A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

22/09/2011

Mentiras acerca do “Clássico de Portugal”

22/09/2011 + 1 Comentários API
ESTATÍSTICAS
A gloriosa equipa campeã nacional em 1942/43, que obteve a primeira vitória, por 4-2, para o Campeonato Nacional, no Campo da Constituição, estádio do FC Porto. Francisco Ferreira, Joaquim Teixeira, Janos Biri (treinador),Albino (capitão), Valadas, César Ferreira, Manuel Costa (2-1 e 3-1, aos 60' e 63'; e 4-2, aos 85') e Martins; Nelo, Julinho (1-0, aos 8'), Gaspar Pinto e Alcobia
Ao contrário do que fazem passar (alguns…) colunistas e paineleiros, (vários…) órgãos da Comunicação Social e (muitos…) adeptos portistas, sempre foi mais fácil, o Benfica conquistar títulos de Campeão Nacional (são 32 troféus em 77 edições) que vencer no reduto do FC Porto (são 12 vitórias em… 77 anos)! Mas, uma vitória no terreno do FCP é (quase) sinónima de conquista do Campeonato Nacional: nas temporadas das 12 vitórias obtivemos oito títulos de campeão, com as restantes quatro a sagrarem três clubes campeões: Sporting CP (2), CF “Os Belenenses” (1945/46) e FC Porto (2005/06).
Os portistas sabem da importância, utilizando TODOS OS MEIOS, com destaque para os ilegais e pouco éticos, para vencer o “Glorioso”. Até utilizando gente patética, intelectualmente desonesta e profissionalmente trapaceira, como Manuel Queiroz.

video
TVI, 17 de Setembro de 2001. Só quem sabe ter a protecção do “Sistema” pode fazer este tipo de afirmações e considerações abusivas numa demonstração deontológica abaixo do… vergonhoso.

PRIMEIRA VITÓRIA COM UM PORTUENSE ANTI-PORTISTA
Apenas na 9.ª edição, em 1942/43, conseguimos, por 4-2, a 1.ª vitória (após cinco desaires e três empates). Nessa época conquistámos o 5.º Nacional, num inédito bicampeonato. A segunda metade da década de 40 revelou um Benfica conquistador do Porto, com três vitórias (2-0, 2-0 e 1-0) em cinco épocas. Recordemos que esta vitória de 1949/50, com um golo do benfiquista portuense de Ramalde, Julinho, foi conquistada numa edição em que nos sagrámos Campeões Nacionais, para depois nos consagrarmos como Campeões Latinos.
Estas vitórias – reforçadas com o soberbo 8-2 na inauguração do estádio das Antas, em 28 de Maio de 1952 – cimentaram, definitivamente, o “Glorioso” no coração dos portuenses. É que os adeptos das dezenas de pequenas colectividades da Invicta odiavam o FCP pelo comportamento abusivo de um colosso perante os pequenos clubes do Porto. Ao serem desses pequenos emblemas portuenses e do Benfica assumiam, enquanto adeptos, uma forma de enfrentarem, na sua cidade, um clube insuportável. Reviam-se na superior Ética Benfiquista, conseguindo através dos sucessos do “Glorioso” vencer o FCP.

ANOS 50 e 60
UMA VITÓRIA EM 19 TEMPORADAS
Em duas décadas apenas o registo de uma vitória… e que vitória. Na temporada de 1962/63, antes do FCP – SL Benfica da 17.ª jornada (em 26), o FCP liderava, fanfarrão, o campeonato. Nesse glorioso 24 de Fevereiro de 1963, a nossa equipa foi extraordinária – para gáudio de meio-estádio repleto de Benfiquistas Portuenses – vencendo, por 2-1, com golos de Simões (1-0, aos 11 minutos) e Eusébio (2-1, aos 53 minutos). Estava consumada a vitória e o trilho rumo ao título de Campeão Nacional.

ANOS 70 (Primeira metade)
FCPORTO, ESSE SIM, CLUBE DO REGIME
A década iniciou-se “sorridente” com duas vitórias em três edições do Nacional: 2-1, em 1969/70; e, 3-1, em 1971/72. Algo surpreendente para os Benfiquistas, habituados a conquistar títulos em sequências de tricampeonatos, mas também, habituados a habilidades, por vezes caricatas nas Antas, que geralmente inviabilizavam as vitórias do “Glorioso”.
Até o Sporting CP conseguia melhor nas Antas. Entre 1959/60 e 1973/74 (época do 25 de Abril de 1974) disputaram-se 15 edições do Campeonato Nacional da I Divisão, com o Benfica a conquistar onze títulos e o Sporting CP a ganhar os restantes quatro (61/62, 65/66, 69/70 e 73/74). Só que nas Antas tudo era diferente, afinal o “melhor” foi sistematicamente o… Sporting CP. Nessas 15 temporadas, 3 vitórias para nós e seis para o SCP, cinco empates para o SLB e seis para o SCP e sete derrotas para o “Glorioso” e três para o Sporting CP. As habilidades dos portistas em década e meia desvirtuaram a estatística: o clube que conquistou três vezes mais títulos que o SCP "conseguiu” vencer metade dos jogos com o FCP, em relação aos sportinguistas.

ANOS 70 (Segunda metade)
A QUEDA DO REGIME “DEU-NOS” INÉDITAS VITÓRIAS CONSECUTIVAS
Com o 25 de Abril de 1974 os Benfiquistas (em particular os portuenses) ficaram esperançados que poderiam somar à satisfação de conquistar títulos e acompanhar as fabulosas campanhas europeias, também a possibilidade de verem na sua cidade o Benfica derrotar mais vezes o FCP, inimigo dos pequenos clubes. E os três primeiros campeonatos pós-Abril indicaram que tudo mudava. O FCP suportado pela promiscuidade entre presidentes de Direcção portistas (Urgel Horta, Augusto Pires de Lima, Cesário Bonito e Ângelo César) em simultâneo com cargos importantes (deputados, ministros, dirigentes regionais do partido único (União Nacional) e responsáveis por organismos corporativos/ repressivos do Estado Novo) sofreu rude golpe. O Benfica conseguia, pela primeira vez após 40 edições do Campeonato Nacional, repetir consecutivamente duas vitórias, e logo três vezes (3-0, 3-2 e 1-0).

ANOS 80 e 90
UMA VITÓRIA, COM CRIOLINA, EM 23 TEMPORADAS
Afinal o assomo de Liberdade e Democracia durou pouco. Rapidamente atacou um dos problemas das Democracias implantadas em países com populações onde há caciquismo, a corrupção. O FCP de Pinto da Costa tornou-se um dos motores (e abrigo) da corrupção em Portugal, que degradou a Democracia portuguesa, implantando um sistema de tipo mafioso que condiciona os poderes, políticos (autárquicos), policiais e judiciais (tribunais) à volta da região onde tem mais adeptos. Até a vitória, por 2-0 (golos de César Brito, aos 81 e 85 minutos), foi obtida depois da nossa equipa não se poder equipar no balneário, por este estar infestado com químicos corrosivos. 28 de Abril de 1991, um dia de vergonha!

SÉCULO XXI
UMA VITÓRIA NUM MAR AZUL-E-BRANCO DE INIQUIDADES
Entre 1991/92 e 2010/11, decorreram 20 épocas, com o “Glorioso” a conquistar apenas uma vitória, por 2-0 (golos de Nuno Gomes, aos 56 e 63 minutos).
Será que começará, em 2011/12, a respeitar-se a verdade desportiva no Ladrão, reduto dos andróides. Com o ex-SD, Jorge de Sousa!? Bahhhhhhh!

              TODAS AS 77 JORNADAS NO TERRENO DO FCP


Edição
N.º
Época
V
E
D
SLB
FCP
01
34/35
1-2
3.º
02
35/36
2-2
2.º
03
36/37
1-2
4.º
04
37/38
2-2
2.º
05
38/39
3-3
3.º
06
39/40
2-4
4.º
07
40/41
2-5
4.º
2.º
08
41/42
1-4
4.º
09
42/43
4-2
7.º
10
43/44
2-2
2.º
4.º
11
44/45
3-4
4.º
12
45/46
2-0
2.º
6.º
13
46/47
2-3
2.º
3.º
14
47/48
2-0
2.º
5.º
15
48/49
3-4
2.º
4.º
16
49/50
1-0
5.º
17
50/51
2-5
3.º
2.º
18
51/52
0-3
2.º
3.º
19
52/53
1-2
2.º
4.º
20
53/54
3-5
3.º
2.º
21
54/55
0-3
4.º
22
55/56
0-3
2.º
23
56/57
0-3
2.º
24
57/58
0-1
3.º
2.º
25
58/59
0-0
2.º
26
59/60
2-2
4.º
27
60/61
2-3
3.º
28
61/62
1-2
3.º
2.º
29
62/63
2-1
2.º
30
63/64
1-1
2.º
31
64/65
0-1
2.º
32
65/66
0-2
2.º
3.º
33
66/67
1-1
3.º
34
67/68
1-1
3.º
35
68/69
0-1
2.º
36
69/70
2-1
2.º
9.º
37
70/71
0-4
3.º
38
71/72
3-1
5.º
39
72/73
2-2
4.º
40
73/74
1-2
2.º
4.º
41
74/75
3-0
2.º
42
75/76
3-2
4.º
43
76/77
1-0
3.º
44
77/78
1-1
2.º
45
78/79
0-1
2.º
46
79/80
1-2
3.º
2.º
47
80/81
1-2
2.º
48
81/82
1-2
2.º
3.º
49
82/83
0-0
2.º
50
83/84
1-3
2.º
51
84/85
0-2
3.º
52
85/86
0-2
2.º
53
86/87
2-2
2.º
54
87/88
0-3
2.º
55
88/89
0-0
2.º
56
89/90
0-1
2.º
57
90/91
2-0
2.º
58
91/92
0-0
2.º
59
92/93
0-1
2.º
60
93/94
3-3
2.º
61
94/95
1-2
3.º
62
95/96
0-3
2.º
63
96/97
1-3
3.º
64
97/98
0-2
2.º
65
98/99
1-3
3.º
66
99/00
0-2
3.º
2.º
67
00/01
0-2
6.º
2.º
68
01/02
2-3
4.º
3.º
69
02/03
1-2
2.º
70
03/04
0-2
2.º
71
04/05
1-1
2.º
72
05/06
2-0
3.º
73
06/07
2-3
3.º
74
07/08
0-2
4.º
75
08/09
1-1
3.º
76
09/10
1-3
3.º
77
10/11
0-5
2.º




TOTAIS
77 J - 12 - 18 - 47 (89/155)
1.º
2.º
3.º
4.º
5.º
6.º
7.º
8.º
9.º
32
25
15
4
0
1
0
0
0
24
24
11
11
3
1
1
0
1








Só um GRANDE BENFICA GIGANTE poderá vencer num terreno habituado a vigarices.

Alberto Miguéns

1 comentários
comentários
  1. O Sr. Alberto Miguéns então isso faz-se aos corruptos, SIM os das torres das antas, os tais! "Andróides " não e verdade.


    Eles são o exemplo vivo das virgens prenhas porra, essa tribo tem de tudo menos moral e ética, você assim dá-lhes dados para fazerem os pasquins ganhar uns euritos a sua custa e não tarda vir nas suas capas e TV avençadas o seu memorando e o avivar de memória perdida aos mafiosos do futebol em Portugal...

    Obrigada por tudo, e continua a desmascarar esses jornalistas das pocilgas e das mentiras no desporto em Portugal. .


    Força Benficaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    karlos

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail