A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

26/05/2014

Tanta e Tanta Glória Glorioso (o cinco mil)

26/05/2014 + 1 Comentários API
DEPOIS DO PRIMEIRO E DO MIL MAIS UM "GOLO REDONDO"

A marcação do golo 50 mil na última jornada do 80.º campeonato nacional é o pretexto para viajar pela Gloriosa História. Hoje Arsénio o sr. Cinco Mil.

Cromo em 1946/47

Uns "redondos" outros por um triz
O nosso Valadas fez o primeiro golo no primeiro jogo da primeira jornada do primeiro campeonato nacional. O nosso Enzo Perez fez o golo 50 mil no jogo n.º 17 303 da 2 228.ª jornada em 80 campeonatos nacionais. E entre o 1.º e o 50 000.º muitos outros "golos redondos" foram marcados por futebolistas com o "Manto Sagrado". E outros ficaram lá perto, por um ou um a mais!

GOLOS "REDONDOS"
Época
Jor
Futebolista
Golo
N.º
65
Golos
Golo
N.º
Futebolista
Jor
Época
34/35
1
Valadas
1

34/35
1
Valadas
3
5








10
12
Carlos Torres
1
34/35




25
26
Vítor Silva
2
34/35
34/35
3
Valadas
43
50
55
Carlos Torres
4
34/35
34/35
5
Carlos Torres
75

34/35
7
Valadas
100

34/35
12
Fernando Cardoso
196
200
231
Carlos Torres
13
34/35
35/36
3
Luís Xavier
299
300
311
Valadas
4
35/36
35/36
8
Carlos Torres
394
400
412
Carlos Torres
10
35/36
35/36
14
Domingos Lopes
495
500
501
Espírito Santo
1
36/37
36/37
5
Rogério Sousa
589
600
602*
Rogério Sousa
6
36/37
36/37
11
Rogério Sousa
699
700
701
Valadas
11
36/37
37/38
2
Espírito Santo
792
800
809
Rogério Sousa
3
37/38
37/38
8
Valadas
887
900
901
Domingos Lopes
9
37/38
37/38
14
Luís Xavier
1 000

40/41
13
Miguel Lourenço
1 992
2 000
2 001
Álvaro Pereira
14
40/41
42/43
10
Julinho
2 998
3 000
3 004
Julinho
10
42/43
44/45
11
Rogério Carvalho
3 993
4 000
4 010
Joaquim Teixeira
12
44/45
46/47
6
Arsénio
5 000

                NOTAS: * 601 Gatinho (CF "Os Belenenses") fez autogolo a favor do SL Benfica

A temporada de 1946/47: 4 999 golos até à 5.ª jornada
Quando terminou a 5.ª jornada do campeonato nacional em 1946/47 o Benfica seguia em 3.º lugar, com seis pontos, atrás do Sporting CP e do FC Porto ambos com oito pontos. Quanto a golos estavam marcados, desde 1934/35... 4 999 golos, ou seja, o primeiro tento da jornada seria o cinco mil. A 6.ª jornada, disputada em 12 de Janeiro de 1947, com todos os sete encontros marcados para as 15.00 horas, reservava jogos interessantes. O Sporting CP deslocou-se a Elvas para jogar frente à filial local do "Glorioso", o SL Elvas. O FC Porto jogou em Coimbra, frente à equipa da Associação Académica. E o SL Benfica recebia no estádio do Campo Grande o FC Famalicão.

A 6.ª jornada em 1946/47
Houve golos em todos os sete jogos e das 14 equipas em campo apenas duas, como visitantes, não facturaram: AD Sanjoanense no Estoril e SC Olhanense em Guimarães. Dos sete jogos o último a abrir o marcador foi no estádio do Lima, onde Amaral (do Atlético CP) marcou aos 32 minutos (Boavista FC, 2 - Atlético CP, 1). Antes, aos 23 minutos, Alcino (do Vitória SC Guimarães) marcou o primeiro dos 5-0. Três minutos antes, aos 20 minutos, Elói (do CF "Os Belenenses") abriu a contagem em Setúbal (Vitória FC Setúbal, 2 - CF "Os Belenenses", 1). Isto quando ainda se comemorava a inauguração do marcador, em Coimbra, com o golo, aos 19 minutos, de Jorge Santos da equipa visitada (A. Académica Coimbra, 2 - FC Porto, 1). E foi o 4.º campo onde foi inaugurado o marcador, pois o 3.º foi, aos 12 minutos, em Elvas, com Peyroteo a fazer o 1-0 para o Sporting CP na vitória por 5-3, no único triunfo forasteiro. Dois minutos antes, aos dez, Osvaldo do GD Estoril Praia fez o primeiro da goleada, por 9-0, ao clube alvinegro AD Sanjoanense. Só que este já foi o golo 5 003 pois no recinto do Benfica marcaram-se três golos em nove minutos. Melhor! Nos nove minutos iniciais!

Um dos três golos de Arsénio frente ao FC Famalicão. Da esquerda para a direita: Sansão (FCF), Arsénio, Mário Rui e Cerqueira (FCF) Mundo Desportivo; página 4; 13 de Janeiro de 1947

Arsénio foi o primeiro
Com início às três da tarde como todos os outros o Benfica não podia perder, para não descolar da dianteira, ocupada pelo SCP e FCP. Arsénio fez três golos (1-0, 4-1 e 5-1) dos 5-1, mas o 3.º golo no jogo (1-2) foi marcado por Álvaro Pereira do adversário aos 9 minutos. O Benfica inaugurou o marcador por Arsénio entre os quatro e os cinco minutos. Estava feito o cinco mil. Um "golo redondo". Mas o fundamental eram os (ia escrever três...) dois pontos conquistados pela vitória. O SLB chegou-se ao 2.º lugar (a par do FC Porto) com oito pontos mantendo o líder (SCP) à vista. Mas nunca lá chegaria. O Sporting CP inaugurou o seu primeiro (e único) tricampeonato, igualando a proeza do SL Benfica de 1936 a 1938, ou seja, nove épocas depois!

O Século; página 8; 13 de Janeiro de 1947
Arsénio e o FC Barreirense
Arsénio Trindade Duarte nasceu em 16 de Outubro de 1925 e faleceu em 11 de Fevereiro de 1986. Nascido e criado no Barreiro foi no clube mais popular da sua localidade, o FC Barreirense que se iniciou no futebol. Em 1942/43, com  17 anos, foi um dos futebolistas mais importantes na campanha vitoriosa do popular clube barreirense na II Divisão Nacional com o FC Barreirense a sagrar-se campeão (ver digitalização dessa final) mas sem ascender à I Divisão pois até 1946/47 a qualificação obtinha-se pelas classificações nos respectivos campeonatos regionais, não havendo promoções e despromoções entre a I e a II Divisão Nacional. 

O estádio do Campo Grande era o espaço que o Benfica arrendou à CML por sugestão desta depois da expropriação do estádio das Amoreiras em 1939 pelo MOP. O Benfica fez obras, pois esse espaço, a que o Sporting CP deu o nome de "28 de Maio" foi arrendado pelo SCP até 1937 quando passou para o Lumiar. O SLB inaugurou o campo em 5 de Outubro de 1941. Arsénio exibiu-se como interior-direito (também o lugar onde mais brilhou no SLB) sendo provável que os dirigentes do Benfica o tivessem visto pela primeira vez, pois o FC Barreirense por jogar no Regional de Setúbal e na II Divisão não era adversário do SLB. Foi também neste campo que Arsénio se estreou, em 19 de Dezembro de 1943, com o "Manto Sagrado"
Arsénio, o pequeno e irrequieto genial
Depois desta temporada, em 1943/44, com 18 anos, foi contratado pelo Benfica para reforçar o "poder de fogo" dos Gloriosos Avançados. Estreou-se tardiamente, na 5.ª jornada do campeonato nacional, já o 2.º lugar no Regional de Lisboa tinha permitido o acesso do "Glorioso" à I Divisão. Jogou 12 temporadas do Benfica, entre 1943/44 e 1954/55, deixando o Clube aos 29 anos... e meio! Jogou 38 976 minutos em 446 jogos marcando 350 golos. No "Glorioso" contribuiu para dez troféus com nove títulos: seis Taças de Portugal, três campeonatos nacionais e uma Taça Latina (troféu oficial internacional). Aos 30 anos continuou a carreira de futebolista no GD CUF, no seu Barreiro natal.


Arsénio letal frente à baliza
É um dos melhores, é o décimo, entre os marcadores no campeonato nacional da I Divisão, com 211 golos. Só no Benfica marcou 152 golos em 223 jornadas da principal competição do futebol português. Mas foi no GD CUF, com quatro temporadas (1955/56 a 1958/59) que conseguiu a proeza de ser o melhor marcador da competição (1957/58), com 23 golos, mais um que José Águas e dois que Matateu (CF "Os Belenenses"). Em 1946/47 fez o "cinco mil". Grande como futebolista e goleador, Arsénio, apesar de pequeno em estatura.    

Pouco dito! Dizemos nós...
Se não fosse o golo de Arsénio a restabelecer o empate (1-1) nos últimos instantes do tempo regulamentar (90 minutos) na finalíssima da Taça Latina, Julinho não tinha marcado aos 146 minutos o golo da conquista do primeiro troféu internacional do futebol português. Nas imagens abaixo publicadas Arsénio aparece em primeiro plano, deitado no chão a descansar, aos 36 segundos!



Paragens anteriores:
16 de Maio de 2014: O Primeiro (Valadas)
16 de Maio de 2014: O Mil (Luís Xavier)
    
Próxima "paragem": o onze mil (Chico Palmeiro)


Alberto Miguéns


Plano para Maio
(Previsão sempre à meia-noite):
De 26 para 27: O que têm em comum UEFA, FC Porto e Sevilha FC?;
De 27 para 28: Álvaro Gaspar (1913 - O Brasil);
De 28 para 29: Centenário da Gloriosa Natação;
De 29 para 30: O Calendário sem nexo ou talvez não...;
De 30 para 31: Atenção ao "Futeluso - versão 2015";
De 31 para 01: Eu Benfiquista no Museu do FCP by BMG (parte II);
De 01 para 02: Gostava Tanto Que..;
De 02 para 03: Tanta e Tanta Glória (O golo onze mil);
De 03 para 04: Álvaro Gaspar (1913/14 - A Glória Final)
1 comentários
comentários
  1. Mais um um bom pedaço da nossa rica e gloriosa história !!!
    Obrigado Miguéns.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail