A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

03/11/2013

Obrigado! Querido! Benfica!

03/11/2013 + 10 Comentários API

HISTÓRIA
             
É nossa...

A vitória por 5-0, sobre o CE Vendrell, na 2.ª mão da Taça Continental, no pavilhão do SLB n.º 1, repetindo a vitória, então por 5-3, em Espanha, guindou o hóquei em patins para nova temporada de glória, depois da conquista da Liga Europeia (2 de Junho de 2013).

O campeão - a disputar a 97.ª temporada ininterrupta a jogar hóquei em patins - voltou
Dia da conquista do 2.º troféu na Taça Continental, designação da Supertaça Europeia, uma data para a história – 2 de Novembro de 2013 – uma data (2 de Novembro) sempre querida dos Benfiquistas ou não fosse nesta data, decorria o ano da graça de 1885 que nascia o Enorme Cosme, o Cosme Damião do Benfica.

             TROFÉUS OFICIAIS (TOTAIS)
      
COMPETIÇÕES
Troféus
Oficiais
Em Jogos Regionais
51
Em Jogos Nacionais
47
Em Jogos Internacionais
  6
      TOTAIS
104
R
Campeonato Regional
24
Taça de Honra APL
  9
Torneio Abertura APL
18
N
C.º Metropolitano
  6
Campeonato Nacional
22
Taça de Portugal
12
Supertaça Portuguesa
  7
I
Taça C.E.R.S.
 2
Taça Continental
 2
Torneio Montreux
 1
Liga Europeia
 1


Uma epopeia de dedicação, glória e resistência
As temporadas de hóquei em patins iniciavam-se com as provas regionais (organizadas pela Associação de Patinagem de Lisboa) primeiro a Taça de Honra (depois Torneio de Abertura) seguindo-se o Campeonato Regional (que a partir de 1938/39 passou a apurar para o Campeonato Nacional, até 1969/70). Depois (1970/71) e até 1980/81 havia um Nacional (zona sul) que apurava para a fase final do Nacional, pois a partir de 1981/82 passou a existir um quadro fixo, com despromoções e promoções entre a I e a II Divisão. Entre 1966/67 e 1973/74 o Regional ou, depois, a zona sul do Nacional apurava para o Campeonato Metropolitano, com o Campeão e o 2.º classificado a disputarem o Campeonato Nacional com o Campeão de Angola e o Campeão de Moçambique.

            BENFICA “CENTENÁRIO” NO HÓQUEI EM PATINS
                     Estreia da nossa equipa de Honra:
19 de Agosto de 1917
(V 5-0, Hockey Club Carcavelos,
no Rinque da nossa Sede,
na Avenida Gomes Pereira  (em Benfica)
Épocas
REGIONAIS
(APL)
NACIONAIS
(FPP)
Inter
nacional
(CERH)
TH/TA
CR
CM
CN
TP
ST
104
9+18
24
6
22
12
7
6
1925

  1.º





1926

  2.º





1927

  3.º





1928

  4.º





1929

  5.º





1930

  6.º





1931

  7.º





1932

  8.º





1933 (Épocas no ano civil)
1934

  9.º





1935
1936
1.ª TH






1937

10.º





1938
2.ª TH






12 Épocas
1950/51

11.º

  1.º



1951/52
3.ª TH


  2.º



1952/53
4.ª TH
12.º





1953/54
5.ª TH
13.º





1954/55
6.ª TH






1955/56
7.ª TH
14.º

  3.º



1956/57
8.ª TH


  4.º



1957/58
9.ª TH






1958/59

15.º





1959/60

16.º

  5.º



1960/61
  1.º TA
17.º

  6.º



1961/62
  2.º TA
18.º




Montreux
1962/63
  3.º TA
19.º

  7.º



1963/64
  4.º TA
20.º





1964/65
1965/66
  5.º TA
21.º

  8.º



1966/67

22.º
1.º
  9.º



1967/68
  6.º TA
23.º
2.º
10.º



1968/69
1969/70

24.º
3.º
11.º



1970/71
1971/72
  7.º TA

4.º
12.º



1972/73


5.º




1973/74


6.º
13.º



1974/75
  8.º TA






2 Épocas
1977/78
  9.º TA



1.ª


1978/79
10.º TA


14.º
2.ª


1979/80
11.º TA


15.º
3.ª


1980/81
12.º TA


16.º
4.ª


1981/82
13.º TA



5.ª


3 Épocas
1985/86
14.º TA






3 Épocas
1989/90
15.º TA






1990/91
16.º TA



6.ª

1.ª CERS
1991/92
17.º TA


17.º



1992/93





1.ª

1993/94



18.º
7.ª


1994/95
18.º TA


19.º
8.ª
2.ª

1995/96







1996/97



20.º

3.ª

1997/98



21.º



1998/99
1999/00




  9.ª


2000/01




10.ª


2001/02




11.ª
4.ª

2002/03





5.ª

6 Épocas
2009/10




12.ª


2010/11





6.ª
2.ª CERS
2011/12



22.º


1.ªContinental
2012/13





7.ª
Liga Europeia
2013/14






2.ªContinental
CR – Campeonato Regional (entre 1938/39 e 1969/70 apurava
para o Campeonato Nacional;
TH – Taça de Honra (a partir de 1959/60 passou a designar-se
TA -Torneio de Abertura);
CN – Campeonato Nacional (entre 1966/67 e 1973/74) realizava-se
depois do Campeonato Metropolitano (CM) apurar os 2 finalistas do
Continente que se juntavam aos campeões de Moçambique e Angola
TP – Início em 1975/76
ST – Início em 1982/83
Torneio de Montreux – Início em 1921
Taça CERS – Início em 1980/81
Taça Continental – Início em 1997/98 (substituiu a
Supertaça Europeia (entre 1980/81 e 1995/96)

Este troféu oficial é o 104.º na gloriosa história "quase centenária" do nosso Hóquei em Patins

Alberto Miguéns



NOTA: É uma aberração que esta equipa (plantel) que tanto prestigia uma modalidade histórica para Portugal e o desporto português não esteja nomeada para os prémios da Confederação do Desporto de Portugal. Afastar da possibilidade de ser premiada como melhor equipa de 2013 a formação sénior masculina do SLB é "brincar com coisas sérias". 



Só dá riso, ainda que com alguma raiva, pela injustiça. Deixemos para amanhã este "assunto". Hoje há que "digerir" o dia festivo de ontem!
10 comentários
comentários
  1. Caro consócio, gostaria k me esclarecesse o seguinte....O torneio Internacional de Vigo conquistado em 2008/2009 é uma prova oficial?
    Na wikipédia, secção de hóquei patins do SLB, consta como tal.
    Muito obrigado.
    Saudações Gloriosas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo

      Segundo consta (as entidades competentes, neste caso a CERH não se assumem) o 25.º Torneio de Vigo, em 2008, foi semelhante a todos os outros, antes e depois, ou seja, organizado pelo clube de Vigo, apesar de em 2008 o torneio ter a supervisão da CERH como "ensaio" para o 39.º Campeonato do Mundo de Selecções realizado em 2009.

      AM

      Eliminar
    2. Tenho um pdf que a organização do Torneio colocou na internet e onde se lê o seguinte:

      "en 1991 Julio Sáenz anunciaba
      un bombazo para o prestixio do evento. No IMD das Travesas e en compañía do concelleiro de Deportes, Álvarez Salgado, Sáenz mostraba a documentación acreditativa do “cambio de categoría” do campeonato radicado en Vigo. O Concello tamén fi xera a súa parte do traballo cunha carta de apoio. Na reunión do seu comité central, datada o 9 de febreiro en Lisboa, a CERS, siglas francesas da Confederación Europea de Patinaxe, decidía conceder á competición olívica a distinción de “torneo ofi cial”. O punto 14 da reunión lisboeta aprobaba a proposta da Federación Española de Patinaxe, presidida naquel tempo por Manuel Domenech.
      A carta enviada por Retureau á FEP o 14 de febreiro, e que entraría na Federación Española o 26, daba conta do acordo e indicaba que “a organización desta competición deberá adaptarse aos regulamentos e estatutos da CERS. Como contrapartida, a CERS, a través do CERH, reservará as datas nas que se xogue esta competición e inscribiraa no seu calendario oficial”. En romano paladín, o Cidade de Vigo colocábase por enriba das competicións nacionais, podendo aprazar, adiantar ou atrasar os seus partidos de Liga os equipos que entrasen no cuadrangular galego. Segundo a organización viguesa, isto equivalía ademais a que os campións das copas europeas estaban obrigados a participar no trofeo vigués.
      En realidade, o torneo tiña tal caché entre os equipos dos tres “grandes” que ninguén o quería perder. Deste modo, o Cidade de Vigo de 1991 foi o primeiro oficial cos tres campións continentais, aínda que xa se dera un torneo coa premisa de reunir os tres campións, pero oficioso, en 1987. E coa oficialidade chegou outra sorpresa. Portugal copaba os tres títulos co Barcelos, Sporting de Lisboa e Benfica; Vigo recibía dous debutantes (Barcelos e Benfica) e cuarto equipo, o convidado, sería o Liceo Caixa Galicia. Querían máis novidades? O pavillón central viviría o fin dunha sorte: o Liceo, heptacampeón, chegaba á final a custa do Benfica, pero no choque decisivo saltaba a sorpresa, cun 4-3 para os lusos. O campión de Europa gañaba en Vigo, que era algo así como certificar a súa vitoria europea. Fin a unha etapa, que non a un reinado."

      "Tras seis anos co formato de tres campións continentais, o cambio na estrutura das copas europeas, ao meter aos mellores na Liga Europea e manter a Copa CERS, eliminando a Recopa, obrigou ao Cidade de Vigo a reinventarse outra vez. Seguía a ser ofi cial, pero agora tiña que decidirse por outra solución. E esta non foi outra que dar praza fi xa a campión e subcampión de Europa e as outras dúas ofrecelas a dous convidados. A explicación era obvia e defendíase en que con tanto bo equipo na Liga Europea, a segunda competición era un torneo menor. Con esa decisión, pola contra, o torneo perdeu o recendo a campionato europeo total que tivera. Só unha vez regresarían a Vigo todos os campións continentais da tempada (2001). Co novo formato, o cuadrangular estreaba patrocinio, Trofeo La Voz de Galicia, e combinación: campión e subcampión europeos xunto aos campións de Liga e de Copa do Rei."

      Eliminar
    3. "Pero para homenaxe, o de 2008 ao propio evento: os campións das catro ligas máis importantes do planeta, tres equipos portugueses (como en 1991) e oito participantes. E como 17 anos antes houbo campión luso e inédito. As “águias” do Benfica conquistaban o torneo, tamén con inesperada e nunca vista final portuguesa (ante o Juventude Viana). As semifinais galaico-lusas deixaban fóra a Coinasa Liceo e Vigo Stick. Para os de Jose Querido, As Travesas foi o aviso de todo o que lles sucedeu este ano: eliminados na semifinal da Copa do Rei, e perdedores da final da Liga Europea e da OK Liga. Gran ano pero sen título.
      Mentres, o Cidade de Vigo repartía outros sorrisos e bágoas. Pablo Cancela, do equipo local, daba a Vigo un premio individual: máximo goleador (5 goles), o campión de Europa, F.C. Barcelona, íase co ridículo ao lombo e O Porto, campión portugués, fallaba por oitava vez mentres o Benfica conquistaba a gloria en só
      tres intentos. Cousas do hóckey."

      Portanto é oficial desde 1991, na nona edição.

      E ainda um pouco daquilo que é o FC Porto:
      "Para maior bochorno, O Porto perdía en cuartos de final contra o Liceo (3-4) e xogadores do seu equipo provocaban unha disputa no ano das vodas de prata. Incrible. Os árbitros sinalaban o fi nal do encontro xusto cando O Porto pedía penalti sobre Azevedo. A continuación, o portugués Ricardo Oliveira e o porteiro español Edo Bosch, ambos do equipo portuense, íanse cara aos árbitros, Óscar Valverde (España) e Rego Lamela (Portugal), coa desatada cólera de alguén fóra de si, tendo que ser agarrados para evitar males maiores. Os árbitros escribirían un anexo ao acta e o Comité de Disciplina expulsaba do torneo a ambos os xogadores, que se perderían os partidos dos Dragoes ante Follonica e Barcelona."

      Eliminar
  2. Bruno Paiva3/11/13 17:23

    E venha agora a Taça Intercontinental !!!

    Já agora por curiosidade, porque não se disputou a Intercontinental em 2011, quando vencemos pela primeira a Supertaça Europeia ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Bruno Paiva

      Segundo consta (digo o que foi dito nos media, não confirmei porque não envolve o Benfica) por que os dois clubes não se entenderam quanto ao local. Como é uma competição decidida entre clubes (não há uma entidade mundial no HP), não houve entrega do troféu.

      Dois clubes: HC Liceu Corunha, Espanha (vencedor da Liga Europeia) e CA Hurácan, Argentina (Campeão sul-americano de clubes)

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  3. Bruno Paiva3/11/13 21:23

    Essas duas equipas jogaram em 2012 não foi? Eu fiz essa pergunta porque aquando da nossa primeira conquista da taça continental, não me lembro de termos feito nenhum jogo com uma equipa sul-americana... Teria sido mais uma presença numa final internacional altamente prestigiante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Bruno Paiva

      Não sei se foi com o CA Hurácan ou com o Olímpia PC, também da Argentina. Na minha opinião o BP incorre em dois erros.
      1. Dá demasiada importância à Wikipedia que está cheia de inverdades e trapalhadas. Deve é procurar a informação em portiais de entidades oficiais
      2. Dá demasiada importância a competições de uma modalidade que não tem expressão mundial (só há quatro países com HP professional: Argentina, Espanha, Itália e Portugal). Depois para fazer número contratam mais uns quantos países em que alguns se estreiam pela primeira vez a jogar HP e depois levam 50-0 e resultados desses. Por isso as competições são mal organizadas e, por vezes, são os clubes - principalmente os espanhóis e portugueses - que como sabem que a modalidade não tem expressão (até em Espanha só existe, como professional, na Catalunha e na Galiza) organizam as competições para "fazer" palmarés.

      Alberto Miguéns

      Eliminar
    2. Caro Bruno Paiva

      Entretanto procurei saber mais elementos acerca desse "assunto" junto de um adepto do hóquei em patins do FC Barcelona. É apenas uma opinião de um adepto e ainda por cima traduzida de um castelhano "acatalanado": O FC Barcelona conquistou o troféu em 2008 (Setembro)/2009. Ficou com 4, igualando o HC Liceu Corunha. Na época seguinte 2009/10 foi o Réus Desportivo a conquistar o troféu. Em 2010/11 o FC Barcelona não disputou o troféu. Em 2011/12 o HC Liceu Corunha não conseguiu que o Olimpia PC se disponibilizasse a disputar a TI, mas como queria ultrapassar, em troféus da TI o FC Barcelona, em 2012/13 convidou para um estágio na Corunha o CA Hurácan (e mesmo sem a CIRH se interessar em fazer disputar o troféu) jogou na Galiza, no seu pavilhão (Riazor) em 13 de Novembro de 2012, vencendo por 6-4, com 5-0 ao intervalo, os argentinos.

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  4. Bruno Paiva4/11/13 15:20

    Obrigado pela resposta! Está tudo explicado e sim tem toda a razão quando disse que a wikipedia está cheia de inverdades e trapalhadas. É por essa razão que sigo sempre o seu blogue e todos os dias aprendo algo de novo com o sr. Miguéns

    Cumprimentos

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail