A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

07/10/2016

As Duas «Máquinas de Futebol» Quase-Perfeitas dos Anos 60

07/10/2016 + 9 Comentários
OS SETE JOGOS ENTRE OS DOIS CLUBES MÍTICOS CONCENTRAM-SE NO PERÍODO EUSÉBIO/PELÉ. NÃO FOI POR ACASO!


Organizar um Santos/Benfica era conseguir colocar em confronto duas das equipas que mais roçaram a perfeição a jogar futebol. Ver um Benfica/Santos era apreciar o que de mais belo, emocionante e imprevisível tinha o Futebol. Previsível só o resultado que era favorável ao clube brasileiro.

O primeiro confronto entre os dois clubes até foi mais um Coluna/Pepe
Pois Eusébio (25 de Janeiro de 1942) é mais novo que Coluna (6 de Agosto de 1935) e que Pelé (23 de Outubro de 1940). E o segundo melhor marcador da história do Santos FC, Pepe (José Macia) nasceu em 25 de Fevereiro de 1935. Pelé no jogo de estreia frente ao Benfica tinha 16 anos e nove meses. Certinhos!

  JOGOS DO SL BENFICA FRENTE AO SANTOS FC
Época
Cp.
País
Cidade
Estádio
St
V
E
D
56/57
Par
Brasil
Santos
Vila Belmiro
F


2-3
60/61
Tor
França
Paris
Parque Príncipes
N


3-6
62/63
TIC
Brasil
Rio Janeiro
Maracanã
F


2-3
Portugal
Lisboa
Luz
C

2-5
66/67
Tor
EUA
Nova Iorque
Randall’s Island
N


0-4
68/69
Tor
Argentina
Buenos Aires
La Bombonera
N


2-4
Par
EUA
Nova Iorque
Yankee
N

3-3

16/17
Par
Brasil
Santos
Vila Belmiro
F



TOTAIS………
7 J – 0 V1 E6 D        (14/28)
 NOTAS: Em 1961/62, no Torneio Internacional de Paris; em 1962/63, na Taça Intercontinental; em 1966/67, no Torneio Internacional de Nova Iorque; em 1968/69, no Torneio Pentagonal de Buenos Aires

Depois foram os confrontos Benfica/Eusébio frente ao Santos FC/Pelé que fizeram história
Eusébio não defrontou o Santos FC no primeiro jogo (com 15 anos estava em Moçambique) e no segundo, em Paris, entrou aos 36 minutos.  O resultado chegou a 0-5, com Eusébio a fazer um “hat-trick” (três golos consecutivos no jogo) em 18 minutos, entre os 63 e 8o minutos, colocando o resultado em 3-5. Pelé marcou dois golos (0-2 e 3-6). São jogos carregados de história que só por si davam para fazer sete textos, um para cada jogo. Em onze anos de confrontos (1957-1968) Pelé foi o único totalista do Santos FC e Coluna o único futebolista do SLB a jogar esses sete jogos, capitaneando os últimos cinco. Eusébio em seis jogos marcou cinco golos. Pepe também jogou seis encontros (marcou três golos), tal como no Benfica outros dois futebolistas: José Augusto (um golo...o último) e Cruz. Pelé em sete jogos marcou nove golos. Até se pode escrever, nove golos em cinco jogos, pois nos últimos dois jogou mas não marcou.



A honra de receber o Rei Pelé junto ao Imperador Eusébio
Na "Saudosa Catedral" onde o Imperador reinou durante década-e-meia e o Rei maravilhou os Benfiquistas em 11 de Outubro de 1962. Quase, quase há 54 anos! Perder custa sempre, mas frente a quem é superior custa menos!


O jogo, em Nova Iorque, que para Pelé foi mais que um jogo
Um mês depois do Portugal - Brasil (19 de Julho) no Mundial de 1966, realizado em Inglaterra, eis em Nova Iorque, o Santos FC frente ao SL Benfica. O "Glorioso" actuou com seis dos sete "Magriços" totalistas nos seis encontros em Inglaterra, e ainda reforçado com Costa Pereira, Raul e Cruz. Pois é! Levámos uma coça de "Pelé e Companhia": 0-4! Em 21 de Agosto de 1966. Não se esqueceu!



OITO MARCADORES DOS 14 GOLOS FRENTE AO SANTOS FC
Futebolista
T
56/57
60/61
62/63
62/63
66/67
68/69
68/69
Eusébio
5

3

1


1
Santana
3


2
1



Cavém
1
1






Águas
1
1






Toni
1





1

Jorge Calado
1





1

Jacinto
1






1
José Augusto
1






1

Sete jogos a caminho de oito
Concentrados nas décadas douradas dos dois clubes – anos 60 – há um jogo nos anos 50 (em 1957, a estreia) e passará haver outro na segunda década - 2016 - do século XXI. O último (que passará a penúltimo no próximo sábado) foi em…1 de Setembro de 1968. Há 48 anos. Mas também há que regressar ao da estreia em 1957. Que tem muito para contar. Hoje não!

Que amanhã é o dia!

Alberto Miguéns
9 comentários
comentários
  1. Do que vi na televisão e no youtube, Pelé foi um jogador soberbo. Mas o futebol Brasileiro das décadas de 50 e 60 era fabuloso. Apenas no início da década de 80 voltou o brilho. É certo que Ronaldo e Ronaldinho foram jogadores ao nível dos craques da década de 50 e 60.

    Ao que sei o Santos chegou a ter duas equipas. Uma equipa para andar constantemente em digressão pelo Mundo e outra apenas para jogos internos. Máquina! Presumo que apenas a equipa de futebol do Santos FC terá viajado mais pelo Mundo do que a do SL Benfica. Máquinas!

    O reencontro entre dois Clubes de grande nobreza. A nossa equipa está longe da sua máxima força. Presumo que o Santos FC estará no máximo. Mas a fé é grande que desta vez possamos sorri e logo na Vila Belmiro, o local mais mítico do futebol Brasileiro. E fica um desejo pessoal: que seja com um golo de José Gomes. Um menino de 17 anos a fazer diferença. Como outro fez há muitos, muitos anos atrás. Carrega Benfica!

    ResponderEliminar
  2. Santos do passado é o Barcelona do presente. Eusébio estava para Pelé como Messi estava para Ronaldo. Mas a diferença de talento ainda era/é acentuada.

    ResponderEliminar
  3. Caro Alberto, permita-me o off-topic.
    Num evento "on-line" fui abordado por um luso-descendente norte-americano, o qual (sabendo que eu era Português e Benfiquista - não necessariamente por esta ordem...) me referiu que era irmão do Jorge Vicente, antigo jogador de hóquei do glorioso.
    Confessei-lhe que não conhecia o jogador, "desculpando-me" que não era dessa geração (pois referiu-me que ele jogou com Ramalhete, Livramento, entre outros).
    Como é óbvio, fui depois pesquisar na net e logo percebi que Jorge Vicente foi um magnífico jogador!
    Confesso-lhe, caro Alberto, que fiquei um pouco envergonhado com a minha ignorância até porque, apesar de seguir mais o futebol, gosto particularmente do hóquei.
    Bem que podia dizer que o futebol marca a agenda dos Benfiquistas e que há pouca informação sobre o (passado) do hóquei mas logo fui desmentido pelo seu blog...
    O meu caro Alberto até informa quantos golos o Jorge Vicente marcou ao Barcelona!
    Não tenho desculpa...ou melhor, tenho que pedir desculpa a si e ao irmão do Jorge Vicente por não estar suficientemente informado sobre uma modalidade que tanto, tanto prestígio tem trazido ao nosso clube.
    Forte Abraço e...Carrega Benfica!

    J.A.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro JA

      Não tem que pedir desculpa.

      A Secção faz 100 anos e nem os actuais dirigentes do Clube se interessam por isso como quer que o Hóquei em Patins tenha visibilidade quando o Centenário era uma excelente oportunidade para divulgar a modalidade. Que não começou em 20003. A Secção começou em 1916 e a estreia em competição em 1917.

      Jorge Vicente jogou 12 temporadas (1964 a 1978/79), fez 651 jogos, marcou 1169 golos. Nesse período o SLB só fez dois jogos com o FC Barcelona. Marcou 2 golos no primeiro jogo (D 3-5) em Barcelona. Esse jogo até está "visionado" aqui no blogue". Vou encontrá-lo e depois dar essa informação.

      Saudações sticadas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
    2. Quadro com todos os marcadores ao FC Barcelona:

      https://em-defesa-do-benfica.blogspot.com/2016/05/manto-sagrado-basquetebolar-e-futsalar.html

      Eliminar
    3. Uma reportagem do FC Barcelona acerca dessa final na Taça dos Clubes Campeões Europeus:

      http://em-defesa-do-benfica.blogspot.com/2016/05/benfica-patina-sobre-fc-barcelona.html

      Eliminar
    4. A primeira vez que vi o Benfica ao vivo, foi no Hoquei em Patins. Campo de Ourique-Benfica. Jogámos com; Ramalhete, Casimiro, Garrancho, Livramento e Jorge Vicente.

      Espectáculo delicioso!!!

      O Jorge Vicente não ficava nada atrás do Livramento. O Livramento além de ser um virtuoso, tinha a mais que os outros o SABER PATINAR, era um artista!!! Estão a ver o Fernando Mendes e Joaquim Agostinho no ciclismo? Soubesse o Agostinho dominar a bicicleta como fazia o F.Mendes....ou tivesse o F.Mendes a força do Joaquim Agostinho...

      Eliminar
  4. Caro Miguel,
    Muito obrigado pela informação.

    O centenário da secção, mais do que uma excelente oportunidade, deveria constituir uma verdadeira obrigação desta direcção no sentido de divulgar a modalidade.
    Aliás, quando se aproxima o confronto entre dois clubes míticos no futebol, não se poderia - para assinalar o centenário - organizar um jogo idêntico no hóquei com o Barcelona?!
    Não só organizar como homenagear no ringue, um a um, todos os "Jorges Vicentes" que conseguíssemos convidar!
    Numa altura em que tanto se fala de activos, passivos e consolidados é tempo de recordar os Benfiquistas que o nosso maior património é a nossa história.
    E, caro Miguel, esta nossa riqueza (por muito que tentem - dentro e fora do clube) não é susceptível de depreciação.
    Para tanto muito contribui o meu caro Miguel, com o seu meritório trabalho "Em Defesa do Benfica".
    Apesar de ser seu leitor, foi a primeira vez que comentei no blog. Bem sei que uma palavra de apreço vinda de um Benfiquista "anónimo" pouco conforto poderá proporcionar a quem, como o Miguel, tanto sacrifício pessoal e profissional certamente já despendeu com tão nobre causa.
    Porém, estou certo que (como eu), existirão centenas de Benfiquistas que sabem valorizar este seu verdadeiro "serviço público de benfiquismo".

    Bem-haja e continuação de fortes "sticadelas".

    J.A.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Miguéns e não Miguel.
      Alberto Miguéns, nascido há 54 anos na vila de Montalvão, na rua das Almas nr. 4

      Eliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail