republica Federal da Alemanha) ou Alemanha Ocidental, pois estamos a falar do final dos anos 70/ início de 80 inspirados do que foi feito para o Mundial de 1974, realizado na Alemanha (RFA). Esses treinadores de alguns clubes da segunda linha competitiva entenderam que se fizessem no início de cada temporada, uma preparação a jogar (e não apenas treino físico-táctico) chegavam ao início do campeonato alemão com as equipas (e plantéis) já a um nível competitivo elevado. Esses clubes alemães - o campeonato é entre o Outono e o Verão - aproveitavam o facto dos clubes escandinavos fazerem a paragem de Inverno. Ou seja, os treinadores alemães planificavam o início dos trabalhos de modo a defrontarem clubes da Dinamarca e Suécia que estavam no início da decisiva segunda volta dos respectivos campeonatos. Começavam a jogar, às vezes dois jogos em três dias, frente a emblemas do 3.º e 2.º escalões dinamarqueses e suecos para no final da preparação defrontarem já os melhores emblemas que por essa altura teriam 15/20 jornadas dos respectivos campeonatos disputados. O sucesso destes clubes de nível intermédio do 1.º escalão alemão nas jornadas iniciais apresentando já as equipas bem organizadas generalizou este tipo de preparação às restantes equipas dos principais clubes da RFA e depois aos restantes países europeus.

Gloriosa n.º 5088. De cima para baixo. Da esquerda para a direita. Júlio César, Talisca, Fejsa, Samaris, Jardel (segundo capitão) e Luisão (capitão); André Almeida, Gaitán, Eliseu, Jonas e Jonathan  

O Benfica nas pré-épocas
Durante todas as temporadas, desde 1906/07, o Benfica procurou sempre realizar alguns jogos antes do início do campeonato regional e depois de deixar de competir nestes (em 1947/48) antes do início do campeonato nacional. Mas nem sempre era possível. Com o Bicampeonato Europeu (e Eusébio) o início das temporadas passaram a repartir-se entre digressões intercontinentais e presenças em torneios de prestígio de Verão, geralmente em Espanha. Com o ingresso do treinador Skovdhal no "Glorioso" começaram as pré-épocas "estruturadas" à moda da Europa Central, pois o treinador dinamarquês acompanhara o desenvolvimento deste tipo de início de temporadas e percebia a sua importância. Esta primeira pré-época decorreu na Suíça, em Davos, entre 22 de Julho e 2 de Agosto, culminando com o jogo de apresentação na Saudosa Luz, frente ao Vitória SC Setúbal. O resto é história. Um capítulo brilhante, mais um, na Gloriosa História.

AS PRÉ-ÉPOCAS DO SL BENFICA DESDE 1987/88
Época
Treinador na
Pré-época
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
1987/88
Ebbe Skovdhal
V
D
E
E
E
E
V
V
V
D
V
V


1988/89
Toni
E
D
D
E
V
E
V
E






1989/90
Sven Erikson
V
E
D
V
D
V
V
D
E
E
V



1990/91
Sven Erikson
D
V
V
V
V
V
D
E
V





1991/92
Sven Erikson
V
V
V
V
V
E
D
D
D
V




1992/93
Tomislav Ivic
V
V
V
V
D
V
V
V
V
V
V
V
D
V
1993/94
Toni
V
E
V
V
D
V
E







1994/95
Artur Jorge
E
E
V
V
V
E
D
V
D
E




1995/96
Artur Jorge
D
E
E
D
V
D
V
D
D
V
V
E


1996/97
Paulo Autuori
V
D
D
V
E
V
V
E
D





1997/98
Manuel José
V
V
V
D
V
D
D
E
D
E
V



1998/99
Graeme Souness
E
D
V
V
E
E
E
V
V
V
D
V


1999/00
Jupp Heynckes
V
V
V
D
V
D
E
D
V
V
E



2000/01
Jupp Heynckes
E
E
V
D
V
E
E
E
D





2001/02
Toni
V
V
E
V
V
V
E







2002/03
Jesualdo Ferreira
V
E
E
E
E
V
D
D
V





2003/04
Jose Camacho
D
V
E
V
V
D
D







2004/05
Trapattoni
V
V
V
E
D
E
V
V
D





2005/06
Ronald Koeman
V
V
D
V
V
E
V
D
V





2006/07
Fernando Santos
V
V
D
V
D
D
D
E
V
V




2007/08
Fernando Santos
E
D
E
V
V









2008/09
Quique Flores
E
D
D
E
V
V
E
E






2009/10
Jorge Jesus
E
V
V
V
D
V
V
V
V
E
E



2010/11
Jorge Jesus
V
D
V
E
V
V
V
V
V
D
D



2011/12
Jorge Jesus
V
E
D
V
E
V
V
E
V
E




2012/13
Jorge Jesus
V
V
E
V
D
V
V
E
E
E




2013/14
Jorge Jesus
V
E
V
D
E
E
V
V
V
D
D
D


2014/15
Jorge Jesus
V
D
D
D
V
D
D
D
E





2015/16
Rui Vitória
D
E
D
E
D









         NOTA:  V  Primeiro jogo para uma competição oficial, podendo haver dois jogos nesta situação se entre eles ainda houver um jogo com as características de pré-temporada                                    


Comparativo 2014/15 e 2015/16
Os resultados podem ser semelhantes mas pouco têm em comum. 

2014/15. Há um ano era a sexta temporada consecutiva com o mesmo treinador que conhecia o plantel como as suas mãos. Foi estruturada (oito jogos) entre Portugal, França, Suíça e Inglaterra. Havia quatro futebolistas de férias: Maxi Pereira (jogou apenas quatro) e Enzo Perez (nenhum!). Havia muitos jogadores lesionados: Luisão (talvez fosse mais amuado!), Jardel, Sílvio, Sulejmani e Fejsa. Esse período serviu para os habituais treinos - preparação física, técnico-táctica em jogos - entender se as aquisições eram reforços e perceber as carências do plantel. No final os resultados foram decepcionantes mas o outro lado das pré-épocas foi bem feito: contratações de reforços (verdadeiros): Júlio César, Samaris, Pizzi e Jonas, além de Cristante. Esteve na boa análise da pré-época o sucesso na temporada.


 2015/16. Os resultados desportivos foram péssimos. A digressão também. Resta saber se a análise que terá de ser feita resultará em conquistas e títulos durante 2015/16: Supertaça, Taça da Liga, Campeonato Nacional, Taça de Portugal e Liga dos Campeões. À primeira vista parece que o fosso entre o que existe e o que deverá existir é maior do que aquele que existia há um ano!


Expectativa acrescida para dia 9 de Agosto!
Esta semana vai decorrer em modo Expectativa-acrescida-e-alguma-ansiedade! Não tanto pelos resultados miseráveis e exibições paupérrimas. Principalmente por não se perceber se já há um modelo de jogo (em futebolês moderno Ideia de Jogo ou em futebolês antigo Fio de Jogo). O treinador parece duvidar entre adaptar o 4.4.2 de Jorge Jesus, com os alas mais em apoio aos dois médios centrais (para ter mais posse de bola) ou colocar em campo o seu habitual 4.5.1 com mais posse de bola mas deixando Jonas a lutar contra o Mundo. O que se viu nos EUA (dois jogos) e México (dois jogos) foi o Benfica a jogar à equipa pequena: tentar não sofrer golos, ainda que depois também não os consiga marcar -  três golos marcados (um golo marcado a cada 150 minutos, com três jogos em "branco"). Em dois jogos (três golos sofridos em cada um) nem o autocarro serviu, devido aos erros defensivos: oito golos em três jogos, com dois jogos sem sofrer golos, ou seja, um golo sofrido a cada 56 minutos.


Numa pré-temporada se as vitórias são importantes, a análise é superior!
O que conta é a época. A pré-época serve para preparar a época. Que assim seja!

Acorda Benfica!


Alberto Miguéns

PLANO PARA AS EDIÇÕES DURANTE  JULHO/AGOSTO
(provisório como é evidente)
De 5 a 18 de Agosto de 2015 (Sempre pela meia-noite)
Quarta-feira (de 4 para 5): Terminou a pré-época;
Quinta-feira (de 5 para 6): Uma modalidade por semana: Andebol;
Sexta-feira (de 6 para 7): Estreia internacional do Glorioso Basquetebol;
Sábado (de 7 para 8): O "Glorioso" na Supertaça;
Domingo (de 8 para 9): O Dérbi de Lisboa;
Segunda-feira (de 9 para 10): E depois da Algaraviada?
Terça-feira (de 10 para 11): Sinto-me tão portista;
Quarta-feira (de 11 para 12): Uma modalidade por semana: Atletismo;
Quinta-feira (de 12 para 13): O Mais Belo e Inigualável 138;
Sexta-feira (de 13 para 14): Mentiras Oficiais Made in SLB;
Sábado (de 14 para 15): O "Glorioso" nas Primeiras 82 Jornadas;
Domingo (de 15 para 16): O "Glorioso" frente ao GD Estoril Praia;
Segunda-feira (de 16 para 17): E depois da Primeira?;
Terça-feira (de 17 para 18): Benfica tão brilhante que se vê no escuro
2 comentários
comentários
  1. Quem quiser comer uns belos nacos de história do nosso Glorioso, é só vir a este blogue.
    Ninguém, mas mesmo ninguém, sabe mais deste tema que o Miguéns.
    MAINADA !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Viriato de Viseu

      Será um amigo isento na apreciação critica?

      Alberto Miguéns

      Eliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail