A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

22/09/2016

Taça de Sorteio

22/09/2016 + 7 Comentários

NUMA COMPETIÇÃO A ELIMINAR NÃO FAZ SENTIDO RECOLOCAR EM PROVA CLUBES ELIMINADOS.



Mas é o que a FPF está a fazer há duas temporadas na Taça de Portugal. Em 2015/16 foram 14 emblemas "repescados". Em 2016/17 são 15 os clubes que depois de eliminados foram novamente a duplo sorteio: para serem escolhidos de entre os 60 afastados na primeira eliminatória e emparelhados para os 46 jogos da segunda eliminatória.

Como o SLB entra na 3.ª eliminatória da Taça de Portugal
Nunca acompanho as duas primeiras eliminatórias. Como tenho os resultados de todas as edições do Campeonato de Portugal/Taça de Portugal aproveito o sorteio da 3.ª eliminatória para actualizar os resultados. Foi assim que há um ano - até fiz um texto aqui no blogue (clicar) - me apercebi que a FPF voltara a fazer "repescagens" muitas épocas depois. E depois de nessas cinco temporadas em que o fez - 1976/77 a 1980/81 - ser alvo da chacota generalizada na Imprensa (e jornalistas) da época. Houve até quem fizesse a proposta de ser criada uma competição paralela: a Taça de Portugal e a Taça dos Repescados.

Repescagens I (1976/77 a 1980/81)
Há um ano só me apercebi já na 3.ª eliminatória do "acontecimento" sui generis: depois de eliminados em campo alguns clubes (se tiverem sorte) podem regressar à competição. Afinal para alguns o afastamento será temporário, entre o final dos jogos da primeira eliminatório e o início do sorteio da segunda! Mas não sabia como se fazia essa selecção. Por isso este ano estive atento. Para mim Informação é Liberdade. Ainda é pior do que imaginava.
Entre 1976/77 e 1980/81 as repescagens eram feitas em campo. A Taça de Portugal estava dividida em duas fases. A primeira tinha duas eliminatórias. Na segunda eliminatória desta primeira fase apenas jogavam entre eles os derrotados da primeira. Depois na segunda fase, a primeira eliminatória, fazia-se com os apurados da primeira eliminatória (1.ª fase) que "ficavam a ver jogar" na segunda eliminatória os derrotados, os vencedores da segunda eliminatória entre os tais derrotados da primeira eliminatória e os clubes do primeiro escalão. O "Glorioso" entrava na Taça de Portugal nos 64-avos-de-final (a tal 1.ª eliminatória da segunda fase). Agora entra dos 32-avos-de-final. Logo na segunda edição - 1977/78 - com esta aberração o SLB apanhou com um "repescado". Qual...o GD Chaves, o mesmo de sábado, embora em 1977/78 a competir na zona norte da II Divisão. Foi eliminado (D 0-3) pelo FC Tirsense (na primeira eliminatória da primeira fase) e depois na tal segunda eliminatória afastou (V 4-0) o FC Tadim que havia perdido (D 1-2), na primeira eliminatória, com o GD Joane. Dizia-se perdido pois não eram eliminados visto terem uma "segunda oportunidade". O Benfica afastou "pela segunda vez" (desta em definitivo, ou seja, eliminado de vez) o GD Chaves, vencendo por 2-0. A FPF foi tão fustigada - por se considerar que repescagens são contra-natura numa competição a eliminar - que acabou por abandonar este sistema!


Repescagens II (2015/16 a ?)
Eis que quatro decénios depois voltam as repescagens mas sem jogos. Agora é tudo uma questão de ser ou não sorteado. Diferente mas igualmente aviltante para o espírito da competição. Se perdeu está eliminado. Mas há duas épocas deixou de ser assim. No sorteio da segunda eliminatória desta temporada os 60 clubes "eliminados" na primeira eliminatória foram colocados num pote que foi o primeiro a ser sorteado. Os 15 primeiros sortudos que saíram do pote dos perdedores foram recolocados na Taça de Portugal. Não faz sentido. Tal como não fazia sentido haver clubes isentos que já não existe no modelo actual, mas também não deviam existir clubes que de eliminados passam a regressados. Não honra uma competição. E nem há necessidade. Havia isenções quando os clubes dos campeonatos distritais estavam impedidos de disputar a Taça de Portugal. Agora recorrendo-se a esses clubes é tudo uma questão de saber quantos são necessários para permitir números pares nas eliminatórias número I, II e III (aquela em que os clubes do primeiro escalão iniciam a competição).

CALENDÁRIO DE JOGOS EM OUTUBRO

O
U
T
U
B
R
O
02
DOM
CD Feirense
Primeira Liga.07
Casa/ SLB
05
QUA

Jogos das Selecções
09
DOM
12
QUA
16
DOM
?
Taça Portugal. 1/32
Fora/ ?
19
QUA
FK Dínamo Kiev
Liga Campeões.03
Olímpico/Kiev
23
DOM
CF “Os Belenenses”
Primeira Liga.08
Fora/Lisboa
26
QUA
28
SEX
FC Paços Ferreira
Primeira Liga.09
Casa/ SLB

É desta eliminatória que sairá o adversário do "Glorioso"
Depois da interrupção, no início de Outubro, para os jogos das selecções nacionais o Benfica regressará, em terreno alheio, na terceira eliminatória para a Taça de Portugal, em 15/16 de Outubro. Na segunda e terceira eliminatória os clubes do escalão superior têm o sorteio condicionado actuando como visitantes. Ontem disputou-se a 8.ª jornada da Segunda Liga - o "Glorioso" venceu por 1-0 o Leixões SC - para permitir disputar no próximo fim-de-semana a segunda eliminatória. Sairá de um dos 46 vencedores o adversário do Benfica.


Os resultados na primeira eliminatória
E origem dos clubes na respectiva série do terceiro escalão tal como os clubes seleccionados nos campeonatos distritais. Já agora era útil a FPF não se esquecer que em seis jogos o resultado deixou de ser 0-0, pois os jogos realizaram-se estando os seis clubes vencedores apurados para a eliminatória seguinte e os seis derrotados na expectativa do sorteio, "torcendo" para serem um dos quinze sortudos. E dois até foram. O FC Pampilhosa e o UD Vilafranquense. Há poucas horas quando fiz esta junção (pelas 22 horas do dia 21 de Setembro de 2016) ainda não havia resultados (clicar). Será que vai ficar assim para a eternidade?!


Percebe-se que os clubes tenham de entrar "faseados"
Embora o ideal fosse começarem todos na primeira eliminatória, mas a escassez de datas, bem como a possibilidade de haver logo no início das temporadas jogos de Clássicos ou Dérbies - quando os clubes ainda não estão "afinados" - permita perceber que neste caso o «Óptimo seria inimigo do Bom». Este modelo (2015/16 e 2016/17) é que não faz sentido. Se seleccionam 41 clubes dos campeonatos distritais onde competem de Norte a Sul, Açores e Madeira mais de três centenas de clubes podiam seleccionar mais emblemas.


Em vez de 41 bastava seleccionarem 71 clubes nos campeonatos distritais
Isso permitiria fazer emparelhamentos na primeira e segunda eliminatória de modo a ter na 3.ª eliminatória os 64 clubes. Sem isenções e repescagens. Que não fazem sentido!


Agora estou a torcer por uma final na Taça de Portugal entre o SLB e o UD Vilafranquense
Até porque o simpático clube da cidade de Vila Franca e Xira se mereceu (teve sorte) uma segunda oportunidade depois de perder, por 1-2, com o GS Loures, merece eliminar o Vilaverdense FC, de Vila Verde (Braga) e depois "despachar" no «Cevadeiro» o FC Porto, Sporting CP, SC Braga e mais os que chegarem. E estar no Jamor frente ao SL Benfica. Além disso gosto dos vídeos do clube! Além das cores do clube.


Uma final entre o SLB e um "repescado" é que era!


Alberto Miguéns
7 comentários
comentários
  1. concordo e já o disse, não faz qualquer sentido, se o problema é numeros dêem mais entradas aos distritais, se o problema é viagens na primeira eliminatória dividam o pais por zonas, depois dos numeros certos, volta o sorteio ao normal!
    Os clubes dos distritais viam nesse apuramento para a taça um prémio para as boas épocas que fazem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Pinheirinho

      Esse problema das deslocações está bem resolvido com a divisão por oito séries que estão relacionadas com a localização geográfica.

      Trisaudações gloriosíssimas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  2. O Alberto parece uma personagem duma série de humor dos States que sempre que há alguma circunstância diferente do habitual, ele entra em stress devido ao seu distúrbio obsessivo compulsivo, há uma calamidade, é uma tragédia e o mundo vai acabar.
    Deixe lá as coisas às vezes serem alteradas, seja mais aberto à modernidade e menos conservador, até o nosso Benfica já mudou de estádio umas quantas vezes. Na realidade eu também não apoiava a demolição da velhinha catedral mas acabei por gostar mais do novo.


    Saudações Gloriosas
    Ana Batista

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. D. Ana Batista

      O problema não são os "States". O problema é que em Portugal quem tem opinião fundamentada causa distúrbios a quem é de facto conservador. Ou como escreveu Lampedusa em "O Leopardo".

      «Às vezes é preciso mudar alguma coisa para tudo ficar igual".

      Saudações TRIgloriosas

      Alberto Miguéns

      NOTA: Não me causa o mínimo distúrbio desde que o SLB não seja eliminado, com ou sem repescagens. Agora conhecendo toda a História da Taça de Portugal desde 1921/22 acaba por se ter "simpatia" por aquilo que se conhece bem e quando assim é não se gosta é dos "malandrecos" que não a respeitam, sorteado clubes para serem apurados quando já foram eliminados.

      Eliminar
  3. Caro Dr Alberto,


    Deixo-lhe uma rectificação, o Benfica defrontou o D Chaves na Ediçao da Taça de Portugal de 1977/78, nao foi na Edição de 1978/79, o Desportivo nessa Edição 78/79 foi mesmo eliminado pelo vizinho Vila Real em Chaves num 2º jogo!


    "Logo na segunda edição - 1978/79 - com esta aberração o SLB apanhou com um "repescado". Qual...o GD Chaves, o mesmo de sábado, embora em 1978/79 a competir na zona norte da II Divisão. Foi eliminado (D 0-3) pelo FC Tirsense (na primeira eliminatória da primeira fase)"

    Taça de Portugal 1977/78:

    Benfica 2 D Chaves 0!
    CUF 0 Benfica 8!
    Benfica 5 Belenenses 0!
    Benfica 7 Régua 2!
    Sporting 3 Benfica 1!

    Nesta Edição 1977/78, o Benfica defrontou na Luz o SC Régua nos oitavos final (talvez o penultimo jogo do V Baptista), e o Régua sim, tinha sido eliminado na 2ª eliminatória pelo A Valdevez, e posteriormente repescado. Estará a fazer confusão entre o D Chaves e SC Régua, curiosamente, dois Clubes do Distrito de Vila Real, isto é, o D Chaves venceu o Tadim em 1977/78 para a T Portugal, e não foi repescado!

    Saudações do Bairro da Graça!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro,

      O Benfica defrontou o GD Chaves em tuas temporadas consecutivas:

      1976/77; 1/32-avos-de-final(para facilitar comparações); Luz; V 1-0 (O GD Chaves foi 8.º classificado na zona Norte da II Divisão);

      1977/78; 1/64-avos-de-final (para facilitar comparações); Luz; V 2-0 (O GD Chaves foi 6.º classificado na zona Norte da II Divisão). Nesta temporada nos oitavos-de-final eliminou o SC Régua (V 7-2 na Luz) com 7-2. O SC Régua foi 14.º classificado na zona Norte da II Divisão).

      Em 1977/78 o GD Chaves empatou em Chaves com o FC Tirsense e depois perdeu 0-3 em Santo Tirso. Na eliminatória de repescagem afastou outro repescado, o FC Tadim por 4-0.

      Depois a Taça começou "a sério": O SLB afastou logo o repescado GD Chaves. O erro está numa da épocas, mas que o repescado, foi pescado... foi!

      AM

      Eliminar
  4. O erro é que o SLB jogou duas vezes consecutivas com o GD Chaves, mas a fase começava certa: Logo na segunda edição. Ora se esta mania das repescagens começou em 1976/77 a segunda edição foi 1977/78....

    Obrigado pela ajuda a rectificar.

    AM

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail