A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

30/07/2017

Há Que Regressar Às Vitórias

30/07/2017 + 1 Comentários API
DEPOIS DE DUAS DERROTAS CONSECUTIVAS.


O "Glorioso" tem a vantagem de poder terminar a pré-temporada com uma vitória. Que o jogo deste domingo não seja desperdiçado.


Estreia frente ao 678.º adversário do Benfica (28.º da Alemanha)
Logo pelas duas horas da tarde a estreia frente ao RB Lípsia patrocinado pela transnacional "Red Bull" com a esperteza capitalista a funcionar pois impossibilitado de dar o seu nome a um clube desportivo inventaram que RB significa "RasenBallsport" qualquer "coisa" como desporto-com-bola-na-relva (rasen).


Nomes alemães com designação portuguesa desde o século XV
Com os Descobrimentos a Cartografia na Europa foi desenvolvida pelos portugueses e espanhóis por isso muitas localidades do Mundo, com especial incidência na Europa, devido ao comércio entre Portugal e inúmeras regiões e cidades europeias. Daí que a Língua Portuguesa tenha permitido "dar nome português" a esses locais e sítios. Em destaque a Itália (estados da península itálica) e a...Alemanha ou estados germânicos, pois como países Itália e Alemanha são estados reunificados...recentes. A Itália em 17 de Março de 1861 e a Alemanha em 18 de Janeiro de 1871. Comparando com Portugal foi..."anteontem"! As regiões, para lá de localidades, também tiveram nomes bem portugueses. Até as da Alemanha, como é óbvio. Bayern é Baviera e Sachsen é Saxónia. Em 18 de Julho de 1999 o adversário do Benfica, na imprensa portuguesa, foi designado como FK Sachsen Leipzig (mas em terminologia portuguesa será FC Saxónia Lípsia)

NOMES DAS 20 PRINCIPAIS CIDADES DA ALEMANHA
Alemão
Português
Berlin
Berlim
Hamburg
Hamburgo
München
Munique
Köln
Colónia
Frankfurt (am Main)
Francoforte (do Meno)
Stuttgart
Estugarda
Düsseldorf
Dusseldórfia
Dortmund
Dortmund
Essen
Essen
Bremen
Brema
Leipzig
Lípsia
Dresden
Dresda
Hannover
Hanôver
Nürnberg
Nuremberga
Duisburg
Duisburgo
Bochum
Bochum
Wuppertal
Vupertal
Bielefeld
Bielefeld
Bonn
Bona
Münster
Munster
NOTA: A vermelho: nome sem correspondência em português; A negro: com designação na língua portuguesa mas sem utilização na actualidade

Defender a Língua Portuguesa
Já escrevi e repito. Neste blogue a Língua Portuguesa será sempre respeitada. Não é do tipo "Maria-vai-com-as-outras". Há regras e normas que devem mantidas em vez de adulteradas. Com coerência e conhecimento. Para mim o maior enigma na tradução dos nomes é o caso de Colónia. Os portugueses muitas vezes justificam que preferem errar porque não gostam do som. É o caso de pudico que devia ser lido como «pudíco» e não como «púdico». Ou do estado norte-americano da Florida que é lido como «Flórida» e devia ser lido com o som de «Flurida». E dizer "reverter" como sinónimo de "inverter" quando não é! Mas talvez haja solução. Cada vez de ouve mais vezes dizer "interveio" em vez de "interviu" (que há uns anos dominava) e "alcolemia" (como leucemia) quando o errado "alcolémia" chegou a arrasar em tudo quanto era rádio e televisão. Regressando a Colónia! Há muitos anos que estranho os portugueses não terem problemas em "traduzirem" Köll para Colónia quando ainda existiam colónias portuguesas em África e teimarem em dizer «Franquefurte» quando o correcto Francoforte é bem "pacífico"!


Degradação com o jornalismo desportivo
Foi rápida a adulteração dos nomes de locais no estrangeiro. Durante a Segunda Guerra Mundial os nomes eram os correctos. Quando começaram as competições regulares da UEFA foi um "ver-se-te-avias". A ignorância destrambelhou os nomes e principalmente a incoerência pois há clubes com nomes traduzidos e outros não. O caso mais estúpido é o FK Crvena (Estrela) Zvezda (Vermelha) e o FC Steaua (Estrela) Bucareste. Além de haver em alguns o nome português da localidade e noutros não. Como se poderá verificar numa NOTA FINAL. E esta corresponderá a um por cento dos erros!
Pouco antes do 25 de Abril de 1974 tive oportunidade de passar uma semana nas instalações do jornal «Diário de Lisboa» na rua Castilho (Lisboa). Gostava do DL por um motivo fútil. Tinha umas carrinhas brancas com o nome escrito, a preto, de um lado ao outro do automóvel. O tipo de letra fazia com que parecessem zebras. Isso fez com que enviasse uns textos de adolescente para o suplemento juvenil desse jornal acabando convidado a passar a tarde de cinco dias (na semana de férias da Páscoa) na redacção do «Diário de Lisboa». Lembro-me de dizer-se o seguinte lá pelas instalações. Os jornalistas bêbados (actualmente no politicamente correcto alcoólicos) e semi-dementes (actual Alzheimer) eram colocados na secção de «Necrologia». Aqueles que se consideravam semi-analfabetos iam para a secção de «Desporto». Os jornalistas subservientes na secção de «Política». Os jornalistas incompetentes nas restantes secções. Os jornalistas que fossem competentes estavam presos pela PIDE!
Podia haver algum preconceito para com os repórteres de desporto mas em relação à adulteração do nome das localidades é bem verdade que foi a ignorância deles que adulterou os nomes. Lembro-me de alguns "jornalistas desportivos" com destaque para Carlos Pinhão lutarem contra esse estigma de nem serem considerados jornalistas por escreverem acerca de «desporto». Até de uma crónica feita a duas mãos. Um jornalista "não-desportivo" escrevia bola, jogo, golo, entre outros termos até à exaustão revelando-se num texto maçador. O jornalista "desportivo" escrevia bola, esférico, jogo, prélio, encontro, desafio, golo, tento, concretização, etecetra. Afinal escrever "crónicas desportivas" não era para todos! Pelo contrário...  

Orgulho no que se vai conseguindo
Apesar das dificuldades colocadas por um futebol colectivo (o mais colectivo do Mundo), dinâmico, com força e capacidade técnica, registamos mais cinco vitórias (28/23) e mais quatro golos marcados (98/94). Embora em jogos para competições oficiais os registos são negativos "muito por culpa" do FC Bayern Munique!

71 JOGOS DO BENFICA COM 27 ADVERSÁRIOS ALEMÃES
Adversário
J
V
E
D
GM
GS
FC Bayern* Munique
12
2
4
6
11
23
TSV Bayer 04 Leverkusen
6
2
3
1
9
9
1.FK Nuremberga
5
3
1
1
12
6
BV Borussia Dortmund
5
2
-
3
4
12
FK Carl Zeiss Jena
4
1
2
1
2
3
VFL Bor. Monchengladbach
4
-
3
1
1
3
FC Schalke 04
3
1
-
2
2
4
Fortuna Dusseldórfia
3
1
2
-
3
2
VfB Estugarda
3
2
-
1
4
4
Hertha Berlim SC
3
1
2
-
6
2
SG Eintracht** Francoforte
2
-
1
1
2
3
Misto SGEF + OFCKO
2
1
-
1
3
3
1.FK Lokomotiv Lípsia
2
1
-
1
3
4
FK Vorwarts (Berlim Or.)
2
1
-
1
2
2
1.FK Dinamo Dresda
2
-
1
1
0
2
1.FC Kaiserslautern
2
1
-
1
2
2
Hamburgo SV
1
1
-
-
4
3
OFC Kickers Offenbach
1
1
-
-
3
0
Selecção Berlim Ocidental
1
1
-
-
4
2
Misto FKN + FCBM
1
-
1
-
2
2
SV Riedlhutte
1
1
-
-
2
0
FC Sachsen*** Lípsia
1
1
-
-
5
1
1.FC Traunstein
1
1
-
-
6
0
VFR Aalen
1
1
-
-
4
1
FSV Mainz
1
-
-
1
0
1
Karlsruher SC
1
1
-
-
1
0
VfL Wolfsburgo
1
1
-
-
2
0
RB Lípsia
-
-
-
-
-
-
 TOTAL
71
28
20
23
98
94
NOTAS: * Bayern é Baviera, em português; ** Eintracht é Concórdia/Unidos/União; e Sachsen é Saxónia, em português; Misto SGEF (Eintracht Francoforte) + OFCKO (Kickers Offenbach); Misto FKN (Nuremberga) + FCBM (Bayern Munique)

Carrega Benfica!

Alberto Miguéns


NOTA: E continua a escrever-se com os pés sem um pingo de coerência! Em vez de se respeitar a Língua Portuguesa cada um escreve como lhe apetece. 
As palavras Bilbao, cacao ou trofeo em português são Bilbau, cacau e troféu. Na Língua Portuguesa é "Espanhol". Em catalão é "Espanyol". Só que Portugal ainda não é a Catalunha. 
Se o alemão Hamburg/ Friburg/ Augsburg é em português Hamburgo/Friburgo/Augsburgo. Então Wolfsburg é Wolfsburgo.
O francês Bordeaux é em português Bordéus. E Strasbourg é Estrasburgo. 
Mais critério. É preciso respeitar a Língua Portuguesa. Abaixo o provincianismo.





1 comentários
comentários
  1. Aprecio muito a forma objectiva e motivadora como o Alberto lida com estes dias negros. Bem diferente de alguns que se dizem Benfiquistas e de quem li hoje frases em que desejavam uma derrota da nossa equipa por números expressivos. Tudo isso porque não gostam e/ou não concordam com as decisões da nossa Direcção e/ou corpo técnico. Lamentável.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail